Você está na página 1de 355

Plantação em vasos e floreiras

UFCD 3076

50 Horas

1
Formadora:
Formadora: Eng.ª Catarina Figueiredo
Governo da República União Europeia
Portuguesa Fundo Social Europeu
Objectivos?

- Identificar as principais plantas de


interior e saber quais são as suas
necessidades
Introdução

Escolher as plantas certas para ter em casa e


mantê-las saudáveis não é tarefa difícil. No
entanto deverá obedecer a vários critério de forma
a termos plantas bonitas e saudáveis
Escolher plantas de interior:

A escolha de plantas de interior requer


alguma atenção. Comece por tomar em linha
de conta o seu gosto pessoal (ou do cliente),
o estilo do ambiente da sua casa e o espaço
disponível. Pense também no tempo que
poderá dispensar às suas plantas. Se é uma
pessoa muito ocupada, não compre plantas
que precisem de ser regadas todos os dias.
Se deseja que as suas plantas durem
bastante tempo deverá escolher as
adequadas ao seu ambiente envolvente
Seja exigente ao escolher as plantas no
estabelecimento onde as compra, pois se não
tiverem sido bem tratadas até chegarem às suas
mãos, as suas vidas serão mais curtas.
A planta tem de ter um aspecto saudável, não
apresentar folhas partidas, a cor ser a
adequada e sem manchas descoloradas pelo
calor, ou com as pontas ou os contornos
secos.
Através da resposta ao seguinte questionário, ser-lhe-á fácil
encontrar as plantas que lhe convêm e assegurar-se de que
os exemplares adquiridos são de primeira qualidade

Questionário….
Pergunta Resposta
A planta esta etiquetada? A etiqueta deve indicar o nome da planta e
de como tratar dela
O composto contido no vaso está seco? em caso afirmativo, a planta tem sido
negligenciada, pelo que não deve comprá-la
Quais as necessidades da planta em termos Poderá ter de a colocar num local onde
de luz? receba luz directa
Quais as necessidades da planta em termos Poderá ter de regar diariamente durante o
de água? verão
Quanto tempo viveria a planta sem ser
regada?
Quais as necessidades da planta no que se Poderá não sobreviver à temperatura
refere a temperatura? ambiente
A planta requer cuidados especiais
A planta tem um crescimento rápido ou
lento?
Examine ambos os lados das folhas. Existem
sinais de pragas ou doenças?
Temperatura

As plantas que crescem no exterior estão frequentemente


expostas a grandes variações de temperatura. Nas casas
mais modernas, porém assegurar uma variação de
temperatura mínima entre os 20 e os 23º C. Embora as
plantas tropicais e subtropicais gostem de ser mantidas a 18 a
20º C, muitas das regiões subtropicais preferem ter um
período de inactividade durante o Inverno, em que ficam a
uma temperatura mais baixa.
A maior parte das plantas das regiões temperadas
prefere temperaturas inferiores às que se
encontram no interior das casas, já que suportam
as geadas de Inverno. Se ficarem no interior
durante o Inverno as suas plantas terão uma vida
mais curta do que a que tivessem sido colocadas
no exterior, a temperaturas mais baixas.
As plantas de interior podem ser variáveis, pelo que deve ter
isso em atenção quando escolher o sítio para as colocar:

•Divisões nem sempre habitadas (quartos), são


frequentemente mais frios
•Evite colocar plantas perto de aquecedores, onde
a temperatura é mais alta e o ar muito seco
•Janelas viradas a sul provoca aumentos de
temperatura e pode queimar algumas plantas
• ao abrir-se portas e janelas, o ar fresco entra e
provoca descidas bruscas da temperatura o que
pode não ser tolerado por algumas plantas
Muitas plantas toleram bem diferentes temperaturas, mas é
importante que se podem aclimatar lentamente a
temperaturas mais altas ou mais baixas

25ºC- Quente
Uma planta que
prefere um local
quente gosta de T 20ºC – Quente a
acima dos 18ºC fresco
Uma planta que
prefere um local
quente a fresco
10ºC- Fresco
gosta de T
entre os 25º e
Uma planta
os 15ºC, ou
que prefere
mesmo mais
um local
frescos
fresco gosta
de T abaixo
dos 15ºC
Período de inactividade

Muitas plantas de interior necessitam de descansar


durante o Inverno.
Condições de luz

A luz é essencial às plantas, mas a quantidade


exacta requerida por cada uma depende das
condições de crescimento no seu ambiente natural.

Plantas como cactos e as suculentas por


exemplo, criam-se muitas vezes nos desertos
e estão, por isso, expostas à luz solar intensa
e directa

Enquanto as plantas que crescem


na floresta, como a peperominia,
recebem muita pouca luz
A planta é afectada tanto pela intensidade como pela
duração da luz

Plantas das regiões tropicais e subtropicais


necessitam de 12 a 16 horas de luz por dia,
o que dificulta o seu crescimento durante
os Invernos no hemisférico norte, onde
apenas há 7 a 8 horas de luz por dia e com
fraca intensidade

Aconselha-se estas a
colocação destas plantas junto
a uma janela no Inverno, ou
ilumina-las com luz artificial
Se as levar para casa deixe-as a ter o descanso (período
inactivo), em local fresco com luz
Plantas de dia compridos, dias curtos e neutras

•As plantas que requerem dias longos só darão flor se


receberem mais de 12 horas de luz por dia durante um certo
período de tempo

Em geral, as plantas com flor necessitam de mais luz que as


plantas de folhagem se estiverem na época de produção de
botões
•A formação das flores nas plantas de dia curto requer
menos de 12 horas de luz por dia durante essa época
•As plantas de dia neutro, não dependem da quantidade
de luz recebida, para florirem.
Guia das plantas

Algumas das plantas de interior mais


conhecidas….
Abutilão

Descrição da planta:
arbusto florido, com
folhas grandes, em
forma de coração, de
um tom verde-relva,
com manchas amarelas
ou brancas. As flores
são pendentes, em
forma de sino, podem
ser brancas, amarelas ,
cor de laranja, púrpura,
rosa vivi, salmão ou
vermelho escuro. Esta
planta produz néctar
Luz e localização: luz do sol filtrada. Colocar a
planta em local com luz directa apenas no
Inverno
Oscilações da Temperatura: quente a mais
fresco no Inverno. Não tolera temperaturas
inferiores a 5º C.
Rega: regar abundantemente na Primavera até ao
Outono e com menor frequência no Inverno. Não deixe
que a terra seque durante a floração, caso contrário os
botões das flores cairão.

Fertilização: aplicar um fertilizante com baixo teor de


azoto, desde a primavera até ao Outono, mas não
adube durante o resto do ano

Cuidados especiais: necessita de um apoio. Fica


inactiva de Inverno, altura em que deve colocada num
lugar com luz, fresco e com temperatura de cerca 5 a
10ºC. Envase de novo todos os anos na Primavera.
Em simultâneo, pode os rebentos mais compridos
para estimular o crescimento em forma de arbusto.
Pragas e doenças: Pulgões,
aranhas e mosca branca.
Mudanças súbitas de
temperatura podem provocar o
amarelecimento das folhas ou a
sua queda.
Propagação: as estacas podem
ser retiradas dos caules tenros
em qualquer
Abutilão
Acalifa

Utilização: planta de folhagem para


interiores, ou estufas, ou jardins de
Inverno, no Verão

Origem: Ilhas do Pacífico

Descrição da Planta:
Arbusto com ramos, cultivado pelas
suas belas folhas ovais em tons de
vermelho, cobre, verde metálico ou
verde amarelo. Na parte superior da
planta despontam pequenas flores
agrupadas em espiga.
Luz e localização: exposição total ao sol, ou a luz do sol
filtrada. As cores das folhas serão mais vivas se a planta for
exposta à luz directa do sol.
Oscilações da Temperatura: de quente a fresco. Não
tolera temperaturas inferiores a 10ºC.
Rega: mantenha a terra húmida. Não deverá deixar secar o
solo.
Fertilização: aplicar um fertilizante com baixo teor de azoto,
de 2 em 2 semanas, desde a primavera ao Outono, mas não
adube durante o resto do ano.
Cuidados especiais: envase
de novo todos os anos, na
Primavera. Em simultâneo,
pode os rebentos mais
compridos para estimular o
crescimento em forma de
arbusto.

Pragas e doenças: Aranhas.

Propagação: As estacas com 3


folhas podem ser retiradas da
ponta dos caules na Primavera
Rosa do deserto

Utilização: planta de folhagem e


floração abundante para interiores,
ou estufas, ou jardins de Inverno.

Origem: Egipto, Sudão, Etiópia e Africa Oriental

Descrição da planta: Arbusto suculento, de ramos


curtos, com folhas verdes escuras e lustrosas. As flores
são em forma de funil de cor carmim, rosa vivo ou
branco com o centro amarelo.
Luz e localização: prefere a exposição total À luz solar. Tolera
a luz do sol filtrada.
Oscilações da temperatura: de quente a fresco no Inverno.
Não tolera temperaturas inferiores a 10º C.
Rega: a planta apodrece e morre
se for regada em excesso. Desde
a primavera até ao Outono regar
regularmente, mas com
moderação. Mantenha a terra
quase seca desde Outubro até
Abril.
Fertilização: Aplicar e um
fertilizante com baixo teor de
azoto, uma vez por mês, desde a
Primavera ao Outono, mas não
adubar durante o resto do ano.
Pragas e doenças: Bolores e
Podridões basais se regada em
excesso. Propagação: Por sementes na
Primavera, ou por estacas no
Verão
Rosa deserto

Cuidados especiais: a
sua seiva leitosa pode
causar irritação, pelo
que deve evitar o
contacto com a pele ou
olhos. A planta
necessita de um
período inactivo, de
Outubro a Abril, em que
deve estar num local
fresco e com luz e uma
temperatura inferior
a15ºC. reenvase de 2
em 2 ou de 3 em 3
anos, na Primavera
Avenca

Utilização: feto ornamental


para interiores ou estufas, ou
jardins de Inverno, no Verão.
Origem: América Central e
América do Sul tropical.
Descrição da planta: de
aparência delicada, este feto
tem folhas que começam por
ser erectas e que
posteriormente se curvam.
São compostas por muitos
folículos pequenos, verdes
claros. Os caules basais das
folhas são pretos e brilhantes.
Luz e localização: luz do sol filtrada.
Evitar a exposição directa à luz solar.
Oscilações da temperatura: de
quente a fresco. Não tolera
temperaturas inferiores a 5ºC.
Rega: regar regularmente na estação de crescimento,
deixando a terra secar entre cada rega. Durante o resto do
ano, regue com maior moderação. Borrifar
frequentemente com um pulverizador para manter a
humidade elevada.
Fertilização: Aplicar e um fertilizante com baixo teor de
azoto, uma vez por mês, desde a Primavera ao Outono,
mas não adubar durante o resto do ano.
Avenca Cuidados especiais: Esta é uma planta
que gosta de humidade elevada e que
pode ser difícil conservar por muito
tempo. Envase de novo todos os anos,
na Primavera.

Pragas e doenças: Bolores, pulgões e


cochonilhas.

Propagação: Através da divisão dos


rizomas no início da Primavera ou
através dos esporos frescos.
Abacaxi (de fingir)

Utilização: Bromélia com flor


para interiores ou estufas, ou
jardins de Inverno, no Verão

Origem: Brasil.

