Você está na página 1de 133

TOYOTA CAETANO PORTUGAL

INTRODUÇÃO

CARATERÍSTICAS E
FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

Fig. 1 – Representação de um motor 1.6 TDI


TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Introdução

► Os primeiros veículos que o homem inventou para se deslocar ou para


transportar cargas, eram veículos que não dispunham de locomoção auto-
suficiente. Para se moverem tinham de ser puxados ou empurrados por animais
ou pelo próprio homem. De facto durante muitos séculos a tracção animal foi
utilizada como meios mais eficaz de fazer deslocar sobre a terra os veículos de
transporte de pessoas ou mercadorias.

Fig. 2– Representação veículo de tracção animal


TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Introdução

► A China é um exemplo de um grande país onde veículos de tracção animal para


transporta pessoas e carga foram utilizados até aos nossos dias. No entanto, ao
longo das várias eras da história da humanidade houve sempre alguém cujo
inconformismo e talento se juntaram para tentar mudar e melhorar situações
menos boas e satisfazer as necessidades. Diminuir o seu esforço físico e a
dependência em relação à tracção animal eram as necessidades do homem.

Fig. 3– Veículo de tracção animal


TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Introdução

► A capacidade inventiva, espírito de iniciativa e força de vontade para atingir um


objectivo, levaram o homem a inventar os motores (finais do séc. XIX).
Apareceram vários tipos de motores (máquina a vapor, motores de combustão
interna, a turbina, etc.) que iriam permitir entre muitas coisas, a desejada auto
locomoção de veículos de transporte abrindo assim caminho à diminuição do
trabalho árduo e ingrato de muitas pessoas. Surgiu então o termo automóvel (veículo
que se desloca pelos seus próprios meios) até então inexistente.

Fig. 4– Patente de Karl Benz de 1886


TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Introdução

► A invenção do motor não foi obra de uma única pessoa, mas sim o resultado da
contribuição do trabalho efetcuado por muitas pessoas da área das ciências
físicas e químicas. Entre estas pessoas figuram nomes como Beau de Rochas
(francês, inventor do ciclo a 4 tempos), Nicolas Otto (alemão, primeiro a fazer
funcionar um motor segundo o ciclo com o seu nome) e Rudolf Diesel (inventor do
motor com o seu nome).

Fig. 5– Nicolas Otto, Beau de Rochas e Rudolf Diesel


TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES\

► Introdução

► Apesar dos princípios de funcionamento dos motores se manterem os mesmos


desde os primeiros motores têm havido enormes avanços em determinados
campos tais como materiais utilizados, gestão electrónica dos motores ou os
recentes sistemas de gestão térmica inovadores ou lubrificação variável ou
inteligente.

Fig. 6– Sistemas de lubrificação e refrigeração inovadores


TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

INTRODUÇÃO AO MOTOR

Fig. 7 –Ilustração do funcionamento de um motor


TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Introdução ao motor

► Noção de máquina térmica

O conceito de máquina térmica aponta para


um dispositivo ou equipamento que
transforma energia térmica em energia
mecânica.
A energia térmica é proveniente da combustão
de uma mistura combustível-comburente
libertando, desta forma a energia química
contida no combustível.

O ar é o comburente em quase todas as


máquina terrestres e nas restantes utilizam-se
produtos contendo oxigénio, como por exemplo
nos nitratos ou mesmo o oxigénio puro ,
largamente usado em foguetões. Fig. 8 – Ilustração de uma máquina
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Introdução ao motor

► Noção de máquina térmica

A energia térmica libertada pelo


combustível é transferida ao fluído
motor que fornece trabalho aos
orgãos mecânicos do motor através
de variações de pressão e volume
criadas pelo fornecimento de calor.

Os motores térmicos denominam-se


de combustão externa quando o
fluido motor não participa na
combustão. O calor é transmitido ao
fluído através da parede de um
permutador de calor.
Fig. 9 – Representação de um motor de combustão externa
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Introdução ao motor

► Noção de máquina térmica

Se o combustível for queimado no


interior do fluido motor a máquina
denomina-se de combustão interna.
Neste caso, geralmente o fluido motor é
constituído por uma mistura ar-
combustível que vai ser queimado no
interior do motor.

Fig. 10 – Representação de um motor de combustão interna


TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Introdução ao motor

► Princípio de funcionamento do motor de combustão interna

O motor de combustão interna aproveita o


aumento da pressão resultante da combustão
da mistura ar-combustível para imprimir um
movimento de rotação ao veio motor.

O motor é constituído por cilindros dentro dos


quais deslizam pistões ligados a uma manivela
denominada cambota, através das bielas.

Se fizermos rodar a cambota, os pistões sobem


e descem nos diversos cilindros. Inversamente,
o pistão submetido a elevadas pressões faz
rodar a cambota.
Para que o motor não pare quando um pistão
estiver a comprimir ar num cilindro e para que
não tenha um movimento irregular, numa das
extremidades da cambota é montado um
volante de inércia que acumula energia
cinética.
Fig. 11 – Representação de um motor
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Introdução ao motor

► Princípio de funcionamento do motor de combustão interna

Quando o pistão ou êmbolo, no final do


percurso ascendente que realiza no
interior do cilindro, se encontra na posição
mais próxima da cabeça do cilindro
dizemos que se encontra no ponto morto
superior ou P.M.S.

O ponto mais afastado da cabeça do


cilindro , localizado no final do percurso
efetuado no interior do cilindro denomina-
se de ponto morto inferior ou P.M.I.

A distância percorrida pelo pistão, entre o


ponto morto superior (P.M.S.) e o ponto Fig. 12 – Representação das posições P.M.S e P.M.I
morto inferior (P.M.I.) é denominada de
curso do pistão ou apenas curso.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Introdução ao motor

► Princípio de funcionamento do motor de combustão interna

Quando falamos das caraterísticas de um


motor devemos fazer referência ao
diâmetro interior de cada cilindro, sendo
que seguidamente referimos o seu curso
(ex.: D x C = 80 x 72 mm).

Esta relação, curso-diâmetro é muito


importante no que se refere às
caraterísticas de um motor.
Atualmente os motores apresentam um
curso igual ou mesmo inferior ao diâmetro.
Por exemplo, um motor com cilindros de
grande diâmetro apresentam maior
espaço para a colocação das válvulas à
cabeça facilitando o enchimento e a
descarga de gases. Fig. 13 – Representação de um motor do tipo W12
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Introdução ao motor

► Princípio de funcionamento do motor de combustão interna


Os inconvenientes relacionados com
um diâmetro excessivo são as perdas
de compressão, que são
proporcionais ao perímetro do cilindro
e as câmaras de com elevado
diâmetro não queimam bem e têm
elevadas perdas térmicas

Fig. 14 – Ilustração de pistão de um motor 6,3 L W12 FSI


TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Introdução ao motor

► Princípio de funcionamento do motor de combustão interna

Quando o pistão faz o movimento


descendente do P.M.S. até ao P.M.I. “varre”
um volume correspondente a um cilindro cuja
base é a sua secção e a altura é o curso do
pistão denominado de volume varrido ou

C
cilindrada.
A soma dos volumes varridos de todos os
cilindros é designada de cilindrada do motor.

Se um motor tiver um número N de cilindros


de diâmetro D e curso C a cilindrada será:
D

Fig. 15 – Representação de um pistão em movimento


TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Introdução ao motor

► Princípio de funcionamento do motor de combustão interna

De um modo geral, podemos definir uma


relação directa entre o aumento da
cilindrada e o aumento da potência de
um motor, pois quanto maior for a
cilindrada maior será a quantidade de
gases que entram para o cilindro,
obtendo-se combustões mais intensas.

No entanto este paradigma vem-se a


alterar nos tempos mais recentes com o
desenvolvimento dos sistemas de
sobrealimentação e injecção.

Fig. 16 – Sistema de sobrealimentação dupla


TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Introdução ao motor

► Princípio de funcionamento do motor de combustão interna

Quando o êmbolo ou pistão se encontra no P.M.S,


o volume existente entre o referido pistão e o V1
topo do cilindro fica reduzido apenas ao
volume da câmara de compressão..
V2
Quando o pistão está no P.M.I. o volume
existente entre o pistão e o topo do cilindro é
igual à soma do volume do cilindro varrido pelo
deslocamento do êmbolo desde o P.M.I. até ao
P.M.S. (cilindrada unitária) com o volume da
câmara de combustão

A relação entre o volume quando o pistão se


encontra no P.M.I. (cilindrada unitária + volume
da câmara de combustão) e o volume quando o
pistão se encontra no P.M.S. (volume da Fig. 17 – Representação de um pistão em movimento
câmara de combustão) é denominada de relação
ou taxa de compressão.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Introdução ao motor

► Princípio de funcionamento do motor de combustão interna

Desta forma a expressão que determina o valor


da taxa ou relação de compressão é dada
por:
1 2

Os valores relativos a taxas de compressão


variam entre motores a gasolina e Diesel.
Se para motores a gasolina (4 tempos) são
usuais relações de compressão entre 7:1 e
12:1. Nos motores Diesel é comum
encontrarmos relações de compressão 7:1 e
12:1 ou 15:1 e 24:1.

