Você está na página 1de 32

Curso de Logística e Armazenagem

Ufcd. 414 – Gestão do espaço de Picking

Mariana Tavares

INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, I.P


1 Centro de Emprego e Formação Profissional de Entre Douro e Vouga
Objectivos

Descrever o papel do picking, analisando os


recursos necessários e atribuindo espaço de picking
e cada produto.
PICKING

O picking, também conhecido por order picking (separação e


preparação de pedidos), consiste na recolha em armazém
de certos produtos (podendo ser diferentes em categoria e
quantidades), face a pedido de um cliente, de forma a
satisfazer o mesmo.

Rodrigues, 2007
PICKING - importância
Para se compreender melhor a importância da actividade de
picking é importante apresentar-se a sua relação com as
principais actividades de armazenagem. Todos os tipos de
armazéns possuem as seguintes funções (Medeiros, 1999):

recepção de produtos;
armazenagem de acordo com as necessidades;
recolha de produtos de acordo com as encomendas dos
clientes;
preparação dos produtos para expedição.
PICKING - importância
A actividade de picking dentro de um armazém, é
considerada como uma das mais cruciais. Dependendo do
tipo de armazém, 30% a 40% do custo de mão-de-obra está
directamente associado à actividade de picking.

Associado ao custo, o tempo desta actividade contribui


substancialmente para o tempo de ciclo da encomenda, que
é o intervalo de tempo entre a recepção de uma encomenda
e a entrega, ao cliente, dos produtos referentes à
encomenda.

5
PICKING - importância
Com o crescente aumento das exigências e necessidades dos
consumidores, surgem novas atividades de armazenagem que
exigem uma boa eficácia da gestão do espaço de picking:

Aumento do número de SKU’s (Stockkeeping Unit – unidades de


manutenção de stock) - devido a maiores exigências dos clientes.
Crescimento do número de encomendas – para não fazerem tanto
stock, pedem mais vezes e em menor quantidade.
Armazéns de grandes dimensões – centralizam os stocks num
único depósito, em vez de vários.
Entrega no dia seguinte – necessidade de redução do tempo de
entrega aos clientes.

6
PICKING - importância

Deste modo, para assegurar uma operação que satisfaça


as necessidades do cliente, a actividade de picking deve
ser flexível, servindo-se de sistemas de controlo e
monitorização que assegurem os níveis de serviço e
qualidade adequados.

7
Picking -
Fluxo da
atividade

8
PICKING
Funções dos lugares de picking

Facilitação das tarefas de recolha de mercadoria;


Menor manuseamento das mercadorias (diminuição da
quebra);
Maior rapidez e produtividade em todo o processo;
Facilidade em localizar a mercadoria (visualmente
e/ou através de sistemas informatizados)
Picking
Princípios de melhoria
Existem certos princípios que se aplicam na atividade de picking
e que devem guiar o posicionamento de produtos dentro da área
de armazenagem assim como o fluxo de informação e
documentos:

1. Dar prioridade aos produtos de maior rotação


Produtos de maior rotação, normalmente correspondem a 80%
das movimentações, são considerados produtos de alto volume.
Estes devem permanecer nas posições com maior facilidade de
acesso e reabastecimento para os operadores.
Esta ideia condiciona a forma de disposição física dos produtos.
O objetivo é dar prioridade à minimização da distância entre
10 operador e produtos recolhidos.
Picking
Princípios de melhoria
2. Utilização de documentação clara e de fácil
operacionalização
 Um documento de picking deve apresentar instruções
específicas para o Operador de forma a facilitar a separação e
preparação de pedidos.
 O mesmo deve conter apenas as informações importantes:
localização do produto, descrição e a quantidade necessária.
 Essas informações devem estar destacadas de forma a
facilitarem a leitura do documento.
 Esta documentação, origina uma redução do tempo de leitura e
de procura de produtos por parte do 0perador diminuindo assim
o tempo da atividade.

11
Picking
Princípios de melhoria
3. Organizar os pedidos em conformidade com as
configurações físicas

 Os pedidos enviados para a zona de picking devem


ser configurados de acordo com as restrições de
localização dos produtos.
 Na criação de um documento de picking, o mesmo
deve ser organizado de forma a diminuir ao
máximo as movimentações dos operadores, além
de identificar a proximidade dos produtos.
12
Picking
Princípios de melhoria
4. Conservar um sistema eficiente de localização
de produtos

 Um sistema eficiente de separação e preparação de pedidos


necessita de um sistema bastante preciso de localização de
produtos.

