Você está na página 1de 18

TRABALHO DE INTRODUÇÃO

A ADMINISTRAÇÃO
ESCOLA

COMPORTAMENTA
L
Nome
Antonio
s
Juliana
Marcili
Escola Comportamental

O su rg im e n to d a E sco la
C o m p o rta m e n ta lé u m a co n se q ü ê n cia
d ire ta d a s lim ita çõ e s d a Escola
Clássica no que respeita às motivações
das pessoas. Na verdade, o crescente
descontentamento do operariado e o poder
crescente dos sindicatos obrigou as
organizações a estudarem novas formas
de gestão que proporcionassem uma maior
satisfação no trabalho.
A origem da Escola Comportamental

A origem da Escola Comportamental pode ser


resumida nos seguintes pontos:
 Oposição da Escola das Relações Humanas
(ênfase nas pessoas/grupos) à Escola Clássica
(ênfase nas tarefas e na estrutura organizacional).
 A Teoria Comportamental é um desdobramento
da Teoria das Relações Humanas.
Abraham H. Maslow
Abraham H. Maslow
Um nome importante nessa abordagem é o
do psicólogo americano Abraham H.
Maslow (1908-1970), especialista em
motivação humana.
Maslow criou a famosa pirâmide da
hierarquia das necessidades humanas.
Frederick Herzberg
Frederick Herzberg

Em termos de estudos sobre motivação,


um outro nome que se rivaliza com o
de Maslow é o de Frederick Herzberg,
o psicólogo americano que formulou a
teoria dos dois fatores que orientam
o comportamento humano:
teoria dos dois fatores
1. Fatores Higiênicos ou extrínsecos:
relacionados ao ambiente de trabalho e às
condições nas quais as pessoas o
desempenham. Por exemplo, o salário, os
benefícios sociais, condições físicas,
chefias, etc. Esses fatores lidam e estão
liga- dos com a satisfação ou insatisfação.
2. Fatores Motivacionais ou intrínsecos: são
relacionados com o conteúdo do cargo e
com a natureza das tarefas que são
executadas. Esses fatores estão sob o
comando do indivíduo, pois estão
relacionados com o que ele faz. Envolvem
sentimentos de auto-realização e
reconhecimento profissional, por isso são
os fatores geradores da motivação.
Douglas McGregor
Douglas McGregor

Ainda dentro da Abordagem comportamental,


um outro nome que merece ser citado é o de
Douglas McGregor (1906-1964). É de McGregor
a concepção da Teoria X e Teoria Y.
A Teoria Y

A Teoria Y contradiz as formulações de


Taylor, reconhecendo a dificuldade das
relações interpessoais no ambiente de
trabalho, as variáveis que afetam o
comportamento e a satisfação das
necessidades individuais. Sob esse ponto
de vista, a administração deverá encorajar
o desenvolvimento das potencialidades do
indivíduo.
A Teoria X

A Teoria X defende o isolamento, pois


as interações sociais prejudicam a
produtividade. Propõe um estilo de
liderança mais diretiva e um baixo
nível de participação, pois, de acordo
com a Teoria X, os trabalhadores não
lutam pelos objetivos da empresa, sendo
necessária uma supervisão direta e
disciplina rígida. Nesses aspectos,
percebe-se sua afinidade com a
Abordagem Clássica.
Contribuições da Abordagem
Comportamental

Em relação às contribuições da Abordagem


Comportamental, podemos assinalar:
1) A motivação não é controle exclusivo
da empresa. O indivíduo e os grupos são
condicionantes.
2) Os grupos influenciam a produtividade
individual e coletiva.
3) Revisão do conceito de autoridade e
introdução do
controle social nessa nova concepção.
4) Análise das funções de liderança e dos
diferentes
estilos administrativos.