Você está na página 1de 28

1.

Indice
2. Introdução

3. Historia

4. Pista do Atletismo
5. Modalidades do Atletismo
2. Introdução
 Atletismo é uma modalidade que
permite ao aluno retirar dela todo um
conjunto de vivências capazes de
melhorar e aperfeiçoar as capacidades
e destrezas físicas, a fim de
proporcionar um melhor cumprimento
das tarefas quotidianas;

 Nesta apresentação serão abordadas as seguintes modalidades:

 Corridas: - Velocidade;  Lançamentos: -Peso;  Saltos: - Comprimento;


- Estafetas; -Dardo. - Triplo Salto;
- Barreiras. - Altura.
3. Historia

 Foi na antiga Grécia, que o Atletismo surgiu como


uma modalidade desportiva, que era objecto de
competição, proporcionando assim o aparecimento
dos antigos Jogos Olímpicos. Consta que
aconteceram pela primeira vez no ano de 776 a.C.,
em Atenas.

 Em 1896 realizam-se em Atenas os Primeiros


Jogos Olímpicos da Era Moderna, onde é
reconhecida oficialmente a modalidade. É com
base na modalidade de Atletismo que, segundo o
seu idealizador, o barão Pierre de Coubertin, o
objectivo destes jogos era o de restaurar os
antigos ideais olímpicos (unificação dos povos).
Historia (2)
Símbolos históricos dos Jogos Olímpicos
Tocha Olímpica

Anéis Olímpicos
Historia (3)
Historia do Atletismo em Portugal

 A primeira prova oficial foi organizada


pela Sociedade Promotora de Educação
Física Nacional, a 26 de Junho de 1910,
com o título “Jogos Olímpicos Nacionais”.

 Actualmente as competições oficiais


estendem-se praticamente ao longo do ano
inteiro, organizadas pelas Associações
Regionais e pela Federação, sendo os
Campeonatos Nacionais Masculinos
(individuais e por equipas) os mais
importantes conjuntos de provas que se
efectuam em Portugal.
4. Pista do Atletismo

 Legenda:
5. Modalidades do Atletismo

 5.1 Corridas:  5.3 Lançamentos:


 5.2 Saltos:
Velocidade

Comprimento Peso
Estafetas
Triplo

Barreiras Dardo
Altura
5.3 Lançamento do Peso
Pega do engenho (Peso)

Fases do Lançamento:

 Preparação
 Deslize
 Arremesso
 Recuperação
5.3 Lançamento do Peso (2)

 Pega do engenho (Peso)

- O peso fica na bases dos dedos;


- Os dedos estão paralelos e ligeiramente afastados;
- O peso é colocado no lado esquerdo do pescoço, por baixo do maxilar
e o polegar na traqueia;
- O cotovelo faz um ângulo de 45° em relação ao corpo.
5.3 Lançamento do Peso (3)

 Fase de Preparação

- O lançador começa de pé, no final do círculo de lançamento e


de costas para a borda do círculo;

- O tronco inclina-se para a frente e fica paralelo ao chão;

- O corpo fica equilibrado


apenas numa perna;
- A perna de apoio deve estar flectida
enquanto que a perna esquerda é
atirada para trás. (1)
5.3 Lançamento do Peso (4)

 Fase de Deslize

- O aluno move-se da planta do pé para o calcanhar sem mover a bacia;


- A perna livre é impulsionada em direcção à borda do círculo por baixo;
- A perna de apoio fica em extensão sobre o calcanhar;

- A perna de apoio mantém-se em contacto com o solo durante a maior parte da


fase do deslizamento;
- Os ombros mantêm-se direitos e virados para o ponto de partida.
5.3 Lançamento do Peso (5)

 Fase do Arremesso

1º Parte: posição de fora

- O peso do corpo deve estar sobre a perna direita e o


joelho flectido;

- O calcanhar do pé direito e o dedo grande do pé


esquerdo devem estarem linha;

- O tronco e os ombros estão em torção;

- A cabeça e o braço esquerdo estão virados para trás;

- O cotovelo direito faz um ângulo de 90° com o tronco.


5.3 Lançamento do Peso (6)
 Fase do Arremesso (2)

2º Parte: Aceleração Principal

- A perna direita fica em extensão completa após um movimento de rotação


explosiva até à bacia estar virada na direcção do lançamento;

- A perna esquerda faz um movimento enérgico ficando quase em extensão;

- O movimento de rotação do tronco é


bloqueado pelo braço esquerdo;

- O cotovelo direito está levantado e virado


na direcção do lançamento;

- O peso do corpo é transferido da perna direita para a esquerda.


5.3 Lançamento do Peso (7)
 Fase de Arremesso (3)

3º Parte: Acção Final dos M.S

-Transferir a velocidade do lançador para o peso;


- O movimento de “chicote” do braço inicia após a extensão dos MI e
do tronco;
- O braço esquerdo deve estar dobrado e fixo junto
do tronco;

- A aceleração é continuada pelo pulso que está em


pré-extensão;
- Os pés mantêm-se em contacto com o chão até final
do lançamento;
- A cabeça deve estar atrás do pé esquerdo até final do lançamento.
5.3 Lançamento do Peso (8)

 Fase de Recuperação

- Fazer uma troca de pernas rápida logo após o lançamento;

- A perna direita deve ficar flectida, a


parte superior do corpo deve baixar;

- A perna esquerda deve balançar para trás;

- O aluno deve olhar para o chão.


