Você está na página 1de 11

Aplicação do método SOBANE um uma

indústria de produtos eletrônicos

Aluna: Paolla Braga Viana


Orientador: Laurence Ricardo Adorno

Porto Alegre, 20 de Abril, 2017


Introdução

• Situações cada vez mais estressantes de trabalho (IIDA,


2005);

• Enfoque comportamental está ganhando relevância


dentro das organizações;

• Ser humano como funcionário afeta a organização e


recebe sua influência.

Organização Pessoas

Bem estar humano Benefícios


Justificativa e Tema

• Empresa é carente em relação aos fatores ergonômicos e


não tem grande atuação nessa área;

• Empresa não possui uma área de apoio psicológico.

Estudo do fator humano e condições organizacionais de trabalho

clima propício para realizar as atividades

Aplicação do método SOBANE em uma linha de produção, no setor


de produtos eletrônicos, para avaliação dos fatores psico-
organizacionais.
Objetivos

• Objetivo geral
Analisar e avaliar uma situação de trabalho de uma linha
de produção, no setor de produtos eletrônicos, utilizando
uma estratégia de riscos ergonômicos e de segurança
SOBANE para aspectos psico-organizacionais.

• Objetivos específicos
(i) Realizar um diagnóstico e estabelecer um ranking de
prioridades de atuação;
(ii) Propor melhorias para os fatores prioritários da
análise.
Delimitações

• Restrito ao método DEPARIS, não abrangendo todos o


métodos da estratégia SOBANE;

• Serão abordados somente os aspectos psico-


organizacionais;

• O estudo será realizado somente com os trabalhadores


da linha de produção;

• A análise não busca achar culpados ou medir a


eficiência do processo.
Referencial Teórico

Assunto Autores
O Trabalho Ferreira, Cocco, Oliveira

A Ergonomia Abergo, Iida, Barbosa Filho,


Guimarães
Risco Tixier, Fischhoff, Barbosa,
Guedes
Risco psicossocial Cox, Johson
SOBANE/DEPARIS Malchaire
Método de Pesquisa

• Natureza: Aplicada

• Abordagem: Qualitativa

• Objetivo: Exploratória

• Procedimento: Estudo de caso


Método de Trabalho

Fonte: A Autora (2017)


Bibliografia

ABERGO - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ERGONOMIA. Disponível em:


<http://www.abergo.org.br>. Acesso em: 01 set. 2016.

BARBOSA, Maria do Socorro Alécio; SANTOS, Regina Maria dos; TREZZA, Maria Cristina
Soares Figueiredo. A vida do trabalhador antes e após a Lesão por Esforço Repetitivo (LER)
e Doença Osteomuscular Relacionada ao Trabalho (DORT). Revista Brasileira Enfermagem,
Brasília, v. 60, n. 5, p. 491-6, set./out. 2007. Disponível em: <
http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-71672007000500002>. Acesso em:
20 set. 2016.

BARBOSA FILHO, A. N. Segurança do trabalho e gestão ambiental. São Paulo: Atlas, 2010.

COCCO, Giuseppe. Já saímos da sociedade salarial. IHU ON-LINE, São Leopoldo, ano VII, n.
216, 2007.

COX, T., GRIFFITHS, A., & RIAL-GONZALEZ, E. (2000). Research on work related stress.
Luxembourg: Office for Official Publications of the European Communities.

FERREIRA, A. B. de H. Novo Aurélio século XXI: o dicionário de língua portuguesa. 3. ed. rev. e
ampl. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1999.

FISCHHOFF, B., Watson, S. R. & Hope, C. (1984). Defining Risk. Policy Sciences, 17.
Bibliografia
GUEDES, E. M.: MAURO, M.Y. (Re)visando os fatores de risco e as condições de trabalho
da enfermagem hospitalar. Disponível em: <http://www.saudeetrabalho.com.br>. Acesso em: 15
out. 2016.

GUIMARÃES, L. B. de M. - 1. Introdução à Ergonomia. In: GUIMARÃES, L. B. de M.


“Ergonomia do Processo 1”. Livro texto. Porto Alegre, RS: PPGEP/UFRGS, 2002.

IIDA, I. Ergonomia: projeto e produção. 2. ed. São Paulo: Edgard Blucher, 2005.

JOHNSON, J., STEWARD, W., HALL, E., FREDLUND, P., & THEORELLl, T. (1996). Long-term
psychosocial work environment and cardiovascular mortality among Swedish men.
American Journal of Public Health, 86.

MALCHAIRE, J. Estrategia Geral de Gestão dos Riscos Profissionais SOBANE – Método de


Diagnostico Preliminar Participativo dos Riscos. Universidade Católica de Louvain, Unidade
de Higiene e Fisiologia do Trabalho. Bruxelas, 2003.

OLIVEIRA, Sebastião Geraldo de. Indenizações por Acidente do Trabalho ou Doença


Ocupacional. 5ª ed. São Paulo: LTr, 2010.

TIXIER, J., DUSSERRE, G., SALVI, O. E GASTON, D. “Review of 62 risk analysis


methodologies of industrial plants”, Journal of Loss Prevention in the Process Industries,
Maryland Heights, n.º 15, 2002.
Obrigada!