Você está na página 1de 34

Uma Visão Geral do Mercado de

Trabalho
Economia de Trabalho
Mercado de Trabalho
• Uma vez que há vários compradores e
vendedores de trabalho a qualquer instante,
as decisões que são feitas em qualquer caso
particular são influencias pelo
comportamento e decisões de outros
Mercado de Trabalho
• O mercado que aloca trabalhadores a cargos e
coordena decisões de emprego é o mercado de
trabalho
• O processo de coordenação envolve a criação de
incentivos de modo que a quantidade certa de
trabalho e capital seja empregada no lugar certo e na
hora certa
• As decisões de produção, emprego, consumo são
todas tomadas e coordenadas por sinais de preço que
surgem do mercado.
Mercados de Trabalhos
• Local
• Nacional
• Interno
– Quando existe um conjunto de regras e procedimentos que
guiam e constragem a relação de emprego dentro duma
firma
• Secundário
– Onde as transacções do mercado de trabalho não são feitos
dentro dum contexto formal de regras ou procedimentos
escritos, e as vezes não pagos
O MERCADO DE TRABALHO: DEFINIÇÕES,
FACTOS E TENDÊNCIAS
• A Força de Trabalho e Desemprego

• PEA, PIA, E (ocupada), I (inactiva), U


(desempregada)
Dinâmica do Estatuto da Força de Trabalho,
População Adulta

• Ver Figura 1
Figura 1: Dinâmica do Estatuto da Força de Trabalho, População Adulta

Empregados

Força de Trabalho Novas contratações


Despedimentos
(Empregados e Desistências Readmissões
Desempregados)
Desempregados

População Novas entradas (Não empregados, mas a


Desistências
(15 e mais anos de idade) Reentradas Reformas procura de emprego ou a
espera de para reentrar)

Fora da Força de
Trabalho
Indústrias e Ocupações: Adaptação às
Mudanças
Ano Agricultura Manufactura Servicos Governo
1900 38.1 37.8 20.0 4.1
1910 32.1 40.9 22.3 4.7
1920 27.6 44.8 21.6 6.0
1930 22.7 42.1 28.1 7.1
1940 18.5 41.6 31.1 8.8
1950 12.1 41.3 36.4 10.2
1960 6.6 41.4 38.8 13.2
1970 3.8 39.8 40.5 15.9
1980 3.6 32.8 46.3 17.3
Agricultura Manufactura Servicos Governo
50

45

40

35

30

25

20

15

10

0
1900 1910 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1980
  1900 1910 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1980
Trabalhos Não Manuais 17.6 21.0 24.9 29.4 31.1 36.6 42.2 47.5 52.2
Profissionais e técnicos 4.3 4.6 5.4 6.8 7.5 8.6 11.3 14.6 16.1
Gestores 5.9 6.5 6.6 7.4 7.3 8.7 8.5 8.1 11.2
Escriturários 3.0 5.2 8.0 8.9 9.6 12.3 14.9 17.8 18.6
Promotores de Vendas 4.5 4.6 4.9 6.3 6.7 7.0 7.5 7.0 6.3
Trabalhadores Manuaus 35.8 37.6 40.2 39.6 39.8 41.2 39.7 36.5 31.7
Artesãos 10.6 11.4 13.0 12.8 12.0 14.2 14.3 13.9 12.9
Operativos 12.8 14.4 15.6 15.8 18.4 20.4 19.9 17.9 14.2
Operários 12.5 11.8 11.6 11.0 9.4 6.6 5.5 4.7 4.6

Trabalhadores de Serviços
Pessoais 9.0 9.4 7.8 9.8 11.8 10.5 11.7 12.8 13.4
Domésticos 5.4 4.9 3.3 4.1 4.7 2.6 2.8 1.5 1.1
Outros 3.6 4.5 4.5 5.7 7.1 7.9 8.9 11.3 12.3
Trabalhadores de Farmas 37.6 30.5 27.0 21.2 17.4 11.8 6.3 3.1 2.8
Proprietários e gestores 19.9 16.3 15.3 12.4 10.4 7.4 3.9 1.8 1.5
Camponeses 17.7 14.2 11.7 8.8 7.0 4.4 2.4 1.3 1.3
Trabalhos Não Manuais Trabalhadores Manuaus
Trabalhadores de Serviços Pessoais Trabalhadores de Farmas

60

50

40

30

20

10

0
1900 1910 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1980
Os Ganhos do Trabalho
• Salários nominais
– A taxa de salário é o preço do trabalho por hora de trabalho
– O salário nominal é o que o trabalhador é pago por hora em
unidades monetárias correntes
• Salarios reais
– são os salários nominais divididos por uma médida de
preços, indicam quanto pode ser adquirido com o
salário nominal dos trabalhadores
Tabela 3: Salários e Ganhos médios de Trabalhadores de Produção Manufactureira, 1914 – 1985, EUA.

