Você está na página 1de 70

A CONQUISTA ESPANHOLA E A

COLONIZAÇÃO DA AMÉRICA (1492-


1533)

Prof. Dr. Felipe Berté Freitas


Roteiro de aula

1. As origens da conquista e colonização espanhola;


2. As técnicas de navegação e os instrumentos tecnológicos
3. As viagens ultramarinas espanholas;
4. A conquista espanhola dos impérios Astecas e Inca;
5. A violência dos colonizadores.
iz aç ã o
a e co lon
n qu i st
s da c o l a
ri ge n pa n h o
As o es
• “Sem colonização não há uma boa conquista, e se a
terra não é conquistada, as pessoas não serão
convertidas” (Francisco Lopes de Gómara).
A Reconquista da Península Ibérica
Desde o século XIII d.c, os
muçulmanos ocupavam a Península
Ibérica;

A retomada da Península Ibérica,


ocorrida através de uma aliança
entre nobreza e ordens religiosas-
militares, foi um “ensaio” para a
posterior conquista da América;
• Os reinos de Aragão e Castela, destacam-se nesse processo de
reconquista da Península Ibérica;

• Em Castela, a ideia de honra e hierarquia estava presente


fortemente;

• Nas Guerras de Reconquista, forma-se um grupo de pessoas


interessadas em ascender socialmente. Ex hidalgos (leais a Coroa
espanhola);

• Formação de uma sociedade de corte – O processo civilizador


(Norbert Elias).
• Em 1469, os reis Fernão de Aragão
e Isabel de Castela se casam;

• Os Reis Católicos;

• Expulsam os muçulmanos da
Península Ibérica em 1492;

• Formam o Estado-Nacional
espanhol;

• Busca-se expandir seus domínios


para outros lugares.
• Soma-se a Reconquista da Península Ibérica, o desejo de
superação da crise da Idade Média e a necessidade de
expansão territorial desses jovens Estados-Nacionais:
Portugal e Espanha.
Espanha: uma sociedade inquisitiva e aquisitiva
O pioneirismo ibérico: Portugal e Espanha
• Bem situados geograficamente;

• Tradição marítima: Mediterrâneo e


Atlântico;

• Conquista de Sevilha (1248) e do


estreito de Gibraltar;

• Sevilha e Lisboa = principais portos.


Atraem investimentos dos genoveses.
Domínio do Mediterrâneo pelos turcos – fator
que impulsionou a busca por novas rotas para
a Ásia
• Os portugueses foram pioneiros, pois reuniam as condições
necessárias para a Expansão Marítima e Comercial;

• Os portugueses fundaram feitorias (interpostos comerciais) e


capitânias hereditárias;

• As capitânias hereditárias terceirizavam a responsabilidade de


povoamento e colonização a particulares, mesclando elementos de
um sistema capitalista com um senhorial-militar.
As viagens portuguesas...
• Ilha da madeira (1420);

• Ilha de açores (1427);

• Cabo Bojador (1435);

• Cabo das Tormentas/Cabo da


Boa Esperança (1488);

• Calicute (Índia)/1498
lo g i a
te c n o
ç ã o –a
a v e g a
s d e n
e n t o u ti c a
tr um n á
s i n s
O
Os novos instrumentos de navegação
CARAVELA
 Inspirada nos barcos árabes e
indianos;

 Foi aprimorada pelos


portugueses;

 Veloz, manobravam em águas


rasas, movidas pela força do
vento.
ASTROLÁBIO

• Media a altura do sol


ao meio dia;

• Servia para mensurar a


latitude de um lugar.
QUADRANTE
• Permitia mensurar a
latitude;

• Medir a inclinação do sol;

• Saber se a embarcação está


mais ao norte ou ao sul.
BÚSSOLA MAGNÉTICA

• Medir os pontos cardeais;

• Tem uma agulha


magnetizada;

• Inventada na China no
século I e aperfeiçoada
pelo navegador italiano
Flávio Gioia no século
XIII.
hol as
e s pan
t i m as
m ar í
g ens
As via
As viagens espanholas...
• Tentativa de controle das Ilhas
Canárias (1460);

• Dificuldades de dominar os
habitantes das Ilhas Canárias;

• Envolvimento com a
Reconquista= atraso no
empreendimento ultramarino.
• No século XV, os espanhóis tinham a experiência dos portugueses e as suas
próprias na guerra de reconquista para se basear;

• Optaram pelo modelo de conquistador (caudilhos) – homens que queriam


subir na hierarquia social;

• Apesar das iniciativas individuais, o Estado e a Igreja foram fundamentais


para as conquistas espanholas;

• A Igreja garantia a fé, o senso moral. O Estado dava o financiamento e


controlava a expropriação dos povos indígenas.
O papel do rei nas conquistas espanholas – Livro As Siete Partidas
• O papel da Igreja Católica nas conquistas espanholas
As viagens de Colombo a América
Nasceu em Gênova (Itália) em 1451;