Descrição da planta: Epífita vivaz que forma uma roseta de


folhas verdes, coriáceas com brácteas cinzentas e prateadas
ligadas umas às outras formando uma espécie de jarra. A
inflorescência dura bastante tempo e é muito atraente com as
suas brácteas pontiagudas rosa vivo e flores azuis.
Luz e localização: a planta
tolera um vasto espectro de
luz, mas evite a exposição
directa de luz solar.

Oscilações de Temperatura:
de quente a fresco..não tolera
temperaturas inferiores a 8º C.

Rega: regar com água tépida.


A planta tolera terreno seco
durante umas semanas.
Abacaxi de fingir

Fertilização: Aplicar e um fertilizante com baixo


teor de azoto, dentro da roseta, uma vez por mês,
desde a Primavera ao Outono, mas não adubar
durante o resto do ano.
Cuidados especiais: a água e os fertilizantes são
vertidos dentro da roseta, que deve conter sempre
água, excepto quando a planta é mantida a baixa
temperatura. Envase os rebentos no início da
Primavera
Pragas e doenças: Cochonilhas.
Propagação: após a floração, a inflorescência morre,
mas formam-se rebentos nas axilas das folhas. Divida a
planta no início do verão, quando os rebentos já
cresceram até metade do tamanho da planta-mãe.
Sempre-verde

Utilização: planta de folhagem


robusta para interiores.

Origem: Filipinas.

Descrição da planta: Herbácea, com folhas elípticas de cor


verde escura com manchas amarelas ou cinzentas prateadas
Luz e localização: tolera desde locais à
sombra até à exposição directa de luz solar.
Oscilações da temperatura: de quente a
fresco. Não tolera temperaturas inferiores a
15ºC.
Rega: regar regularmente na estação de
crescimento, deixando que a terra seque
um pouco antes de voltar a regar, durante o
resto do ano, regue com maior moderação.
Borrife frequentemente com um
pulverizador manual para manter a
humidade.
Fertilização: Aplicar e um fertilizante com baixo teor de
azoto, de 2 em 2 semanas, desde a Primavera ao
Outono, mas não adubar durante o resto do ano.
Sempre-verde

Cuidados especiais: envase de novo todos os anos, na


Primavera
Pragas e doenças: Pulgões, cochonilhas e aranhas.
Propagação: Divida a planta na Primavera.
Aloe vera
Utilização: planta suculenta
para interiores, ou estufas
ou jardins de Inverno, no
Verão. Também como
planta medicinal.
Origem: Norte de África,
África Oriental, África
Tropical, África do Sul e
Arábia Saudita.

Descrição da planta: apresenta um caule curto e uma roseta


formada por folhas carnudas, cujos os contornos apresentam
picos suaves. As folhas tem manchas enquanto jovens e as flores
são amarelas ou de cor de laranja.
Luz e localização: desde a
exposição total à luz solar até
à luz solar filtrada.
Oscilações da temperatura:
de quente a mais fresco
durante o Inverno. Não tolera
temperaturas inferiores a 5º C.

roseta.

Rega: regar regularmente mas com moderação desde a


primavera até ao Outono.
O solo deve ser mantido quase seco no Inverno. Evite
deitar água na
Aloe vera

Fertilização: Aplicar e um fertilizante com baixo teor de


azoto, uma vez por mês, desde a Primavera ao Outono,
mas não adubar durante o resto do ano.

Cuidados especiais: a planta necessita um período


inactivo de Outubro a Abril, quando deve ser mantida em
local com luz, a uma temperatura inferior a 5ºC. envase
de novo de 2 em 2 anos ou de 3 em 3 anos, no início da
Primavera.

Pragas e doenças: Pulgões e aranhas


Aloe vera

Propagação: separe as plantas jovens durante a Primavera


e Verão. Estas podem ser plantadas em maciços ou
separadas umas das outras
Aloe vera
Antúrio

Utilização: Planta
florida para interior.

Origem: Colômbia.
Descrição da planta:
Herbácea erecta com
caule comprido e
folhas em forma de
coração. As flores são
muito vistosas, com
uma espata cerosa
vermelho vivo, rosa,
púrpura, amarelo
esverdeado ou branco
envolvendo uma
espádice amarela ou
cor de laranja.
Antúrio

Luz e localização: tolera uma


localização À sombra até luz do
sol filtrada. Evite a exposição
directa à luz solar.

Oscilações da Temperatura:
Quente. Não tolera temperaturas
inferiores a 15ºC, prefere
temperaturas mais elevadas
Rega: regar regularmente
com água tépida e evite que o
solo seque. Borrife
frequentemente com um
pulverizador para manter a
humidade elevada.

Fertilização: Aplicar e um
fertilizante com baixo teor de
azoto, uma vez por mês,
desde a Primavera ao
Outono, mas não adubar
durante o resto do ano
Antúrio

Cuidados especiais:
envase de novo de 2
em 2 anos, na
Primavera.

Pragas e doenças:
pulgões, cochonilhas,
aranhas e bolores

Propagação: através
da divisão no inicio da
primavera.
Antúrio
Afelandra

Utilização: planta com flor para interiores, ou estufas, ou


jardins de Inverno.

Origem: Sudoeste do Brasil.


Descrição da planta: compacta, com folhas cerosas,
verdes escuras ostentando veios proeminentes. As espigas
terminais de cor forte são formadas por brácteas cerosas,
amarelas, de longa duração e flores amarelas.
Afelandra

Rega: regar regularmente, mas mais


moderadamente durante o Inverno, quando a
planta é mantida a temperaturas mais baixas.
Borrife frequentemente com um pulverizador
para manter a humidade elevada

Fertilização: Aplicar e um fertilizante com baixo teor


de azoto, de 2 em 2 semanas, desde a Primavera ao
Outono, mas não adubar durante o resto do ano.
Cuidados especiais: após a floração, a
planta pode ser podada. A formação da flor
será incrementada se a planta for mantida a
uma temperatura de 10ºC durante 8
semanas, no Inverno. Envase de novo todos
os anos, na Primavera.
Pragas e doenças: pulgões, cochonilhas,
aranhas e bolores.

Propagação: retire as estacas tenras na Primavera. As estacas


devem ser colocadas num propagador aquecido por baixo a 20-
25ºC.
Cacto rabo de ratazana

Utilização: cacto escultural e


com flor para interiores, ou
estufas, ou jardins de Inverno.
Ideal para colocar em cestos de
suspensos.

Origem: México.
Descrição da planta:

cacto epífito com


caules delgados que
podem atingir alturas
consideráveis.
Os caules são
ornamentados por
tufos de espinhos
curtos. As flores são
carmim a rosa vivo ou
cor de cereja a que se
seguem bagas
vermelhas
Cacto rabo de ratazana

Luz e localização: prefere a exposição total


à luz solar mas tolera a luz do sol filtrada.
Oscilações da temperatura: de quente a
mais fresco durante o Inverno. Não tolera
temperaturas inferiores a 0ºC.
Cacto rabo de ratazana

Rega: Regar regularmente durante a


Primavera e Verão, deixando que a terra
seque antes de voltar a deitar-lhe água.
Regar mais moderadamente desde o
Outono até à Primavera.
Fertilização: Aplicar e um fertilizante com
baixo teor de azoto, uma vez por mês,
desde a Primavera ao Outono, mas não
adubar durante o resto do ano.
Cacto rabo de ratazana

Cuidados Especiais: Esta é uma planta muito fácil


de cuidar. Gosta de Ter um período inactivo durante
o Inverno, altura em que deve ser colocado em
lugar com a luz a uma temperatura de 5 a 10º C.
Envase de novo de 2 em 2 ou de 3 em 3 anos, no
início da Primavera.
Pragas e doenças: cochonilhas e aranhas.
Propagação: retire-lhe estacas desde a Primavera
até ao Verão.
Azevim

Utilização: planta ornamental


par interior, ou estufas, ou
jardins de Inverno, da Primavera
até ao Outono. Rara.
Origem: Norte da índia, China,
Coreia, Japão e Taiwan.
Descrição da planta: pequena árvore
com folhas grossas, brilhantes e
escuras, as quais têm uma textura
coriácea, com zonas secas e
quebradiças. Às flores brancas
perfumadas seguem-se as bagas
vermelhas, cerosas que duram cerca de
6 meses
Luz e localização: luz
do sol filtrada. Evite a
exposição directa à luz
solar pois poderia
ressequir as folhas.
Oscilações da temperatura:
De quente a fresco, especialmente durante o
Inverno. Não tolera temperaturas inferiores a 7
º C.
Rega: regar regularmente, mas mais
moderadamente durante o Inverno. Não deixe
a que a terra seque.
Fertilização: Aplicar e um fertilizante com
baixo teor de azoto, de 2 em 2 semanas,
desde a Primavera ao Outono, mas não
adubar durante o resto do ano.
Cuidados especiais: esta
planta gosta de Ter um período
inactivo durante o Inverno,
altura em que deve ser mantida
em local com luz a uma
temperatura de 10 a 15ºC.
Envase de novo e pode todos
os anos, na Primavera.
Pragas e doenças:
Cochonilhas e bolores
Propagação: através de
sementes na Primavera, ou por
estacas de rebentos semi-
maduros que se retiram no
Outono.
Espargo

Utilização: planta ornamental de folhagem resistentes


para interiores, ou estufas, ou jardins de Inverno.

Origem: África do Sul.


Descrição da planta:
arbustos com muitos ramos e
caules arqueados e
pendulares cobertos com
folhas pequenas e verde-
relva. (na verdade não são
folhas mas sim cladódios, isto
é, folhas reduzidas a
espinhos).

Às pequenas flores brancas e


perfumadas seguem-se as bagas
vermelhas.
Luz e localização: Exposição total à luz solar
até luz filtrada.
Oscilações de temperatura: de quente a
fresco (no Inverno). Não tolera temperaturas
inferiores a 8ºC.
Rega: regar regularmente desde a Primavera
ao Outono, deixando secar a terra entre cada
rega. Mantenha o solo mais seco durante o
resto do ano. As raízes tuberculosas desta
planta permitem que suporte a secura durante
umas semanas.
Fertilização: Aplicar e um fertilizante com
baixo teor de azoto, uma vez por mês, desde
a Primavera ao Outono, mas não adubar
durante o resto do ano
Cuidados especiais: os
caules podem ser podados
para tornar a planta mais
compacta. Borrifar com água
de vez em quando para
remover as “folhas”. A planta
gosta de Ter um período
inactivo durante o Inverno,
altura em que deve ser
mantida em local com luz a
uma temperatura de 10 a
15ºC. Envase de novo de 3
em 3 anos, na Primavera.
Pragas e doenças: Pulgões,
aranhas e bolores.
Propagação: semear ou
dividir a planta no início da
Primavera.
Aspidistra

Utilização: planta de folhagem escultural


para interiores, ou estufas, ou jardins de
Inverno.
Origem: China.
Descrição da planta:
Planta resistente com
raízes grossas, folha
brilhantes, verdes
escuras, de textura
coriácea, com caules
longos. As suas flores
são raras, em forma de
sino, são cremes com o
interior castanho
avermelhado e situam-se
ao nível do solo.
Luz e localização: tolera locais
até luz do sol filtrada. Evite a
exposição directa À luz solar.

Oscilação da temperatura:
prefere o fresco, especialmente
no Inverno. Não tolera
temperaturas inferiores a 7ºC.