Quanto maior for a relação de compressão


maior será a pressão obtida no final da
compressão. Fig. 18 – Imagem de um motor AUDI 1.4 l TSFI
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Introdução ao motor

► Princípio de funcionamento do motor de combustão interna

Relativamente à relação de compressão


devemos compreender que quanto maior
for a relação ou taxa de compressão maior
é a pressão que se obtém no final da
compressão.

Fig. 19 – Ilustração de um motor com relação de compressão


TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Introdução ao motor

► Motor a gasolina

O motor a gasolina transforma a energia


calorífica produzida pela combustão de um
carburante, em energia mecânica que será
transmitida às rodas do veículo.
O carburante constituído por uma mistura de
ar e gasolina (mistura gasosa), é queimado no
interior dos cilindros do motor.

Nestes motores, a elevada velocidade de


propagação da chama no decorrer da
combustão da mistura ar/gasolina, provoca um
efeito que se assemelha a uma explosão, pelo
que este tipo de motor é também denominado
de motor de explosão.
Outra das denominações do motor a gasolina
é motor de ignição comandada ou ignição
por faísca, pois a sua combustão inicia-se por
uma descarga elétrica de elevada tensão no
interior da câmara de combustão. Fig. 20 – Ilustração de um motor a gasolina
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Introdução ao motor

► Funcionamento do motor a gasolina

A mistura gasosa ar/gasolina é


introduzida no interior do cilindro
(câmara de combustão).
É comprimida por um êmbolo ou
pistão, e depois, inflamada através
de vela de ignição.
Ao inflamar-se, ocorre a combustão
da mistura gasosa que expandir-se
faz mover o pistão.
Posteriormente, o pistão expulsa os
gases queimados para o exterior.

Fig. 21 – Ilustração de um sistema de injeção direta a gasolina


TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Introdução ao motor

► Funcionamento do motor a gasolina

O movimento retilíneo de cada


pistão para cima e para baixo no
interior do cilindro é transformado
em movimento rotativo por um
veio de manivelas (cambota)
através de uma biela, o qual é
transmitido às rodas do veículo
através dos orgãos do sistema de
transmissão (embraiagem, caixa de
velocidades, veio de transmissão,
diferencial).

Fig. 22 – Ilustração de sistema pistão e veio de manivelas


TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Introdução ao motor

► Funcionamento do motor a gasolina

Uma árvore de cames ou veio de


excêntricos movida pela
cambota, aciona as válvulas de
admissão e escape que se
encontram localizadas na parte
superior dos cilindros.

As válvulas de admissão
controlam a entrada da mistura
gasosa (ar/gasolina) nos cilindros e,
as válvulas de escape controlam a
saída dos gases queimados
provenientes da combustão, para
exterior.

Fig. 23 – Ilustração de pistão de um motor 1.4 l TSFI


TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Introdução ao motor

► Motor Diesel

O motor diesel ou de ignição por


compressão opera uma
transformação da energia calorífica
produzida pela combustão de gasóleo
em energia mecânica, transmitida por
sua vez ao eixo motriz.

Trata-se pois, de um motor de


êmbolo com movimento alternativo
com formação interna de mistura
(heterogénea) e auto ignição.

Fig. 24 – Ilustração de um motor 3.0 L V6 TDI


TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Introdução ao motor

► Motor Diesel

Neste tipo de motores é aspirado ar


puro, que, submetido à elevada
pressão resultante da compressão,
atinge uma temperatura
suficientemente elevado para
assegura a inflamação do
combustível – gasóleo – à medida
que é injetado no volume de ar.

Dado que o ar admitido se encontra a


uma pressão elevada , é necessário
que o combustível seja injetado a
uma pressão igualmente elevada,
seja indispensável um sistema de
injeção a alta pressão. Fig. 25 – Ilustração de um motor 2.0 l TDI
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Introdução ao motor

► Motor Diesel

Este tipo de motor utiliza-se na quase totalidade


dos veículos rodoviários pesados, em navios e em
algumas instalações estacionárias de potência e
locomotivas, em todo o caso o seu uso em
veículos automóveis é, nos dias de hoje muito
mais importante, mercê da evolução tecnológica
operada na sua conceção e construção

Com a utilização generalizada da


sobrealimentação e de novos sistemas de
injeção, os motores diesel evoluíram ao nível da
suavidade, ruído, consumo de combustível, e
principalmente prestações sendo atualmente
mesmo utilizados em veículos desportivos.
Em termos de gases poluentes produzidos, trata-
se de um motor menos poluente que o a
gasolina, ainda que o facto de produzir
partículas de fuligem e óxidos de azoto (Nox)
determina o desenvolvimento de sistema de
Fig. 26 – Ilustração do AUDI TDI de Le Mans
controlo de gases.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Introdução ao motor

► Funcionamento do motor Diesel

Inicialmente o ar é admitido no interior


do cilindro (câmara de combustão),
sendo comprimido pelo êmbolo no
tempo de compressão resultando numa
aumento da temperatura e pressão.

Após a referida compressão do ar ocorre a


injeção do combustível no interior do
cilindro, que em contato com o ar
extremamente quente e comprimido se
auto inflama.

Ao inflamar-se dá-se a combustão da


mistura gasosa que ao expandir-se faz
mover o êmbolo.
No tempo seguinte ocorre a expulsão dos
gases decorrentes da queima para o
exterior.
Fig. 27 – Ilustração de pistão de um motor 2.0 L TDI
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Introdução ao motor

► Funcionamento do motor Diesel

Tal como no motor a gasolina, o


movimento do êmbolo é
transformado em movimento de
rotação com recurso ao veio de
manivelas (cambota) que se
encontra ligada ao êmbolo pela
biela.
Este movimento rotativo é
transmitido às rodas motrizes
através dos órgãos do sistema de
transmissão do veículo.

Fig. 28 – Ilustração de sistema de transmissão por corrente


TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

CLASSIFICAÇÃO E
FUNCIONAMENTO DE UM MOTOR

Fig. 29 – Ilustração do funcionamento de um motor


TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Classificação e funcionamento de um motor

► Introdução

Com o objetivo de otimizar o


funcionamento do motor, bem
como obter o rendimento máximo
foram sendo desenvolvidos e
implementados diversos métodos
alternativos de construção
mecânica resultante numa vasta
variedade de modelos e tipos de
motores que importa classificar e
detalhar as diferenças.

Fig. 30 – Ilustração da construção de um motor


TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Classificação e funcionamento de um motor

► Tipos de motores – ciclo de operação

Motor de êmbolos com movimento alternado


Êmbolo ou pistão
Os motores de êmbolo com
movimento alternado operam com
ar comprimido ou com uma mistura
ar/combustível no cilindro de
serviço, ou ainda através da injeção
Biela
de combustível no ar comprimido a
temperatura elevada de forma a
iniciar a combustão.

O veio de manivelas ou cambota


converte o movimento linear dos
êmbolos em movimento rotativo,
através de um sistema
biela/manivela. Cambota

Fig. 31 – veio de manivelas ou cambota


TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Classificação e funcionamento de um motor

► Tipos de motores – ciclo de operação

Motor de êmbolos com movimento rotativo

Embora tenham existido diversas


tentativas de utilização de motores,
cujo funcionamento não assente no
sistema biela-manivela, o único
motor com algum sucesso foi o
motor rotativo Wankel, que foi
aplicado em automóveis e motos.

O motor rotativo é um motor com


êmbolo não convencional, em que
o mecanismo do eixo de comando
de válvula é substituído por uma
unidade de comando excêntrica,
operada por um pistão rotativo.

Fig. 32 – Ilustração de um motor Wankel


TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Classificação e funcionamento de um motor

► Tipos de motores – ciclo de operação

Motor de êmbolos com movimento rotativo

O pistão forma as câmaras de combustão Admissão Compressão


na medida que se desloca no interior de
Coletor de admissão
uma cavidade com formato oval.
O rotor corresponde a um triângulo com
paredes laterais convexas, que ao rodar os
seus três vértices seguem a parede da Coletor de escape
referida cavidade oval, para formar três
câmara de deslocamento variáveis, vedadas Explosão Escape
mutuamente, espaçadas em intervalos de
120º.
Rotor

Cada uma destas câmaras acomoda um


ciclo completo de combustão de quatro
tempos, durante cada rotação completa do
rotor triangular, o motor completa o ciclo de
quatro tempos três vezes.
Fig. 33 – Representação do ciclo de funcionamento num motor Wankel
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Classificação e funcionamento de um motor

► Tipos de motores – ciclo de operação

Motor de turbina

O ar admitido na turbina passa pelo Compressor de alta pressão


compressor sofrendo um aumento de
Ventoinha Turbina alta pressão
temperatura e pressão sendo direccionado Veio de
alta pressão
para uma câmara de combustão
onde,misturado com o combustível injectado
inicia um processo de combustão após
ignição.

