Você está na página 1de 52

Universidade Estadual do Maranhão

Professora Kelly Mendes

Textualidade –
critérios e princípios
Objetivos:
Conhecer os princípios de textualidade dos
enunciados;
Identificar os critérios de textualidade que
formam a sequência linguística coerente;
Texto. O que é?
Todo texto é construção e isto quer dizer que texto não é um amontoado de frases, mas um conjunto
organizado, no qual é possível identificar sequencias e estabelecer relações entre os elementos que as
compõem.

O todo significativo, a que chamamos texto, apresenta uma série de fatores de

TEXTUALIDADE
Os textos organizam as Atividades
humanas

Os fatos sociais produzem textos de acordo com a necessidade


interativa
Textos do âmbito escolar
Práticas sociais da esfera escolar
AVGs/AV2/AV3
Trabalhos
escritos/orais

Ata de Conselho Memorando,


escolar circulares

Interação entre
alunos,
professores e
funcionários
Anotações de caderno Boletins
escolares

Aula escrita na lousa Declarações,

Por que estudar


Slides atestados,
Vídeos didáticos comunicados, agenda

gênero?
Por que estudar gênero?
Entender que cada gênero possui objetivos e seu funcionalmente ocorre dentro de sistemas
e nas circunstâncias para as quais são produzidos.

Intergenericidade
A intergenericidade, ou intertextualidade intergêneros, é um fenômeno de
hibridização decorrente da mistura de gêneros, ou seja, a intergenericidade
ocorre quando um determinado gênero apresenta uma forma mista. Essa
mistura acontece em virtude do propósito interacional, quando um gênero
assume a forma de outro para uma melhor interação com o interlocutor. 
Hibridização entre gêneros – mistura de
poesia concreta com anúncio
publicitário
TEXTUALIDADE
“Modo múltiplo de conexão ativado sempre que ocorrem eventos
comunicativos”.

Outras noções relevantes da Linguística Textual são:

 o contexto (conjunto de condições externas à língua, e necessárias


para a produção, recepção e interpretação de texto)
 e interação (pois o sentido não está no texto, mas surge na
interação entre o escritor / falante e o leitor/ouvinte).
TEXTO?
DISCURSO?

TEXTUALIDADE?
DISCURSIVIDADE?
Discurso Texto

Conjunto de ideias
Uma corrente de formuladas sobre
pensamento social. critérios de
textualidade.

Manifesta o discurso de
Materializa-se maneira pictórica,
através de textos. arquitetônica,
escultural, literária,
musicista, etc.
Texto e seu
funcionamento
É necessário uma série de artifícios linguísticos coerentes entre si para
que um texto seja um texto e não “um amontoado aleatório de palavras”.
Ou seja, o efeito de sentido de um texto depende de diversos elementos
de ordem linguística, cognitiva, sociocultural e interacional. Estes são os
chamados

“critérios de textualidade”
Textualidade, então é...

Conjunto de características que fazem com


que uma sequência linguística seja um texto
e não uma sucessão de frases que não
compõem um todo significativo.
Período não articulado...

“Para que se possa compreender a necessidade, de forma urgente e


eficiente de um bom desempenho intelectual. O país deverá, antes de
tudo, sabendo que muitos investimentos devem ser feitos e que toda
ajuda do governo nessa área é de suma importância para o
desenvolvimento.”
Articulando o período...

Para que se possa compreender a necessidade de investimentos em


uma educação básica e de qualidade, de forma urgente e eficiente, o
país deverá priorizar essa área, mesmo ciente de que outras, como
saúde e moradia, também têm urgência de recursos. Dessa forma,
garantirá o desenvolvimento do país.
Fatores semânticos e linguísticos da
textualidade

 COERÊNCIA
Inerentes ao texto
 COESÃO

Aula 1 e 2 - Professora kelly


Coesã
o
Uma metáfora da coesão
Uma vez que notamos, subjetivamente, o esforço
coletivo de seis homens, a fim de deslocarem um
objeto extremamente pesado, tanto que eles
utilizam duas cordas, uma superfície de
madeira com quatro rodas e bastante força
física, com a intenção de deslocar as
mercadorias. No texto verbal, ocorre algo
semelhante. Para expressar os sentidos
pretendidos, usamos palavras:

 as cordas são os conectivos;


Imagem: Jean-Baptiste Debret / Negros de Carro, 1834 /. Public domain.  a superfície de madeira com quatro
rodas corresponde à intenção textual;
COESÃO
Regras de dependência entre as frases, ou seja, as conexões linguísticas “sinalizadoras de toda espécie de
ligação, de laço, que dá ao texto unidade de sentido, ou unidade temática”, (ANTUNES, 2005).