Filho de um tecelão, era o mais velho


dos seus cinco irmãos;

Começou a navegar com 14 anos de


idade

 Tinha conhecimentos de geografia,


astronomia, e matemática.
Em 1485, o projeto de navegar para o Ocidente foi
rejeitado pelo Conselho de Portugal;

Em 1492, sua proposta foi aceita pela rainha Isabel de


Castela e pelo rei Fernão de Aragão;

Em 3 de agosto de 1492, Colombo partiu do porto de


Palos de La Frontera em direção a América;
• Colombo fez um contrato de capitulaciones com a Coroa espanhola;

• A Coroa espanhola arcou com uma parte pequena das despesas, mas
permitiu que Colombo fosse nomeado: vice-rei e governador
hereditário de todas as terras e Almirante hereditário do Mar
Oceano;

• Na terceira e quarta viagem a Coroa espanhola procurou reduzir os


poderes de Colombo nas terras americanas.
• A nau Santa Maria e as caravelas Pita e Nina chegaram
em São Salvador (Bahamas) em 12 de outubro de 1492;

• Na primeira viagem explorou o nordeste de Cuba e o


litoral do Haiti;

• Em 1493, a segunda viagem as atuais República


Dominicana, Antilhas e Jamaica. Foram 17 navios e mais
de 1200 soldados.
• Nas duas últimas viagens explorou a região do atual
Panamá;

• Morreu em 1506, de infarto, na cidade de Valloid na


Espanha. Defendeu até o fim a ideia de que havia
chegado as Índias Orientais.
O Tratado de Tordesilhas (1494)

• Acordo entre Portugal e Espanha intermediado pelo


Papa Alexandre VI;

• Objetivo do acordo: evitar uma guerra entre Espanha


e Portugal e dividir as terras “descobertas” ou a
“descobrir”.
Linha imaginária passava a 370
léguas de Cabo Verde;

O território a oeste da linha


ficaria com a Espanha e a leste,
Portugal
O mapa do “Novo Mundo”: a conquista da
América.
• Nasceu em Florença, na Itália, no dia 9
de março de 1451;

• Foi para Sevilha, na Espanha, para


trabalhar na gerência de importante casa
comercial, onde anos mais tarde assumiu
a gerência do estabelecimento;

• Nesse período, teve contato com


Colombo e outros navegadores.
Em maio de 1499, viaja a América para explorar as
terras que Colombo havia “descoberto”, chegando a
Guiana Francesa;

Nessa mesma viagem, esteve próximo ao Brasil indo


mais tarde em direção a Venezuela;

Em sua segunda viagem, em 1501, chegou a


Pernambuco e Bahia.
• Em 1502, regressou a Espanha convencido de que os
locais onde passou seriam um novo continente;

• Em 1507, um grupo de acadêmicos reunidos na cidade


francesa de Saint-Dié-des-Vosges, desenhou o novo
mapa mundi;

• O continente em que vivemos foi batizado de América;

• Américo Vespúcio morreu em 1512.


pe l o s
é r i c a
d a A m
ui s t a ó i s
con q p an h
A e s
O modelo de conquista e colonização: a Hispaniola/Antilhas

• Conquista = pilhagem e escambo com os


indígenas;

• Pouca quantidade de ouro;

• Desejo de colonização;

• Escravização dos indígenas = alternativa


para a pouca extração de metais preciosos.

• Fundação de Santo Domingo (Nicolás de


Ovando -1502)
A escravização dos indígenas

• Bárbaros = infiéis – podiam ser escravizados (visão da Igreja na


Idade Média);

• Seres puros = não conheciam o evangelho, por isso não podiam


serem escravizados;

• Guerra justa = guerras que permitiam a escravização dos índios


PARADOXO PARA A COROA
ESPANHOLA

PROTEGER OS CONVENCER OS
INDÍGENAS PARA COLONOS A FICAREM
EVANGELIZÁ-LOS NA AMÉRICA
Os sistemas de trabalho: exploração dos nativos.

• Repartimiento: distribuía-se os índios para trabalharem


para os colonizadores. Em troca os mesmos deveriam
cuidar do nativos e evangelizá-los. Os nativos recebiam um
baixo valor financeiro. Era inspirado na mita (Inca) e no
cuátequil (asteca).
• Encomienda: concessão do Estado para uso de mão de
obra indígena, sem direito a propriedade da terra. Os
encomendeiros deveriam catequizar os nativos.