Os gases quentes e a grande pressão


provenientes da câmara de combustão são
dirigidos para uma turbina que se encontra
ligada ao compressor por um veio, de forma a Turbina
baixa pressão
aproveitar esses mesmos gases para o Câmara
acionamento do compressor. Compressor baixa pressão combustão Bocal
Deste modo, o ar “acelerado” na turbina, Veio de baixa pressão
gera uma força capaz de implusionar o
veículo. Fig. 34 – Ilustração de um motor de turbina
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Classificação e funcionamento de um motor

► Tipos de motores – modo de funcionamento

Denomina-se ciclo operativo ou ciclo de


trabalho à sucessão de operações que são
realizadas no interior de cada cilindro e, se
repetem de uma forma periódica. A duração
do ciclo operativo é medido pelo número de
ciursos que o êmbolo tem de efetuar para
realizar um ciclo operativo completo.
O tipo de ciclo operativo determina a
classificação segundo o modo de
funcionamento.

Quando o ciclo operativo completo se


realiza em 4 (quatro) cursos do êmbolo,
diz que se trata de um ciclo a 4 (quatro)
tempos.
Quando o ciclo operativo se realiza em 2
(dois) cusros do êmbolo. diz-se que se Fig. 35 – Ilustração de um dos tempos do ciclo de funcionamento
trata de um ciclo a 2 (dois) tempos. do motor
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Classificação e funcionamento de um motor

► Tipos de motores – modo de funcionamento

Motor a 4 (quatro) tempos

Como sabemos, um ciclo de trabalho de


um motor de combustão interna
apresenta quatro fases – admissão,
compressão, expansão e escape.

Nos motores a 4 (tempos), estas quatro


fases realizam-se em quatro tempos, ou
seja em quatro cursos de pistão, ou
ainda em duas rotações da cambota.

Note-se que num motor a 4 (quatro)


tempos apenas há um tempo motor.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Classificação e funcionamento de um motor

► Tipos de motores – modo de funcionamento

Motor a 4 (quatro) tempos (Gasolina)

Primeiro tempo – Admissão

No ínicio do tempo de admissão o êmbolo está


no PMS. O êmbolo começa a descer e, nesse
instante as válvulas de admissão abrem e a
mistura gasosa fresca (ar(combústivel) que está
no colector de admissão, é aspirada pelo efeito de
sucção do êmbolo que desce, devido à depressão
que se cria no interior do cilindro.
Os gases da mistura gasosa vão enchendo o
cilindro ocupando o espaço vazio no seu interior.

Quando o êmbolo chega ao PMI, as válvulas de


admissão fecham ficando os gases da mistura
gasosa encerrados no interior do cilindro.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Classificação e funcionamento de um motor

► Tipos de motores – modo de funcionamento

Motor a 4 (quatro) tempos (Gasolina)

Primeiro tempo – Admissão

No tempo de admissão, o êmbolo deslocou-se


do PMS ao PMI e, o veio da cambota realizou
meia volta (180ª).
Este tempo tem a designação de admissão
uma vez que é no seu decurso que ocorre a
admissão da mistura gasosa no cilindro.

Na realidade, as válvulas não abrem quando o


êmbolo se encontra exactamente no PMI ou
PMS, ocoorendo a abertura das válvulas de
admissão um pouco antes do êmbolo atingir
o PMS, quando as válvulas de escape ainda
se encontram abertas. Este fenómeno é
denominado de cruzamento de válvulas.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Classificação e funcionamento de um motor

► Tipos de motores – modo de funcionamento

Motor a 4 (quatro) tempos (Gasolina)

Segundo tempo – Compressão

No ínicio do tempo de compressão o êmbolo


encontra-se no PMI. O êmbolo começa a subir,
deslocando-se do PMI ao PMS estando as
válvulas de admissão e de escape fechadas.
Os gases da mistura gasosa que encheram o
cilindro durante a admissão, vão ocupando um
espaço cada vez mais reduzido, á medida que
o cilindro se aproxima do PMS, comprimindo-
se até ocuparem somente o que resta entre
a face superior do êmbolo, PMS e o topo do
cilindro.
A este espaço designamos de câmara de
combustão.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Classificação e funcionamento de um motor

► Tipos de motores – modo de funcionamento

Motor a 4 (quatro) tempos (Gasolina)

Segundo tempo – Compressão

Durante o tempo de compressão, o êmbolo


deslocou-se do PMI ao PMSe a cambota,
enquanto isso, deu outra meia volta (180ª).

A mostura gasosa é comprimida até


ocuparapenas a câmara de combustão.
Nesta fase, devido à compressão, a mistura
está mais quente e, também mais
homogénea estando mais misturados o ar e
o combustível.

O tempo de compressão serviu, pois, para


preparar a mistura de forma a que esta esteja
nas melhores condições para a combustão que
se realizará de seguida.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Classificação e funcionamento de um motor

► Tipos de motores – modo de funcionamento

Motor a 4 (quatro) tempos (Gasolina)

Terceiro tempo – Combustão/Expansão

Finalizado o tempo de compressãoo êmbolo


está no ponto PMS, encontrando-se os gases
da mistura gasosa fortemente comprimidos
na câmara de combustão. A vela de ignição
faz saltar uma faísca, que vai provocar a
inflamação e combustão dos gases da
mistura gasosa. Está combustão rápida á qual
usualmente denominamos de explosão provoca
uma forte expansão dos gases queimados.

A expansão dos gases faz deslocar o êmbolo


do PMS ao PMI e, este por sua vez, transmite
movimento pela biela, à cambota e volante do
motor.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Classificação e funcionamento de um motor

► Tipos de motores – modo de funcionamento

Motor a 4 (quatro) tempos (Gasolina)

Terceiro tempo – Combustão/Expansão

Durante o deslocamneto do êmbolo, as


válvulas de admissão e escape encontram-
se fechadas e, a cambota efetua uma
terceira meia volta (180º).
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Classificação e funcionamento de um motor

► Tipos de motores – modo de funcionamento

Motor a 4 (quatro) tempos (Gasolina)

Quarto tempo – Escape

Ao iniciar-se este tempo, o êmbolo está no PMI, as


válvulas de escape abrem e o êmbolo ao deslocar-
se no sentido ascendente, empurra os gases
queimados para o exterior através do coletor de
escape. Quando o êmbolo alcança o PMS as válvulas
de escape fecham-se.

No tempo de escape, o êmbolo desloca-se do PMI


ao PMS e a cambota gira outra meia volta (180º).
Quando o êmbolo inicia de novo o movimento
descendente, a partir do PMS, as válvulas de
admissão abrem e, repetem-se todas as fases
anteriores da mesma forma e na mesma ordem,
enquanto o motor estiver em funcionamento.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Classificação e funcionamento de um motor

► Tipos de motores – modo de funcionamento

Motor a 4 (quatro) tempos (Gasolina)

Quarto tempo – Escape

Devemos, no entanto referir que em rigor as


válvulas não abrem quando o êmbolo se
encontra exactamente no PMS ou PMI.
Na realidade as válvulas de escape abrem
abrem ainda antes do êmbolo atingir o PMI
porque assim, a pressão de combustão residual
promove desde logo a saída de parte dos
gases queimados pelas válvulas de escape.

As válvulas de escape fecham após o êmbolo


passar pelo PMS favorecendo a troca de gases
(ajuda a expulsão dos gases queimados e a
aspiração da mistura fresca).
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Classificação e funcionamento de um motor

► Tipos de motores – modo de funcionamento

Motor a 4 (quatro) tempos (Gasolina)

Ao conjunto das quatro operações distintas


(admissão, compressão, combustão/expansão
e escape) designamos de ciclo a 4 (quatro)
tempos.

Como a cada tempo do motor corresponde


meia volta da cambota, o ciclo é realizado em
quatro meias voltas ou seja, em duas voltas
completas da cambota (720º).

.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Classificação e funcionamento de um motor

► Tipos de motores – modo de funcionamento

Motor a 4 (quatro) tempos (Gasolina)

A expansão, ao empurrar o êmbolo, faz a


cambota rodar meia volta (180º); o volante do
motor, unido à cambota recebe um impulso que
serve para que ele continue a rodar nas três
meias voltas seguintes fazendo com que o
êmbolo suba para se efetuar o escape, desça
para a admissão e volte a subir para a
compressão.

Estes três tempos (escape, admissão e


compressão) são realizados, pois às custas da
energia cinética armazenada no volante do
motor durante o tempo de
combustão/expansão.
Em cada cilindro do motor há uma combustão
para cada duas voltas da cambota.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Classificação e funcionamento de um motor

► Tipos de motores – modo de funcionamento

Motor a 4 (quatro) tempos (Diesel)

Primeiro tempo – Admissão

No início do tempo de admissão o êmbolo


encontra-se no ponto morto superior (PMS).
Em seguida, o êmbolo inicia o movimento
descendente, e no mesmo instante as válvulas
de admissão abrem e o ar que está no coletor Ar
de admissão é aspirado em resultado do
efeito de sucção do êmbolo que desce devido
à depressão que se cria no interior do cilindro.

