Você está na página 1de 22

FICHA

INFORMATIVA Nº 4

Atos de fala*

*
Conteúdo NOVO de 10.º ano introduzido pelas
Aprendizagens Essenciais homologadas em julho de
2018.
Ficha informativa nº 4

Atos de fala

A linguagem é fundamentalmente utilizada para fins sociais.

Há sempre algo que se pretende realizar ou atingir quando se

utiliza a linguagem:

travar conhecimento com os outros, planificar, combinar, negociar,

debater, ensinar, aprender, divertir, persuadir, prometer, tagarelar,

etc.
Ficha informativa nº 4

A interação verbal é regulada pelo tipo de relação social entre os


locutores.

Para que a interação seja um sucesso, é necessário aplicar o


princípio da adequação discursiva, isto é, a adaptação à situação
de comunicação.
Ficha informativa nº 4

Adequação discursiva
Pressupõe, entre outros fatores,

•a relação entre os interlocutores: relação hierárquica

(sociocultural ou profissional);

• o contexto situacional (idade, instrução, espaço, tempo…);


• o modo utilizado: modo oral ou modo escrito.
Implicam a correta seleção do registo formal
e informal e das formas de tratamento.
Ficha informativa nº 4

Atos de fala

O ato de fala ou ato ilocutório consiste na produção de


um enunciado, num determinado contexto de interação
comunicativa, através do qual o emissor realiza ou tenciona
realizar uma ação, isto é, atingir um propósito com o
enunciado produzido  objetivo ilocutório (promessa,
conselho, pedido, agradecimento, etc.).
Ficha informativa nº 4
Atos de fala diretos e indiretos
Objetivo do locutor Atitude do interlocutor
Direto Dizer diretamente o que Compreende o ato de fala,
pretende realmente transmitir. baseando-se no que é explicitado.
O professor dirige-se ao último aluno a entrar na sala:

– Fecha a porta, se faz favor.

Objetivo do locutor Atitude do interlocutor


Diz algo, visando um objetivo Faz uma interpretação a partir
Indireto que não é direta nem do ato de fala, inferindo o
explicitamente apresentado no objetivo pretendido.
enunciado.
O professor dirige-se ao último aluno a entrar na sala:

– Não achas que está frio? Está a fazer uma corrente de ar…
Ficha informativa nº 4

Classificação dos atos de fala ou ilocutórios


Objetivo ilocutório
Relacionar o locutor com a verdade da proposição
1. Assertivo enunciada (asserções, descrições, constatações,
explicações, etc.).
Verbos utilizados
acreditar, admitir, afirmar, concluir, concordar,
constatar, descrever, discordar, dizer, informar,
negar, responder…
 Inês Pereira tinha um quotidiano entediante: costurava, bordava e fiava.

 Para entenderes o texto, deves ler devagar, estares atento às didascálias e

consultares as notas de vocabulário.

 Que ridículo este Pero Marques!

(ato de fala indireto = Pero Marques é ridículo.)


Ficha informativa nº 4

Classificação dos atos de fala ou ilocutórios


Objetivo ilocutório
Levar o interlocutor a praticar uma ação, verbal
2. Diretivo ou não verbal.
Alguns verbos utilizados
aconselhar, avisar, convidar, desafiar, esperar,
implorar, mandar, ordenar, pedir, perguntar,
permitir, proibir, querer, sugerir, suplicar…
 O que pensas deste texto?

 Aconselho-vos a ler o texto com atenção.

 Quantas vezes te disse para trazeres o manual?

(ato de fala indireto = Traz o manual!)


Ficha informativa nº 4

Classificação dos atos de fala ou ilocutórios


Objetivo ilocutório
Comprometer o locutor relativamente à prática
3. Compromissivo de uma ação futura.
Alguns verbos utilizados
afiançar, assegurar, comprometer-se, garantir,
jurar, prometer, responsabilizar-se por,
tencionar…

 Prometo que trago o manual na próxima aula.

 Se conseguires ler o texto até à próxima aula, dou-te um presente.

 Estarei na escola às oito horas.


Ficha informativa nº 4

Classificação dos atos de fala ou ilocutórios


Objetivo ilocutório
Exprimir sentimentos acerca do estado de
4. Expressivo coisas indicado no conteúdo preposicional
(agradecimentos, congratulações, condolências,
desculpas, etc.).
Alguns verbos utilizados
adorar, agradecer, congratular-se, detestar,
felicitar, gostar, lamentar, odiar…

 Lamento o atraso, professora.

 Parabéns!

 Gosto muito das obras de Gil Vicente.


Ficha informativa nº 4

Classificação dos atos de fala ou ilocutórios


Objetivo ilocutório
Modificar o estado de coisas do mundo ou criar
5. Declarativo um novo estado de coisas (batismos, casamentos,
nomeações, demissões, condenações, etc.).

Alguns verbos utilizados


batizar, condenar, declarar, despedir, nomear…

 Está despedido!

