Você está na página 1de 35

Devem constituir cerca de 30% a 40% das

atividades do currículo
O duplo termo empregado, livre e criador, não significa
atividade de dois tipos diferentes, mas sim a maneira
como devem ser oferecidas: de livre escolha, dentro de
um trabalho diversificado.
As atividades criadoras devem ser oferecidas
de forma múltipla e variadas para que a
criança ESCOLHA a atividade que deseja
realizar; utilizando o material que necessitar e
mudando de lugar segundo a sua vontade e os
lugares vagos para outra atividade. A
atividade criadora deve ser livre, sempre da
escolha da criança.
As atividades livres e criadoras propiciam o alcance de
vários objetivos educacionais, além dos específicos de
cada atividade:

Iniciativa
Responsabilidade Autodisciplina
Respeito ao direito alheio Autodireção da atividade
Respeito pelo bem comum Treino funcional
Cooperação Descoberta e
Ajuste ao nível de desenvolvimento de
desenvolvimento aptidões
Algumas atividades criadoras dão consideradas
BÁSICAS, isto é, devem ser oferecidas diariamente, do
primeiro ao último dia de aula, as outras são de
ENRIQUECIMENTO, o que quer dizer que se
acrescentam as primeiras com o objetivo de enriquecer
a base das experiências das crianças. Devem variar de
apresentação, utilizar diferentes materiais, sendo
trocadas constantemente.

São em número de 11, que devem constar diariamente


da sala-ambiente, pois são estímulos essenciais ao
desenvolvimento de experiências básicas ao
crescimento psicomotor e social da criança.
Para as crianças menores de 4 anos, embora as
atividades devam ser as mesmas, não devem ser
oferecidas em tão grandes opções simultâneas.

Mesmo para as maiores (de 4 a 5 anos) as opções


devem ser oferecidas inicialmente em número de 5
atividades diferentes, e , de acordo com o domínio da
manipulação de cada material, vão-se enxertando
outras opções até chegar ao número máximo de 11
atividades diferentes numa sala.
Recorte e colagem
Desenho
Jogos
Leitura
Modelagem
Experiências em Ciências
Construção
Experiências em Matemática
Dramatização
Limpeza
Pintura a dedo
Expressão Oral
Pintura com pincel
Deve ser oferecido em mesa própria, próximo a papeleira
onde ficarão as folhas ofício (no mínimo).

Lápis-cera de todas as cores devem ser arrumados,


sem o papel que os envolvem, dentro de caixas ou
copos sobre a mesa. A criança deve aprender onde fica
o papel, como apanhá-lo, usá-lo e depois de ter seu
nome escrito (ou escrevê-lo) no alto e à esquerda, onde
colocá-lo após terminar o desenho.
Coordenação motora, a musculatura fina dos dedos,
coordenação visual-motora, organização do trabalho
sobre a superfície do papel, o que reflete organização
espacial, desenvolve o conhecimento das cores e suas
combinações e tonalidades, descoberta de diferentes
texturas, densidades de material e exercita a memória

A criança desenha o que “sabe”, do jeito que ela sente


que o objeto existe para ela; desenha os detalhes que
já percebeu e destacou dos objetos que conhece.
A massa de modelagem deve ser oferecida sobre
superfície de fórmica em uma, duas ou três cores
diferentes. A limpeza da mesa exige uso de removedor ,
que dissolvem gordura e graxas.

Essa atividade deve ser da responsabilidade das crianças


pelos objetivos que podem ser proporcionados por
qualquer atividade de limpeza dos materiais da sala:
coordenação, ordem, iniciativa, responsabilidade,
cooperação e enriquecimento de experiências relativas ao
uso do material.
A massa deve ser guardada em recipiente
plástico tampados e em um só bolo para não
ressecar.
a coordenação dos movimentos das mãos e dos
dedos, mas é valiosos estímulo à formação de
noções de peso, massa, volume e forma.

Os blocos devem conservar relações de tamanho em


função de um bloco módulo ou padrão. Cada outra
peça deverá ser uma, duas ou três vezes maior em
largura, altura e comprimento que o módulo; assim as
noções de relação de tamanho e respectivas operações
de adição, subtração e multiplicação serão
redescobertas naturalmente pela criança.
Uma caixa especial ou lugar determinado sobre estante
ou prateleira deverá ser reservado para a guarda do
material, que deverá ser feita pelas crianças.

A construção livre realizada com blocos de madeira vai


estimular a formação das noções de tamanho,
superfície, forma, peso, volume, quantidade e equilíbrio,
noções de geometria e de física, que mais tarde se
desenvolverão de forma abstrata assentadas sobre uma
sólida base incorporada através da manipulação livre e
criativa de material concreto.
A dramatização espontânea é conseguida na “Casa da
Boneca”, cantinho da sala, arrumado com:

fogão, panelas, talheres, pratos, xícaras, roupas,


bonecas, espelho, mesa de passar, mesa e
cadeirinhas, caminha de boneca e pia de lavar louça.