O ar vai preenchendo o espaço vazio interior do


cilindro. Quando o êmbolo chega ao ponto
morto inferior (PMI) as válvulas de admissão
fecham , ficando o ar encerrado no interior do
cilindro.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Classificação e funcionamento de um motor

► Tipos de motores – modo de funcionamento

Motor a 4 (quatro) tempos (Diesel)

Primeiro tempo – Admissão

Em rigor devemos referir que, as válvulas


de admissão abrem, um pouco antes do
instante que o êmbolo atinge o PMS
,quando as válvulas de escape ainda se
encontram abertas. A inércia dos gases de
escape ainda a sair a grande velocidade
pela respetiva válvula promovem a
aspiração do ar fresco, bem ajudam no
processo de lavagem do cilindro. Este
fenómeno é denominado de cruzamento de
válvulas.

Neste tempo de admissão, o êmbolo


deslocou-se do PMS ao PMI, sendo que o
veio da cambota realizou meia volta (180º).
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Classificação e funcionamento de um motor

► Tipos de motores – modo de funcionamento

Motor a 4 (quatro) tempos (Diesel)

Segundo tempo – Compressão

Aquando do começo do tempo da compressão , o


êmbolo encontra-se no PMI. O êmbolo inicia o
movimento ascendente, deslocando-se do PMI
ao PMS , enquanto que as válvulas de admissão Ar comprimido
e escape se encontram fechadas.

O ar que preencheu todo o cilindro durante o tempo


da admissão, vai agora ocupando um espaço cada
vez mais reduzido, à medida que o êmbolo vai-se
aproximando do PMS , sendo comprimido até
ocupar unicamente o espaço que resta entre a
face superior do êmbolo e o topo do cilindro, no
PMS.
Este espaço é denominado de câmara de
combustão.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Classificação e funcionamento de um motor

► Tipos de motores – modo de funcionamento

Motor a 4 (quatro) tempos (Diesel)

Segundo tempo – Compressão

Nos motores Diesel de injeção direta, parte da


câmara de combustão corresponde a uma
cavidade inserida na coroa do êmbolo.

No caso dos motores Diesel de injeção indireta,


existe uma pré-câmara de combustão, que
comunica com a câmara de combustão através
de uma passagem estreita.

Desta forma, o ar é comprimido até ocupar


apenas a câmara de combustão (injeção direta)
ou a câmara de combustão mais a pré-câmara
de combustão.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Classificação e funcionamento de um motor

► Tipos de motores – modo de funcionamento

Motor a 4 (quatro) tempos (Diesel)

Segundo tempo – Compressão

Nesta fase, devido à compressão, o ar


apresenta-se a uma temperatura
bastante elevada.

Durante o tempo de compressão, o êmbolo


deslocou-se do PMI ao PMS e a cambota,
enquanto isso, realizou outra meia volta
(180º).
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Classificação e funcionamento de um motor

► Tipos de motores – modo de funcionamento

Motor a 4 (quatro) tempos (Diesel)

Terceiro tempo – Expansão

Finalizado o tempo de compressão o êmbolo


encontra-se no PMS, estando o ar fortemente Injeção combústivel
comprimido na câmara de combustão.

Neste instante, o combustível é injetado no


interior do cilindro através de injetores que, em
contacto com o ar quente (700ºC a 900ºC) e
comprimido (40 a 60 bar) inflama-se iniciando
a combustão. Esta combustão provoca uma
forte expansão dos gases queimados.
A expansão dos gases queimados faz deslocar o
êmbolo do PMS para o PMI e, este por sua vez,
transmite movimento através da biela, à cambota
e volante do motor.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Classificação e funcionamento de um motor

► Tipos de motores – modo de funcionamento

Motor a 4 (quatro) tempos (Diesel)

Terceiro tempo – Expansão

Durante o deslocamento do êmbolo,


as válvulas de admissão e escape
permanecem fechadas e, a cambota
efetua uma terceira meia volta (180º).
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Classificação e funcionamento de um motor

► Tipos de motores – modo de funcionamento

Motor a 4 (quatro) tempos (Diesel)

Quarto tempo – Escape

Ao iniciar-se o tempo de escape, o


êmbolo encontra-se no PMI, as
válvulas de escape abrem e o
êmbolo, ao deslocar-se no percurso
ascendente, empurra os gases
resultantes da combustão,
expulsando-os para o exterior para
o coletor de escape, através das
válvulas de escape.

Quando o êmbolo alcança o PMS, as


válvulas de escape fecham-se.
No curso de escape do êmbolo, do
PMI ao PMS, a cambota gira outra
meia volta (180º).
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Classificação e funcionamento de um motor

► Tipos de motores – modo de funcionamento

Motor a 4 (quatro) tempos (Diesel)

Quarto tempo – Escape

Quando o êmbolo inicia de novo


o movimento, a partir do PMS,
as válvulas de admissão abrem
e, repetem-se todas as fases
anteriores da mesma forma e na
mesma ordem, enquanto o motor
estiver em funcionamento.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Classificação e funcionamento de um motor

► Tipos de motores – modo de funcionamento

Motor a 2 (dois) tempos

Conforme observamos anteriormente, um motor


funcionando segundo o ciclo a 4 (quatro) tempos
possui apenas um tempo motor em cada quatro, o que
representa enormes desvantagens, como sejam uma certa
irregularidade de funcionamento, que se atenua
agrupando vários cilindros à mesma cambota e utilizando
um volante de inércia.

Outro dos inconvenientes é apresentar baixa potência


especifica (potência por unidade de massa ou de volume).
Desta forma, para encurtar a fase não motora do ciclo
operativo eliminam-se os tempos de admissão e
escape.
A fase da admissão realiza-se durante uma parte do
tempo da compressão e a fase do escape durante uma
parte do tempo da expansão.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Classificação e funcionamento de um motor

► Tipos de motores – modo de funcionamento

Motor a 2 (dois) tempos

Neste tipo de motores não é utilizado o


sistema de distribuição por válvulas
aplicado nos motores a 4 (quatro) tempos,
não existindo portanto, válvulas de
admissão e escape.

Em sua substituição , a mistura fresca e


os gases queimados entram e saem do
cilindro, através de aberturas feitas nas
paredes dos cilindros denominadas de
janelas, que são fechadas e abertas
pelo êmbolo no seu movimento linear.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Classificação e funcionamento de um motor

► Tipos de motores – modo de funcionamento

Motor a 2 (dois) tempos

As aberturas laterais referidas apresentam diferentes


denominações:

1. Janela de transferência ou carga – permite a


comunicação entre o cárter e o cilindro.

2. Janela de escape – posicionada em frente à


janela de carga, numa localização ligeiramente
acima, possibilita a comunicação entre o cilindro e
a atmosfera, através das condutas de escape.

3. Janela de admissão – localizada numa posição


inferior relativamente à janela de escape permite
as trocas entre o cárter e as condutas de
admissão.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Classificação e funcionamento de um motor

► Tipos de motores – modo de funcionamento

Motor a 2 (dois) tempos

Primeiro tempo:

No final da fase de compressão o


êmbolo encontra-se no ponto morto
superior (PMS). Neste momento, em que a
mistura gasosa (ar/combustível) se
apresenta a uma elevada temperatura e
pressão na câmara de combustão do
cilindro, a vela de ignição fornece uma
faísca provocando uma explosão e,
consequentemente, a combustão da
mistura ar/combustível.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Classificação e funcionamento de um motor

► Tipos de motores – modo de funcionamento

Motor a 2 (dois) tempos

Primeiro tempo:

A expansão rápida dos gases faz com


que o êmbolo inicie um curso
descendente em direção ao ponto
morto inferior (PMI) .
No início deste percurso descendente, as
janelas escape e de carga estão
fechadas pelo êmbolo enquanto que a
janela de admissão se encontra aberta.

Como a janela de admissão se encontra


aberta, a mistura ar/combustível é
aspirada das condutas de admissão
para o cárter.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Classificação e funcionamento de um motor

► Tipos de motores – modo de funcionamento

Motor a 2 (dois) tempos

Primeiro tempo:

Continuando o seu movimento descendente, o


êmbolo continua a fechar as janelas de carga e
escape, passando a encerrar igualmente a janela
de admissão, causando a compressão da
mistura gasosa que foi aspirada para o cárter.

Seguindo o percurso descendente, o êmbolo


permite a abertura da janela de escape,
possibilitando a saída dos gases queimados
resultantes da combustão para o exterior.

Descendo ainda mais, o êmbolo descerra a janela


de carga ou transferência permitindo a
comunicação entre o cárter e o interior do
cilindro.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Classificação e funcionamento de um motor

► Tipos de motores – modo de funcionamento

Motor a 2 (dois) tempos

Primeiro tempo:

Com a janela de carga totalmente aberta,


a mistura gasosa ar/combustível é
transferida para o interior do cilindro,
deslocando os restantes gases
queimados para o exterior, através da
janela de escape. Devido a este fenómeno
esta fase é denominada de lavagem.

Desta forma, o êmbolo atinge o ponto


mais baixo do seu curso descendente,
ou seja, o ponto morto inferior (PMI).
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Classificação e funcionamento de um motor

► Tipos de motores – modo de funcionamento

Motor a 2 (dois) tempos

Segundo tempo:

Quando o êmbolo inicia o seu


movimento ascendente, a partir do PMI
os gases frescos pré-comprimidos no
cárter continuam a passar para o interior
do cilindro saindo conjuntamente com
os gases de escape.

