Você está na página 1de 28

TANATOLOGIA

Profº Anderson vital


DEFINIÇÃO
 A Tanatologia compreende-se como um ramo
da Medicina Legal que procura refletir sobre o
fenômeno da morte e o morrer, e as
repercussões éticas, jurídicas e sociais.
OBJETIVO
 Para uma melhor percepção da contribuição e
responsabilidade da equipe de enfermagem,
trabalharemos algumas questões que
envolvem a finitude do ser humano a partir
dos textos abaixo, ao passo que também
adentraremos nos conflitos que circundam
Ester fenômeno como: a eutanásia e a
distanásia.
EUTANÁSIA
 Eutanásia  é a prática pela qual se abrevia a
vida de um enfermo incurável de maneira
controlada e assistida por um especialista.
Independentemente da forma de eutanásia
praticada, seja ela legalizada ou não.
 Sendo eutanásia um conceito muito vasto,

distinguem-se aqui os vários tipos e valores


intrinsecamente.
DISTANÁSIA
 Distanásia é a prática pela qual se prolonga,
através de meios artificiais e
desproporcionais, a vida de
um enfermo incurável.
 Também pode ser conhecida como
“obstinação terapêutica”.
ORTOTANÁSIA
 Ortotanásia é o termo utilizado para definir
a morte natural, sem interferência da ciência,
permitindo ao paciente morte digna, sem
sofrimento, deixando a evolução e percurso
da doença.
 Portanto, evitam-se métodos extraordinários

de suporte de vida, como medicamentos e


aparelhos, em pacientes irrecuperáveis e que
já foram submetidos a suporte avançado de
vida .
DIREITOS DO PACIENTE TERMINAL
 Tenho o direito de ser tratado como pessoa
humana até que eu morra.
 Tenho o direito de ter esperança, não importa

que mudanças possam acontecer.


DIREITOS DO PACIENTE TERMINAL
 Tenho o direito de ser cuidado por pessoas
que mantêm o sentido da esperança, mesmo
que ocorram mudanças.
 Tenho o direito de expressar a minha

maneira, sentimentos e emoções diante da


minha morte.
DIREITOS DO PACIENTE TERMINAL
Tenho o direito de participar das decisões
referentes a meus cuidados e tratamentos.
 Tenho o direito de receber cuidados médicos

e de enfermagem mesmo que os objetivos


“de cura” mudem para os objetivos
“conforto”.
DIREITOS DO PACIENTE TERMINAL
 Tenho o direito de não morrer sozinho.
 Tenho o direito de ser aliviado na dor e no

desconforto.
DIREITOS DO PACIENTE TERMINAL
 Tenho o direito de que minhas questões
sejam respondidas honestamente.
 Tenho o direito de não ser enganado.
DIREITOS DO PACIENTE TERMINAL
 Tenho o direito, ao aceitar minha morte, de
receber ajuda de meus familiares e que estes
também sejam ajudados.
 Tenho o direito de morrer em paz e
dignidade.
DIREITOS DO PACIENTE TERMINAL
 Tenho o direito de conservar minha
individualidade e não ser julgado por minhas
decisões que possam ser contrárias às
crenças dos demais.
 Tenho o direito de discutir e aprofundar

minha religião e/ou experiências religiosas,


seja qual for seu significado para os demais.
DIREITOS DO PACIENTE TERMINAL
 Tenho o direito de esperar que o meu corpo
humano seja respeitado.
 Tenho o direito de ser cuidado por pessoas

sensíveis, humanas e competentes que


procurarão compreender e responder às
minhas necessidades e me ajudem a
enfrentar a morte e garantir minha
privacidade.