Rega: regar regularmente


deixando o solo secar entre
cada rega e com mais
moderadamente durante o
Inverno, quando a planta é
mantida a temperaturas mais
baixas. Tolera ar seco.
Fertilização: Aplicar e um
fertilizante com baixo teor de
azoto, de 2 em 2 semanas, desde
a Primavera ao Outono, mas não
adubar durante o resto do ano.

Cuidados Especiais: envase de


novo quando necessário,
normalmente de 3 em 3 ou de 4
em 4 anos, no início da Primavera

Pragas e doenças: cochonilhas e


aranhas.
Propagação: através da divisão
da planta na Primavera.
Asplénio

Utilização: planta
florida de
interiores, ou
estufas, ou jardins
de Inverno.
Origem: África
Oriental, Ásia
Tropical, Austrália
e Polinésia.
Descrição da planta: feto epífito com um
rizoma muito curto que ostenta uma
roseta simples de folhas lanceoladas,
brilhantes, que formam um ninho.
Luz e localização: local à sombra ou com
luz filtrada. Evitar a exposição directa à luz
solar.
Oscilações da temperatura: de quente a
fresco. Não tolera temperaturas inferiores a
10ºC.
Rega: regar regularmente, mas mais
moderadamente durante o Inverno. Tolera
uma ligeira secura.
Fertilização: Aplicar e um
fertilizante com baixo teor de
azoto, uma vez por mês,
desde a Primavera ao Outono,
mas não adubar durante o
resto do ano.
Cuidados especiais: prefere
um local húmido e com
sombra. Humedeça com
borrifador manual. Envase de
novo todos os anos, na
Primavera.
Pragas e doenças: Pulgões,
cochonilhas e bolores.
Propagação: Por esporos
Patas de Elefante

Utilização: planta de folhagem dura e escultural para interiores,


ou estufas, ou jardins de Inverno, no Verão.

Origem: México.
Descrição da planta: semelhante a
uma árvore, com um tronco circular
ou alongado, lenhoso, dilatado na
base. As folhas lineares e pendentes
encontram-se dispostas em roseta no
topo do caule
Luz e localização: exposição total
À luz solar ou sol filtrado. Tolera
locais sombrios por um período
curto.
Oscilações da temperatura: de
quente a mais fresco durante o
Inverno. Não tolera temperaturas
inferiores a 5ºC.

Rega: regar regularmente, desde a


Primavera até ao Outono, deixando
secar a terra entre cada rega. A
planta pode suportar a falta de água
durante um mês e deve ser regada
com maior moderação, no período
mais frio. Também tolera ar seco.
Fertilização: Aplicar e um fertilizante
com baixo teor de azoto, uma vez por
mês, desde a Primavera ao Outono,
mas não adubar durante o resto do
ano.
Cuidados especiais: durante o
Inverno, coloque a planta em local com
luz a uma temperatura de 10 a 15ºC.
Envase de novo de 3 em 3 anos, na
Primavera.
Pragas e doenças:
Nenhumas.

Propagação: Através de
sementes, na Primavera
Begónia

Utilização: planta
ornamental com flor para
interiores, ou estufas, ou
jardins de Inverno, no Verão
Descrição da planta: Herbácea em forma de
arbusto, com folhas grandes, verdes escuras,
as flores podem ser singelas ou dobradas e
existem numa grande variedade de cores,
entre as quais brancas, amarelas, cor de
salmão, vermelho e púrpura
Luz e localização: luz do sol
filtrada. Evite exposição directa à
luz solar.
Oscilações de temperatura: de
quente a fresco. Não tolera
temperaturas inferiores a 5ºC.

Rega: regar frequentemente


desde a Primavera ao verão e
mais moderadamente o resto do
ano. A planta não suporta falta de
água
Cuidados especiais: coloque a
planta em local bem ventilado
para evitar o míldio. Desfaça-se
da planta após a floração.

Fertilização: Aplicar e um fertilizante com baixo teor de azoto,


uma vez por mês, durante o período em que dá rebentos e
floresce.
Pragas e doenças: pulgões,
aranhas, bolores e míldio

Propagação: Através de estacas


do caule ou da extremidades,
retiradas no início da Primavera
Begónia Rei

Utilização: Planta com


folhagem para interiores.

Origem: Índia.
Descrição da planta: Herbácea em forma de arbusto com
folhas ornamentais assimétricas em forma de coração e
matizadas em tons de rosa vivo, verde, prata vermelho,
púrpura e castanho
Luz e localização: luz do sol
filtrada. Evite a exposição directa
da luz solar.
Oscilações da temperatura: de
quente a fresco. Não tolera
temperaturas inferiores a 10ºC.
Rega: regar regularmente desde
a Primavera até ao Outono,
deixando a terra secar entre cada
rega, e mais moderadamente
durante o resto do ano.
Humedeça frequentemente com
um borrifador manual para
manter uma humidade elevada
Cuidados especiais:
a planta prefere
ambientes com
elevada humidade,
pois o míldio pode ser
um problema com o ar
seco. Envase de novo
todos os anos na
Primavera.

Fertilização: Aplicar e um fertilizante com baixo teor de


azoto, uma vez por mês, desde a Primavera ao Outono,
mas não adubar durante o resto do ano.
Pragas e doenças: pulgões, aranhas e
bolores.
Propagação: através de estacas
retiradas das folhas, caules ou
extremidades, no início da Primavera
Buganvília

Origem: Brasil.

Utilização: planta trepadeira com flores


para interiores, ou estufas, ou jardins de
Inverno, ou para exteriores durante o
Verão. Ideal para pequenos treliças ou
armações em arco.
Descrição da planta: trepadeira forte, com flores, que
se eleva graças aos seus espinhos curvos situados nas
axilas das suas folhas verde vivo. Brácteas de cor
intensa em tons de púrpura, rosa vivo, amarelo ou
branco rodeiam flores brancas insignificantes.
Luz e localização: prefere exposição total à luz do
sol, mas tolera luz filtrada.

Oscilações da temperatura: de quente a fresco, preferindo


um local fresco no Inverno. Não tolera temperaturas inferiores
a 5ºC.
Rega: a planta apodrecerá se for
regada em excesso. Regue
regularmente durante a estação
de crescimento, deixando o solo
secar entre s regas e mais
moderadamente durante o
Inverno, se a planta for mantida a
temperaturas baixas.

Fertilização: Aplicar e um
fertilizante com baixo teor de
azoto, de 2 em 2 semanas, desde
a Primavera ao Outono, mas não
adubar durante o resto do ano.
Cuidados especiais: a planta
necessita de um apoio, como treliças
ou uma armação em arco. Faça a poda
dos ramos longos durante o Outono e
deixe a planta inactiva durante o
Inverno, mantendo-a em local com luz
e uma temperatura de 5 a12 ºC.
Envase de novo todos os anos na
Primavera.
Pragas e doenças: Pulgões, cochonilhas,
aranhas, mosca branca e bolores.
Propagação: no verão, retire as estacas de
rebentos tenros ou semi-maduros com a secção
do crescimento do último ano.
Lava garrafas

Utilização: arbusto resistente com flores interiores, ou


estufas, ou jardins de Inverno. Pode ser colocada no
exterior durante o Verão.
Origem: Austrália
Descrição da planta: pequena árvore
ou arbusto, com folhas lineares,
firmes e flores que parecem
escovilhões para lavar garrafas,
constituídas por um maciço de
estames carmesins em forma de
escova com antenas amarelas. As
folhas exalam um odor a limão
quando se esmagam.
Luz e localização: prefere a exposição
total à luz solar, mas tolera a luz do sol
filtrada.
Oscilações da temperatura: de
quente a mais fresco, durante o
Inverno. Tolera a temperaturas não
inferiores a 0ºC e ar seco.
Rega: esta planta apodrecerá e
morrerá se for regada em excesso.
Regue regularmente com água
destilada, desde a Primavera ao
Outono, deixando secar o solo entre
cada rega, e mais moderadamente
durante o resto do ano.
Cuidados especiais: a planta
necessita de um período de
inactividade durante o Inverno,
altura em que deve ser mantida à
luz e a uma temperatura de 5ºC.
Envase de novo todos os anos na
Primavera e pode a seguir à
floração.
Pragas e doenças: Fungos.
Propagação: retire estacas tenras
ou semi- maduras no Verão e no
Outono
Clorófito

Utilização: planta com folhagem para interiores, estufas ou


jardim de Inverno. Ideal para coberturas de solo ou cestos
de suspensão.
Origem: África do Sul.
Descrição da planta: vivaz em
roseta, com folhas compridas e
estreitas semelhantes a relva
mas com uma risca branca na
parte central. A partir de longos
racimos de flores brancas
desenvolvem-se plantinhas
novas pendentes.
Luz e localização:
Prefere luz do sol filtrada. Evite a
exposição total À luz solar.
Oscilações da temperatura:
quente mas mais fresco durante o
Inverno. Não tolere temperaturas
inferiores a 5ºC.

Rega: regar bem desde a


primavera ao Outono, embora a
planta suporta alguma secura.
Mantenha a terra seca se a planta
for mantida ao frio no Inverno.
Borrifar com frequência com um
pulverizador manual para manter
a humidade elevada
Fertilização: Aplicar e um fertilizante com baixo teor de
azoto, uma vez por mês, desde a Primavera ao Outono,
mas não adubar durante o resto do ano.
Cuidados especiais: a planta gosta de humidade elevada
a temperaturas mais baixas no Inverno, que podem ir até
aos 10-15ºC. Envase de novo de 2 em 2 anos, no início da
Primavera.
Pragas e doenças: Aranhas.
Propagação: plante as novas plantinhas com raiz em
qualquer época do ano.
Ciclame da Pérsia

Utilização: planta
vivaz com flor para
interior, estufas,
jardins de Inverno,
ou para exteriores
no Verão.
Origem: Europa
Descrição da planta: planta
herbácea tuberculosa, com
folhas em forma de coração,
coloridas de azul esverdeado
a matizadas de prateado. As
flores oscilantes podem Ter
vários tonalidades de branco,
salmão, rosa vivo, vermelho
ou púrpura e, por vezes,
apresentam um olho mais
escuro. As pétalas podem ser
simples ou franzidos e rugas.
Luz e localização: luz
de o sol filtrada. Evite a
exposição total à luz
solar.
Oscilações da
temperatura: prefere
um local fresco. Não
tolere temperaturas
inferiores a 8ºC.
Rega: em vez de regar
a terra directamente,
mergulhe o vaso dentro
de um balde com água
durante uns 10 minutos.
Esta operação deverá
ser feita com
regularidade, deixando
que o solo seque entre
cada rega. Modere a
rega quando a planta
for mantida a
temperatura baixa.

Fertilização: Nenhuma
Cuidados especiais: as
flores secas e a hastes
caídas devem ser colhidas
para evitar que apodreçam.
Após a floração, requer um
período de descanso, num
local abrigado no jardim, ou
em lugar fresco dentro de
casa, a uma temperatura de
15ºC. Se a planta ficar no
jardim, guarde-a antes da
temperatura descer abaixo
dos 8ºC. Mantenha o solo
mais seco durante este
período. Reenvase todos os
anos, no Outono.
Pragas e doenças: Pulgões e míldio.
Propagação: por sementes do Verão até finais do Inverno
Orquídea

Utilização: orquídea florida para


interiores, estufas ou jardins de Inverno.
Descrição da planta:
Orquídea alta com folhas
alongadas e flores cerosas
de longa duração,
agrupadas em racimos
arqueados. As flores
podem ser verdes,
amarelas, rosa vivo ou
brancas, normalmente
com belas pintas ou
manchas.
Luz e localização: luz do
sol filtrada. Manter a planta
afastadas da exposição
total À luz solar.
Oscilações da
temperatura: de quente a
fresco. Não tolera
temperaturas inferiores a
10ºC.