 Declaro-vos marido e mulher.

 Condeno o réu ao pagamento de uma coima.


Ficha informativa nº 4
CONSOLIDA – Farsa de Inês Pereira
1. Atenta no seguinte excerto da Farsa de Inês Pereira, de Gil
Vicente.
Inês Olhai cá, marido amigo, 1.1. Classifica os registos de
Eu tenho por devação
dar esmola a um ermitão língua utilizados nesta
e nam vades vós comigo. interação e relaciona-os com
Pero I-vos embora, molher,
nam tenho lá que fazer.
as formas de tratamento.
Inês Tomai a esmola, padre, lá, 1.2. Considerando a situação
pois que Deos vos trouxe aqui. de comunicação, explicita os
Ermitão Sea por amor de mi
Vustra buena caridad.
objetivos ilocutórios dos atos
de fala da primeira intervenção
Deo gracias, mi señora.
(vv. 1054-1064) de Inês e do Ermitão.
Ficha informativa nº 4

CONSOLIDA – Farsa de Inês Pereira (cont.)


2. Faz corresponder a cada frase o tipo de ato de fala que realiza.

Frases Tipologia dos atos de fala


ou ilocutórios
a) «Oh Jesu que enfadamento […]» (v. 7)
b) «[…] mãe, eu não me casarei / senão com homem discreto,
e assi vo-lo prometo […].» (vv. 396-398) 1. Ato ilocutório assertivo
c) «Sei bem ler, / e muito bem escrever […]» (vv. 587-588) 2. Ato ilocutório diretivo
3. Ato ilocutório compromissivo
d) «[…] pera bem sejais casados!» (v. 722)
4. Ato ilocutório expressivo
e) «Vós, lavrai, ficai per i.» (v. 834) 5. Ato ilocutório declarativo

f) «Desatado é o nó.» (v. 926)

g) «Deo gratias, mi señora.» (v. 1064)


Ficha informativa nº 4
CONSOLIDA – Auto da Feira
1. Atenta no seguinte excerto do Auto da Feira, de Gil Vicente.
Marta Dizei, senhores de bem
nesta tenda, que vendeis?
1.1. Classifica os registos de
Serafim língua utilizados nesta
Esta tenda tudo tem.
Vede vós o que quereis interação.
que tudo se fará bem. 1.1.1. Relaciona o registo
Conciência quereis comprar
de que vistais vossa alma? de língua da primeira
Marta Tendes sombreiros de palma intervenção de Marta com a
muito bôs para segar forma de tratamento.
e tapados pera a calma?
Serafim 1.2. Considerando a situação
Conciência digo eu
que vos leve ao Paraíso. de comunicação, explicita os
Branca
Não sabemos nós qu'é isso
objetivos ilocutórios dos atos
dai-o ò decho por seu de fala correspondentes às
que já nam é tempo disso. duas últimas intervenções.
(vv. 1054-1064)
Ficha informativa nº 4

CONSOLIDA – Farsa de Inês Pereira (cont.)


2. Faz corresponder a cada frase o tipo de ato de fala que realiza.
Frases Tipologia dos atos de fala
ou ilocutórios
a) «[…] afinai bem os sentidos […]» (v. 4)

b) «[…] ordeno ũa feira aqui […]» (v. 175)


1. Ato ilocutório assertivo
c) «No zodíaco acharão / doze moradas palhaças / onde os
sinos estão / no Inverno e no Verão […]» (vv. 132-135) 2. Ato ilocutório diretivo
d) «Todas virtudes que houverem mister / nesta minha tenda 3. Ato ilocutório compromissivo
as podem achar […]» (vv. 188-189)
4. Ato ilocutório expressivo
e) «Esta feira é chamada / das virtudes em seus tratos.» 5. Ato ilocutório declarativo
(v. 744-745)

f) «Vamo-nos daqui Vicente.» (v. 945)

g) «Gratias agamus domino Deo nostro.» (v. 993)


Ficha informativa nº 4
SOLUÇÕES DO CONSOLIDA – Farsa de Inês Pereira
1.1. Classifica os registos de língua utilizados nesta interação e
relaciona-os com as formas de tratamento.

Inês e Pero têm um registo de língua informal quando se


dirigem um ao outro, utilizando as formas de tratamento
«marido amigo» e «molher», respetivamente, próprias do
contexto familiar. Inês tem o mesmo registo com o Ermitão
(«Tomai a esmola […] lá»), comprovado, também, pelo uso da
forma de tratamento informal «padre». Já o Ermitão apresenta
um registo formal, como se pode verificar na forma de
tratamento «mi señora», a marcar o distanciamento
hierárquico do seu interlocutor.
Ficha informativa nº 4

SOLUÇÕES DO CONSOLIDA – Farsa de Inês Pereira (cont.)

1.2. Considerando a situação de comunicação, explicita os


objetivos ilocutórios dos atos de fala da primeira intervenção
de Inês e do Ermitão.