 Com a utilização de tecnologias que acelerem a


identificação de uma posição, é possível diminuir o tempo
de procura de um produto para fracções de segundos,
acelerando deste modo a actividade
13
Picking
Princípios de melhoria
5. Avaliação do Operador

 O Operador deve ser avaliado pela correcta separação dos


pedidos, para que sejam evitados erros na separação dos
mesmos (produtos errados ou quantidades erradas de
produtos).

 O seu desempenho, deve ser medido e qualquer desvio em


torno de uma meta aceitável deve ser avaliado,
identificando-se se a causa desse desvio está no Operador
ou no sistema.

14
Picking
Princípios de melhoria
6. Evitar a contagem de produtos durante a sua
recolha

 Aqui as embalagens apresentam-se como um elemento


crucial, pois a contagem de produtos aumenta
substancialmente o tempo de separação de pedidos.

 Deste modo, se o operador necessitar de separar 1000


unidades de um certo produto, e se esse produto estiver
agrupado em embalagens de 100 unidades, isso facilitara o
seu trabalho, evitando e ajudando igualmente a eliminar erros
na separação.
15
Picking
Princípios de melhoria
7. Exclusão de documentos em papel
 A informação escrita ao ter de ser lida, interpretada e
algumas vezes comparada com algum sistema de controlo, é
fonte usual de erros, o que desperdiça bastante tempo.

 Integrar novas tecnologias as quais se tornam cada vez mais


acessíveis, incluindo leitores de código de barras, sistemas de
reconhecimento de voz e terminais de rádio frequência,
reduzindo e até eliminando o fluxo de papéis.

 Estes mesmos princípios orientam o planeamento da


actividade de picking.
16
Organização e atividade de picking
A actividade de separação e preparação de pedidos é
de grande intensidade em termos de movimentação
de materiais.
Dependendo do tipo de armazém, cerca de 30% a
40% do custo total desse armazém está directamente
associado a essa mesma actividade.
Tal situação verifica-se pois o tempo associado a
essa actividade e o número de trabalhadores são
maiores que nas outras actividades de armazenagem.

17
Organização e atividade de picking
A maneira como organizamos a estratégia de picking
está directamente associada com o tempo de
deslocamento.

Por estratégia de picking entendemos


e a maneira
como organizamos o processo de separação de
pedidos, planeando a quantidade de operadores por
pedido, o número de vários produtos utilizados em
cada recolha e os períodos para agrupar ou organizar
pedidos.
18
Organização e atividade de picking

Existem diversas soluções tecnológicas de


armazenagem, combinações de equipamentos e
sistemas de controlo que deslocam, armazenam e
recolhem produtos com alta precisão e velocidade,
dependendo do grau de automação.

19
Estantes de picking manual
Racks Prateleiras

Gavetas Armários

20
Sistemas convencionais de Picking
Os sistemas convencionais de picking são aqueles que usam
tecnologia de controlo simples assim como métodos já há
muito estabelecidos de movimentação e armazenagem.
 Os sistemas de armazenamento considerados são estáticos
(o produto não se move por si próprio) ou dinâmicos (o
produto circula por gravidade, quando o pode fazer).
Os sistemas de movimentação consideram se o operador se
movimenta de um local para outro (man-to-part ou homem-
a-peça) ou se a localização se move, indo ela própria ao
encontro do operador (part-to-man ou peça-ao-homem):

21
Sistemas convencionais de Picking
ARMAZENAMENTO ESTÁTICO
O equipamento de armazenamento mais comum em
armazenagem e distribuição selectiva, são as
prateleiras de paletes (em inglês, pallet racks) e as
unidades de estantes de aço (em inglês, clip
shelving). Usado de uma forma adequada, este é um
método eficaz para o armazenamento e recolha de
produtos em um armazém, sendo crítico o
armazenamento por tamanho e popularidade dos
respectivos itens.