Rega: regar regularmente


com água destilada e deixe
que o solo seque entre
cada rega. Evite que fique
água depositada À volta
dos bolbos e raízes, o que
poderia causar fungos
Fertilização: aplicar um
fertilizante especial para
orquídeas durante o
período da floração. Não
adube durante o resto do
ano.
Cuidados especiais: envase
de novo na Primavera, se as
raízes precisarem de mais
espaço, utilizando composto
para orquídeas
Pragas e doenças:
aranhas e fungos.
Propagação: na
Primavera, através da
divisão da planta ou do
transplante de bolbos.

Nota: existem muitos


cultivares que
proporcionam uma
grande variedade de
cores das flores.
Diefembáquia

Utilização: planta com folhagem para interiores,


estufas ou jardins de Inverno, no Verão.
Origem: América do Sul Tropical.
Descrição da planta:
Herbácea, resistente com
caule erecto, carnudo e
grandes folhas muito
matizadas de branco ou
amarelo esverdeado.

Luz e Localização: luz do


sol filtrada. Evitar a
exposição total à luz solar, o
que tornaria as folhas mais
pálidas
Oscilações da
temperatura: prefere
um local quente, mas
não tolera
temperaturas inferiores
a 5ºC.

Fertilização:
Aplicar um fertilizante
com baixo teor de
azoto, uma vez por
mês, desde a
primavera até ao
Outono. Não adubar
durante o resto do ano.
Cuidados especiais: é uma
planta venenosa que não deve
estar ao alcance de crianças. Se
for mantida a uma temperatura
abaixo de 15ª c durante 2 a 3
meses, deixará de crescer e
dará flor. Pode no início da
Primavera para estimular um
crescimento mais compacto.
Envase de novo de 2 em 2
anos, no início da Primavera.
Pragas e doenças: Pulgões,
cochonilhas, aranhas e bolores.

Propagação: corte estacas das pontas dos caules ou basais,


na Primavera
Dragoeiro de Madagáscar

Utilização: árvore com folhagem escultural para interiores,


estufas, ou jardins de Inverno, no Verão.
Origem: Ilha Reunião.
Descrição da planta: resistente, com um tronco esguio,
terminando em roseta de folhas estreitas, compridas e
lanceoladas, coloridas de verde seco com orlas
vermelhas.
Luz e localização: Exposição total ou filtrada de luz
solar.
Oscilações de temperatura:
De quente a fresco. Não
tolera temperaturas inferiores
a 8ºC.

Rega: Regar regularmente,


deixando a terra secar entre
cada rega.

Fertilização: Aplicar um
fertilizante com baixo teor de
azoto, de 2 em 2 semanas,
desde a primavera até ao
Outono. Não adubar durante o
resto do ano.
Cuidados especiais: Envase de novo de
2 em 2 anos ou de 3 em 3., no início da
Primavera. As Hastes compridas devem
ser cortadas na mesma altura para
estimular o crescimento em forma de
arbusto.
Pragas e doenças: Pulgões, cochonilhas
e aranhas.
Propagação: Por estacas que podem ser
cortadas em qualquer época do ano.
Banco da Sogra

Utilização: cacto escultural para interiores,


estufas, ou jardins de Inverno, no Verão.
Origem: México
Descrição da planta:
Grande cacto de forma
globular enquanto jovem
e de barril mais tarde,
apresenta nervuras e
está coberto de
espinhos dourados. As
suas flores são
pequenas, amarelas e
em forma de funil
Luz e localização: Exposição total ou filtrada
de luz solar.
Oscilações de temperatura: Exposição total
ao sol, tolerando luz filtrada durante breves
momentos.

Rega: a planta apodrece e morre se for


regada em excesso. Desde a Primavera até
ao Outono regue regularmente
Pragas e doenças: Pulgões,
cochonilhas e aranhas.
Propagação: Por semente
desde a Primavera ao Outono.

Fertilização: Aplicar um fertilizante com baixo teor de azoto,


uma vez por mês, desde a primavera até ao Outono. Não
adubar durante o resto do ano.
Cuidados especiais: Envase de novo de 2 em 2 anos ou de
3 em 3, no início da Primavera. A planta prefere ter um
período inactivo durante o Inverno, neste período deve ser
mantido em local à luz, a uma temperatura de 10 a 15ª C.
Trepadeira de Tonga

Utilização: Trepadeira com


folhagem para interiores,
estufas, ou jardins de Inverno,
no Verão.
Origem: Malásia, Nova Guiné e
Ilhas do Pacífico.
Descrição da planta:
Trepadeira resistente,
com folhas que mudam
de forma à medida que a
planta se desenvolve.
Enquanto jovens as
folhas são inteiras e
ovadas oblíquas. Quando
maduras tornam-se
oblongas. São brilhantes
e coloridas de verde-
relva com pintas brancas
e amarelas.
Luz e localização: Luz solar
filtrada. Evitar que a planta fique
exposta ao sol directo.
Oscilações de temperatura: De
quente a fresco. Não tolera
temperaturas inferiores a 15ºC.
Rega: Regar regularmente,
deixando a terra secar entre
cada rega. Humedeça a planta
frequentemente com borrifador
manual para manter humidade
elevada.
Fertilização: Aplicar um fertilizante com baixo teor de azoto,
uma vez por mês, desde a primavera até ao Outono. Não
adubar durante o resto do ano.
Cuidados especiais: Envase de novo de 2 em 2 anos, no
início da Primavera. Esta planta gosta de humidade elevada.
Pode ser podada em qualquer altura do ano.
Pragas e doenças: cochonilhas,
aranhas e bolores.

Propagação: Por estacas que


podem ser cortadas do caule ou das
pontas tenras, em qualquer época do
ano. As estacas devem ser
colocadas num propagador aquecido
por baixo a 21-25ºC.
Estrela de Natal

Utilização: Arbusto ornamental


para interiores, usado
especialmente no Natal

Origem: Sul do México e América


Central.
Descrição da planta: Arbusto
com ramos, com folhas ovadas,
verdes escuras e vistosas
brácteas lanceoladas que
rodeiam pequenas flores
amarelas. As brácteas podem
ser brancas, cor de salmão,
vermelhas claras ou escuras ou
púrpuras. A planta produz uma
seiva branca.
Luz e localização: prefere de luz solar filtrada, mas
tolera a exposição total ao sol.
Oscilações de temperatura: De quente a fresco.
Tolera temperaturas não inferiores a 5ºC.
Rega: manter o solo constantemente húmido, pois a
planta não suporta a falta de água. Regue
introduzindo o vaso num balde de água durante 10
minutos
Fertilização: Nenhuma

Cuidados especiais: proteja a planta do


frio, para evitar que as folhas caíam. A seiva
pode causar irritação, pelo que deve evitar
contacto com a pele e os olhos. Desfaça-se
da planta depois da floração
Pragas e doenças: cochonilhas, aranhas, mosca branca e
bolores.
Propagação: Por estacas que podem ser cortadas desde a
Primavera até ao Verão, mas é difícil produzir plantas que
dêem flor.
Arália do Japão

Utilização: Planta com


folhagem escultural para
interiores, estufas, ou jardins de
Inverno, ou para exterior, no
Verão.

Origem: Japão, Cambodja e


Sul da Coreia
Descrição da
planta: Arbusto
vivaz com folhas
lustrosas, lobuladas,
verdes escuras e
flores brancas.

Luz e localização:
Exposição à luz
solar filtrada até à
sombra. Evitar que a
planta seja exposta
directamente ao Sol.
Oscilações de
temperatura: De quente a
mais fresco no Inverno.
Não tolera temperaturas
inferiores a 5ºC.

Rega: Regar
regularmente desde a
Primavera até ao Outono,
deixando a terra secar
entre cada rega e com
maior moderação no resto
do ano.
Fertilização: Aplicar um
fertilizante com baixo teor de
azoto, de 2 em 2 semanas, desde
a primavera até ao Outono. Não
adubar durante o resto do ano.

Cuidados especiais: Envase de


novo todos os anos, no início da
Primavera. A planta prefere ter
um período inactivo durante o
Inverno, altura em que pode ficar
em local com luz e uma
temperatura de 5 a 10º C.
Pragas e
doenças: Pulgões,
cochonilhas,
aranhas e bolores
Propagação: Por
estacas que
podem ser
cortadas em
qualquer época do
ano e por
sementes na
Primavera
Figueira de Folha Fina

Utilização: Planta resistente, com


folhagem escultural para interiores,
estufas, ou jardins de Inverno, no
Verão.
Origem: Malaia

Luz e localização: Exposição total ou filtrada de luz


solar. Falta de luz faz cair as folhas
Descrição da planta: árvore
elegante com maciço de ramos
pendentes e folhas lustrosas
lanceoladas.

Oscilações de temperatura: De quente a


fresco. Não tolera temperaturas inferiores a
0ºC.
Rega: Regar bem desde a Primavera até ao
Outono e com maior moderação no resto do
ano. A planta tolera ar seco.
Fertilização: Aplicar um fertilizante com
baixo teor de azoto, de 2 em 2
semanas, desde a primavera até ao
Outono. Não adubar durante o resto do
ano.
Cuidados especiais: Envase de novo
de 2 em 2 ou de 3 em 3 anos, na
Primavera. Durante o Inverno deve ser
posta num local com luz.
Pragas e doenças: cochonilhas e
bolores

Propagação: Por estacas de caules tenros que podem ser


cortadas em qualquer época do ano. As estacas devem ser
colocadas num propagador aquecido por baixo a 20-25º C.
Figueira de Folha Rabeca

Utilização: Planta com


folhagem escultural para
interiores, estufas, ou jardins
de Inverno, no Verão.

Origem:
África Ocidental
Descrição da planta: árvore com
folhas grandes, grossas em forma de
rabeca, com textura coriácea e veios
amarelos esverdeados.

Luz e localização: Exposição


total ou filtrada de luz solar.
Oscilações de temperatura:
De quente a fresco. Não tolera
temperaturas inferiores a 0º
Rega: Regar bem desde a
Primavera até ao Outono,
deixando secar entre cada
rega, e com maior moderação
no resto do ano. A planta
beneficia se for humedecida
regularmente com um
borrifador.

Fertilização: Aplicar um
fertilizante com baixo teor de
azoto, de 2 em 2 semanas,
desde a primavera até ao
Outono. Não adubar durante
o resto do ano.
Cuidados especiais:
Envase de novo de 2 em 2
ou de 3 em 3 anos, na
Primavera.

Pragas e doenças:
cochonilhas e bolores

Propagação: Por estacas


de caules tenros que
podem ser cortadas em
qualquer época do ano. As
estacas devem ser
colocadas num propagador
aquecido por baixo a 20-
25º C.
Figueira de Borracha

Utilização: Planta com folhagem escultural para


interiores, estufas, ou jardins de Inverno, no Verão.

Origem: Malásia
Descrição da planta: arbusto
resistente com folhas duras, verdes
escuras. Dá uns figos pequenos e
redondos de cor amarela (não são
comestiveis)
Luz e localização: Exposição
total ou filtrada de luz solar.
Oscilações de temperatura:
De quente a fresco. Não tolera Rega: Regar bem desde a
temperaturas inferiores a 0º Primavera até ao Outono,
deixando.