Objetos como coroas, véu e grinalda, capas de super-


heróis, mantos de rainha, chapéus, sapatos de salto,
bolsas, paletós, colares e brincos são excelentes
estímulos à dramatização.
Estetoscópios e maletas de médicos com termômetros,
seringas, vidros e blocos de receita ou todo um arsenal
específico do barbeiro ou da manicure, também devem
se alternar entre os materiais oferecidos (aparelhos de
barbear sem lâmina, vidros de esmalte vazios, pentes,
escovas).

Duas ou três bonecas com suas respectivas roupas


serão suficientes como filhos. Dois aparelhos de
telefone são indispensáveis às conversas entre
comadres.
É na “Casa da Boneca que criança tem a oportunidade
de resolver seus conflitos íntimos de organização de
personalidade (formação do EU), de experimentar
papéis femininos e masculinos e dar vazão a seus
sentimentos.
Uma mesa deve ser reservada somente para a pintura
a dedo e ficar próximo a pia ou baldes com água.

A criança deve aprender a limpar o seu lugar com


esponja, água e um pano úmido para deixá-lo limpo para
a próxima criança usar a mesa. essa atividade favorece
o desenvolvimento da coordenação, da percepção tátil e
de condutas sociais adequadas: solidariedade e
respeito ao direito alheio.
A criança deverá movimentar-se em pé para ter mais
liberdade.
É o mais eficiente recurso que o educador pode usar
para desenvolver a coordenação motora e visual-
motora,além de ritmo, harmonia experiências táteis, de
movimento e noções de textura de massas, assim
como experiências visuais sobre os efeitos produzidos
pela mistura de cores.

Esta atividade propicia a descarga de energia e acalma


os mais agitados. É excelente recurso para exercitar os
movimentos da mão para a aprendizagem da escrita.
Essa atividade pode ser oferecida no cavalete ou
sobre a mesa.

A primeira tem a vantagem de deixar os movimentos


da criança livres, pois ela pinta em pé e pode obter
melhores resultados estéticos, porque o plano vertical
é mais apropriado que o horizontal para a criança
pequena.

Depois de pronto o trabalho deve ser pendurado pela


própria criança, usando dois pregadores.
Os papéis devem ter o dobro (no mínimo) do
tamanho ofício ou A4 e devem ficar em papeleira
próxima ao local da pintura. Deve haver tinta de
todas as cores e dois pincéis em cada pote (um
chato e um redondo). O guache deve ser bem grosso.

A criança deve limpar com pano Úmido o lugar que


usou.Os pincéis devem ser lavados e guardados em
vidro com água limpa.

Essa tarefa desenvolve atitudes de ordem,


responsabilidade, conhecimentos táteis e
coordenação motora, que a lavagem dos pincéis e a
limpeza geral dos vidros e cavaletes vai proporcionar.
Além de 4 recipientes pequenos de cola branca e
respectivos pincéis, cinco ou seis tesouras, de acordo
com o número de lugares à mesa, devemos oferecer
papéis de diversos tipos (cartolina, seleta, celofane,
etc.) coloridos, pedaços de tecido,algodão, botões e
outros objetos que possam ser colados: lantejoulas,
sementes,fitas, massinhas coloridas na anilina com
álcool, fios de lã, pedaços de cortiça, palitos de
fósforo, etc..
Não deve haver modelos riscados; a criança recorta
livremente as formas que deseja e justamente nisso
reside o exercício: controlar seus movimentos e dirigi-los
sob o comando do seu cérebro , da sua vontade e em
função de seus próprios objetivos. A criança, no entanto,
pode desenhar antes de recortar, fazendo ela mesma os
seus modelos.
Lápis cera devem estar presentes na mesa para completar
os trabalhos de recorte e colagem. Se precisar pendurar
para secar.
A limpeza da mesa deve ser feita com pano úmido e
sabão. A vassoura e a pá de lixo completarão a limpeza
do chão e tudo pode ser feito pela própria criança.
São atividades que auxiliam muito o desenvolvimento
da coordenação visual-motora e os movimentos da
mão.. A tesoura é um instrumento que exige
movimentos coordenados por informações da visão e
do tato. Espalhar cola na superfície do papel e esticar
um sobre o outro exige uma certa destreza das duas
mãos. Além disso, o recorte e a colagem formam
noções de tamanho, forma e superfície como
nenhuma outra atividade.
podem ser de encaixe, de armar, de enfiar, quebra-
cabeça, dominó,e suas combinações podem ter
diversos objetivos específicos relacionados á memória,
discriminação (visual, tátil, olfativa auditiva),à
percepção de quantidades ,à seqüência ou ordenação
de fatos, quantidades, cores, etc.,à classificação de
idéias ou ainda específicos de matemática ou leitura.