22
Sistemas convencionais de Picking
ARMAZENAMENTO ESTÁTICO
 Frequentemente, as prateleiras de paletes
(IMAGEM) estão configuradas para
fornecer, locais designados de
recolha/picking nos dois níveis mais
baixos, e armazenamento de reserva
acima.
 Isto permite que o operador tenha
acessibilidade a partir do chão mas
requer uma localização privilegiada de
armazenamento para cada SKU (Unidade
de Manutenção de Stock),
independentemente de sua popularidade.
23
Sistemas convencionais de Picking
ARMAZENAMENTO ESTÁTICO

Tal como as prateleiras de paletes, as estantes


representam um investimento bastante modesto.
O verdadeiro custo destes sistemas deve incluir os
custos de operação que resultam do excessivo tempo
de deslocação durante o processo de separação e
preparação de pedidos .

24
Sistemas convencionais de Picking
ARMAZENAMENTO Cartoon flow rack
DINÂMICO

 Para os produtos mais populares,


os flow racks apresentam uma
oportunidade de melhorar a
produtividade do picking Em
geral, os flow racks usam
Pallet flow rack
esteiras rolantes por gravidade,
ou flutuação por ar em carris de
modo a apresentar uma unidade
de material ao Operador em um
local especifico (atribuído).

25
Sistemas convencionais de Picking
ARMAZENAMENTO DINÂMICO

 Man-to-part (homem-peça): é a abordagem mais


tradicional ao manuseamento de materiais no picking,
exige que o Operador se desloque para o local de
armazenamento. Sem um sistema de localização de stock,
isto envolve pesquisa assim como deslocações. Com um
bom sistema de localização, a procura é mínima. Ainda
assim, as deslocações são uma actividade sem valor
acrescentado e devem como tal ser minimizadas.

26
Sistemas convencionais de Picking
ARMAZENAMENTO
DINÂMICO

 Pick-to-pallet: O Operador,
opera um empilhador
industrial para aceder a zonas
mais elevadas, ou utiliza um
pallet jack. É geralmente
utilizado para casos de
broken case picking e case Pallet Jack
picking.

27
Sistemas convencionais de Picking
ARMAZENAMENTO
DINÂMICO

 Pick-to-belt: Ao Operador é
designada uma zona ao longo
de um transportador/esteira
(imagem), em que o mesmo vai
colocando os itens recolhidos.
Isto é geralmente usado com
armazenamento em flow racks,
e exige triagem por pedido do
cliente antes do envio.
transportador
28
Sistemas convencionais de Picking
ARMAZENAMENTO
DINÂMICO
 Carrosséis Horizontais - Estes são
caixotes de armazenamento, que giram
horizontalmente num determinado
caminho, movidos por um motor
eléctrico. Este sistema deve ser
considerado como uma alternativa às
estantes estáticas. Eles também podem
ser empilhados para melhorar a
utilização cúbica, exigindo um balcão
ou um dispositivo de elevação pessoal
como acesso. Normalmente, um único
Operador, opera vários carrosséis,
combinados numa zona de trabalho. O
objectivo é a plena utilização (sem
29
esperas, nem deslocamentos) do Carrosséis
Operador. Horizontais
Sistemas convencionais de Picking
ARMAZENAMENTO
DINÂMICO

 Carrosséis Verticais - São prateleiras


que giram na vertical, apresentando
sempre ao Operador uma plataforma
ao nível da cintura. Eles são excelentes
para a utilização do espaço e para a
organização, quando se armazenam
pequenos itens que não são usados em
grandes volumes.
Carrosséis Verticais

30
Sistemas convencionais de Picking
ARMAZENAMENTO
DINÂMICO

 AS/RS – Um automated storage and


retrieval system, em portugês, sistema
de reaquisição e armazenamento
automatizado, consiste num conjunto
de equipamentos computorizados
para depositar e recuperar
automaticamente cargas com
localizações definidas.
 Eles armazenam e recolhem
recipientes, dirigidos por um
computador ou por controlo direto
de um operador AS/RS
31
Sistemas automatizados de picking
Os sistemas automatizados operam todos sob o controlo de
computadores, recebendo instruções da linha por linha para
cada pedido, e recuperando a quantidade necessária do
produto correcto, sem interferência humana. Na maioria dos
casos, são necessários stock keepers para repor o stock nos
sistemas de order picking.
Sistemas computorizados e automatizados
Estanteria – Carrossel
Estanteria associada a tapete rolante

FIM
32