Você está na página 1de 28

PNEUMONIAS

Dr. Paulo Gurgel


Definição

São processos inflamatórios em geral


agudos do parênquima pulmonar.
Morbidade e mortalidade

• 5 a 11 casos por mil indivíduos por ano.


• Maior freqüência em crianças pequenas
e idosos.
• Letalidade: 1% dos casos (até 50% entre
os pacientes que necessitam de
internação em UTI).
Etiologia

Pneumonias
 Por agentes químicos
 Por agentes físicos
 Por agentes biológicos (infecciosas)
 Bacterianas
 Outras
Pneumonias (infecciosas)

Pneumonias adquiridas na comunidade – PAC


Pneumonias nosocomiais (PN)

--------------------------------------------------------------
PAC
Acometem os pacientes fora do ambiente
hospitalar ou surgem nas primeiras 72 horas
(CDC) após a admissão.
Vias

• Por inalação
• Por aspiração
• Por foco à distância (hematogênica)
• Por contigüidade
• Por reativação local
Identificação do agente

• Em 50% dos casos, no máximo.


• Em 60 – 80% dos casos, quando se
incluem as técnicas sorológicas.
PAC PN
• S. pneumoniae – até • P. aeruginosa
43% dos casos
• Outras bactérias gram
• M. pneumoniae (*) negativas
• C. pneumoniae (*) • S.aureus
• H. influenzae • Polimicrobianas
• Legionella sp (*)
• Vírus
• S. aureus
• Outros
• Mista
• M. tuberculosis (*) Atípicos:
1/3 dos casos
Quadro clínico
• Infecção VRS
---------------------------
• Febre
• Calafrios
• Dor torácica
• Tosse
• Expectoração
• Outros
Exame físico
• Taquipnéia: correlaciona-se com a
gravidade do quadro clínico
• Sinais de consolidação pulmonar
– Estertores crepitantes / Sopro tubário
– FTV aumentado
– Macicez à percussão
1/3 dos casos

• Derrame pleural?
“Abordagem sindrômica”
Típicas Atípicas
(Pneumococos) (Micoplasma)

Não é um preditor acurado da causa microbiológica.


A expressão clínica da doença é também
determinada pelo estado funcional e epidemiológico
do paciente.
Diagnóstico radiológico
É imprescindível para:

– Diagnóstico
– Avaliação da gravidade
– Identificação das complicações
– Monitoração da evolução e da resposta ao
tratamento
Pneumonia com DP
Pneumonia com cavidades

Pneumatoceles em pneumonia estafilocócica


Exame microbiológico do escarro
coleta, processamento, técnicas e interpretação

• Amostra colhida por tosse profunda, antes da


antibioticoterapia
• Processamento < 2 horas após a coleta
• Técnicas
– Gram
– Ziehl-Neelsen (BAAR)
– Para fungos (casos selecionados)
• Exame direto (Gram)
– < 10 células epiteliais e > 25 PMN em campo 100X
Sorologia e detecção de antígenos
• Crioaglutininas para Micoplasma
• Antígeno urinário para Legionella
pneumophila

-----------------------------------------------------------

• Necessidade de mostrar a soroconversão,


o que retarda o diagnóstico
Outros exames
• Hemograma
• Glicose
• Uréia e creatinina
• Eletrólitos
• Bioquímica do fígado
• pH e gases
• Sorologia para HIV
• Hemoculturas
Métodos diagnósticos invasivos
• Toracocentese
• Broncoscopia
– Lavado (LBA)
– Escovado
– Biópsia
• Aspirado transtraqueal
• Aspirado pulmonar transcutâneo
• Cirurgias
– Vídeo-assistida (BPVA)
– Mini-toracotomia
– A céu aberto
Classificação de risco
Classe Mortalidade Local de tratamento
I 0,1 Ambulatorial
II 0,6 Ambulatorial
III 2,8 Breve internação
IV 8,2 Hospitalar
V 29,2 Hospitalar (UTI)

Estratificação por Idade, sexo, local de habitação,


co-morbidades, anormalidades físicas, laboratoriais
e radiológicas (Manual de Pneumologia 2002,
SBPT).
Tratamento ambulatorial

• Macrolídeos
• Fluorquinolonas (pacientes idosos
ou com morbidades associadas)
• Beta-lactâmicos
Tratamento hospitalar

Pseudomonas?

NÃO SIM

Cipro
Fluorquinolona + beta-lactâmico anti-P
Cefalosporina 2ª, 3ª ou 4ª ou aminoglicosídeo
+ Beta-lactâmico anti-P
Macrolídeo + aminoglicosídeo
+ macrolídeo
Quando suspeitar de
Pseudomonas aeruginosa

• Doença estrutural pulmonar


(exemplo: bronquiectasia)
• Uso recente de antibióticos
e/ou corticóides
• Desnutrição
Tratamento - outras situações
• Anaeróbios
– Amoxicilina com clavulanato
– Ampicilina com sulbactam
– Clindamicina
• S. aureus
– Oxacilina
– Vancomicina
• P. carinii
– Sulfametoxazol com trimetroprim (acrescentar
prednisona)
Algumas questões

• A duração do tratamento: 7 a 21 dias


• O tratamento seqüencial
• O oxigênio suplementar
– SpO2 < 90%
– PaO2 < 60mmHg
• O insucesso terapêutico
Conduta no derrame pleural (DP)

• Punção
 DP parapneumônico
 Empiema pleural
• Drenagem tubular fechada (em
selo d’água) 
• Drenagem aberta +
Fisioterapia
• Decorticação pulmonar
Leitura recomendada

• Manual de Pneumologia 2002 - SBPT


• www.pneumoatual.com.br > Temas > PAC
no adulto
• www.sbpt.org.br > Publicações > Diretrizes
para Pneumonias Adquiridas na
Comunidade em Adultos
Imunocompetentes
GRATO PELA ATENÇÃO

blogdopg.blogspot.com
Google Docs
scribd.com