Você está na página 1de 3

Visitação

Ana Luísa Amaral


Visitação
(esquema interpretativo)

Visitação

Um anjo aqui desceu (terá descido?), E aqui ficado, o anjo adormeceu,

dizendo que o silêncio humano outrora sonhando com estações e com instantes,

fazia agora parte do divino, aos poucos esquecendo tempos dantes

e o que o templo maior, rasgado o pano, e a água densa do eterno mar.

tinha passado a ser culto de nós.

E quando se rasgou o tempo outro

Do éter rarefeito veio a voz, e ele acordou, refeito e bocejante,

queixando-se das sombras na cidade: viu que era bom ter nome, e sede,
Anae Luísa
fome,Amaral

que o mundo era só verde, e que o azul cinco dedos nas mãos – algum olhar.

só o azul do céu, com letra humana

gravada numa mesa de madeira.

Um anjo aqui desceu (há provas mais)


Visitação
(esquema interpretativo)

Dois reinos

Divino Mediador: Humano

Anjo

Transformação do divino em humano:


1. Perde o sentido da sua existência divina:
“dizendo”
“Um anjo aqui desceu” - Caráter narrativo do poema
“queixando-se”

2. Aproxima-se do humano:
“E aqui ficou” - Tradição literária:
“E aqui ficado, o anjo adormeceu” “sonhando”
“esquecendo” Episódio da “Ilha dos Amores”,

3. Escolhe ser humano: de Os Lusíadas


“e ele acordou [...] / viu que era bom ter nome, e sede, e fome”