Você está na página 1de 24

ANÁLISE DAS

DEMONSTRAÇÕES

Prof. Adriano Trindade


ENTENDENDO OS CICLOS EM
UMA EMPRESA
 Os ciclos dividem-se em Ciclo Econômico,
Ciclo Financeiro e o Ciclo Operacional que
compõe todo o sistema.
CICLO ECONÔMICO
 É o período em que a mercadoria permanece nas
dependências da empresa, ou seja, inicia-se com a
compra da mercadoria e encerra-se com a venda da
mesma.
 Este ciclo é o giro de estoques, ele nos diz quanto
tempo a empresa está demorando para girar o seu
estoque. Quanto maior for o estoque, mais lento será
o giro do mesmo, ocasionando, inclusive, numa
possível insuficiência crônica de caixa, forçando-a a
captação sistemática de recursos de terceiros
comprometendo a saúde financeira da empresa.
CICLO FINANCEIRO
 Tem início com o desembolso de numerários para a
aquisição da mercadoria que será revendida pela
empresa e encerra-se com o recebimento relativo à
venda da mesma. Este é o ciclo de caixa.
 O reflexo do Ciclo Econômico se dará neste ciclo.
Se o giro do estoque é lento, primeiro a empresa
pagará para após receber, ocasionando em
desembolso desnecessário.
 Cabe salientar que além de compromissos com
fornecedores a empresa também deve honrar outros
compromissos mensais, que são os Custos Fixos ou
Despesas Operacionais. São gastos necessários
para que a empresa possa operar.
CICLO OPERACIONAL
 Representa os dois ciclos juntos, iniciando-se
quando da compra da mercadoria e
encerrando-se quando da venda ou do
recebimento dos recursos da venda.
 Segundo Hoji, o Ciclo Operacional inicia-se
junto com o Ciclo Econômico ou Ciclo
Financeiro, o que ocorrer primeiro, e encerra-
se junto com o encerramento do Ciclo
Econômico ou Financeiro, o que ocorrer por
último.
CICLOS - EMPRESA
Representação gráfica:
ÍNDICES DE ATIVIDADE
 SÃO ÍNDICES RELACIONADOS AOS
PRAZOS DO CICLO OPERACIONAL DA
EMPRESA: RENOVAÇÃO DE ESTOQUE –
RECEBIMENTOS DAS VENDAS –
PAGAMENTOS DOS ESTOQUES.
CÁLCULO DO VALOR DE
COMPRAS
CMV = EI + COMPRAS – EF
CMV => DRE
EI / EF=> BALANÇO PATRIMONIAL
PRAZO MÉDIO DE RECEBIMENTO
DAS VENDAS
 PMRV = 360 x Duplicatas a Receber
Vendas líquidas
- Duplicatas a Receber=> Valor bruto sem
excluir provisões e duplicatas descontadas.
- Vendas líquidas=> Receita bruta, deduzida
das devoluções mais impostos.
PRAZO MÉDIO DE PAGTO DE
COMPRAS
 PMPC = 360 x Fornecedores
Compras
- Fornecedores=> saldo da conta Fornecedores
- Balanço Patrimonial (BP).
- Compras=> Valor calculado através da
fórmula: CMV (DRE)= EI (BP)+COMPRAS-
EF(BP)
PRAZO MÉDIO DE RENOVAÇÃO DE
ESTOQUES
 PMRE = 360 x estoques
CMV
- Estoques=> saldo da conta Estoques -
Balanço Patrimonial (BP).
- CMV=> Valor extraído da DRE.
POSIÇÃO RELATIVA (ATIVIDADE)
 PA= PMRE + PMRV
PMPC
Demonstra a situação dos prazos de renovação
dos estoques e recebimentos das vendas em
relação ao prazo de pagamento das
compras.
IDEAL: PMRE + PMRV = menor ou = 1
PMPC
ÍNDICES PARA ANÁLISE DE
DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

ÍNDICES DE RENTABILIDADE
ÍNDICES DE RENTABILIDADE

 GIRO DO ATIVO:
Vendas liquidas / Ativo Total
 
 Indica qual a geração de receitas sobre cada R$
do ativo. Quanto maior o índice, maior a
capacidade de geração de receitas, indicando
um bom desempenho de vendas e/ou uma boa
administração dos ativos.
ÍNDICES DE RENTABILIDADE
 MARGEM LÍQUIDA
Resultado Líquido / Vendas liquidas x100
 