Mecanismos
de coesão

Referenciação Substituição Elipse Conjunção Coesão lexical


Mecanismos de coesão
Isso: “péssimo dado pela professora
Isto: ao tratamento sentido pelo aluno no momento da fala

COESÃO REFERENCIAL
Relação entre os constituintes textuais.
 Exofórica - -refere-se a um elemento fora do texto.

Naquele tempo , a gente era pequena. E aquele sim era um tempo bom.

O meu não funciona. Empresta-me o teu?

 Endofórica – refere-se a algo dentro do texto.

 Anafórica: retomada de algo já referido.

Pedrinho dormia no sofá. Nem a explosão o acordou.

 Catafórica – refere-se a algo mencionado posteriormente.

Lá estava ela, ali parada, minha amiga.


Mecanismos de coesão
Ex.: A temperatura baixou em Vitória
COESÃO POR SUBSTITUIÇÃO de Santo Antão. Por essa razão, houve
Substituição de um nome, verbo, período ou trechos do texto por uma aumento das vendas de roupas de lã.
palavra ou expressão que tenha sentido próximo evitando a repetição.

Castro Alves é o autor de vastíssima obra literária. Não é por acaso que o
O temporal destruiu o telhado da
poeta dos escravos é considerado o mais importante de sua geração.
escola. Em vista disso, as aulas foram
suspensas.
Coesão por metonímia
Para o FMI, o governo brasileiro
será tentado a gastar mais do que
o previsto para este ano, mas
Brasília deve resistir às pressões
por gastos.
Mecanismos de coesão
COESÃO POR ELISÃO Eles acordaram e viajaram.
Anáfora zero, recupera um item em um espaço vazio. (elipse pronome – ELES)

João gosta de Matemática. Laura de Português.


Eu comprei camisas, minha irmã, saias.
(elipse de verbo – COMPROU)

Essa questão foi a mais difícil da prova.


(elipse de nome – QUESTÃO)
Mecanismos de coesão
COESÃO POR CONJUNÇÃO
Relação significativa entre itens e orações através do uso de conectores –
advérbios, preposições e conjunções.

Exprimem adição, causa, adversidade, tempo condição, ...

Alberto trouxe chá e biscoitos.

Ela já saiu, mas deixou seus documentos aqui.


Mecanismos de coesão
COESÃO LEXICAL
Processo de sinonímia e hiperonímia.

 Repetição do léxico – mesma palavra ou expressão.

Elas são quatro milhões, o dia nasce, elas acendem o lume. Elas
cortam o pão e aquecem o café. Elas picam cebola e descascam
batatas... (Maria Velho da Costa, Cravo, p. 133)

 Substituição lexical – unidades com relação semântica.


 Sinonímia
Esse gato é bonito. Onde arranjaste o felino?

 Hiperonímia/ hiponímia
Quero os teus brinquedos, sobretudo o palhaço e o comboio.

Eu adoro ovelhas e vacas. Estes herbívoros são simpáticos.


Paralelismos.
Coesão por frame
Ontem fiz compras num
supermercado. Esqueci o cupom
fiscal.
A palavra seguinte não parece ter qualquer relação
que torne possível a retomada da palavra anterior.
Mesmo assim, ela ocorre.
Por meio de recursos linguísticos, os textos mobilizam estratégias para introduzir e retomar ideias, promovendo a progressão
do tema. No fragmento transcrito, um novo aspecto do tema é introduzido pela expressão
(A) “a  singularidade”
(B) “tais vantagens”
(C) “os gabos”
(D) “longe disso”
(E) “em geral”
Façam os
exercícios e bons
estudos!
Coerência
COERÊNCI
A
O fio condutor lógico entre as ideias.