5.3 Lançamento do Peso (9)

 Regras do Lançamento

- Depois de entrar no círculo para iniciar o


lançamento, só pode tocar na linha do círculo;

- Deve se entrar ou sair do círculo pela


parte posterior;

- A medição faz se desde o ponto de


queda até à parte mais próxima do círculo
(bordo inferior).
5.3 Lançamento do Dardo
Pega do engenho (Dardo)

Fases do Lançamento:
 Corrida de Balanço

 Ritmo dos 5 Passos

 Lançamento

 Recuperação
5.3 Lançamento do Dardo (2)
 Pega do Engenho

- E prático pegar no dardo pela parte posterior da banda de


revestimento;
- Palma da mão virada para cima;

- Pega no dardo com o polegar e o indicador


ou com o polegar e o dedo médio.
5.3 Lançamento do Dardo (3)

 Fase de Corrida de Balanço

- A parte cíclica [é uma pura corrida de aceleração de cerca


de dois terços da distancia total (20m)];

- A parte acíclica [recuo do dardo e o respectivo lançamento


(de 9 a 11m)].
5.3 Lançamento do Dardo (4)

 Fase do ritmo dos 5 passos

- O braço que transporta o dardo é estendido para trás ficando à altura do


ombro e com a ponta do dardo ao lado da cabeça, próxima do olho direito;

- O braço e o ombro esquerdo devem estar à frente do corpo virados


no sentido do lançamento;

Para equilibrar o atleta e possibilitar, posteriormente, uma maior


torção abdominal.
5.3 Lançamento do Dardo (5)
 Fase do ritmo dos 5 passos (2)

- A ultima passada (impulsão) deve ser rasante, sem que haja perda de
velocidade e procurando que os pés avancem em relação ao dardo;

- No fim desta fase o atleta fica na posição de força dando inicio ao


lançamento.
5.3 Lançamento do Dardo (6)
 Fase do Lançamento

- O braço deve manter-se estendido para trás até ao último momento;

- A colocação do pé esquerdo é activa e


sólida para bloquear o movimento;
- O braço lança de forma explosiva logo
após a entrada da bacia;
- Há contacto com o solo até ao final do
lançamento deslizando o pé direito pela
pista;

- O cotovelo deve passar cerca de 30cm


acima do ombro do lado do lançamento.
5.3 Lançamento do Dardo (7)
 Fase de Recuperação

- O lançamento deve ser feito a uma distância de 2m ao arco limite;

- O Membro Inferior Direito (perna direita) é


conduzido à frente;

- Para evitar a transposição do limite é necessário


que se verifique três condições:

• O pé direito deve assentar transversalmente à direcção do lançamento e a


perna deve flectir;
• O tronco deve inclinar-se para diante (de modo a baixar o centro de gravidade);
• A perna esquerda deve ser levantada e puxada atrás na direcção da
aproximação.
5.3 Lançamento do Dardo (8)

 Regras do Lançamento

- O dardo deve ser segurado pelo punho;

- Entre a partida da corrida de aproximação e a saída do


dardo, o corpo do atleta não pode virar-se completamente de
modo a ficar contra o sentido do lançamento;
- O primeiro contacto do dardo com o solo tem de ser
primeiramente com a ponta metálica de que é provido.
6. Fichas de Avaliação
1. Cada uma das seguintes questões apresenta uma ou
mais respostas certas. Escolhe-as assinalando-as com um
X.
1.1. – Numa corrida de barreiras:
 A 1ª perna passa a barreira esticada
 A 2ª perna passa “dobrada com o joelho de lado”
 O atleta que derrubar alguma barreira não é desclassificado
 O atleta que não der as três passadas entre as barreiras é desclassificado.

1.2. – Na corrida de estafetas:


 Se o transmissor correr com o testemunho na mão esquerda, o receptor coloca-
se na zona exterior do corredor de corrida, e recebe com a mão direita.
 Uma equipa oficial é constituída por 4 ou 5 atletas.
 Os corredores podem optar pela técnica descendente ou ascendente para
transmitir o testemunho sem serem penalizados por isso.

1.3. – No salto em comprimento:


 Tenta-se “transformar” a velocidade adquirida na maior distância vertical
possível.
 Na chamada o apoio deve ser feito com o calcanhar para garantir o equilíbrio.
 As 4 fases do salto em comprimento são: Corrida, Chamada, Voo e
Recepção.
6. Fichas de Avaliação (2)
2. Refere 2 aspectos importantes para a realização correcta
de cada uma das fases a seguir indicada:

2.1 Corrida Com Barreiras:

2.2 Salto em Comprimento


6. Fichas de Avaliação (3)
3.1. Lê atentamente as seguintes afirmações e classifica-as como
verdadeiras ( V ) ou falsas ( F ) corrigindo-as de seguida:

a) No triplo salto a corrida de balanço tem de ser progressivamente


desacelerada de forma a realizar a chamada com a velocidade máxima.

b) Na corrida de estafetas o indivíduo que recebe o testemunho deve


faze-lo em movimento, mesmo que ultrapasse a zona de transmissão.

c) No triplo salto a tábua de chamada pode ser pisada sendo o salto válido
6. Fichas de Avaliação (4)
3.2. Identifica a técnica de voo do salto em comprimento e descreve
4 aspectos fundamentais.

1.

2.

3.

4.

Você também pode gostar