Entretanto o êmbolo fecha a janela de


carga, deixando de entrar gases frescos
para o interior do cilindro, terminado a
fase da admissão.

Por outro lado, continuando a subir, o


êmbolo encerra a janela de escape , dando
por terminada a fase de escape.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Classificação e funcionamento de um motor

► Tipos de motores – modo de funcionamento

Motor a 2 (dois) tempos

Segundo tempo:

Á medida que o êmbolo se aproxima


do PMS, a mistura gasosa
ar/combustível vão sendo cada vez
mais comprimidos no interior do
cilindro, enquanto que no cárter vai
surgindo uma depressão resultante do
movimento ascendente.

Por sua vez, o êmbolo vai destapando


a janela de admissão que, devido à
referida depressão no cárter faz
entrar uma nova mistura
ar/combustível das condutas de
admissão.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Classificação e funcionamento de um motor

► Tipos de motores – modo de funcionamento

Motor a 2 (dois) tempos

Segundo tempo:

No interior do cilindro, e à medida


que o êmbolo se aproxima do PMS
, a mistura gasosa vai estando
mais próxima do ponto máximo
de compressão, saltando a
faísca na vela de ignição, e
consequente inflamação da
mistura e novo ciclo de trabalho..
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Classificação e funcionamento de um motor

► Tipos de motores – modo de funcionamento

Motor a 2 (dois) tempos

Se o motor funcionasse idealmente, os


gases queimados e o ar fresco não se
misturariam, e a totalidade dos gases
queimados sairia do cilindro e nenhuma
parte da mistura gasosa ar/combustível
seria libertada com os gases de escape.

Na realidade, nenhuma destas condições


se verifica, implicando um consumo
mais elevado e a emissão de gases
poluentes (hidrocarbonetos não
queimados) pelo escape.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Classificação e funcionamento de um motor

► Tipos de motores – número de cilindros

Um motor de combustão interna deve


possuir uma estrutura suficientemente
rígida para suportar as elevadas pressões
e velocidades a que poderá estar sujeito.
Esta estrutura é constituída por três partes:

1. Cabeça do motor, que se encontra numa


extremidade (topo).

2. Bloco do motor ou dos cilindros,


geralmente a parte estrutural do motor.

3. Cárter, que constitui a parte inferior do


motor.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Classificação e funcionamento de um motor

► Tipos de motores – número de cilindros

Motor monocilíndrico

No caso dos motores com um único


cilindro, estes terão de possuir grandes
dimensões.
O êmbolo e a biela serão grandes, o
volante do motor muito pesado, e a
cambota robusta.
O excessivo peso das massas em
movimento e o forte impulso (todo o esforço
motor) que a cambota receberia em cada
duas voltas, tornaria difícil um
funcionamento equilibrado do motor. Pelo
que o motor um motor monocilíndrico
não é recomendado para a utilização
num veículo automóvel.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Classificação e funcionamento de um motor

► Tipos de motores – número de cilindros

Motor multicilíndrico

Num motor de vários cilindros ou


multicilíndrico a mesma potência é
obtida, com a utilização de um maior
número de componentes móveis de
menores dimensões e peso.

A cambota em vez de receber todo o


esforço motor em cada duas voltas
(como no caso do motor de um cilindro)
recebe-o ao longo dessas duas voltas
repartindo em vários impulsos (tantos
quanto o número de cilindros.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Classificação e funcionamento de um motor

► Tipos de motores – disposição dos cilindros

Os motores com uma estrutura multicilíndrica podem


apresentar diferentes disposição dos cilindros:

1. Motor de cilindros em linha.

2. Motor de cilindros em V.

3. Motor de cilindros em W.

4. Motor de cilindros horizontas opostos.

5. Motor radial.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Classificação e funcionamento de um motor

► Tipos de motores – disposição dos cilindros

Motor de cilindros em linha

Esta disposição corresponde à


disposição mais utilizada por ser a
mais económica e simples, sendo
que se trata de um único bloco onde
se encontram os cilindros alinhados.

A principal desvantagem desta


disposição dos cilindros em relação
às outras disposições (para o
mesmo número de cilindros) está
relacionada com a dimensão que
a cambota terá forçosamente de
apresentar.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Classificação e funcionamento de um motor

► Tipos de motores – disposição dos cilindros

Motor de cilindros em V

Os cilindros são dispostos em dois


blocos que se unem em V formando um
ângulo de 90º.
Os dois blocos têm uma cambota comum.
Tem a vantagem de ser mais curto que o
bloco em linha para o mesmo número de
cilindros.
Trata-se do sistema mais utilizado
quando o número de cilindros é de
seis ou mais.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Classificação e funcionamento de um motor

► Tipos de motores – disposição dos cilindros

Motor de cilindros em W

Esta configuração é semelhante à V no


entanto possui três blocos de cilindros.
Desta forma constroem-se vários
cilindros, normalmente doze, ocupando
menos espaço que um motor de doze
cilindros em V.

Podemos então referir como vantagens


o volume e comprimento mais
reduzidos do bloco, ainda que o custo
seja elevado.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Classificação e funcionamento de um motor

► Tipos de motores – disposição dos cilindros

Motor de cilindros horizontais opostos

Neste caso existem duas bancadas que


se opõem horizontalmente

Apresentam a vantagem de ser um


motor muito equilibrado, pois o
movimento de um êmbolo é
compensado pelo outro que se desloca
em sentido contrário. Obtém-se
igualmente um centro de gravidade
mais baixo, com consequências
benéficas em termos de estabilidade do
veículo.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Classificação e funcionamento de um motor

► Tipos de motores – disposição dos cilindros

Motor radial

Motores radiais, também chamados motores


em estrela - são motores de combustão
interna de simetria radial, com pistões
dispostos em torno de um ponto central
na cambota.

Esta configuração foi muito utilizada para


mover os hélices de aeronaves, pelo que têm
tido uma maior aplicação na indústria
aeronáutica, sendo raros em outros tipos
de veículos.

.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Classificação e funcionamento de um motor

► Tipos de motores – Tipo de ignição

Motor a gasolina com ignição por faísca

Nos motores a gasolina com ignição por


faísca é utilizada uma mistura ar-
combustível fortemente comprimida.
Estando a uma pressão elevada, a mistura
deverá ser próxima de uma mistura
estequiométrica de forma a ser
químicamente inerte e inflamável.
A vela de ignição alimentada
eletricamente pela bateria faz “saltar”
uma faísca de forma a inflamar a mistura ar-
combustível quente e comprimida.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Classificação e funcionamento de um motor

► Tipos de motores – Tipo de ignição

Motor Diesel com ignição expontânea

Nos motores Diesel com ignição


expontânea a inflamação não é provocada
por uma faísca “lançada” por uma vela de
ignição, ocorrendo, por sua vez, a auto-
ignição ou ignição expontânea
decorrente da temperatura e pressão
existente na câmara de combustão.

Este processo de aumento de temperatura


do ar comprimido na câmara de combustão
é auxiliado por velas de incandescência
que ao receberm energia elétrica da bateria
aquecem e transferem essa energia térmica
para a mistura ar-combustível.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Classificação e funcionamento de um motor

► Tipos de motores – Tipo de enchimento do cilindro

Motor de aspiração

Denomina-se de motores de
aspiração ou atmosféricos os
motores em que o ciclo operativo ou
de funcionamento inicia-se à
pressão atmosférica, ou sem seja
sem compressão prévia.
A designação motor “aspirado” advém
do facto do ar ser aspirado pelo
movimento descendente do êmbolo,
criando uma depressão no interior
dos cilindros e, consequentemente o
seu enchimento.

Este tipo de motores não recorre a


nenhum tipo de sobrealimentação
(turbocompressor ou compressor
volumétricos.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Classificação e funcionamento de um motor

► Tipos de motores – Tipo de enchimento do cilindro

Motor sobrealimentado

Num motor sobrealimentado, a


entrada de ar no cilindro é forçada
pela ação do compressor que
aumenta a pressão nas condutas
de admissão. A turbina é
movimentdada pelo fluxo de gases de
escape e, por sua vez, transmite o
movimento ao compressor.

Nos motores sobrealimetados,


comparados com os motores
atmosféricos com a mesma
cilindrada, uma vez que o volume do
cilindro é o mesmo e a pressão de
admissão é superior a quantidade
de mistura disponível é também
superior.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Classificação e funcionamento de um motor

► Tipos de motores – Tipo de accionamento das válvulas

Motor com árvore de cames lateral

A distribuição tem a função de


controlar a entrada e saída dos gases
nos cilindros, através de válvulas
comandadas por um veios de
resaltos denominado de árvore de
cames.

Quando esta árvore de cames está


localizada lateralmente no bloco, o
acionamento das válvulas é realizado,
indirectamente, por uma alavanca
chamada de balanceiro, que recebem o
movimento dos cames através de
varetas que comunicam com os
impulsores que trabalham sobre os
referidos cames.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Classificação e funcionamento de um motor

► Tipos de motores – Tipo de accionamento das válvulas

Motor com uma árvore de cames à cabeça

Nos motores em que a árvore de


cames está colocada na cabeça do
motor, o movimento de abertura e
fecho das vávulas é transmitido
directamente, ou pelo menos de uma
forma mais facilitada.

