Você está na página 1de 20

AULA 14,15

MAQUINARIA – ENGENHARIA DE MINAS


Ano 3 do semestre 1

1
GERADORES/CONCEITO

Gerador é um dispositivo utilizado para a conversão da 


energia mecânica, química ou outra forma de energia, energia
elétrica.

Geradores elétricos são aparelhos que convertem energia, o


nome gerador elétrico sugere um conceito muito errado pois a
energia não é gerada e sim transformada, pois o Princípio da
Conservação de energia seria violado.
GERADORES/CONCEITO

Sendo que a função básica de um gerador elétrico é abastecer um


circuito, temos que analisar o gerador ideal e o real.
O gerador ideal é um gerador capaz de fornecer às cargas
elétricas que o atravessam toda a energia gerada, a tensão
elétrica medida entre seus pólos leva o nome de f.e.m. força
eletromotriz, e será representada por E.
O gerador real é quando a corrente elétrica atravessa sobre uma
certa resistência, assim uma perda da energia total, será
chamado de r a resistência do gerador.

Equação para um gerador real, devido à resistência interna a


perda de energia se dará por:
i.r, assim temos que:
v = E - i.r , o gerador real, fica caracterizado por dois parâmetros a
f.e.m. E e a resistência interna r.
Tensão elétrica ou diferencial de potencial (ddp)

Tensão elétrica ou diferencial de potencial (ddp) é a diferença


de potencial entre dois pontos. A tensão elétrica também pode
ser explicada como a quantidade de energia gerada para
movimentar uma carga elétrica.
no condutor, por onde circula a carga de energia elétrica, a
diferença entre o gerador (equipamento responsável por gerar
energia) e o consumidor (que pode ser seu computador ou outro
equipamento) é que simboliza qual é a tensão que existe nesse
condutor.
Exemplos de geradores de tensão: as usinas hidrelétricas, pilhas e
baterias.
o gerador, que é a pilha, libera uma partícula eletrizada, esta percorre o
condutor e faz acender a lâmpada, depois essa partícula continua seu percurso
até retornar à pilha.
Pode-se concluir que a tensão elétrica é a quantidade de energia que um
gerador fornece pra movimentar uma carga elétrica durante um condutor.
Tipos de Geradores

Os geradores podem ser divididos numa enorme quantidade de tipos, de


acordo com o aspecto que se leve em conta.
- dois grupos mais gerais - geradores de corrente contínua e de corrente
alternada ;
quanto ao enrolamento do induzido: podem ser em anel e em tambor;
quanto ao tipo de excitação, auto-excitados e de excitação independente;
Principio de Funcionamento:
•Geradores luminosos;
•Geradores mecânicos;
•Geradores químicos,
•Geradores térmicos
 Geradores luminosos
São sistemas de geração de energia construídos de modo a transformar
energia luminosa em energia elétrica, como por exemplo, as placas
solares feitas de um composto de silício que converte a energia
luminosa do sol em energia elétrica.

 Geradores mecânicos
São os geradores mais comuns e com maior capacidade de criação de
energia. Transformam energia mecânica em energia elétrica,
principalmente através de magnetismo. É o caso dos geradores
encontrados em usinas hidroelétricas, termoelétricas e termonucleares.

 Geradores químicos
 São construídos de forma capaz de converter energia potencial química
em energia elétrica (contínua apenas). Este tipo de gerador é muito
encontrado como baterias e pilhas
 Geradores térmicos
 São aqueles capazes de converter energia térmica em energia elétrica,
diretamente.
 

Quando associados dois, ou mais geradores como pilhas, por exemplo, a


tensão e a corrente se comportam da mesma forma como nas
associações de resistores, ou seja:
Associação em série: corrente nominal e tensão é somada.
Associação em paralelo: corrente é somada e tensão nominal.
Princípio de Funcionamento do Gerador de Corrente Alternada

Um gerador de corrente continua é uma máquina elétrica capaz


de converter energia mecânica em energia elétrica.
Também chamados Dínamos.
Transformação de tensão/corrente eléctrica (Transformadores)

Chama-se transformador a uma máquina elétrica, com partes necessariamente


estáticas, que por meio da indução eletromagnética, transfere energia elétrica de um
circuito para outro ou outros circuitos, mantendo a mesma freqüência, podendo haver
alterações nos valores de tensões correntes e impedâncias:
A criação do fluxo magnético é realizada com
uma bobine de fio através da qual se faz
Primário secundário
passar uma corrente eléctrica variável no
tempo (lei de Lenz-Faraday). O valor de
tensão diferente, é obtido colocando uma
segunda bobine de fio enrolada em torno
da mesma peça de ferro, bobine que vai ser
influenciada pelo fluxo magnético criado
pela primeira bobine. A primeira bobine,
onde se liga a fonte de tensão, é chamada
de primário (ou enrolamento primário) e
a segunda bobine, onde se vai buscar a
tensão diferente, é chamada de secundário
(ou enrolamento secundário
Principio de Funcionamento