Fertilização: Aplicar um
fertilizante com baixo teor de
azoto, de 2 em 2 semanas,
desde a primavera até ao
Outono. Não adubar durante
o resto do ano.
Cuidados especiais: Envase de
novo de 2 em 2 ou de 3 em 3
anos, na Primavera.

Pragas e doenças: cochonilhas


e bolores

Propagação: Por estacas de


caules tenros que podem ser
cortadas em qualquer época do
ano. As estacas devem ser
colocadas num propagador
aquecido por baixo a 20-25º C.
Brincos de Princesa

Utilização: Planta ornamental com flores para


interiores, estufas, ou jardins de Inverno, no Verão, ou
para exteriores desde a Primavera ao Outono. São
plantas ideais para vasos suspensos.
ao sol.
Descrição da planta: Arbusto
vigoroso, com folhas verde
escuras, ovadas e flores
pendentes e tubulares
agrupadas em ramos terminais.
As flores podem ter várias
tonalidades, desde o branco,
creme, salmão, cor de laranja,
rosa vivo, cereja até púrpura.
Oscilações de temperatura:
prefere locais frescos. Não tolera
temperaturas inferiores a 5ºC.
Rega: manter o solo
permanentemente húmido desde a
Primavera até ao Outono e com
maior moderação no resto do ano
mas nunca deixe secar o solo.

Fertilização: Aplicar um fertilizante


com baixo teor de azoto, de 2 em 2
semanas, desde a primavera até
ao Outono. Não adubar durante o
resto do ano.
Cuidados especiais: Envase de novo
todos os anos, no início da Primavera. A
planta prefere ter um período inactivo
durante o Inverno, altura em que pode
ficar em local com luz e uma
temperatura de 5 a 10º C

Pragas e doenças: Pulgões,


cochonilhas, aranhas e bolores

Propagação: Por estacas de caules


tenros que podem ser cortadas em
qualquer época do ano.
Gardenia

Utilização: Arbusto com


flores para interiores,
estufas, ou jardins de
Inverno, no Verão.
Origem: Japão, Taiwan e
China
Descrição da planta: Arbusto
vivaz, com folhas lustrosas,
verdes escuras e flores
brancas, dobradas muito
aromáticas.
Luz e localização: Exposição à
luz solar filtrada. Evitar que a
planta fique totalmente exposta
ao sol.
Oscilações de temperatura: de
quente a mais fresco no Inverno.
Não tolera temperaturas
inferiores a 15ºC.
Rega: regar regularmente com
água destilada, desde a
Primavera ao Outono e com
maior moderação no resto do
ano. Evite deixar secar o solo,
pois faria cair os botões.
Fertilização: Aplicar um
fertilizante ácido, de 2 em 2
semanas, desde a primavera
até ao Outono. Não adubar
durante o resto do ano.
Cuidados especiais: Envase
de novo todos os anos, no início
da Primavera, num solo sem
calcário. A planta prefere ter um
período inactivo durante o
Inverno, altura em que pode
ficar em local com luz e uma
temperatura de 15 a 18º C. o
arbusto pode ser podado mas
não depois de Agosto, para não
perturbar a formação dos
botões.
Pragas e doenças: Pulgões,
cochonilhas e bolores
Propagação: Por estacas de
caules tenros que podem ser
cortadas em qualquer época do
ano. As estacas devem ser
colocadas num propagador
aquecido por baixo a 20-25º C.
Gerbera

Utilização: Planta com flores


para interiores, estufas, ou
jardins de Inverno, ou para
exterior no Verão.

Origem: África do Sul


Descrição da planta: vivaz
herbácea, compacta com grandes
folhas lobuladas de textura
peluda. As flores são de longa
duração semelhantes a
malmequeres podem ser singelas
ou dobradas e podem ter várias
tonalidades, desde o branco,
salmão, cor de laranja, rosa vivo,
vermelho...
.
Fertilização: Aplicar um
fertilizante com baixo teor de
azoto, uma vez por mês, desde
a primavera até ao Outono. Não
adubar durante o resto do ano.

Cuidados especiais: desfaça-


se da planta depois de ter dado
flor e se não forem visíveis
novos botões.
Pragas e doenças: Pulgões,
cochonilhas, aranhas e bolores
Propagação: Semeie na
Primavera
Hibisco

Utilização: Arbusto com flores


para interiores, estufas, ou
jardins de Inverno, ou para
exteriores no verão.

Origem: Ásia tropical.


Descrição da planta: Arbusto
resistente de folha persistente, ou
pequena árvore, com folhas
grandes e lustrosas, verde escura.
As flores solitárias, que podem ser
singelas ou dobradas, são grandes
e vistosas. As flores podem ter
várias tonalidades, desde o
branco, amarelo, cor de laranja,
rosa, vermelho e lavanda
Luz e localização: prefere a
exposição total ao sol mas
tolera a luz filtrada.
Oscilações de temperatura:
de quente a fresco. Não tolera
temperaturas inferiores a 12ºC.
Rega: regar abundantemente
da Primavera até ao Outono e
com maior moderação no resto
do ano.
Fertilização: Aplicar um
fertilizante com baixo teor de
azoto, de 2 em 2 semanas,
desde a primavera até ao
Outono. Não adubar durante o
resto do ano.

Cuidados especiais: No
Outono, depois da floração,
pode ser podada e envasada de
novo. Algumas folhas podem
cair durante o Inverno, mas a
planta ganhará novo vigor na
Primavera.
Pragas e doenças: Pulgões, cochonilhas, aranhas e
bolores
Propagação: Por estacas de caules tenros que podem
ser cortadas desde o início ao fim do Verão.
Amarílis

Utilização: bolbo
com flores para
interiores,
estufas, ou
jardins de
Inverno.
Descrição da planta: a planta
desenvolve um bolbo redondo e
um caule alto encimado por
grandes flores, que podem ser
brancas, cremes, vermelhas ou
bicolores. As flores surgem
antes das folhas, que são
longas e semelhantes a fitas.
Oscilações de temperatura:
de quente a fresco. Não tolera
temperaturas inferiores a 5ºC.
Rega: regar com moderação
antes e durante a floração,
quando as folhas despontarem
passe a regar com regularidade,
deixando aterra secar entre
cada rega. Não regar durante o
período inactivo.
Luz e localização: prefere a
exposição total ao sol mas
tolera a luz filtrada.

Fertilização: Aplicar um fertilizante com baixo teor de


azoto, de 2 em 2 semanas, durante a estação de
crescimento, desde o período após a floração até ao
início da época inactiva.
Cuidados especiais:
a planta necessita de
um período de
inactividade. Deixe de
regar a planta a partir
de finais de verão e
coloque-a em local
fresco, a uma
temperatura entre os
10 a 15ºC, o que fará
secar as folhas.
Passados uns meses,
o bolbo voltará a dar
flores. Coloque o bolbo
num vaso, em lugar
quente e recomece a
regar
Pragas e doenças: Nenhumas

Propagação: separe os
rebentos maiores do bolbo
principal em finais do Inverno ou
princípios de Primavera.
Flor de Cera

Utilização: trepadeira com


flores para interiores, estufas,
ou jardins de Inverno. Ideal para
vasos em suspensão.

Origem: Mianmar
Descrição da planta:
Planta com forma de Arbusto com
ramos pendentes e folhas
pequenas carnudas e ovais. As
flores brancas e cerosas têm
olhos cor de púrpura e estão
agrupadas.
Luz e localização: prefere luz
solar filtrada. Evite a exposição
total ao sol.
Oscilações de temperatura:
de quente a fresco. Não tolera
temperaturas inferiores a 5ºC.
Rega: regar regularmente na
estação de crescimento,
deixando aterra secar entre
cada rega e mantenha-a quase
seca durante o resto do ano.
Fertilização: Aplicar um fertilizante com
baixo teor de azoto, uma vez por mês,
desde a primavera até ao Outono. Não
adubar durante o resto do ano.
Cuidados especiais: para
desenvolver os botões, a planta
necessita de receber mais de
12 horas de luz por dia pelo
menos durante um mês. Após a
floração, a planta pode ser
podada. Gosta de ter um
período de inactividade durante
o Inverno, altura em que deve
ser posta em local seco e
fresco, a uma temperatura de
cerca de 15ºC. Desenvolve-se
bem em cestos de suspensão e
deve ser envasada de novo de
2 em 2 anos, no início da
Primavera.
Pragas e doenças: cochonilhas
e aranhas
Propagação: Por estacas que
podem ser cortadas na
Primavera ou Verão.
Hortênsia

Utilização: Arbusto com flores


para interiores, estufas, ou
jardins de Inverno, ou para
exteriores.

Origem: Japão e Coreia.


Descrição da planta: Arbusto compacto com ramos
livres, folhas grandes nitidamente dentadas, verde
claras e cachos de flores médias a grandes, brancas,
azuis, cor-de-rosa, ou carmim.
Luz e localização: prefere luz
solar filtrada. Tolera exposição
total ao sol.
Oscilações de temperatura:
suporta variações de quente a
frio, embora durem mais
quando colocadas num local
fresco. Resistem à geada.
Rega: regar abundantemente
durante a floração e
crescimento, evitando que o
solo seque. Regue com maior
moderação no resto do ano.
Fertilização: Aplicar um
fertilizante com baixo teor de
azoto, de 2 em 2 semanas,
desde a primavera até ao
Outono. Não adubar durante o
resto do ano.

Cuidados especiais: desfaça-


se da planta após a floração ou
plante-a no jardim.
Pragas e doenças: aranhas e
bolores e míldio

Propagação: Por estacas de


caules tenros que podem ser
cortadas desde o final da
primavera até meados de Verão
e através de rebentos durante o
verão.
Jasmineiro de Madagáscar

Utilização: Trepadeira com


flores para interiores, estufas ou
Jardins de Inverno, desde a
Primavera até ao Outono.

Origem: Madagáscar.
Descrição da planta: trepadeira
com folhas elípticas coriáceas, que
crescem em pares opostos nos
caules, e com flores brancas
cerosas, de forma tubular e
perfumadas.

Rega: manter a terra húmida


durante a floração, pois a falta de
água provocará a queda dos
botões antes de abrirem a terra
deverá ser mantida seca durante o
Inverno, se a planta for colocada
num local fresco.
Luz e localização: luz solar filtrada. Mantenha a planta
longe da luz solar directa, desde a Primavera até ao Outono,
caso contrário as folhas podem ficar queimadas.

Oscilações de temperatura: não tolera temperaturas


inferiores a 15ºC.
Fertilização: Aplicar um
fertilizante com baixo teor
de azoto, de 2 em 2
semanas, desde a
primavera até ao Outono.
Não adubar durante o resto
do ano pois isso pode
queimar as folhas e
provocar a queda
prematura das flores.

Pragas e doenças:
pulgões, cochonilhas
aranhas e bolores
Cuidados especiais: compre a
planta com pelo menos uma flor
aberta para Ter de certeza que
as restantes irão abrir. A planta
deverá ser afastada de
correntes de ar durante a fase
de floração. Desde o Outono até
ao início da Primavera, coloque-
a num local fresco e com luz,
com uma temperatura entre os
15 e os 20ºC, para estimular a
formação de botões. Envase de
novo de 2 em 2 ou de 3 em 3
anos, durante a Primavera. Os
ramos compridos deverão ser
podados ao mesmo tempo
Maranta

Utilização: Planta com


folhagem ornamental para
interiores, estufas, ou jardins de
Inverno, ou para exterior, no
Verão.