 Utiliza-se este índice para avaliar a
performance de resultado (lucro ou
prejuízo) sobre a receita. Obviamente,
quanto maior o índice (se positivo),
melhor a margem.
ÍNDICES DE RENTABILIDADE
 RENTABILIDADE DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO

Resultado Líquido / PL Médio X 100


 
 A remuneração do Patrimônio Líquido, representando os
recursos dos donos, é representada pelos resultados
gerados. Se este índice for inferior a taxa de aplicação
financeira (líquida de impostos) no período, significa um
desempenho insatisfatório. Espera-se que qualquer
negócio tenha um desempenho mínimo de 50% superior
a taxa de aplicação financeira. Desta forma, se a taxa
(líquida de impostos) de aplicação, ao ano, corresponde
a 14%, então espera-se um retorno mínimo sobre o PL
de 21%.
ÍNDICES DE RENTABILIDADE

 RENTABILIDADE DO ATIVO
Resultado Líquido / Ativo total X 100
 
 Este indicador mede a eficiência global da
administração, ou seja, o retorno obtido em
relação ao total de recursos empregados, sejam
eles próprios ou de terceiros.
Termômetro de Kanitz
 Termômetro de Kanitz é um instrumento
utilizado para prever a possibilidade de falência
 de empresas. A sua utilização tem sido, via de
regra, relativa a empresas isoladas. Procura-se
analisar se determinada empresa tem
possibilidade ou não de falir, principalmente a
curto prazo. Em seu estudo, 
Stephen Charles Kanitz analisou
aproximadamente 5.000 
demonstrações contábeis de empresas
brasileiras
Termômetro de Insolvência
 Após o estudo, ele escolheu
aleatoriamente 21 empresas, que
haviam falido entre 1972 e 1974, e
analisou os balanços referentes aos
dois anos anteriores a falência. Utilizou,
como grupo de controle, também de
forma aleatória, 21 demonstrações
contábeis, referentes aos mesmos
anos, de empresas que não faliram.
 Após analisar e estudar estas empresas, ele
criou o termômetro de insolvência, com a
utilização da seguinte fórmula:
 Y={(0,05.RP)+(1,65.LG)+(3,55.LS)} –
{(1,06.LC)+ (0,33.GE)} onde:
 0,05; 1,65; 3,55; 1,06 e 0,33 são os pesos que
devem multiplicar os índices. E os índices são
os seguintes:
 RP – Rentabilidade do Patrimônio;
 LG – Liquidez Geral;
 LS – Liquidez Seca;
 LC – Liquidez Corrente;
 GE – Grau de Endividamento
GIRO DO ATIVO X MARGEM DE LUCRO =
TAXA DE RETORNO SOBRE ATIVO

GIRO: VENDAS LIQUIDAS = Eficiência


ATIVO TOTAL
MARGEM: LUCRO LIQUIDO X 100 = Rentabilidade
VENDAS LIQUIDAS
RETORNO SOBRE ATIVO = GIRO X MARGEM
METODO DUPONT –CONCEITOS DE
EFICIÊNCIA OPERACIONAL
 Retorno dos ativos (RA)= vendas liquidas / ativo
liquido x lucro operacional / vendas liquidas
 Ativo Liquido (AL): Ativo Total – Passivo
Operacional
 Passivo Operacional (PO): obrigações oriundas
do processo produtivo
 Lucro Operacional (LO)= lucro liquido +
despesas financeiras
 Vendas liquidas (VL) = vendas brutas –
deduções
MODELO STEPHEN KANITZ

-7 -6 -5 -4 -3 -2 -1 0 1 2 3
TERMÔMETRO DE
INSOLVÊNCIA:

INSOLVÊNCIA PENUBRA   SOLVÊNCIA


MODELO STEPHEN KANITZ

 A = LL/PL X 0,05
 B = (AC + RLP)/(PC+ELP) X 1,65
 C = (AC – E)/PC X 3,55
 D = AC/PC X 1,06
 E = (PC+ELP)/PL X 0,33
TI= A+B+C-D-E

Você também pode gostar