Quando os motores apresentam uma


única árvore de cames são designados
de OHC – Overhead Camshaft ou
SOCH – Single Overhead Camshaft.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Classificação e funcionamento de um motor

► Tipos de motores – Tipo de accionamento das válvulas

Motor com duas árvores de cames à cabeça

Para a utilização de válvulas


dispostas angularmente aionadas
directamente oelos cames devemos
recorrer a dupla árvore de cames. Os
motores mais atuais que empregam
quatro vávulas por cilindro utilizam dupla
árvore de cames à cabeça ou, como
comumente é designado, DOHC –
Double Overhead Camshaft.

O comando da árvore de cames, apartir


da cambota é vulgarmente efectuado
por meio de correntes dentadas ou por
correias silenciosas, podendo
igualmente recorrer-se a um conjnto de
engrenagens.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Classificação e funcionamento de um motor

► Tipos de motores – Tipo de arrefecimento

Motor arrefecido a ar

O sistema de arrefecimento promove a


passagem de ar directamente na
suprefície do motor para o seu
arrefecimento, sendo utilizadas alhetas
de forma a intensificar a transferência
de calor. A corrente de ar será
proveniente da deslocação do veículo
(vulgar em motociclos) ou será
originada por um ventilador.(circulação
forçada). .
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Classificação e funcionamento de um motor

► Tipos de motores – Tipo de arrefecimento

Motor arrefecido por líquido de refrigeração

Como a água tem uma alta capacidade


específica de calor e assegura uma transição
térmica eficiente entre os materiais, a maioria
dos veículos automóveis utiliza este fluido no
sistema de arrefecimento, sendo o mais
comum o sistema com recirculação ar/água.

Este sistema consiste num circuito fechado


que permite o uso de aditivos anti corrosão e
anti congelamento. O líquido de arrefecimento
é bombeado para o motor e radiador ar/água.
O ar de arrefecimento flui através do radiador
resultado do movimento do veículo e/ou
forçado por um ventilador. A temperatura do
líquido de arrefecimento é regulada por uma
válvula termostática que realiza o bypass do
radiador, quando necessário..
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

ORGÃOS DO MOTOR

Fig. 4 – Ilustração de diversos componentes de um motor


TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Órgãos do motor

► Bloco do motor

Introdução

O bloco do motor constitui o elemento


estrutural base do motor, sendo
efetivamente o componente principal do
motor.
Dado que é neste órgão que os cilindros se
encontram dispostos é também
denominado de bloco de cilindros.

O bloco do motor serve de suporte à


maioria dos componentes internos e
externos. Ao bloco do motor, encontram-se
fixados diversos órgãos do motor, tais
como a cambota, a cabeça do motor, a
distribuição, o alternador, a bomba de
óleo, o cárter inferior, ou ainda outros.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Órgãos do motor

► Bloco do motor

Introdução

O bloco do motor deve possuir as seguintes


caraterísticas:

1. Deve apresentar um determinada


rigidez, de forma a suportar e resistir aos
esforços elevados provocados pelas
combustões nos cilindros.

2. Deve assegurar, por condução e


convecção, a evacuação de parte do
calor gerado nas combustões que
ocorrem nos cilindros.

3. Deve possuir a capacidade de resistir à


corrosão provocada pelo líquido de
refrigeração.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Órgãos do motor

► Bloco do motor

Material do bloco

Tradicionalmente os blocos de cilindros


eram fabricados em ferro fundido,
material resistente, económico e fácil de
trabalhar.

No entanto, cada vez mais se utilizam


ligas leves para os blocos, de forma a
obter uma redução de peso e melhoria
no processo de transferência de calor.

Fig. – Representação de um motor 1,4 l


TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Órgãos do motor

► Bloco do motor

Material do bloco – Ferro fundido

A aplicação de ferro fundido na construção


do bloco de cilindros continua, nos dias de
hoje, a ser utilizado na grande maioria dos
veículos automóveis pelos diferentes
construtores.

Este material tem como principal vantagem,


proporcionar um boa rigidez. O ferro fundido
é ligado com metais como o níquel e o crómio.
Atualmente, é bastante utilizado um
determinado tipo de ferro fundido denominado
de ferro fundido G.S. (grafite esferoidal). Este
ferro fundido possui uma grande facilidade de
moldagem e, propriedades mecânicas
equivalentes às do aço, com exceção da
soldabilidade.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Órgãos do motor

► Bloco do motor

Material do bloco – Alumínio

. blocos constituídos por materiais como o


Os
alumínio estavam praticamente limitados aos
veículos desportivos das principais marcas
automóveis, ou à industria automobilística.

A sua utilização neste tipo de veículos advém


das mais valias para o funcionamento do motor.
Nomeadamente:

1. Apresentam um peso muito reduzido


comparativamente com o bloco em ferro
fundido.

2. Elevada capacidade de dissipação de


calor (boa condutividade térmica).
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Órgãos do motor

► Bloco do motor

Cilindros

No bloco do motor existem umas


cavidades cilíndricas onde deslizam os
êmbolos ou pistões. Estas cavidades
são denominadas de cilindros.

No entanto em alguns casos, os pistões


não se movimentam diretamente sobre
o bloco. Em vez disso são colocadas
camisas - elementos estáticos que
compõem a estrutura do bloco,
proporcionando um sistema fechado para
os gases em expansão, promovendo a
troca térmica do calor gerado na
combustão com o ar ou a água que circula
em seu redor.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Órgãos do motor

► Bloco do motor

Cilindros

Por outro lado, quando os cilindros são


talhados directamente no bloco do Cilindro
motor, deslocando-se o êmbolo ou
pistão no seu interior designam-se Bloco de cilindros
cilindros sem camisa. Pistão

Os blocos de motor com cilindros sem


camisa deverão ser fabricados em ferro
fundido de boa qualidade (ferro fundido
níquel-crómio) para resistir à corrosão
causada pelas combustões nos cilindros,
resistir ao desgaste produzido pelo
Cambota
deslocamento dos êmbolos.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Órgãos do motor

► Êmbolo
Concavidade de
Introdução assentamento das válvulas
Concavidade
. êmbolo, também denominado de
O na câmara de combustão
pistão, é o órgão do motor que recebe
diretamente o impulso provocado pela
expansão dos gases resultante da Coroa do êmbolo
combustão ar/combustível e, que será
transmitido à cambota por intermédio da
biela.

Tratando-se da parte móvel da câmara de


combustão fica submetida às altas
Canal de arrefecimento
temperaturas inerentes ao processo de
combustão , bem como aos esforços
mecânicos que advém da pressão
exercida pelos gases produzidos.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Órgãos do motor

► Êmbolo

Introdução

Como
. temos vindo a observar o êmbolo ou
pistão é um dos elementos sujeitos a
esforços mais elevados de um motor,
dado que é animado de velocidades
elevadas (até 25 m/s) em relação ao cilindro,
Pistão
tem que resistir a enormes pressões e
temperaturas resultantes da combustão e Cilindros em linha
transmitir a força resultante ao sistema
biela-manivela.
Bloco de cilindros
Para além disso, deverá assegurar boa
estanqueidade com o cilindro, bem como
dissipar para este o calor produzido pela
combustão, deve moldar-se perfeitamente
ao cilindro a quente e a frio e possuir uma
massa inercial reduzida.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Órgãos do motor

► Êmbolo

Introdução

O
. êmbolo ou pistão deverá possuir as
seguintes caraterísticas:

1. Elevada resistência mecânica de forma a


resistir às elevadas pressões provocadas
pela combustão.

2. Bom coeficiente de fricção relativamente


à camisa do cilindro.

3. Elevada resistência térmica para suportar


o calor gerado pela combustão. A dilatação
do êmbolo não pode excessiva, para que o
êmbolo não fique bloqueado no cilindro
(êmbolo gripado).
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Órgãos do motor

► Êmbolo

Introdução

O
. êmbolo ou pistão deverá possuir as
seguintes caraterísticas:

4. Boa condutibilidade térmica de Pistão


forma a dissipar o calor gerado da
combustão.

5. Peso reduzido, de modo a diminuir as


forças de inércia das peças móveis.
Esta diminuição das forças inerciais
geradas durante o movimento
alternativo permite o aumento da
velocidade do êmbolo e regimes de
rotação mais elevados.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Órgãos do motor

► Êmbolo

Constituição

. êmbolo é composto por duas partes fundamentais


O
– a cabeça e a saia.

A cabeça é constituída pela parte superior onde


estão localizadas as ranhuras porta-segmentos,
suportando a pressão exercida pelos gases de
combustão.

