Você está na página 1de 13

CURSO DE DIREITO

BIOPIRATARIA
NA AMAZÔNIA
HISTÓRICO DA
BIOPIRATARIA NO
BRASIL

Desde o descobrimento, o Brasil é alvo de


pirataria de sua biodiversidade.
• A biodiversidade brasileira
O Brasil é considerado o país com a maior biodiversidade do
mundo com 10 a 20% de toda a biodiversidade do planeta.
• A proteção dos conhecimentos tradicionais
A proteção ao conhecimento tradicional associado é garantida
pela medida Provisória 2.186-16/2001 e pelo Decreto
Federal 3.945/2001. Através de tais instrumentos, o Estado
reconhece o direito das comunidades locais e das
comunidades indígenas de decidirem sobre o uso de seus
conhecimentos tradicionais associados ao patrimônio
genético.
• Tráfico de animais silvestres
Esse mercado movimenta bilhões tanto em território nacional
como Internacional.
• Como é definida a biopirataria
A biopirataria consiste no ato da retirada ilegal de material genético, espécies
de seres vivos e exploração da sabedoria popular de uma nação para a
exploração comercial em outra, sem pagamento de patente. Essa atividade
se caracteriza principalmente pelo envio ilegal de animais e plantas para o
exterior (SATILLI, 2004.p.79)

• Os mecanismos de exploração
Os biopiratas geralmente se fazem passar por turistas ou por cientistas, todos
documentados portando passaporte e em alguns casos, aval
governamental, porém com intenções bem definidas, como a exploração e
o tráfico de mudas, sementes, insetos, e toda a sorte de interesses em
nossa farta biodiversidade (SHIVA, Vandana. 2001, p. 30).

• As espécies mais exploradas


Tanto na fauna quanto na flora, várias espécies
amazônicas estão ameaçadas de extinção, devido à
biopirataria. A seguir, algumas delas:
FAUNA
• Papaguaio-verdadeiro, arara canindé, tucano, curió, macaco prego,
mico leão-de-cara-dourada, onça pintada, ariranha, peixe boi da
amazônia, tatu, tamanduá-bandeira, Gavião-cinza, gato-maracajá,
onça-parda, jibóia-de-Cropan, jararaca, aranha-chicote, jacaré.

FLORA
• Aroeira,arnica,espinheira-santa,jaborandi,barbatimão, ipê-roxo,
catuaba, sucupira, unha-de-gato, jatobá, Açai, andiroba, Copaiba,
Cupuaçu, araça-boi, areca, areca-bambu, butiá, palmeira-solitaria,
pata-de-elefante, Pau-ferro, Jabuticaba, Jerivá, grama-esmeralda,
Rabo-de-raposa, Alfapava, catuaba, Sangue-de-Dragão, Jamelão,
Moringa, Erva-baleeira, Babaçu, Ipeca, Babosa.
OS MECANISMOS DE
OPOSIÇÃO A BIOPIRATARIA
• Projeto de lei Nº 305/95 da Ex.Ministra do
Meio Ambiente Marina Silva (Medida
Provisória Nº 2.186-16/2001).
• Lei de crimes ambientais (9.605/1998);
• Eco Rio (1992)
• Convenção sobre Diversidade Biológica
• Lei de proteção à fauna e flora
(5.197/1967)
• Ao lado do Projeto de Lei da então
Senadora e atual Ministra do Meio
Ambiente, Marina Silva, que estabelece as
condições para autorização de acesso aos
recursos genéticos nacionais, no Brasil, a
biodiversidade e os conhecimentos
tradicionais são protegidos pela Medida
Provisória 2.186 de 2001, que condiciona
o acesso a recursos naturais à
autorização da união e Prevê a repartição
de benefícios, se houver uso e
comercialização (ROSAS, 2011)
CONSTITUIÇÃO FEDERAL
(1988)
Art. 225. Todos têm direito ao meio ambiente
ecologicamente equilibrado, bem de uso comum
do povo e essencial à sadia qualidade de vida,
impondo-se ao Poder Público e à coletividade o
dever de defendê-lo e preservá-lo para as
presentes e futuras gerações
– Proteger a fauna e a flora, vedadas, na forma da lei,
as práticas que coloquem em risco sua função
ecológica, provoquem a extinção de espécies ou
submetam os animais a crueldade.
DANOS CAUSADOS PELA
BIOPIRATARIA
• Extinção ou redução drástica de espécies da fauna e
flora (PAU BRASIL)
• Espécies nativas do Brasil patenteadas por outros
países, impedindo que sejam utilizadas internamente:
Curare (USA), AYAHUASCA (USA), Pau-Rosa (USA,
Bélgica, Inglaterra, Alemanha e França)
• Altos preços para a fauna, incentivando a caça e captura
de espécies nativas (besouros a US$ 8 mil; arara-azul a
US$ 60 mil)
• Perseguição aos cientistas brasileiros, confundidos com
biopiratas (muitos continuam à revelia da lei, pela
demora na liberação de licenças e autorizações para
pesquisas)
Metas e estratégias para
combater a biopirataria
• Maior fiscalização nas fronteiras;
• Intensificação da fiscalização nos portos,
aeroportos, estradas, etc.;
• Aprovação das leis que transitam no
Congresso Nacional;
• Maior fiscalização das ONGs que atuam
no Brasil, em relação ao meio ambiente;
Discussões sobre a lei de
patentes e a biopirataria
• As patentes são mecanismos legais usados de
forma ilegal na biopirataria;
• “O sistema de patentes prejudica o modo como se produzem e
usam os conhecimentos tradicionais, os mecanismos que protegem
a inovação nos Países industrializados, sob pena de destruir o
sistema que os produz e matar o que queria conservar”
(CARNEIRO, 2002, p. 67).
• “a patenteabilidade de invenções esta sujeita aos seguintes
requisitos: Novidade, Atividade Inventiva, Aplicação Industrial e
Não-Impedimento” (ULHOA, 2009, p. 85).
• Frutas, plantas e até sangue humano
são patenteados em países
estrangeiros!
CONSIDERAÇÕES FINAIS
• Legislação ainda incompleta
• Leis em vigor são brandas e apenas
aplicam multas.
• Patentes devem ser concedidas apenas a
inventos e não a elementos da natureza.
• Muitas ONGs que praticam biopirataria
ainda continuam ativas.

Você também pode gostar