 Perspectiva de Locutor
Propriedade marcada pelo traço de interpretabilidade produção
Receptor
 Codificação linguística

Controle e utilização de recursos gramaticais fonéticos,


Domínios fonológicos, semânticos e morfossintáticos.
linguísticos Textos orais e escritos

Situação Domínio Condições de processamento da interação, contexto


comunicativa Pragmático situacional, tipo de ato de fala, intenção e aceitação.

Domínio
Conhecimento de mundo, vivências e experiências.
Extralinguístico
Medicina. Um problema
sem cura.
Princípios da coerência textual
Para haver coerência em um texto há algumas condições ou princípios:
 Continuidade/ recorrência/ repetição: é a manutenção e a retomada das ideias
principais do texto. Isso se dá através do uso de elementos coesivos como: nominalizações, sinônimos,
hipônimos/hiperônimos, pronomes em geral, advérbios de tempo e de lugar etc.

 Progressão: é o acréscimo de novas informações que se somam às ideias que já vinham sendo
tratadas.

 Não contradição: no desenvolvimento o texto é preciso que não se introduza nenhum elemento
que contradiga o que já foi enunciado anteriormente.

 Articulação/ Relação: é o estabelecimento de relações entre as ideias do texto. Essa relação só


é possível através de elementos coesivos que conectam as frases gerando uma sequência lógica.
Exemplo disso são expressões como “no dia seguinte”, que introduz uma ideia de temporalidade, ou
Pode haver coerência sem coesão?
Apesar de aparentemente
desconexos, os fragmentos
transcritos anteriormente
têm sentido: eles falam da
Circuito fechado rotina de um homem de
negócios.
Chinelos, vaso, descarga. Pia, sabonete. Água.
Escova, creme dental, água, espuma, creme de
barbear, pincel, espuma, gilete, água, cortina,
sabonete, água fria, água quente, toalha. Creme
para cabelo, pente. Cueca, camisa abotoaduras,
calças, meias, sapatos, gravata, paletó. [...] Pasta, Ordem das
carro. Cigarro, fósforo. Mesa e poltrona, cadeira, palavras: contexto:
coerência
cinzeiro, papéis, telefone, agenda, copo com lápis.
[...] Bandeja, xícara pequena. Cigarro e fósforo.
A vaguidão específica
“As mulheres têm uma maneira de falar que eu chamo de vago-específica”. (Richard Gehman)
–– Maria, ponha isso lá fora em qualquer parte.
–– Junto com as outras?
–– Não ponha junto com as outras, não. Senão pode vir alguém e querer fazer alguma coisa com elas. Ponha no lugar do outro dia.
–– Sim senhora. Olha, o homem está aí.
–– Aquele de quando choveu?
O texto apresenta duas situações
–– Não, o que a senhora foi lá e falou com ele no domingo.
–– Que é que você disse a ele?
interativas:
–– Eu disse para ele continuar.
 a interação que o escritor (Millôr)
–– Ele já começou?
estabelece com os leitores; Por que o
–– Acho que já. Eu disse que podia principiar por onde quisesse.
leitor entende?
–– É bom?
 a interação que acontece entre as duas
–– Mais ou menos. O outro parece capaz. mulheres. Por que as mulheres se
–– Você trouxe tudo de cima? entendem?
–– Não senhora, só trouxe as coisas. O resto não trouxe porque a senhora recomendou para deixar até a véspera.
–– Mas traga, traga. Na ocasião, nós descemos tudo de novo. É melhor senão atravanca a entrada e ele reclama como na outra noite.
–– Está bem vou ver como.
Millôr Fernandes
Incoerências coerentes

Fora de Si
Arnaldo Antunes

Eu fico louco
Eu fico fora de si
Eu fica assim
Eu fica fora de mim
Eu fico um pouco
Depois eu saio daqui
Eu vai embora
Eu fico fora de si
Eu fico oco
Eu fica bem assim
Eu fico sem ninguém em mim
Façam os
exercícios e bons
estudos!
FATORES
PRAGMÁTICOS DA
TEXTUALIDADE
Intencionalidade
Aceitabilidade
Informatividade
Situacionalidade
Intertextualidade

Inerentes ao receptor
INTENCIONALIDADE E ACEITABILIDADE

Intencionalidade
A intencionalidade diz respeito à
intenção do produtor de elaborar Aceitabilidade
um texto – seja ele oral ou escrito –
coeso e coerente, de modo a A aceitabilidade diz respeito à
cumprir a função sócio predisposição do receptor de
comunicativa. considerar um texto coeso e coerente
e colaborar no processo de produção
de sentido.
INFORMATIVIDADE
Chamamos informatividade as informações veiculadas através dos textos escritos ou visuais,
como anúncios, artes plásticas, artigos, dentro outros tipos de textos.

