Você está na página 1de 38

CUIDADOS NA 2019/2020

Curso de Técnico Auxiliar de

SAÚDE
Saúde
Disciplina de Saúde

MATERNA 28/05/2020
Uma mãe grávida deseja ansiosamente a chegada do seu
bebé. Após o parto, para que garanta a sua saúde e a do seu
bebé, terá que tomar uma série de cuidados para tomar
INTRODU isso como certificado. Neste trabalho, será abordado o

ÇÃO período do Puerpério, os cuidados que a puérpera deverá


ter e as tarefas que o Técnico Auxiliar de Saúde, em
contexto de trabalho, pode realizar perante a puérpera e o
recém-nascido.
PUERPÉRIO
DEFINIÇÃO DE PUERPÉRIO
Puerpério é o período que transcorre entre a expulsão da placenta e o restabelecimento da
mulher ao seu estado normal anterior à gestação (retorno dos órgãos reprodutores ao seu
estado normal) , que geralmente se estende entre seis a oito semanas.

Este é um momento muito importante para a mulher, pois é nesta fase da sua vida em que
acontecem grandes modificações físicas e emocionais, retomando lentamente o seu estado
original.
CUIDADOS FACE
À PUÉRPERA
MOBILIZAÇÃO
MOBILIZAÇÃO
Após o acolhimento, é aconselhado à puérpera um
repouso absoluto para promover o repouso do útero e,
consequentemente, a hemostase da ferida placentar. O
levante precoce é incentivado entre a 6ª e a 12ª hora após
o parto, com a respetiva avaliação do Profissional de
Saúde.

A puérpera tem de se certificar de que consegue prover


todas a necessidades que o bebé exigir. 
MOBILIZAÇÃO
Nesta fase, é fundamental, os mais cedo possível, dar
início a exercícios de contração devido à distensão
prolongada da parede abdominal e à rutura das fibras
elásticas da pele durante a gravidez. Os exercícios podem
ser de acordo com o interesse da puérpera, devendo de
ser feitas de forma gradual.
MOBILIZAÇÃO
Alguns exercícios aconselhados às puérperas são:

 Respiração Abdominal;

 Elevação da cabeça;

 Elevação do tronco;

 Elevação dos membros inferiors;

 Exercício de Kegel.
Respiração Abdominal Elevação Tronco Elevação da Cabeça

MOBILIZAÇÃO
MOBILIZA
ÇÃO

Exercício de Keger Elevação de Pernas


ALIMENTAÇÃO
ALIMENTAÇÃO
Uma puérpera que amamenta necessita de 2600 Kcal,
distribuidas entre seis refeições diárias. Sem restrições
dietéticas, as refeições tem de ser rica em proteínas,
hidratos de carbono, gorduras, fibras vegetais e fruta.
Também é fundamental à puérpera beber muitos
líquidos como água, leite ou sumo natural, sendo
restringidas as bebidas excitantes e alcoólicas. 
AMAMENTAÇÃO
AMAMENTAÇÃO
A amamentação traduz-se no processo de alimentação
de um bebé ou de uma cria com o leite natural da
puérpera ou de alguém que a substitua. Ela, após o
parto, terá de ser avaliada pelos Profissionais de Saúde
com base no conhecimento que tem acerca do processo
de amamentação, e ensiná-la a fazê-lo caso seja
necessário.
FASE DA
AMAMENTAÇÃO
(ANTES)
Lavagem correta das mãos;

Observação do estado das mamas (se ingurgitadas deve


ser realizada a expressão do leite até a aréola ficar
macia, de forma a facilitar a pega); 

Posicionamento confortável de forma a favorecer os


reflexos do bebé, a pega correta e o contacto visual mãe-
filho. 
FASE DA
AMAMENTAÇÃO
(DURANTE)
Posicionamento do bebé próximo da mama, com a boca
centrada de frente para o mamilo; 

O pescoço do recém-nascido pode estar ligeiramente


em extensão; 

Observação e avaliação pela mãe da pega correta; 


FASE DA
AMAMENTAÇÃO
(DURANTE)
§Audição da deglutição e observação dos movimentos
das mandíbulas, como sinais de uma amamentação
eficiente; 

§O bebé deve mamar em cada mama o tempo que


quiser, devendo largá-la sozinho indicando que não quer
mamar mais nessa mama; 

§Colocação do bebé na outra mama. 


FASE DA
AMAMENTAÇÃO (APÓS)

No final de cada mamada as mamas devem ficar vazias e


macias; 

Manutenção das mamas secas no intervalo das mamadas; 

Deve ser recomeçada a próxima mamada pela mama que


terminou na mamada anterior.

Aliviar o desconforto causado pela descida do leite, através


da utilização de gelo (não diretamente na pele), após a
mamada, de modo a prevenir o ingurgitamento destas. 
HIGIENE
HIGIENE
A puérpera é incentivada a fazer a sua higiene de forma
diária, consoante a estabilidade dos seus sinais vitais e
do seu bem-estar físico. A higiene pode ser feita através
de um banho de chuveiro, usando na lavagem da pele
um gel ou sabão com pH ácido. O seu primeiro banho
será supervisionado por Profissionais de Saúde. 
HIGIENE
A zona da perineorrafia deve ser estar sempre limpa e
seca. No caso, aconselha-se a troca frequente dos pensos
higiénicos. Caso seja necessário, a lavagem pode ser
realizada com Clorohexidina (capaz de eliminar as
bactérias e prevenir a sua proliferação). 

