Você está na página 1de 12

Dois estudos: contos fantásticos e

recursos de organização interna


dos textos

Ensino Médio
Volume 3
Unidade 5
Essa unidade apresenta dois temas: conto
fantástico e paralelismo.

Vamos começar explicando o que é conto


fantástico e quais são suas características
específicas.
Conto fantástico é elaborado a partir da criação de um
mundo que imita o mundo real e as relações que existem
entre seus elementos típicos, como pessoas, coisas, lugares,
etc. Um elemento estranho, porém, é introduzido nesse
mundo, rompendo com a realidade que todos conhecem,
mas as pessoas desse mundo não estranham esse
elemento. Ao contrário, compreendem-no como normal,
absorvendo-o com naturalidade e convivendo com ele
como se nada de incoerente houvesse na sua presença.
Os contos fantásticos, assim sendo, rompem
com a lógica da vida real, distanciando-‐se da
realidade. Por que você acha então que eles
atraem tanto o interesse dos leitores?
Os contos fantásticos têm um clima de
suspense e dúvida que envolvem de tal forma o
leitor, que este se sente desafiado a encontrar a
sua própria explicação para o que está lendo. O
mistério fascina os leitores, deixando-os
interessados do início ao fim do conto.
Paralelismo

Para que o leitor entenda bem o conteúdo


numa leitura, é importante que ele compreenda
de imediato o sentido do que está escrito, sem
necessidade de retornar algumas vezes para ler.
Muitas vezes, essa dificuldade está
relacionada com a falta de paralelismo.
Paralelismo caracteriza-se pelas relações
de semelhança entre palavras e expressões,
materializadas por meio do campo morfológico
(quando as palavras pertencem a uma mesma
classe gramatical), sintático (quando as
construções das frases são semelhantes) e
semântico (quando há correspondência de
sentido).
Para ficar mais fácil de entender sobre o que
estamos falando, vejam uma frase que não respeita o
paralelismo:
Os exercícios devem ser de fácil compreensão e
com uma linguagem simples.
Aqui temos um encadeamento com dois
elementos ligados pela conjunção “e”:
• ser de fácil compreensão
• com uma linguagem simples
Percebem a falta de simetria?
Gramaticalmente, a frase está correta, mas não
há paralelismo, o que pode prejudicar a clareza
e a elegância da frase.
Agora vejam como essa frase fica quando
respeitamos o paralelismo:

Os exercícios devem ser de fácil


compreensão e ter uma linguagem simples.
Observem os dois elementos da frase e
reparem em como o encadeamento de ideias é
mais elegante e claro:
• ser de fácil compreensão
• ter uma linguagem simples
Isso significa que, para manter o paralelismo,
devemos seguir uma estrutura frasal
semelhante nos elementos da frase.
Outro exemplo de frase sem paralelismo:
O professor pediu para o aluno ir à
secretaria e que, na volta, passasse na
coordenação.
Observe a mesma frase com duas opções
para se ter paralelismo:
O professor pediu para o aluno ir à
secretaria e, na volta, passar na coordenação.
O professor pediu para que o aluno fosse à
secretaria e que, na volta, passasse na
coordenação.
Assim sendo, o paralelismo é um recurso
empregado com a finalidade de manter uma
sequência das ideias de um texto, de modo a
não provocar contradições e incoerências. É
importante ressaltar que a utilização do
paralelismo é uma escolha de quem escreve,
não sendo a única possibilidade de
encadeamento das ideias no texto.
Esses são os principais conteúdos trabalhados
nessa unidade, porém a atividade
complementar é a leitura de um conto.
 Esperamos que vocês mergulhem no universo
da ficção literária e desfrutem a leitura.