Origem: Brasil
Descrição da planta: Herbácea
compacta vivaz, com folhas
cinzenta esverdeadas que se
fecham ao anoitecer. As folhas
apresentam uma fila de manchas de
cada lado da nervura central.
Luz e localização: Prefere uma
localização de sombra a uma
luz solar filtrada. Mantenha-a
afastada da luz solar directa.
Oscilações de temperatura:
Não tolera temperaturas
inferiores a 15ºC.
Rega: mantenha a terra com
humidade constante. Esta
planta suporta pouca a falta de
água. Borrife-a frequentemente
com um pulverizador manual,
para manter um alto grau de
humidade.

Fertilização: Aplicar um
fertilizante com baixo teor de
azoto, uma vez por mês, desde
a primavera até ao Outono. Não
adubar durante o resto do ano.
Cuidados especiais:
Envase de novo de 2 em 2
anos, no início da
Primavera. É uma planta
que necessita de muita
humidade.

Pragas e doenças:
aranhas

Propagação: divida a
planta ou faça cortes
basais de estacas, na
primavera
Costela de Adão

Utilização: Planta com


folhagem escultural para
interiores, estufas, ou jardins de
Inverno, ou para exterior, no
Verão.

Origem: México
Descrição da planta:
planta trepadora lenhosa com
folhas grandes verdes e lustrosas
de textura coriácea e com raízes
aéreas compridas. As folhas
quando jovens não são
recortadas, mas mais tarde
tornam-se pinuladas e com
aberturas.
Luz e localização: tolera um
amplo espectro de luz, mas
deve ser mantida fora do
alcance directo da luz solar.

Oscilações de temperatura:
Não tolera temperaturas
inferiores a 15ºC.
Rega: regar regularmente
durante todo o ano. A planta
não resiste à seca, por isso
pode causar a queimadura das
folhas.
Fertilização: Aplicar um
fertilizante com baixo teor de
azoto, de 2 em 2 semanas,
desde a primavera até ao
Outono. Não adubar durante o
resto do ano.
Cuidados especiais:
Envase de novo de 2 em
2 ou de 3 em 3 anos, no
início da Primavera. É
uma planta grande e por
esse motivo precisa de
espaço. É aconselhável
dar-lhe um duche uma
vez por mês que
necessita de muita
humidade.
Pragas e doenças: aranhas e
bolores
Propagação: por rebentos das
folhas ou por estacas em
qualquer altura do ano. As
estacas devem ser colocadas
num propagador aquecido por
baixo a 20-25º C
Bromélia ruborizada

Utilização: Bromélia com flor,


robusta, para interiores, estufas
ou jardins de Inverno, no Verão

Origem: Brasil
Descrição da planta: roseta
florida em formato de vaso, de
folhas brilhantes, de textura
coriácea e cercadura denteada.
Uma massa de flores cresce na
roseta, rodeadas de brácteas
vermelhas e brilhantes.

Luz e Localização: tolera um


amplo espectro de
luminosidade, mas deve ser
mantida afastada da exposição
solar directa
Oscilações de temperatura:
não tolera temperaturas
inferiores a 8ºC.

Rega: regue com água tépida.


A planta tolera a falta de água
durante algumas semanas.

Fertilização: aplicar
regularmente um fertilizante
fraco dentro da roseta, desde a
Primavera até ao Outono. Não
adube durante o resto do Ano.
Cuidados especiais: água e
fertilizante dentro da roseta, que
deverá conter sempre água
excepto quando a planta é
mantida a baixas temperaturas.
Envase de novo os bolbos na
Primavera e Verão
Pragas e Doenças: Cochonilha
e aranhas.
Propagação: dividir e envasar
de novo os bolbos na Primavera
e Verão
Feto Espada

Utilização: Feto escultural, para


interiores, estufas ou jardins de
Inverno, no Verão. Alguns
cultivares são indicados para
cestos de suspensão.

Origem: Tropical
Descrição da planta: feto compacto e forte com
folhas pinuladas de cor verde-claro, que podem
apresentar-se na vertical ou ficarem pendentes.
.
Luz e Localização: Luz solar
filtrada. Mantenha a planta
afastada da luz directa do sol
durante o Verão.
Oscilações de temperatura:
não tolera temperaturas
inferiores a 10ºC.
Rega: regar regularmente na
estação de crescimento,
deixando a terra secar
ligeiramente entre cada rega. A
rega deve ser mais espaçada
durante o resto do ano.
Humedeça com frequência com
um borrifador manual, para
manter um alto grau de
humidade.
Fertilização: Aplicar um
fertilizante com baixo teor de
azoto, de 2 em 2 semanas,
desde a primavera até ao
Outono. Não adubar durante o
resto do ano.
Cuidados especiais: prefere
humidade forte, as folhas velhas
podem ser cortadas em
qualquer altura do ano e a
planta deve ser envasada de
novo de 2 em 2 anos, na
Primavera
Pragas e Doenças:
Cochonilha, pulgões e bolores.

Propagação: as plantas
pequenas desenvolvem-se em
rizomas compridos podem ser
separadas da planta mãe no
início da Primavera. Os esporos
podem ser semeados quando
estão maduros.
Pelargónio /Gerânio

Utilização: Arbusto com flores para interiores, estufas, ou jardins


de Inverno, ou para exteriores, desde a Primavera até ao Outono.
Descrição da planta: Arbusto
compacto com caules felpudos,
erectos e folhas grandes
também felpudas, que podem
ser dentadas ou lobulares. As
flores grandes aparecem num
amplo espectro de cores,
brancas, salmão, cor-de-rosa,
vermelho ou púrpura.
durante o resto do ano.
Luz e localização: Prefere luz
solar filtrada. Tolera exposição
total ao sol.
Oscilações de temperatura:
de quente a fresco, mas de
preferência num lugar fresco.
Não tolera temperaturas
inferiores a 0ºC.
Rega: regar regularmente
durante a época de crescimento
deixando que aterra seque
antes de voltar a regar. As
regas devem ser mais
espaçadas durante o resto do
ano, especialmente se a planta
estiver num local fresco.
Fertilização: Aplicar um
fertilizante com baixo teor de
azoto, de 2 em 2 semanas,
desde a primavera até ao
Outono. Não adubar
Cuidados especiais: pode
a planta no Outono para
fomentar um crescimento
mais compacto. Uma vez
que a formação das flores
é estimulada por
temperaturas baixas, a
planta deve ser colocada
num local fresco a uma
temperatura situada entre
os 5 e os 10ºC, pelo menos
8 semanas durante o
Inverno. No início da
Primavera, envase de novo
e coloque num lugar
quente.
Pragas e doenças: Pulgões, aranhas, mosca branca
e bolores e míldio

Propagação: Por estacas de caules tenros que


podem ser cortadas desde a primavera até ao
Outono.
Malva de cheiro/Sardinheira

Utilização: Arbusto com flores para interiores, estufas, ou jardins


de Inverno, ou para exteriores, desde a Primavera até ao Outono.
Descrição da planta: Arbusto
ramificado, com folhas macias
ou felpudas quase circulares,
que por vezes são perfumadas e
normalmente marcadas com um
anel púrpura. As flores grandes
aparecem em cacho, num amplo
espectro de cores, brancas,
salmão, cor-de-rosa, vermelho
ou púrpura.
Luz e localização: Prefere luz
solar directa. Tolera exposição
solar filtrada.
Oscilações de temperatura:
Não tolera temperaturas
inferiores a 0ºC.
Rega: regar regularmente
durante a época de crescimento
deixando que a terra seque
antes de voltar a regar. As
regas devem ser mais
espaçadas durante o resto do
ano, especialmente se a planta
estiver num local fresco.
Fertilização: Aplicar um
fertilizante com baixo teor de
azoto, de 2 em 2 semanas,
desde a primavera até ao
Outono. Não adubar durante o
resto do ano.
Cuidados especiais:
pode a planta no Outono
para fomentar um
crescimento mais
compacto. No Inverno a
planta deve ser colocada
num local fresco a uma
temperatura situada entre
os 5 e os 10ºC. Envase
de novo no início da
Primavera e coloque-a
num local fresco.
Pragas e doenças: Pulgões,
aranhas, mosca branca e
bolores e míldio

Propagação: Por estacas de


caules tenros que podem ser
cortadas desde a primavera até
ao Outono.
Feto de folha redonda

Utilização: Feto ornamental,


para interiores, estufas ou
jardins de Inverno, no Verão.

Origem: Nova Zelândia.


Descrição da planta: feto compacto e com caule felpudo.
As folhas pendentes são pinuladas, com folhinhas
cerosas, de cor verde-escuras, de forma redonda a
ovada.
Luz e Localização: prefere luz
solar filtrada a sombra.
Mantenha a planta afastada da
luz directa do sol.
Oscilações de temperatura:
não tolera temperaturas
inferiores a 10ºC.
Rega: a terra deve ser mantida
constantemente húmida, em
particular na estação de
crescimento, no entanto a
planta não suporta água em
excesso. Humedeça as folhas
com frequência com um
borrifador manual, para manter
a humidade.

Fertilização: Aplicar um
fertilizante com baixo teor de
azoto, uma vez por mês, desde
a primavera até ao Outono. Não
adubar durante o resto do ano.
Cuidados especiais: prefere
humidade forte. Fica inactiva
durante o Inverno, altura em
que deve ser colocada em local
fresco e a uma temperatura de
cerca de 15ºC. A planta deve
ser envasada de novo de 2 em
2 anos, na Primavera.
Pragas e Doenças:
Cochonilha, pulgões e bolores.

Propagação: por esporos.


Peperómia-prateada

Utilização: Planta com


folhagem ornamental para
interiores, estufas, ou jardins de
Inverno, no Verão.

Origem: América do Sul


Tropical
Descrição da planta:
planta vivaz herbácea e compacta,
que é cultivada devido às suas
folhas ornamentais. Tem um caule
pequeno e erecto, e folhas
carnudas de um verde prateado
brilhante, semelhantes na cor a
uma melancia.
Luz e localização: tolera desde
a sombra até à luz solar directa,
mas deve ser mantida fora do
alcance directo da luz solar.
Oscilações de temperatura:
Não tolera temperaturas
inferiores a 15ºC.
Rega: regar regularmente, permitindo que a terra
seque antes de voltar a regar. A planta apodrece e
morre se for regada em excesso. Humedeça as
folhas com frequência com um borrifador manual,
para manter a humidade.

Fertilização: Aplicar um fertilizante com baixo teor de


azoto, uma vez por mês, desde a primavera até ao Outono.
Não adubar durante o resto do ano.
Cuidados especiais: é uma planta de crescimento fácil.
Precisa de humidade e deve ser envasada todos os
anos, no início da Primavera. Ao mesmo tempo deve ser
feita a poda para proporcionar um crescimento mais
compacto.
Pragas e doenças: pulgões,
cochonilhas, mosca branca,
aranhas e bolores
Propagação: por estacas das
pontas dos caules ou das
folhas, a partir dos caules
tenros, em qualquer altura do
ano. As estacas devem ser
colocadas num propagador
aquecido por baixo a 21º C.
Peperomia-franzida

Utilização: Planta com


folhagem ornamental para
interiores, estufas, ou jardins de
Inverno, no Verão.