Os homens que recebiam esse direito da coroa, eram apenas


aqueles que tinham raízes urbanas. Portanto, a fundação de
cidades e cabildos era necessária para legitimar os poderes
desses vecinos, cidadãos com plenos direitos
A escravidão africana na América espanhola

• Alternativa econômica para a necessidade de mão de obra


para manter a Hispaniola;

• Experiência medieval na escravização de negros e mouros,


nas cidades espanholas e também portuguesas. Ex: Lisboa;

• Primeiros navios negreiros = 1505;


s ta : a
n q u i a e
da c o A s t ec
a n ço pé r i o
O av o I m
iç ão d a
s tr u I nc
de
• As viagens de Colombo fizeram explodir as expedições
marítimas de conquista e colonização. Tudo isso
autorizado pela Coroa espanhola. Isso levou a destruição
das populações indígenas e, especialmente, a conquista
dos Incas e Astecas. Essa “explosão” capitaneada pela
coroa, visava manter seus imigrantes movidos pelo
desejo de lucro rápido, à medida que o mapa da América
ia se revelando;
A conquista do Império Asteca (1519-21)
• Hernán Cortés partiu de Cuba em fevereiro de
1519;

• 508 soldados e 110 marinheiros;

• Em 12 de dezembro de 1519, encontra o


Imperador Montezuma em Tenochtitlán;

• Ideia central: fazer o Imperador reconhecer a


autoridade de Carlos V da Espanha.
• Buscou uma aliança com os Tlaxcala, inimigos dos Astecas;

• La noche triste: 30 de junho de 1520 – massacre da nobreza


asteca pelos espanhóis;

• Montezuma com uma pedrada na cabeça pelos nobres astecas


que haviam lhe deposto do poder em favor de seu irmão;

• Os astecas se renderam em 13 de agosto de 1521.


A conquista do Império Inca (1531-33)
• Francisco Pizarro partiu do Panamá em
janeiro de 1531;

• 180 homens e 30 cavalos;

• Encontrou os Incas em guerra pelo trono:


Huascar x Atahualpa;

• Capturaram de surpresa o imperador


Atahualpa em Cajamarca (16 de novembro
de 1532)
• Capturaram o imperador e exigiram um resgate: 1,5 milhões de peso
em ouro e prata;

• Atahualpa foi enforcado. Seu irmão e rival foi executado a mando de


Pizarro;

• Em 15 de novembro de 1533, capturaram Cuzco, capital do Império


Inca;

• O objetivo de Pizarro era se aproveitar da estrutura do Império Inca.


Para isso, colocou o meio irmão de Atahualpa para controlar Cuzco e
fundou Lima, na costa, para ter saída para o mar. O líder Manco Inca
tentou entre 1536-37 derrotar Pizarro, mas sem sucesso.
re s e
s t ad o
n q u i o s
o s co p a r a
c ia d c i a s
i ol ên qu ê n
A v c o ns e o s
su a s na t i v
Porque os nativos foram derrotados e dizimados?
• Acreditavam que os espanhóis eram homens superiores e deuses ;

• Diversidade das populações indígenas= Impérios com tensões


sociais;

• Sociedades hospedeiras – principalmente nas áreas de maior


interesse aos espanhóis;

• Uso do cavalo pelos espanhóis


• Superioridade tecnológica, embora tenhamos de olhá-la com certo cuidado,
pois os espanhóis estavam mal equipados para os padrões europeus do século
XVI;

• Táticas de guerra: batalha em campo aberto (espanhóis) x guerrilha


(nativos);

• Parcerias e sociedades entre soldados, conquistadores, banqueiros.


Mantinha-se a coesão e laços de dependência, o que evitava uma fuga do
projeto de conquistar, embora houvesse rivalidade entre os próprios
conquistadores. Ex: Cortéz x Bernal Dias x Diego Velásquez;

• Confiança (superioridade moral e divina), superioridade técnica,


organizacional e de equipamentos
• Doenças: gripe, varíola, gonorreia e sífilis;

• Escravização dos nativos.

• Destruição cultural = evangelização forçada.


• Vasco Nunes de Balboa (1475-1517) manda atacar os índios com cachorros.
• Theodore de Bry (1528-1598);

• Gravurista belga que retratou as


viagens dos europeus as
Américas;

• Não veio a América, mas fez


gravuras a partir de relatos de
pessoas que vieram para cá.
FREI BARTOLOMÉ DE LAS CASAS (1478-
1566)
• Frei Bartolomé de Las Casas
(1474-1566);

• Seu pai viajou com Colombo


para a América;

• Tentou apresentar um projeto


para que índios e colonos
trabalhassem juntos na
América.
Mas houve resistência?
• Norte do México. Os índios aprenderam a usar os cavalos e as
armas espanholas e não se submetiam ao seu domínio;

• Os espanhóis nunca dominaram culturalmente os indígenas. Os


costumes e religião foram os maiores símbolos da resistência
indígena;

• Os indígenas utilizaram o calendário espanhol, bem como, seus


santos, para cultural seus deuses.