Mudanca %
Indice de Indice de Annual em
Ganhos Salario medio Indice de Preco Ganhos Reais Salarios Reais Salarios Reais
semanais (MT Horas semanais por hora (MT ao Consumidor Semanais (1914 por Hora (1914 por Hora dos
Ano correntes) medias pagas correntes) (1914 = 100)a = 100) = 100) Ultios 10 anos
1914 10.92 49.40 0.22 100 100 100  
1920 26.02 47.40 0.55 199 120 126
1925 24.11 44.50 0.54 174 127 141 3.1
1930 23.00 42.10 0.55 166 127 151
1935 19.91 36.60 0.54 137 133 179 2.3
1940 24.96 38.10 0.66 140 163 214
1945 44.20 43.50 1.02 179 226 259 3.7
1950 58.32 40.50 1.44 240 223 273
1955 75.70 40.70 1.86 266 261 318 2.1
1960 89.72 39.70 2.26 295 278 34
1965 107.53 41.20 2.61 314 314 378 1.7
1970 133.73 39.80 3.36 386 317 396
1975 189.51 39.40 4.81 536 324 408 0.8
1980 288.62 39.70 7.27 820 322 403
1985 385.56 40.50 9.52 1070 330 404 -0.1
Os Ganhos do Trabalho
• Ganhos
• Compensação
• Rendimento

– Ver Figura 2
Figura 2: Relação entre Salários, Ganhos, Compensações e Rendimento

Taxa de Salário Unidades de Tempo de Ganhos


(pagamento por unidade de tempo) X Trabalha =

Benefícios Adicionais
+ (Em espécie ou pagamentos diferidos)

Compensação Total
=

Rendimento Não Ganho


(Juros, dividendos, pagamento de
+ transferências governamentais)

Rendimento
=
FUNCIONAMENTO DO MERCADO DE
TRABALHO
A Procura de Trabalho
• Número de trabalhadores empregues por uma
firma ou por um conjuto de firmas que é
afectado pelas mudanças em um ou mais das
três forças do mercado (trabalho, capital e
mercado).
– Simplificacao: a análise olha para uma mudança
de cada vez mantendo constante as outras forças
FUNCIONAMENTO DO MERCADO DE
TRABALHO
• Mundanças salariais
– O que aconteceria com a quantidade de trabalho
procurada se, por exemplo, se aumentasse a taxa
de salário?
Movimento ao longo da curva
efeito escala – o efeito sobre o nível de emprego
desejado duma escala de produção menor
efeito substituição, porque a medida que os salários
sobem, o trabalho é substituido por capital no processo
de produção
Taxa de Salário Nível de Emprego Desejado
30 2500
40 1900
50 1600
60 1300
70 1000
80 700

Curva de Procura
90
80
Sálarios (MT por hora)

70
60
50
40
30
20
10
0
600 800 1000 1200 1400 1600 1800 2000 2200 2400 2600
Número de Trabalhadores
FUNCIONAMENTO DO MERCADO DE
TRABALHO
Mudanças em Outras Forças que Afectam a Procura
Deslocacao da curva de procura
– efeito de escala (ou de produção) iriam aumentar
o montante de procura de trabalho.
– (Desde que os preços relativos do capital e
trabalho permaneçam inalterados, não haverá
efeito de substituição).
Ver Figuras 4, 5 e 6
FUNCIONAMENTO DO MERCADO DE
TRABALHO
A procura de trabalho pode ser analisada em
tres niveis:

• Procura do Mercado

• Procura da Indústria

• Procura da Empresa
FUNCIONAMENTO DO MERCADO DE
TRABALHO
• Longo Prazo e Curto Prazo

Por períodos de tempo muito curtos:

– Empregadores encontram dificuldades em


substituir trabalho por capital (ou vicce-versa), e

– Clientes poderão não mudar muito a sua procura


pelo produto em resposta a um aumento do preço
FUNCIONAMENTO DO MERCADO DE
TRABALHO
• A Oferta de Trabalho
– Se os salários noutras ocupações são mantidos
constantes como mundam os salários na ocupacao
em analise?
– Oferta de Mercado
– Oferta a Firmas