Origem: Brasil
Descrição da planta:
planta vivaz herbácea resistente e compacta.
Forma cachos densos de folhas carnudas
acolchoadas, de forma redonda a formato de
coração, com pedúnculos densos e
avermelhados. Por vezes dá flores brancas
pequeninas em forma de espiga.
Luz e localização: tolera desde
a sombra até à luz solar directa,
mas deve ser mantida fora do
alcance directo da luz solar.
Oscilações de temperatura:
Não tolera temperaturas
inferiores a 15ºC.
Rega: regar regularmente,
permitindo que a terra seque
antes de voltar a regar. A planta
apodrece e morre se for regada
em excesso. Humedeça as
folhas com frequência com um
borrifador manual, para manter
a humidade.
Fertilização: Aplicar um
fertilizante com baixo teor
de azoto, uma vez por
mês, desde a primavera
até ao Outono. Não adubar
durante o resto do ano.

Cuidados especiais: é
uma planta de crescimento
fácil. Precisa de humidade
e deve ser envasada todos
os anos, no início da
Primavera. Ao mesmo
tempo deve ser feita a
poda para proporcionar um
crescimento mais
compacto.
Pragas e doenças: pulgões, cochonilhas, mosca branca,
aranhas e bolores
Propagação: por estacas das pontas dos caules ou das
folhas, a partir dos caules tenros, em qualquer altura do ano.
As estacas devem ser colocadas num propagador aquecido
por baixo a 21º C.
Filodendro

Utilização: Planta com


folhagem ornamental para
interiores, estufas, ou jardins de
Inverno, no Verão.

Origem: Colômbia
Descrição da planta:
planta trepadora compacta e erecta,
com folhas grandes em forma de
seta e de cor verde lustrosa ou
vermelho e verde.
Luz e localização: tolera desde
a sombra até à luz solar directa,
mas deve ser mantida fora do
alcance directo da luz solar.
Oscilações de temperatura:
Não tolera temperaturas
inferiores a 15ºC.

Rega: a terra deve ser mantida constantemente húmida. A


planta só aguenta a secura durante um curto espaço de
tempo. Humedeça as folhas com frequência com um
borrifador manual, para manter a humidade.
Cuidados especiais: esta planta
necessita de um suporte, como por
exemplo, uma estaca. Precisa de
muita humidade e pode ser
podada em qualquer altura do ano
para desenvolver um crescimento
mais compacto. Deve ser
envasada de 3 em 3 anos, no
início da Primavera.

Fertilização: Aplicar um fertilizante com baixo teor de azoto,


de 2 em 2 semanas, desde a primavera até ao Outono. Não
adubar durante o resto do ano.
Pragas e doenças: pulgões,
aranhas e bolores

Propagação: por estacas das pontas dos caules, a partir


dos caules tenros, em qualquer altura do ano. As estacas
devem ser colocadas num propagador aquecido por baixo
a 21-25º C.
Arália-folha-de-prato

Utilização: arbusto de folhagem


ornamental para interiores,
estufas, ou jardins de Inverno,
no Verão.
Origem: Nova Caledónia

Descrição da planta: arbusto frondoso, com tronco e


folhas coriáceas em forma de coração, que podem ser de
cor púrpura esverdeada ou verde-escuro com as
margens brancas.
Luz e localização: tolera um
amplo espectro de luz, incluindo
a luz solar directa.

Oscilações de temperatura:
Não tolera temperaturas
inferiores a 12ºC.

Rega: regar regularmente


durante a época de
crescimento, permitindo que a
terra seque antes de voltar a
regar. A planta apodrece e
morre se for regada em
excesso. As regas devem ser
espaçadas durante o resto do
ano.
Fertilização: Aplicar um
fertilizante com baixo teor de
azoto, uma vez por mês,
desde a primavera até ao
Outono. Não adubar durante o
resto do ano.
Cuidados especiais: a
planta, incluindo o seu tronco
lenhoso, pode ser podada no
início da Primavera. Deve ser
envasada de 2 em 2 ou de 3
em 3 anos, no início da
Primavera.
Pragas e doenças: pulgões,
cochonilhas, mosca branca e
bolores

Propagação: por estacas,


retiradas na Primavera. As
estacas devem ser colocadas
num propagador aquecido por
baixo a 20-25º C.
Prímula-alemã

Utilização: Planta ornamental


com flores para interiores,
estufas, ou jardins de Inverno,
ou para exteriores.

Origem: China
Descrição da planta: Herbácea
vivaz, com folhas grandes, felpudas e
rústicas em forma de coração e e
folhas grandes. As flores grandes em
cores
Luz e localização: Prefere luz
solar filtrada. Mantenha a planta
longe da luz solar directa.

Oscilações de temperatura:
Não tolera temperaturas
inferiores a 5ºC. as flores
durarão mais se mantiver a
planta num local fresco

Rega: regar regularmente,


deixando que aterra seque
antes de voltar a regar.
Fertilização: Aplicar um
fertilizante com baixo teor de
azoto, uma vez por mês, desde
a primavera até ao Outono. Não
adubar durante o resto do ano.

Cuidados especiais: algumas


pessoas são alérgicas a esta
planta. No Outono, deve poda-
la e coloca-la na planta num
local fresco, a uma temperatura
de 5 a 10ºC. Envase-a de novo
no início da Primavera a planta
voltará a florir.
Pragas e doenças: Pulgões, aranhas, mosca
branca e bolores e míldio

Propagação: Por sementes na Primavera.


Rosa-miniatura

Utilização:
arbusto florido
para interiores,
estufas, ou
jardins de
Inverno, ou
para exteriores
no Verão.
Descrição da planta: Rosa
pequena e compacta com folhas
lustrosas verde-escuro e flores que
podem ser muitas ou poucas, por
vezes perfumadas. As flores têm
um número variável de pétalas,
podendo ser singelas ou dobradas,
e encontram-se numa enorme
variedade de cores.
Luz e localização: Prefere luz
solar directa. Tolera uma
localização com luz solar filtrada
Oscilações de temperatura:
de quente a frio. As flores
duram mais se mantiver a
planta num local fresco. A
planta resiste às geadas no
jardim.
Rega: a terra deve ser mantida
constantemente húmida e a
planta regada em abundância a
partir de baixo, colocando-a o
vaso dentro de água durante 10
minutos dentro de água. Esta
planta é sensível à seca.
Fertilização: Aplicar um
fertilizante com baixo teor de
azoto, de 2 em 2 semanas,
desde a primavera até ao
Outono. Não adubar durante o
resto do ano.
Cuidados especiais: compre
uma rosa que já tenha algumas
flores abertas, assegurando-se
desta forma que os restantes
botões ainda estão para abrir,
as flores velhas cortam-se para
dar lugar às novas. Podar a
planta quando as flores
murcharem, pois isso fará com
que floresça de novo se houver
luminosidade suficiente.
Pragas e doenças: Pulgões, aranhas, mosca branca e
bolores e míldio
Propagação: Podem ser retiradas estacas, desde a
Primavera até ao Outono.
Violeta-africana

Utilização: Planta ornamental


com flores para interiores,
estufas, ou jardins de Inverno,
no Verão.
Origem: Tanzânia
Descrição da planta:
planta pequena e vivaz
que forma uma roseta de
folhas felpudas, carnudas
e ovais, de cor verde-
escuro. As flores singelas
ou dobradas podem ser,
brancas, cor-de-rosa, azul
violáceo ou púrpura com
estames amarelos.
terra seque ligeiramente
antes de voltar a regar.
Mantenha a terra seca
durante o Inverno se a
planta for colocada num
local fresco.
Luz e localização:
Prefere luz solar
filtrada. Mantenha a
planta longe da luz
solar directa, pois
amarelece as folhas
Oscilações de
temperatura: não
tolera temperaturas
inferiores a 10ºC.
Rega: regue com
regularidade a partir de
baixo, colocando-a o
vaso dentro de água
durante 10 minutos
dentro de água, deixe
que a
Fertilização: Aplicar um
fertilizante com baixo teor de
azoto, uma vez por mês, desde
a primavera até ao Outono. Não
adubar durante o resto do ano.

Cuidados especiais: Envase-a


de novo de 2 em 2 anos, no
início da Primavera
Pragas e doenças: Pulgões,
aranhas, bolores e míldio
Propagação: Por divisão da
planta no início da primavera,
ou por estacas das folhas na
fase de crescimento.
Espadas-de-São-Jorge/ Língua de Sogra

Utilização: folhagem
ornamental, escultural e
espessa para interiores,
estufas, ou jardins de Inverno.
Origem: Africa ocidental
Descrição da planta:
planta resistente e
suculenta com folhas
coriáceas em forma de
lança, verticais, com faixas
transversais matizadas de
verde acinzentado e
cercaduras amarelas. As
flores esverdeadas e
perfumadas apresentam-se
agrupadas.
Luz e localização: de
preferência luz solar filtrada.
Suporta a luz do sol directa,
mas isso poderá tornar as
folhas amarelas.
Oscilações de temperatura:
Não tolera temperaturas
inferiores a 5ºC. Deve ser
colocada de preferência num
local fresco durante o Inverno.
Rega: regue com regularidade a
partir de baixo, colocando-a o
vaso dentro de água durante 10
minutos dentro de água, deixe
que a terra seque ligeiramente
antes de voltar a regar.
Fertilização: Aplicar um
fertilizante com baixo teor de
azoto, uma vez por mês, desde
a primavera até ao Outono. Não
adubar durante o resto do ano.
Cuidados especiais: Deve ser
envasada de 2 em 2 ou de 3 em
3 anos, no início da Primavera.
Pragas e doenças: cochonilhas
e aranhas
Propagação: divida a planta na
Primavera ou faça estacas das
folhas em qualquer altura do
ano.
Barba-de-judeu

Utilização: planta de folhagem


para interiores, estufas, ou
jardins de Inverno ou para
exteriores, no verão. Ideal para
cestos suspensos.

Origem: China e Japão.


Descrição da planta:
planta vivaz e compacta, que
forma rosetas de folhas
felpudas verde escuras em
forma de coração e ostenta
muitas flores pequenas,
brancas e cor-de-rosa,
agrupadas. As folhas
apresentam manchas
cinzentas prateadas ao longo
dos veios e são púrpuras na
face inferior. Muitas novas
plantas nascem de hastes
pendentes semelhantes a
filamentos.
do ano.
Luz e localização: sombra
e luz solar filtrada.
Mantenha-a afastada da luz
do sol directa.

Oscilações de
temperatura: Não tolera
temperaturas inferiores a
5ºC.

Rega: a terra deve ser


mantida constantemente
húmida. Evite que a planta
seque.
Fertilização: Aplicar um
fertilizante com baixo teor de
azoto, de 2 em 2 semanas,
desde a primavera até ao
Outono. Não adubar durante o
resto do ano.
Cuidados especiais: é uma
planta de crescimento rápido e
fácil de manter. Prefere um local
fresco durante o Inverno, com
uma temperatura entre os 10 e
os 15ºC, no início da Primavera.
Deve ser envasada todos os
anos, no início da Primavera.
Pragas e doenças: pulgões,
cochonilhas e bolores
Propagação: através do
envasamento das plantas novas
enraizadas, em qualquer altura
Planta-Guarda-Sol

Utilização: planta de folhagem


ornamental para interiores,
estufas, ou jardins de Inverno,
no verão. Ideal para cestos
suspensos.

Origem: Taiwan.
Descrição da planta:
arbusto com folhas
palmadas de hastes
compridas, cada uma com
7 a 11 folículo coriáceas.
Luz e localização: de
preferência luz do sol
filtrada, mas tolera luz
directa do sol

Oscilações de
temperatura: Não tolera
temperaturas inferiores a
5ºC.

