Você está na página 1de 21

PROTEÇÃO DOS FILHOS

ALIENAÇÃO PARENTAL - LEI Nº 12.318, DE 26


DE AGOSTO DE 2010
PROTEÇÃO DOS FILHOS
Art. 2º Considera-se ato de alienação
parental a interferência na formação
psicológica da criança ou do adolescente
promovida ou induzida por um dos genitores,
pelos avós ou pelos que tenham a criança ou
adolescente sob a sua autoridade, guarda ou
vigilância para que repudie genitor ou que
cause prejuízo ao estabelecimento ou à
manutenção de vínculos com este.
PROTEÇÃO DOS FILHOS
Art. 3º A prática de ato de alienação parental
fere direito fundamental da criança ou do
adolescente de convivência familiar saudável,
prejudica a realização de afeto nas relações
com genitor e com o grupo familiar, constitui
abuso moral contra a criança ou o adolescente
e descumprimento dos deveres inerentes à
autoridade parental ou decorrentes de tutela
ou guarda.
PROTEÇÃO DOS FILHOS
Art. 2º ...

Parágrafo único. São formas exemplificativas


de alienação parental, além dos atos assim
declarados pelo juiz ou constatados por
perícia, praticados diretamente ou com auxílio
de terceiros:
PROTEÇÃO DOS FILHOS
I - realizar campanha de desqualificação da
conduta do genitor no exercício da
paternidade ou maternidade;

II - dificultar o exercício da autoridade


parental;
PROTEÇÃO DOS FILHOS
III - dificultar contato de criança ou
adolescente com genitor;

IV - dificultar o exercício do direito


regulamentado de convivência familiar;
PROTEÇÃO DOS FILHOS

V - omitir deliberadamente a genitor


informações pessoais relevantes sobre a
criança ou adolescente, inclusive escolares,
médicas e alterações de endereço;
PROTEÇÃO DOS FILHOS

VI - apresentar falsa denúncia contra genitor,


contra familiares deste ou contra avós, para
obstar ou dificultar a convivência deles com a
criança ou adolescente;
PROTEÇÃO DOS FILHOS

VII - mudar o domicílio para local distante, sem


justificativa, visando a dificultar a convivência
da criança ou adolescente com o outro
genitor, com familiares deste ou com avós.
PROTEÇÃO DOS FILHOS

DO PODER FAMILIAR.

Não se usa mais a expressão PATRIO PODER.


PROTEÇÃO DOS FILHOS

Art. 1.634. Compete aos pais, quanto à pessoa


dos filhos menores:

I - dirigir-lhes a criação e educação;

II - tê-los em sua companhia e guarda;


PROTEÇÃO DOS FILHOS

III - conceder-lhes ou negar-lhes consentimento


para casarem;

IV - nomear-lhes tutor por testamento ou


documento autêntico, se o outro dos pais não
lhe sobreviver, ou o sobrevivo não puder
exercer o poder familiar;
PROTEÇÃO DOS FILHOS

V - representá-los, até aos dezesseis anos, nos


atos da vida civil, e assisti-los, após essa idade,
nos atos em que forem partes, suprindo-lhes o
consentimento;

VI - reclamá-los de quem ilegalmente os


detenha;
PROTEÇÃO DOS FILHOS

VII - exigir que lhes prestem obediência,


respeito e os serviços próprios de sua idade e
condição.
PROTEÇÃO DOS FILHOS

EXTINÇÃO DO PODER FAMILIAR:

Art. 1.635. Extingue-se o poder familiar:

I - pela morte dos pais ou do filho;


PROTEÇÃO DOS FILHOS

II - pela emancipação, nos termos do art. 5o,


parágrafo único;

III - pela maioridade;


PROTEÇÃO DOS FILHOS

IV - pela adoção;

V - por decisão judicial, na forma do artigo


1.638.
PROTEÇÃO DOS FILHOS
Art. 1.638. Perderá por ato judicial o poder
familiar o pai ou a mãe que:

I - castigar imoderadamente o filho;

II - deixar o filho em abandono;


PROTEÇÃO DOS FILHOS

III - praticar atos contrários à moral e aos bons


costumes;

IV - incidir, reiteradamente, nas faltas previstas


no artigo antecedente.
PROTEÇÃO DOS FILHOS

III - praticar atos contrários à moral e aos bons


costumes;

IV - incidir, reiteradamente, nas faltas previstas


no artigo antecedente.
PROTEÇÃO DOS FILHOS

Parágrafo único. Suspende-se igualmente o


exercício do poder familiar ao pai ou à mãe
condenados por sentença irrecorrível, em
virtude de crime cuja pena exceda a dois anos
de prisão.