Informatividade Compreensão depende do repertório


do leitor

Grau de previsibilidade/ redundância


Textos de circulação nacional veiculados pela mídia possuem um
grau médio de informatividade. Desta maneira, eles conseguem
prender a atenção do leitor e, ao mesmo tempo, acrescentar-lhe
novas informações.

Senso comum
 Informação óbvia é o que comumente chamamos “senso comum”.
 São argumentos aceitos universalmente, sem necessidade de comprovação. Por exemplo:

“o homem depende do ambiente para viver”, ou ainda


“a mulher de hoje ocupa um papel social diferente da mulher do
século XIX”.

 Informações como estas já foram comprovadas historicamente, não precisam de justificativa.


Por apresentarem um grau de informatividade muito baixo, têm um valor persuasivo menor.
SITUCIONALID
ADE
Diz respeito à adequação do texto à situação sociocomunicativa. Esse fator de textualidade
está ligado às expectativas, às crenças e aos objetivos dos agentes envolvidos no processo de
interlocução.

Da situação para o texto


Em que medida a situação interfere na interlocução do
texto determinando escolhas: grau de formalidade,
polidez, variação linguística, tratamento dado ao tema. Do texto para a situação
Há sempre mediação entre o mundo real e o
mundo construído pelo texto.
INTERTEXTUALI
DADE
Diz respeito aos fatores que fazem tanto a produção quanto a recepção de
um texto dependentes do conhecimento que os agentes envolvidos no
processo sociocomunicativo têm de outros textos.

Intertextualidade

Referência e
Epígrafe Citação Paráfrase Paródia Pastiche Tradução
alusão
Intertextualidade

Referência e
Epígrafe Citação Paráfrase Paródia Pastiche Tradução
alusão

Epígrafe é originalmente uma inscrição


em prosa ou em versos que se coloca
em livros, trabalhos acadêmicos em
páginas iniciais.
Intertextualidade

Referência e
Epígrafe Citação Paráfrase Paródia Pastiche Tradução
alusão

A citação é uma marca do


dialogismo linguístico, feita para
sustentar uma hipótese, reforçar
uma ideia ou ilustrar um raciocínio.
Oferece ao leitor respaldo para
que possa comprovar a veracidade
das informações fornecidas e
também possibilitar seu
aprofundamento.
Intertextualidade

Referência e
Epígrafe Citação Paráfrase Paródia Pastiche Tradução
alusão

Uma paráfrase é uma nova


afirmação do sentido de um
texto ou passagem usando
outras palavras. 
Intertextualidade

Referência e
Epígrafe Citação Paráfrase Paródia Pastiche Tradução
alusão

A paródia é uma releitura


cômica de alguma
composição literária, que
frequentemente utiliza ironia e
deboche. Ela geralmente é
parecida com a obra original.
Intertextualidade

Referência e
Epígrafe Citação Paráfrase Paródia Pastiche Tradução
alusão

Pastiche é definido como


obra literária ou artística em
que se imita abertamente o
estilo de outros escritores,
pintores, músicos etc. Não
tem, contudo, função de
satirizar, criticar a obra de
origem, diferindo, assim, da
paródia.
Maurício de Sousa –Turma da Mônica

Édouard Manet - Almoço na Relva - 60x90cm


Intertextualidade

Referência e
Epígrafe Citação Paráfrase Paródia Pastiche Tradução
alusão

Alusão acontece quando se


faz uma referência ou citação.
Trata-se de uma espécie de
intertexto, onde um texto se
relaciona com o outro de
forma explícita ou implícita. ...
É uma figura de linguagem
que favorece uma ligação sutil
entre textos.
Tex
to,
con
tex
to
e
int
ert
ext
o
Bons estudos!!!

Você também pode gostar