Rega: regar regularmente,


deixando a terra secar
antes de voltar a regar.
Esta planta não aguenta
água em excesso.
Fertilização: Aplicar um
fertilizante com baixo teor de
azoto, de 2 em 2 semanas,
desde a primavera até ao
Outono. Não adubar durante
o resto do ano.
Cuidados especiais: é uma
planta que precisa de
suporte, deve ser guiada em
redor de uma estaca. Deve
ser envasada todos os 2 em
2 ou de 3 em 3 anos, no
início da Primavera,
podando ao mesmo tempo
para ajudar o crescimento (+
compacto)
Pragas e doenças: pulgões,
cochonilhas, aranhas e bolores
Propagação: podem ser
retiradas estacas dos rebentos,
em qualquer altura do ano.
Cacto-de-Natal

Utilização: planta
suculenta com
floração no Inverno
para interiores,
estufas, ou jardins
de Inverno ou para
exteriores, no
verão.
Descrição da planta:
epífito carnudo com
folhas lisas e
pendentes em série,
semelhantes a hastes
e com orlas dentadas.
as flores pendentes
encontram-se na
extremidade das
hastes, numa grande
variedade de cores
brilhantes como
branco, salmão, cor de
rosa ou vermelho.
Luz e localização: luz solar
filtrada. Mantenha a planta
afastada da luz solar directa
desde a Primavera até ao
Outono.
Oscilações de temperatura:
Não tolera temperaturas
inferiores a15ºC.
Rega: esta planta apodrece e
morre se for regada em
excesso. Regar regularmente
durante a época de floração,
permitindo que a terra seque
antes de voltar a regar.
Mantenha a terra seca durante
o Inverno se a colocar num
lugar fresco.
Fertilização: Aplicar um
fertilizante fraco, de 2 em 2
semanas, durante a época
de floração e de
crescimento. Não adubar
durante o resto do ano.

Cuidados especiais: esta


planta carnuda florirá se, no
Outono, estiver exposta a
poucas horas luz solar
(necessita de pelo menos um
mês com uma exposição
diária inferior a 12 horas).
Pragas e doenças: cochonilhas
e aranhas

Propagação: por corte de 2 ou


3 segmentos compridos das
hastes lisas, na Primavera e no
Outono.
Nuvem-de-cetim

Utilização: trepadeira de
folhagem para interiores,
estufas, ou jardins de Inverno,
ou para o exterior.

Origem: Malásia
Descrição da planta:
planta trepadora, com folhas
cerosas e ovadas em forma
de coração e de cor verde
acinzentada com manchas
prateadas.
Luz e localização: Não tolera
temperaturas inferiores a 15ºC.

Oscilações de temperatura:
Não tolera temperaturas
inferiores a 15ºC.

Rega: regar regularmente


durante todo o ano, permitindo
que a terra seque antes de
voltar a regar. Humedeça as
folhas com frequência com um
borrifador manual, para manter
a humidade.
Fertilização: Aplicar um
fertilizante com baixo teor de
azoto, de 2 em 2 semanas,
desde a primavera até ao
Outono. Não adubar durante o
resto do ano.
Cuidados especiais: esta
planta necessita de muita
humidade. Também precisa de
um suporte e, é muito
apropriada para ser colocada
num cesto de suspender. Deve
ser envasada de2 em2 ou de 3
em 3 anos, no início da
Primavera. deve ainda ser
podada em simultâneo, para
que o seu crescimento seja
mais compacto.
Pragas e doenças:
Cochonilhas, aranhas e bolores
Propagação: por estacas, em
qualquer altura do ano.
Gloxínia

Utilização: Planta com flores


para interiores, estufas, ou
jardins de Inverno, no Verão.

Origem: Brasil
Descrição da planta:
planta herbácea, com
folhas grandes,
brancas aveludadas,
com contornos
dentados
arredondados. As
flores grandes e
verticais, em forma
de sino, podem ser
singelas ou dobradas
e de cor, brancas ao
vermelho escuro e ao
púrpuras.
Luz e localização:
Prefere luz solar filtrada.
Mantenha a planta longe
da luz solar directa.

Oscilações de
temperatura: ambiente
quente, mas mais fresco
durante o Inverno.
Quando a planta estiver
inactiva não tolera
temperaturas inferiores a
0ºC.
Rega: regue com regularidade a partir de baixo,
colocando-a o vaso dentro de água durante 10 minutos
dentro de água. Mantenha a terra com humidade
constante evitando que seque.
Fertilização: Aplicar um
fertilizante com baixo teor de
azoto, de 2 em 2, desde a
primavera até ao Outono. Não
adubar durante o resto do ano.
.
Cuidados especiais: a
planta fica inactiva durante
o Inverno. Pare de regar
no Outono, quando a
planta começar a murchar.
Retire as partes velhas e
mantenha os tubérculos
em seco e fora do alcance
das geadas, a uma
temperatura entre os 5 e
os 10ºC. no início
Primavera Envase de
novo os tubérculos,
colocando-os num local
aquecido e recomece a
regar
Pragas e doenças: Pulgões e
bolores
Propagação: a partir dos
tubérculos ou cortes das folhas,
primavera.
Lírio da Paz

Utilização: Planta com flores


para interiores.

Origem: Costa Rica, Panamá,


Colômbia e Venezuela.
Descrição da planta:
planta herbácea, com
folhas verdes escuras
brilhantes em forma
de lança ou
alongadas grandes,
brancas aveludadas.
As vistosas flores em
espadas brancas
encerram, cada uma,
um espadice
amarelo.
Luz e localização: tolera a
sombra e a luz solar filtrada.
Mantenha a planta longe da luz
solar directa.
Oscilações de temperatura:
Prefere temperaturas à volta
dos 18º C. Não toleram
temperaturas inferiores a 15ºC.
Rega: regue com abundância desde a Primavera até
ao Outono e mais espaçadamente durante o resto do
ano. Suporta a manutenção dentro de água, mas não
a seca. Humedeça as folhas com frequência com um
borrifador manual, para manter a humidade
Fertilização: Aplicar um
fertilizante com baixo teor de
azoto, de 2 em 2 semanas,
desde a primavera até ao
Outono. Não adubar durante o
resto do ano pois isso pode
queimar as folhas e provocar a
queda prematura das flores.
Cuidados especiais: prefere
um alto grau de humidade. As
hastes murcham e devem ser
podadas em qualquer altura
do ano, para dar espaço à
nova floração. Envase de novo
todos os anos durante a
Primavera.
Pragas e doenças: aranhas e
bolores
Propagação: pela divisão da
planta, na primavera.
Singónio

Utilização: trepadeira de
folhagem forte para interiores,
estufas, ou jardins de Inverno.

Origem: México, Guatemala e


Costa Rica
Descrição da planta:
planta trepadora compacta
com pedúnculos de folhas
grandes em forma de seta
e de cor amarela
esverdeada.
Luz e localização: tolera desde
a sombra até à luz solar filtrada,
mas deve ser mantida fora do
alcance directo da luz solar.
Oscilações de temperatura:
Não tolera temperaturas
inferiores a 15ºC.
Rega: a terra deve ser
mantida
constantemente
húmida. A seca ou
rega em excesso
causam o
amarelecimento das
folhas. Humedeça as
folhas com frequência
com um borrifador
manual, para manter a
humidade
Fertilização: Aplicar um
fertilizante com baixo
teor de azoto, de 2 em 2
semanas, desde a
primavera até ao
Outono. Não adubar
durante o resto do ano.
Cuidados especiais: esta
planta necessita de um suporte,
como por exemplo, uma estaca.
Deve ser envasada de 2 ou 2
ou de 3 em 3 anos, no início da
Primavera. Ao mesmo tempo, a
planta deve ser podada para
impulsionar um crescimento
mais compacto.
Pragas e doenças: pulgões,
aranhas e bolores

Propagação: por estacas das


pontas dos caules, a partir dos
caules tenros, que podem
cortados durante o Verão.
Pena-rosada

Utilização: Bromélia forte e


florida para interiores, estufas,
ou jardins de Inverno, ou para
exterior, no Verão.

Origem: Equador
Descrição da planta:
Epífito vivaz, com uma
roseta de folhas lineares
decores verde-escuro e
uma espiga achatada e
vistosas brácteas de cor-
de-rosa vivo e de flores
violeta..
Luz e localização: tolera um
amplo espectro de luz, mas
deve ser mantida fora do
alcance directo da luz solar.
Oscilações de temperatura:
Não tolera temperaturas
inferiores a 5ºC.
Rega: regar com água tépida no
interior da roseta. A planta
tolera a seca durante algumas
semanas, mas Humedeça as
folhas com frequência com um
borrifador manual, para manter
a humidade.
Fertilização: Aplicar um
fertilizante fraco dentro da
roseta, desde a primavera
até ao Outono. Não adubar
durante o resto do ano.

Cuidados especiais: esta


planta necessita de muita
humidade, A roseta deve
conter sempre água,
excepto quando exposta a
temperaturas baixas.
Envase de novo os bolbos,
no início da Primavera.
Pragas e doenças: cochonilhas
e aranhas
Propagação: divide os rebentos
a partir da planta-mãe, na
Primavera.
Espada-de-fogo

Utilização: Bromélia resistente


e florida para interiores, estufas,
ou jardins de Inverno, ou para
exterior, no Verão.

Origem: Venezuela Suriname


Descrição da planta:
Bromélia sem caule, com
uma roseta de folhas
coriáceas verde-escuras
com riscas atravessadas de
cor púrpura. A flor espiga
comprida tem a forma de
uma espada, com brácteas
brilhantes de cor-de-laranja
a escarlate e flores
amarelas.
frequência com um
borrifador manual, para
manter a humidade.
Luz e localização: tolera um
amplo espectro de luz, mas
deve ser mantida fora do
alcance directo da luz solar.

Oscilações de temperatura:
Não tolera temperaturas
inferiores a 5ºC.

Rega: regar com água tépida


no interior da roseta. A planta
tolera a seca durante
algumas semanas, mas
Humedeça as folhas com
Fertilização: Aplicar um
fertilizante fraco dentro da
roseta, desde a primavera
até ao Outono. Não
adubar durante o resto do
ano.

Cuidados especiais: esta


planta necessita de muita
humidade, A roseta deve
conter sempre água,
excepto quando exposta a
temperaturas baixas.
Envase de novo os bolbos,
na Primavera.
Pragas e doenças: cochonilhas
e aranhas

Propagação: divide os rebentos


a partir da planta-mãe, na
Primavera.
Yucca-elefante

Utilização: planta
forte e de
folhagem
escultural para
interiores,
estufas, ou jardins
de Inverno, ou
para o exterior de
verão

Origem: México,
Guatemala
Descrição da planta:
árvore pequena com
tronco e roseta de folhas
compridas, verde-escuras,
com textura coriácea,
orlas ásperas e uma
extremidade macia.
Luz e localização: de
preferência luz solar directa,
tolera a luz solar filtrada.

Oscilações de temperatura:
Não tolera temperaturas
inferiores a 0ºC.

Rega: regar regularmente


durante todo o ano,
permitindo que a terra seque
antes de voltar a regar. A
rega deve ser espaçada se a
planta estiver num local
fresco durante o Inverno.
Pragas e doenças: pulgões,
cochonilhas e aranhas

Propagação: por divisão da


planta deve ser feita no final do
Inverno e início da Primavera.
Retire as estacas dos caules
tenros durante a Primavera e
Verão e dos rebentos da
Primavera.