As mãos devem de ser sempre lavadas com cuidados


antes de cuidar do doente, antes do processo de
amamentação e após a sua própria higiene.
TAREFAS QUE O TÉCNICO
Sob orientação do
AUXILIAR DE SAÚDE PODE enfermeiro
EXECUTAR 
TAREFAS QUE O
TÉCNICO
AUXILIAR DE SAÚDE
PODE EXECUTAR 

O Técnico Auxiliar de Saúde, sob


a supervisão de um Profissional
de Saúde, deve de executar boas
práticas de cuidados de saúde ao
utente e, em simultâneo, auxiliar a
equipa na qual está integrado.
SOB SUPERVISÃO
DIRETA
TAREFAS QUE, SOB ORIENTAÇÃO DE
UM ENFERMEIRO, TEM DE EXECUTAR
SOB SUPERVISÃO DIRETA

Sob supervisão direta e sob a observação de um enfermeiro, o Técnico


Auxiliar de Saúde tem de cooperar com outros profissionais: 

Na implementação de programas de promoção, prevenção e controlo da dor;

No tratamento de recém-nascido e da puérpera;

No diagnóstico das afeções do aparelho genito-urinário e/ ou mama;

Em programas, projetos e intervenções para melhorar a qualidade global dos


serviços no âmbito da saúde sexual e reprodutiva.
PODE EXECUTAR
SOZINHO
OBJETIVOS
A prática dos cuidados de saúde centraliza-se nos seguintes
objetivos: 

Otimizar o processo de recuperação fisiológica e psicológica


da puérpera; 

Promover a independência e o autocuidado; 

Facilitar a aprendizagem e treino de habilidades para os


cuidados ao recém-nascido; 

Promover os vínculos afetivos familiares.


DURANTE O
PARTO
 Acompanhar o bem-estar físico e emocional da
mulher ao longo do trabalho de parto e parto, assim
como o desfecho do processo do nascimento. 

 Oferecer líquidos orais durante o trabalho de parto e


parto. 

 Prever cuidados durante o trabalho de parto. 


DURANTE O
PARTO
 Oferecer às mulheres muita informação e
explicações sobre o que elas desejarem. 

 Usar materiais descartáveis ou realizar desinfeção


apropriada de materiais reutilizáveis ao longo do
trabalho de parto e parto. 

 Dar liberdade na seleção da posição e movimento


durante o trabalho de parto. 
DURANTE O
PARTO
 Esterilizar adequadamente o corte do cordão.

 Prevenir hipotermia do bebé.

 Realizar precocemente contacto pele a pele, entre


mãe e filho, dando apoio na iniciação de alimentação
ao peito dentro de 1 hora do pós-parto.
CUIDADOS
IMEDIATOS
Avaliação das características e quantidade das perdas
sanguíneas; 

Avaliação da função urinária e estimulação da micção


espontânea; 

Lavagem vulvoperineal com solução antissética e


desinfeção da sutura perineal; 
CUIDADOS
IMEDIATOS
Aplicação de gelo na zona da perineorrafia, em caso de
edema ou dor local; 

Mudança de roupa, se a puérpera manifestar esse


desejo; 

Colocação do bebé ao peito e observação da capacidade


de sucção durante a mamada e satisfação.
CUIDADOS
DIÁRIOS
 Observação cuidadosa do aspeto geral da utente,
dialogando com ela sobre as dificuldades,
preocupações e expetativas;

 Prestação dos cuidados vulvoperinais, iniciando-se


sempre com o convite prévio à micção espontânea;
 Avaliação das características dos lóquios; 
 Ajuda, na posição deitada, à colocação da cinta ou
faixa abdominal;
CUIDADOS
DIÁRIOS
Avaliação das mamas.

Observar a integridade dos mamilos e saída de colostro.

Após a mamada, recomendar a massagem do mamilo com


uma gota de leite e deixar secar durante alguns minutos.

Pedir a colaboração da mãe na prestação dos cuidados ao


bebé e, no último dia de hospitalização, convidá-la a
executar os cuidados de higiene ao filho.
Uma puérpera, para garantir a saúde do seu bebé e de si
mesma, terá que ter em conta a sua mobilização, uma
alimentação saudável, a garantia da amamentação do seu
CONCLUS bebé e a sua higiene.

ÃO Os cuidados da puérpera são diversos, que vão desde o


parto até aos cuidados diários. Nestes cuidados, o Técnico
Auxiliar de Saúde terá que garantir a recuperação da
puérpera e o ensino dos cuidados ao bebé, entre outros.
Scribd (
https://pt.scribd.com/document/443790435/UFCD-6578-C
uidados-na-saude-materna-pdf

BIBLIOGR ),
https://pt.scribd.com/document/362416712/PowerPoint-Cu
(

AFIA idados-Na-Saude-Materna
), visitado a 26 de maio de 2020;

Prestação Integrada dos Cuidados de Saúde (


https://pics.sams.pt/SiteCollectionDocuments/p%C3%B3s
%20parto%20grafica.pdf
), visitado a 26 de maio de 2020;
 Hospital Santa Lucinda (
http://www.hospitalsantalucinda.com.br/maternidade/ma
maes_e_papais/cuidados_no_pos_parto.html
), visitado a 27 de maio de 2020;

BIBLIOGR  Infopédia (

AFIA https://www.infopedia.pt/dicionarios/lingua-portuguesa/
puerp%C3%A9rio
), visitado a 27 de maio de 2020;

 Escola Superior de Enfermagem de Coimbra (


esenfcweb.esenfc.pt›conteudos›downloadartigo),
visitado a 28 de maio de 2020.