Você está na página 1de 12

ANTÔNI O A R A Ú J O

TEATRO DA V E R T IG E M
TÓ ARAÚJO
UBERABA, MINAS GERAIS, 1966
• DIRETOR DE TEATRO
• PROFESSOR UNIVERSITÁRIO
• ATOR
• TRADUTOR
EXERCÍCIOS FÍSICOS INSPIRADOS NOS PRINCÍPIOS DA FÍSICA CLÁSSICA DE NEWTON
CURSOU DIREÇÃO NA ESCOLA DE COMUNICAÇÕES E ARTES DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO, ECA/USP
1991- TEATRO DA VERTIGEM
-TRILOGIA BÍBLICA
PROCEDIMENTOS ALEGÓRICOS DO TEATRO MEDIEVAL
GANHA A BOLSA DE ESTUDOS FELLOWSHIPS OF THE AMERICAS, CONCEDIDA PELO THE JOHN F. KENNEDY
CENTER FOR THE PERFORMING ARTS EM 1996/1997
1998, PROFESSOR DE DIREÇÃO NA ESCOLA DE COMUNICAÇÕES E ARTES DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO
- ECA/USP.

TEATRO COLABORATIVO

QUEBRA DO FORMALISMO TEATRAL DOS ANOS 1980


TEATRO DA VERTIGEM
UTILIZAÇÃO DE ESPAÇOS NÃO CONVENCIONAIS
MOVIMENTO EXPRESSIVO DO ATOR.
 BOGOTÁ 
 COLÔMBIA
   DINAMARCA, FESTIVAL DE ARTES DE ÄRHUS
III FESTIVAL INTERNACIONAL DE TEATRO ANTON TCHEKHOV EM MOSCOU 
ESPETÁCULOS
• 1992 - O PARAÍSO PERDIDO, DE SÉRGIO DE CARVALHO
• 1995 - O LIVRO DE JÓ, DE LUIS ALBERTO DE ABREU
• 2000 - APOCALIPSE 1,11, DE FERNANDO BONASSI
• 2006 - BR-3, DE BERNARDO CARVALHO
• 2007 - HISTÓRIA DE AMOR (ÚLTIMOS CAPÍTULOS), DE JEAN-LUC LAGARCE
• 2008 - A ÚLTIMA PALAVRA É A PENÚLTIMA
• 2008 - DIDO E ENÉAS, DE HENRY PURCELL
• 2010 - KASTELO, DE EVALDO MOCARZEL, INSPIRADA NOS TEXTOS DE FRANZ KAFKA
• 2012 - BOM RETIRO 958 METROS, DE JOCA REINERS TERRON
PRÊMIOS
• O PARAÍSO PERDIDO
• PRÊMIO ESPECIAL APCA (ASSOCIAÇÃO PAULISTA DE CRÍTICOS DE ARTE ) NA CATEGORIA "MELHOR PESQUISA
DE LINGUAGEM", 1993.

• PRÊMIO APCA NA CATEGORIA "MELHOR ILUMINAÇÃO", 1993 – GUILHERME BONFANTI E MARISA BENTIVEGNA.
• PRÊMIO SHELL NA CATEGORIA "MELHOR ILUMINAÇÃO", 1993 – GUILHERME BONFANTI.
• PRÊMIO ESTÍMULOS DA SECRETARIA DE CULTURA DO ESTADO DE SÃO PAULO PARA ESPETÁCULOS TEATRAIS
EM ESPAÇOS NÃO-CONVENCIONAIS, 1994.
• PRÊMIO SHELL NA CATEGORIA "MELHOR ESPETÁCULO", 1996.
• PRÊMIO SHELL NA CATEGORIA "MELHOR DIREÇÃO" – ANTÔNIO ARAÚJO, 1996.
• PRÊMIO SHELL NA CATEGORIA "MELHOR ATOR" – MATHEUS NACHTERGAELE, 1996.
• PRÊMIO SHELL NA CATEGORIA "MELHOR FIGURINO" – FÁBIO NAMATAME, 1996.
• PRÊMIO SHELL NA CATEGORIA "MELHOR ILUMINAÇÃO" – GUILHERME BONFANTI, 1996.
• PRÊMIO APCA NA CATEGORIA "MELHOR ESPETÁCULO", 1996.
• PRÊMIO APCA NA CATEGORIA "MELHOR DIREÇÃO" – ANTÔNIO ARAÚJO, 1996.
• PRÊMIO APCA NA CATEGORIA "MELHOR ILUMINAÇÃO" – GUILHERME BONFANTI, 1996.
• PRÊMIO MAMBEMBE NA CATEGORIA "MELHOR ESPETÁCULO", 1996.
• PRÊMIO MAMBEMBE NA CATEGORIA "MELHOR DIREÇÃO" – ANTÔNIO ARAÚJO, 1996.
• PRÊMIO MAMBEMBE NA CATEGORIA "MELHOR ATOR" – MATHEUS NACHTERGAELE, 1996.
• PRÊMIO APETESP NA CATEGORIA "MELHOR ESPETÁCULO", 1996.
• PRÊMIO APETESP NA CATEGORIA "MELHOR DIREÇÃO" – ANTÔNIO ARAÚJO, 1996.
• FLÁVIO RANGEL – FUNARTE, 1998.
• APOCALIPSE 1,11
• PRÊMIO SHELL NA CATEGORIA "MELHOR DIREÇÃO" – ANTÔNIO ARAÚJO, 2000.
• PRÊMIO SHELL NA CATEGORIA "MELHOR ILUMINAÇÃO" – GUILHERME BONFANTI, 2000.
• PRÊMIO SHELL NA CATEGORIA ESPECIAL AO TEATRO DA VERTIGEM, PELA PESQUISA DE LINGUAGEM
CÊNICA E DRAMATÚRGICA, 2000.
• BR3 19º PRÊMIO SHELL SP, 2007
• MEDALHA DE OURO PARA MELHOR REALIZAÇÃO DE UMA PRODUÇÃO NA QUADRIENAL DE PRAGA 2011.
• BOM RETIRO, 958 METROS
• PRÊMIO GOVERNADOR DO ESTADO PARA CULTURA 2012, CATEGORIA TEATRO, VOTAÇÃO POPULAR, 2013
JOÃO FÉLIX

LUCAS MARINHO

•FIM

Você também pode gostar