Um transformador funciona do seguinte modo: ao aplicar uma tensão alternada no


enrolamento primário surgirá uma corrente, também alternada, que percorrerá todo o
enrolamento. Através dessa corrente estabelece-se um campo magnético no núcleo de
ferro, esse por sua vez sofre várias flutuações e, consequentemente, surge um fluxo
magnético que é induzido na bobina secundária
Este tipo de máquina eléctrica é reversível. Isto é, se se obtém um valor de
tensão X no secundário à custa da presença de uma tensão Y no primário, então
aplicando uma tensão X ao secundário obter-se-á uma tensão Y no primário.

Fig.2 a
Necessidade de transformadores

O transformador é um dos equipamentos electricos de enorme utilização, dado que


permite ajustar tensões e correntes às necessidades existentes, ele permite:

- Elevação e abaixamento dos níveis de tensão e corrente em sistemas de


transmissão e distribuição.
- Isolação de circuitos com altas tensões e/ou correntes para que se possa
medi- las, bem como, para a proteção de sistemas.
- Alimentação de diversos equipamentos com tensões diferentes, a partir
de uma única (Telecomunicações e serviços auxiliares em SE's).
- Controle e sinalização.
- Alimentação de lâmpadas de descargas (fluorescentes e/ou vapor de
mercúrio).
- Operação de campainhas e alarmes.
- Alimentação de pontes conversoras.
De facto, tendo o transformador capacidade de transformar tensões e
mantendo-se o princípio de conservação de energia (Pprimário =
Psecundário ), deduz-se que elevando a tensão se abaixará a corrente (P =
VI), que é o efeito pretendido. Assim, na central hidroeléctrica, à saída do
gerador, coloca-se um transformador elevador (Vsecundário > Vprimário )
obtendo-se uma corrente, no secundário, mais baixa (Isecundário <
Iprimário) o que provocará perdas de Joule menos elevadas. No destino,
como a tensão foi elevada para valores muito altos (na origem), coloca-se
um transformador abaixador (ou redutor), agora com o efeito contrário –
baixar a tensão e elevar a corrente.
Tipos de transformadores

 Potência
O objectivo é transformar potência – V1, I1 – num lado, em potência –
V2, I2 – no outro lado, mantendo-se a frequência.
A relação entre a tensão presente num lado e a tensão presente no
outro, é chamada a relação de transformação – rt . Por exemplo,
no caso da figura 2 a), a relação de transformação no 1º caso é de
 Corrente
O objectivo é que uma corrente induza, no enrolamento do
transformador, uma fem. Essa femi é proporcional à corrente que a
criou, donde, medindo a fem, saber-se-á a corrente.

 Isolamento
É um caso particular do transformador de potência, no qual a tensão no
secundário é igual à tensão no primário – rt = 1. O objectivo é obter um
isolamento eléctrico entre o circuito ligado ao primário e o circuito
ligado ao secundário.
 
 Auto Transformador

É um caso particular de transformador de potência, com um único


enrolamento, dividido em dois. A tensão de “saída” é obtida à custa da
divisão de tensão do enrolamento, como se pode ver na Este tipo
de transformador é mais barato (um único
enrolamento), no entanto não isola o circuito eléctrico primário
do
circuito eléctrico secundário. Havendo, por exemplo uma quebra nas
espiras N2, a tensão VS torna-se igual à tensão VP.
Para este tipo de transformador a relação entre as tensões é dada por
Representação esquemática do Transformador

Electricamente, o transformador é representado simbolicamente como


na figura 2.7 (a) ou como na figura 2.7 (b), sendo os enrolamentos
primário e secundário, sujeitos às tensões vP e vS, respectivamente. Era
habitual representar também o núcleo de ferro (que realiza o
acoplamento magnético) com dois traços entre os dois enrolamento, mas
tal tem vindo a ser abandonado.
A Empresa “Casais Felizes” comprou um aparelho
de mini system e descobre que ele é fabricado
para funcionar com uma tensão de 110 V, no
entanto, em sua Empresa só existem tomadas
com tensão de 220 V. O que fazer nesse caso?
Modelização do transformador

Transformador ideal

É um transformador sem perdas, isto é, a potência eléctrica obtida no


secundário é igual à potência eléctrica injectada no lado do primário.
O transformador representado na figura , possui NP
espiras de fio no primário e NS espiras de fio no
secundário.
A relação de transformação para este transformador é
dada por:

como estamos a considerar o transformador sem perdas:

Você também pode gostar