Inês pretende estar sozinha quando der a esmola ao Ermitão,


daí a utilização de atos de fala diretivos («Olhai cá, marido
amigo» e «e nam vades vós comigo») para transmitir essa
intenção e de um ato de fala assertivo para apresentar a
justificação dos primeiros («Eu tenho por devação / Dar esmola
a um ermitão»). O Ermitão faz uso de um ato de fala assertivo
para constatar a «buena caridad» de Inês e de um expressivo
para agradecer a esmola que lhe foi dada («Deo gratias mi
señora.»).
Ficha informativa nº 4

SOLUÇÕES DO CONSOLIDA – Farsa de Inês Pereira (cont.)


2. Faz corresponder a cada frase o tipo de ato de fala que realiza.

Frases Tipologia dos atos de fala


ou ilocutórios
a) «Oh Jesu que enfadamento […]» (v. 7) 4. Ato ilocutório expressivo
b) «[…] mãe, eu não me casarei / senão com homem discreto, 3. Ato ilocutório compromissivo
e assi vo-lo prometo […].» (vv. 396-398)
c) «Sei bem ler, / e muito bem escrever […]» (vv. 587-588) 1. Ato ilocutório assertivo
d) «[…] pera bem sejais casados!» (v. 722) 5. Ato ilocutório declarativo
e) «Vós, lavrai, ficai per i.» (v. 834) 2. Ato ilocutório diretivo
f) «Desatado é o nó.» (v. 926) 1. Ato ilocutório assertivo
g) «Deo gratias, mi señora.» (v. 1064) 4. Ato ilocutório expressivo
Ficha informativa nº 4

SOLUÇÕES DO CONSOLIDA – Auto da Feira

1.1. Classifica os registos de língua utilizados nesta interação.


Marta, na sua primeira intervenção, e Serafim apresentam um
registo de língua formal. Na segunda intervenção, Marta utiliza
um registo informal, bem como Branca quando intervém.

1.1.1. Relaciona o registo de língua da primeira intervenção de


Marta com a forma de tratamento.
O registo informal da primeira intervenção justifica-se por se
dirigir a entidades hierarquicamente superiores, o Tempo e
um Serafim, pelo que Marta utiliza a forma de tratamento
«senhores de bem».
Ficha informativa nº 4

SOLUÇÕES DO CONSOLIDA – Auto da Feira (cont.)


1.2. Considerando a situação de comunicação, explicita os
objetivos ilocutórios dos atos de fala correspondentes às duas
últimas intervenções.
Está-se perante uma interação verbal que não está a ser bem
sucedida, por se verificar um conflito discursivo entre os
interlocutores: Serafim vende bens espirituais, apregoando-os
através de alegorias, e as duas mulheres pretendem bens
materiais, falando literalmente. Perante isto, Serafim
apresenta uma explicação na sua última intervenção, através
de um ato de fala assertivo, de modo a clarificar o que disse
anteriormente. Branca apresenta a razão da confusão num ato
de fala assertivo, dizendo que não sabem do que Serafim fala,
acrescentando que o desse ao diabo (ato de fala diretivo).
Ficha informativa nº 4

SOLUÇÕES DO CONSOLIDA – Auto da Feira (cont.)


2. Faz corresponder a cada frase o tipo de ato de fala que realiza.
Frases Tipologia dos atos de fala
ou ilocutórios
a) «[…] afinai bem os sentidos […]» (v. 4) 2. Ato ilocutório diretivo
b) «[…] ordeno ũa feira aqui […]» (v. 175) 5. Ato ilocutório declarativo
c) «No zodíaco acharão / doze moradas palhaças / onde os
1. Ato ilocutório assertivo
sinos estão / no Inverno e no Verão […]» (vv. 132-135)
d) «Todas virtudes que houverem mister / nesta minha tenda 3. Ato ilocutório compromissivo
as podem achar […]» (vv. 188-189)
e) «Esta feira é chamada / das virtudes em seus tratos.»
(v. 744-745)
1. Ato ilocutório assertivo

f) «Vamo-nos daqui Vicente.» (v. 945) 2. Ato ilocutório diretivo


g) «Gratias agamus domino Deo nostro.» (v. 993) 4. Ato ilocutório expressivo
Ficha informativa nº 4

Fontes:
• Dicionário Terminológico (disponível em http://dt.dge.mec.pt, consultado
em dezembro de 2018).
• Paiva Raposo et al., Gramática do Português, vol. I, Lisboa, Fundação
Calouste Gulbenkian, 2013.
• Mira Mateus et al., Gramática da Língua Portuguesa, 6ª ed., Lisboa,
Caminho, 2013.
• Clara Amorim e Catarina Sousa, Gramática da Língua Portuguesa, Porto,
Areal Editores, SA., 2013.
• Carla Marques et al., Nova Terminologia Linguística para os ensinos Básico e
Secundário: Roteiros para a ação didática no Secundário, Porto, Edições ASA,
2006.

Você também pode gostar