Ver Figuras 7, 8 e 9
FUNCIONAMENTO DO MERCADO DE
TRABALHO
• A Determinação do Salário
– O salário que prevalece num determinado
mercado de trabalho é bastante influenciado pelas
forças de procura e oferta, independentemente se
o mercado envolve um sindicato
FUNCIONAMENTO DO MERCADO DE
TRABALHO
O Salário de Equilíbrio
• A medida que os salários se elevam, duas coisas
acontencem:
– Primeiro, mais trabalhadores escolheriam entrar no
mercado e procurar emprego (um movimento ao longo
da curva);
– segundo, salários crescentes iriam induzir os
empregadores a procurar menos trabalhadores (um
movimento ao longo da curva de procura)
(Figura 10 e 11)
FUNCIONAMENTO DO MERCADO DE
TRABALHO
• Perturbação ao Equilíbrio

(Figuras 12, 13, 14, 15, 16 e 17)


FUNCIONAMENTO DO MERCADO DE
TRABALHO: APLICAÇÕES DA TEORIA
• A Alocação de Trabalho em Ambientes Hostís
– Quanto mais dum bem particular os consumidores querem e
mais eles estão dispostos a pagar por ele, tanto mais trabalho
(e capital) será procurado pelos produtores

– O mercado de trabalho também reflecte as preferências dos


trabalhadores.

– Empregos variam em dificuldade, nível de tensão, localização,


condições de trabalho, horas, segurança, e por ai em diante

(Figura 18)
FUNCIONAMENTO DO MERCADO DE
TRABALHO: APLICAÇÕES DA TEORIA
• A Acomodação de Trabalhadores Resultantes
duma Explosão Populacional

(Figura 19)
FUNCIONAMENTO DO MERCADO DE
TRABALHO: APLICAÇÕES DA TEORIA
Efeito de Sindicatos
• Sindicatos representam trabalhadores e afectam
primariamente as curvas de oferta para os mercados
de trabalho:
– Primeiro, os sindicatos sob acordos de gestão da força de
trabalho (acordos de negociação colectivos) cobrem salários,
outras formas de compensação, condições de trabalho,
procedimentos para reclamações dos empregados, e regras
que governam as promoções e os despedimentos
(Figura 20)
FUNCIONAMENTO DO MERCADO DE
TRABALHO: APLICAÇÕES DA TEORIA
Efeito de Sindicatos
• Segundo, através da limitação directa da
oferta.
– Os acordos obrigam os empregadores contratam
toda força de trabalho por intermédio (ou
somente dentro) do sindicato

(Figura 21)
FUNCIONAMENTO DO MERCADO DE
TRABALHO
• Sobrepagamento
– Empregadores pagam mais do que precisariam
para produzir

(Figura 22)
FUNCIONAMENTO DO MERCADO DE
TRABALHO
• Subpagamento
– Com salário está abaixo do equilíbrio
• Empregadores têm dificuldades de achar trabalhadores
para satisfazer a procura dos consumidores pelos seus
produtos (surge uma excasses de força de trabalho)

• Empregadores também enfrentam dificuldades em


manter os trabalhadores que conseguem contratar

(Figura 23)
FUNCIONAMENTO DO MERCADO DE
TRABALHO
• “Excassez” de Força de Trabalho: Uma
Implicação de Política
– Existe excassez de forca de trabalho, à taxa de
salário prevalecente para uma dada ocupação, a
procura excede a oferta

– A característica de excassez (como é aqui definida)


é uma taxa de salário que se eleva mais rápido do
que a média
Equivoco
Os lucros
““Os lucros das
das plantações
plantações de
de cana-de-açucar
cana-de-açucar em
em
Moçambique são
Moçambique são muito
muito sensíveis
sensíveis aos
aos custos
custos da
da
mão-de-obra. Por
mão-de-obra. Por isso,
isso, oo facto
facto dos
dos salários
salários serem
serem
relativamente baixos
relativamente baixos nestas
nestas plantações
plantações pode
pode ser
ser
atribuido ao
atribuido ao facto
facto de
de que
que os os empregadores
empregadores não não se
se
podem dar
podem dar ao
ao luxo
luxo de
de pagar
pagar mais.
mais.””
Níveis de emprego e de salário de equilíbrio resultam de
influências de ambas procura e oferta.