A saia é a parte inferior do êmbolo e tem como


função manter o seu alinhamento no cilindro e
para transferir calor para as paredes, o que ,a não
ocorrer, elevaria a temperatura do êmbolo para
valores incomportáveis, o que levaria à sua fusão.
Como a cabeça do pistão vai funcionar a
temperaturas muito mais elevadas do que a saia, o
seu diâmetro em frio é significativamente menor que o
da saia.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Órgãos do motor

► Êmbolo

Constituição

A
. o observarmos a cabeça do êmbolo
podemos identificar três partes fundamentais:

1. Coroa do êmbolo.
2. Face superior do êmbolo.
3. Zona ou caixa de segmentos.

A coroa do êmbolo, é a parte do êmbolo que


suporta diretamente as pressões e
temperaturas dos gases da combustão e, por
isso, está submetida aos valores mais elevados
de pressão e temperatura.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Órgãos do motor

► Êmbolo

Material

. s ligas de magnésio não são indicadas para as


A
altas temperaturas da combustão e as de titânio
são muito caras. Existem estudos para
desenvolvimento de pistões e camisas em fibra de
carbono o que iria eliminar os problemas
relacionados com a dilatação térmica, permitindo
inclusive a utilização de pistões sem segmentos,
beneficiando da redução de atrito.

A massa do pistão poderia ser reduzida para


cerca de dois terços de um pistão em alumínio.
Por outro lado, o uso deste material possibilita a
orientação das fibras constituintes de forma a
otimizar as solicitações mecânicas, as dilatações
térmicas e a transferência de calor.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Órgãos do motor

► Êmbolo

Material

. tualmente generalizou-se a utilização de ligas de


A
alumínio-sílicio do tipo hipo-eutéticas (8-10 % de
alumínio), sendo mais comuns as ligas do tipo
eutéticas (12%) e hiper-eutéticas (contendo até 16
% em alumínio).

Estas ligas apresentam menores coeficientes de


expansão térmica pelo que os pistões podem
ser fabricados com tolerâncias mais apertadas,
além de serem menos densas e mais resistentes,
tanto estruturalmente como ao desgaste.

Podem concluir que, hoje em dia os pistões são


mais curtos, mais finos e com menos massas que
há umas décadas atrás e com maior resistência ao
desgaste.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Órgãos do motor

► Cavilhão

Introdução

A
. ligação entre o êmbolo ou pistão e a
biela é efetuada através de um cavilhão de
aço muito resistente , permanecendo
geralmente livre (não solidário com o pistão
ou com a biela), e retido por freios alojados
em ranhuras no pistão.

O cavilhão trata-se de um eixo,


normalmente oco, de forma a reduzir o seu
peso, minimizando a massa inercial.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Órgãos do motor

► Cavilhão

Material

. m cavilhão de pistão, devido ao tipo de


U
trabalho que realiza, deve apresentar uma
superfície dura para resistir ao desgaste
superficial, e um núcleo flexível (dúctil) para
que não evidencie fragilidade,
resistindo as deformações elásticas que lhe são
impostas no funcionamento do motor, sendo
utilizados diferentes tipos de aços.

Estes aços são submetidos a três tratamentos


térmicos - cementação, têmpera e revenimento
para alivio de tensões.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Órgãos do motor

► Cavilhão

Tipos de fixação do cavilhão

. m termos de fixação do cavilhão ao pistão


E
podem distinguir três configurações de montagem
diferentes:

1. Cavilhão fixo ao êmbolo ou pistão.


2. Cavilhão fixo à biela.
3. Cavilhão “flutuante”.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Órgãos do motor

► Segmentos
Câmara de combustão
Introdução

D
. e forma a permitir a sua dilatação e
lubrificação, o pistão é concebido com
diâmetro inferior ao do cilindro, sendo
a estanqueidade conseguida com a
utilização de segmentos alojados nas
ranhuras porta-segmentos.

Os segmentos correspondem a anéis


circulares constituídos por ferro
macio, que nalguns casos podem sofrer
uma disposição eletrolítica de metais
duros, tais como o crómio, para diminuir
o atrito e aumentar a sua vida útil.
Porta-segmentos
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Órgãos do motor

► Segmentos

Introdução

. ara assegurarem uma vedação


P
eficiente, os segmentos são
cortados num ponto, apresentando
um diâmetro superior ao do
cilindro. Assim, quando introduzidos
no cilindro, comportam-se como uma
mola, permanecendo sobre pressão
no cilindro.

Os segmentos devem resistir ao


desgaste, corrosão e às vibrações.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Órgãos do motor

► Segmentos

Introdução

R
. elativamente à função desempenhada pelos
segmentos devemos destacar as seguintes:

1. Assegurar que não existem fugas de


gases oriundos da combustão para o
cárter durante as fases de compressão e
expansão, o que levaria a uma perda de
energia disponível para produzir o
deslocamento do êmbolo.

2. Garantir que o óleo de lubrificação, que


banha as paredes do cilindro ou camisa,
não passe para a câmara de combustão,
onde seria queimado, formando depósitos
de carvão que aderem às válvulas, coroa
do êmbolo e paredes da câmara de
combustão.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Órgãos do motor

► Segmentos

Tipos de segmentos

. e acordo com o papel desempenhado em termos


D
de funcionamento do conjunto cilindro-pistão podem
diferenciar dois tipos de segmentos:

1. Segmentos de compressão.

2. Segmentos de óleo.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Órgãos do motor

► Segmentos

Tipos de segmentos – Segmentos de compressão

. omo vimos os segmentos de


C
compressão apresentam como
funcionalidade assegurar a
estanqueidade entre o êmbolo e as
paredes do cilindro.

Os segmentos de compressão são


instalados nas fendas existentes na
cabeça do êmbolo por cima do cavilhão,
mais próximas da câmara de combustão e,
geralmente em número de dois.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Órgãos do motor

► Segmentos

Tipos de segmentos – Segmentos de compressão

O
. segmento superior, ou seja o que se
encontra montado mais a cima, é
denominado de segmento de fogo ou
corta-fogo ou ainda de segmento de
choque devido ao facto de ser o segmento
que suporta, diretamente a pressão da
combustão.

Este segmento de fogo apresenta uma


folga superior comparativamente com os
restantes, possuindo uma periferia
arredondada , de modo a que a fricção com
a parede do cilindro seja mais suave.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Órgãos do motor

► Segmentos

Tipos de segmentos – Segmentos de óleo

. s segmentos de óleo ou também


O
denominados de raspadores de óleo não
tem funções de estanqueidade, sendo
utilizado para controlo do óleo, evitando
que o mesmo fique depositado nas
paredes do cilindro ou camisa em
quantidade excessiva, que de outra
forma, poderia passar para a zona superior
do cilindro (câmara de combustão).

O óleo retirado por este segmento da


superfície do cilindro é encaminhado por
furos ou ranhuras existentes no segmento
e no êmbolo, para o seu interior, caindo por
gravidade para o cárter.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Órgãos do motor

► Segmentos

Material dos segmentos

Nos motores modernos o segmento de


fogo é colocado próximo do topo do
êmbolo, estando submetido a
temperaturas acima dos 350º C, pelo que
este segmento deverá ser fabricado em
materiais mais sofisticados que o vulgar
ferro fundido, ou utilizar revestimentos
ou tratamentos especiais.

Dado que os segmentos contribuem em


grande medida para o atrito total no motor,
são aplicados segmentos cada vez mais
finos (~ 1 mm) e com menor tensão, o que
poderá originar problemas de desgaste
e/ou perdas de compressão.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Órgãos do motor

► Bielas

Introdução

A biela corresponde ao órgão mecânico


que efetua a união entre o êmbolo ou
pisão e a cambota.

Podemos afirmar que função


desempenhada por este componente está
relacionado com a transformação do
movimento alternativo do êmbolo ou
pistão em movimento rotativo da
cambota.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Órgãos do motor

► Bielas

Constituição

A biela é formada por três partes distintas


– pé da biela, cabeça da biela e corpo da
biela.

O pé da biela representa a parte da biela


que está ligada ao êmbolo através do
cavilhão, que se encontra alojado no furo
aí localizado.
Como vimos anteriormente, o cavilhão
poderá estar fixo no pé da biela ou não.
Quando o não se encontra fixo, existe no pé
da biela um casquilho metido à pressão,
normalmente de bronze. Este casquilho
apresenta um furo para permitir a sua
lubrificação.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Órgãos do motor

► Bielas

Constituição

A cabeça da biela é a parte que se


encontra ligada à cambota, abraçando um
moente da cambota com interposição de
uns casquilhos ou capas anti fricção
conhecidas como capas de biela.

Geralmente a cabeça da biela é constituída


por duas partes, uma das quais é amovível
– chapéu – por forma a permitir a ligação e
a separação da biela à cambota nas
operações de montagem e desmontagem.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Órgãos do motor

► Bielas

Constituição

O corpo da biela corresponde a parte


entre o pé da biela e a cabeça,
apresentando uma secção em I, de
forma a resistir às forças de tração,
pressão e flexão a que a biela é
submetida, uma vez que aumenta a sua
rigidez.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Órgãos do motor

► Bielas

Material

As bielas são geralmente fabricadas em


aço cromo níquel ou cromo vanádio,
podendo igualmente ser encontradas
bielas construídas a partir de ligas de
alumínio de alta resistência.