Devem ser oferecidos em local tranqüilo da sala, onde


as crianças possam brincar sozinhas ou em grupos.
Muitas vezes esses jogos são realizados no chão,
sobre tapetes ou esteiras, por não haver mesas
disponíveis quando as salas são pequenas

A criança deve aprender a escolher o jogo, usá-lo e


guardá-lo em seu lugar outra vez.As caixas plásticas,
muito facilitam a durabilidade do material.Deve haver
variedade suficiente para que uma vez por semana
todo o material seja substituído, embora os anteriores
sempre possam vir a ser usados.
A “leitura” será estimulada pelos livros que devem
estar à mão da criança em sua sala de aula.

O interesse e o gosto pela leitura de historinhas começa,


gradativamente, a se formar e é fato fundamental para a
aprendizagem da leitura: o interesse em ler.

A criança deve aprender, através da atitude da


professora a dispensar uma série de cuidados com os
livros para que eles não se sujem, rasguem ou
despedacem.
A leitura também poderá ser feita sobre tapetes ou
esteiras, como os jogos.

As crianças deverão guardar os livros e separar aqueles


que exijam conserto. É muito bom para a criança que a
restauração, assim como de qualquer brinquedo, possa
ser feita na sua frente.
Toda sala-ambiente deve ter obrigatoriamente um local
reservado para estimular na criança a curiosidade e
exploração do meio ambiente de forma mais formal,
metódica e científica.

Objetos do assunto em estudo no currículo devem fica


expostos em prateleiras à vista da criança.
O material permanente e obrigatório seria: duas lupas
(lentes de aumento de tamanhos diferentes), um ou dois
ímãs e pedaços de ferro, um aquário para criação de
peixes, girinos e tartarugas, por exemplo, uma caixa
transparente com tampa de tela fina ou gaze para
criação de lagartas, um prisma para produzir refração da
luz, um fogareiro , um terrário para observação de
formigas, alguns vidros com tampas perfuradas para
observação de insetos.
A natureza deverá ser a fonte, meio e recurso de
desenvolvimento de uma série de habilidades.

A manutenção da limpeza e dos animais vivos também


será tarefa das crianças que assim estarão se
educando de uma forma plena.
As atividades especificamente proporcionadoras de
descobertas de noções matemáticas devem ter um
cantinho especial destinado na sala, onde, por
exemplo, deverá obrigatoriamente estar à disposição
das crianças uma balança de dois pratos junto a uma
boa coleção de objetos para serem pesados:
chapinhas, sementes, potes vazios,botões,pesos etc

Além desse material, neste canto deverá estar afixada


uma régua para medir a altura das crianças e poderão ser
oferecidos trenas e metros lineares.
Neste local também poderão ser oferecidos jogos
específicos para aprendizagem da seqüência numérica
e adição.

Essas experiências podem continuar no tabuleiro de


areia ou bacia com água, onde a criança enche e
esvazia recipientes e pode observar suas relações de
volume, quantidade, conteúdo.
A limpeza deve ser considerada uma das atividades
básicas do currículo da Educação Infantil.

Ela propicia a formação adequada de hábitos de


ordem, asseio, colaboração e cuidado com o material
de uso comum da sala.

O material indispensável para a manutenção da


limpeza é, no mínimo, duas vassouras, uma pá de
lixo, dias lixeiras, panos de pó, panos atoalhados,
água, sabão, álcool e removedor de gordura.
Toda conversa espontânea produzida pelas situações
naturais do grupo. Dramatizações espontâneas e
teatro são atividades que desenvolvem a expressão
oral.
• A professora deve permitir e encorajar seus alunos
a misturar técnicas, materiais e buscarem
experiências diferentes, complementando uma
atividade com outra. A criança deve ter e sentir
liberdade de trocar de mesa à procura de outro
material para concluir seu trabalho de maneira que
lhe aprouver.
O QUE DEVE IMPORTAR A EDUCADORA é
desenvolver a iniciativa intelectual de suas crianças; a
capacidade de criar soluções para seus problemas e
desenvolver seres criativos, O PROCESSO DE
CRIAÇÃO, DE ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO EM
SUAS MÚLTIPLAS DIFICULDADES E SOLUÇÕES E
NÃO O PRODUTO FINAL.
É importante, oferecer lugares determinados para
cada tipo de material ou atividade, a fim de
possibilitar à criança segurança e domínio do
material. O conhecimento dos tipos de materiais
expostos e seus lugares permite à criança
planejar, escolher e decidir o que fazer e por onde
começar.
Todas essas sugestões oferecidas como atividades
podem, sem exceção, ser oferecidas a crianças de 2 e
3 anos, em escolas maternais. Somente requererá um
auxílio mais constante do adulto e um número menor
de opções, para que ela aproveite ao máximo cada
experiência.
Não é correto temer desinteresses futuros pela
repetição mais tarde de mesma atividade. A cada
estágio do desenvolvimento a criança é capaz de
obter melhores resultados com o uso do mesmo
material.

O importante é tornar as atividades criadoras


sempre atraentes pela troca constante de materiais
e atividades.

Você também pode gostar