Em motores de alta competição, as bielas


são concebidas em ligas leves, por vezes
à base de materiais como o titânio.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Órgãos do motor

► Cambota

Introdução

A cambota ou veio de manivelas é o


componente do motor que recebe o
movimento linear do êmbolo e da biela e,
o transforma em movimento de rotação,
originando um binário, através de um
sistema de manivelas.

Uma parte significativa do binário


produzido pelo motor é transferido pela
embraiagem ao trem de rodagem do
veículo.
A restante fração do binário originado pelo
motor é despendida na realização de
funções relacionadas com o comando
dos diversos sistemas do veículo –
distribuição, ignição, injeção, refrigeração e
lubrificação, entre outros.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Órgãos do motor

► Cambota

Constituição

Tendo em conta a função desempenhada


por este órgão no funcionamento do
motor devemos considerar que será
sujeito a elevados esforços ,
principalmente de torção e flexão.

Para minimizar as tensões a que é


submetida a cambota utiliza-se um
número elevado de apoios, um entre
cada cilindro mais os das extremidades.
A cambota é, então, montada na zona
inferior do bloco do motor, suportada
pelo cárter superior, apoiada em
chumaceiras ou moentes de apoio,
designados vulgarmente de apoios da
cambota.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Órgãos do motor

Êmbolo ou pistão
► Cambota
Cavilhão

Constituição Anel de retenção

Estes apoios da cambota são revestidos com


casquilhos ou capas anti fricção, também
chamados de bronzes, semelhantes às
utilizadas nos moentes das bielas (que ligam as
bielas à cambota).
Biela

Estes casquilhos ou capas anti fricção tem


como função principal reduzir o atrito entre a
parte móvel (cambota) e a parte estática Capa de biela
(apoios da cambota) pelo que requerem a
aplicação de tecnologias de construção muito
evoluídas, e nomeadamente a utilização de
materiais anti fricção, ligas chumbo-cobre,
alumínio-estanho e o níquel, sob a forma de finas
Contra-peso
camadas (poucas décimas de milímetro) que
estão dispostas sobre a camada de aço principal, Bronzes de cambota
através de um processo de fusão ou sinterização.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Órgãos do motor

► Cambota

Constituição

A
. potência produzida pelo movimento
alternativo do êmbolo é transmitida a
uma das extremidades da cambota,
onde se encontra acoplado o volante
de inércia ou volante do motor.

No apoio da cambota mais próximo


do volante do motor é montado um
retentor, para impedir a saída de óleo
para o exterior. No lado oposto da
cambota, pelo mesmo motivo, existe
igualmente um retentor de óleo.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Órgãos do motor

► Cambota

Constituição

De
. forma a assegurar um atrito reduzido,
os moentes da cambota são lubrificados
através de furos existentes no interior da
cambota, por óleo sob pressão fornecido
pela bomba de óleo.

Estes moentes de óleo deslizam sobre uma


película de óleo de modo a evitar o contacto
direto entre os componentes metálicos.
Para que tal ocorra, a folga entre os
referidos moentes da cambota e as capas
(bronzes) deverá permitir a presença de
óleo, não devendo este espaço ser
excessivo, pois levaria a uma lubrificação
ineficiente.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Órgãos do motor

► Cambota

Constituição

Devido ao modo de funcionamento do motor de


combustão interna, a transmissão de forças dos
Veio de equilíbrio 1
êmbolos
. à cambota é realizada de forma irregular.
Os moentes onde se fixam as bielas não se
encontram alinhados com o eixo da cambota, o que
aliado ao movimento alternativo das mesmas junto
com os êmbolos origina desequilíbrios, podendo
causar grandes oscilações e vibrações, que em caso
limite poderá levar à rutura da cambota.

Desta forma para que o motor funcione de modo


suave , devemos garantir o equilíbrio da cambota
mediante a introdução de contra pesos para
equilibrío das massa em movimento, sendo
geralmente colocados nos braços das manivelas..
Veio de equilíbrio 2
Contra-peso
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Órgãos do motor

► Volante do motor

Introdução

Como vimos os impulsos transmitidos à


cambota devido às combustões nos cilindros,
não
. são contínuos. Quando a cambota
efetua o seu movimento de rotação,
existem momentos em que são aplicados
impulsos que tendem a acelerá-la e
momentos em que lhe são aplicados
impulsos que apresentam tendência para
a sua desaceleração, fazendo com a
cambota tenha um movimento irregular.

Para regularizar o movimento da cambota


existe o denominado volante do motor ou
de inércia.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Órgãos do motor

► Volante do motor

Constituição

O volante do motor consiste numa roda


de peso elevado, fabricado em aço ou
.ferro fundido, aplicada num dos extremos
da cambota, através de parafusos
autoblocantes, que tem como função
opor-se às variações de regime de
rotação da cambota, pelo efeito de inércia
devido ao seu peso, armazenado a energia
recebida em cada tempo motor e
devolvendo-a quando este termina.

No perímetro exterior do volante do


motor é acoplado uma roda dentada que
permite o acionamento do motor de
arranque, no instante de colocar o motor
em funcionamento.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Órgãos do motor

► Cabeça do motor

Introdução

Na extremidade superior do bloco do


motor está instalada a cabeça do
motor,
. através de parafusos ou pernos
roscados e porcas, com a interposição de
uma junta de estanqueidade espessura
calibrada denominada de junta da
cabeça.

Esta junta da cabeça do motor


consiste numa junta de especial de
estanqueidade que é colocada entre a
cabeça do motor e o bloco do motor,
na superfície de vedação ou superfície
de assentamento da cabeça do bloco.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Órgãos do motor

► Cabeça do motor

Introdução

A função desempenhada pela junta da cabeça


do motor está relacionada com:
.
1. Assegurar uma união perfeitamente estanque
entre a cabeça e o bloco do motor
impedindo a fuga dos gases dos cilindros,
ou do líquido de refrigeração que circula no
bloco e na cabeça do motor

2. Compensar as pequenas irregularidades


existentes na superfície de vedação ,
devendo para tal ser fabricada num material
com elasticidade.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Órgãos do motor

► Cabeça do motor

Material

O material mais comumente utilizado na construção


de cabeças do motor são as ligas de alumínio,
.relativamente fáceis de trabalhar, leves e boa
condutividade térmica . Os motores menos recentes
eram fabricados em ferro fundido combinado com
outros metais com caraterísticas de elevada
resistência, rigidez e condutividade térmica.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Órgãos do motor

► Cabeça do motor

Material

Como o alumínio tem fracas qualidades


superficiais existem zonas da cabeça do
motor
. que podem não resistir às elevadas
temperaturas e tensões geradas durante o
funcionamento do motor.

Para eliminar este risco de rutura do material


constituinte devemos dotar a cabeça do
motor de vários postiços, de forma a melhorar
a sus resistência e vida útil.
Os mais importantes são os das sedes das
válvulas constituídos de aço de alta
resistência, para suportarem o choque das
válvulas (aquando do seu fecho) nas difíceis
condições de altas temperaturas e gases
reativos (escape).
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Órgãos do motor

► Cabeça do motor

Material

Outros postiços poderão ser as guias das


válvulas, os apoios das árvores de cames
.e dos balanceiros e a rosca da vela,
embora parte destes possam ser
maquinados diretamente no alumínio da
cabeça do motor.

Estes postiços são fabricados em ferro


fundido ou bronze.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Órgãos do motor

► Cárter do óleo

Introdução

O cárter do óleo ou simplesmente


cárter corresponde à tampa inferior do
motor
. que tem a função a retenção do
óleo de lubrificação, que pode estar
dividido em duas partes – cárter
superior e cárter inferior.

O cárter superior pode ser fundido


conjuntamente com o bloco do motor
formando uma peça única ou pode ser
acoplada a este servido de apoio à
cambota conforme vimos anteriormente.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Órgãos do motor

► Cárter do óleo

Constituição
Geralmente é uma peça em aço
estampado , de forma a apresentar uma
boa resistência ao choque, podendo
ser
. igualmente fundida em alumínio.

Dado que também desempenha um


papel relevante no arrefecimento do
óleo, por vezes apresenta alhetas
exteriores para intensificar a
transferência de calor com o ar exterior.
TOYOTA CAETANO PORTUGAL

CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Órgãos do motor

► Cárter do óleo

Constituição
O cárter inferior apresenta uma
compartimentação para reduzir a
movimentação do óleo, e estando a
.bomba de óleo do sistema de
lubrificação instalada no seu
interior poderia, durante as
oscilações do veículo, provocar a
desferragem da bomba.
´
Para realizarmos a operação de
retiragem do óleo por gravidade
existe uma abertura na parte
inferior.
CARATERÍSTICAS E FUNCIONAMENTO DOS MOTORES

► Órgãos do motor

► Cárter do óleo

Constituição

A ligação do cárter inferior ao


cárter superior é feita através de
parafusos.
. Estes parafusos são
apertados de acordo com uma
determinada sequência de aperto.

Para impedir fugas de óleo do


cárter inferior existe uma junta de
estanqueidade, que para assegurar
uma vedação perfeita, deve ser
aplicada uma massa vedante.