Uma empresa do grupo

1990 ± Criação da Martifer ± Construções Metalomecânicas, no pólo industrial de Oliveira de Frades 1998 ± Transforma-se em Sociedade Anónima e a Engil SGPS entra na estrutura accionista 2004 ± Criação da Martifer SGPS e da Martifer Energia ± Equipamentos para a Energia, S.A.

Missão e valores
O grupo Martifer definiu como missão: criar valor, através de colaboradores competentes e motivados, satisfazendo as necessidades dos clientes e demais stakeholders, através de: ... Produção e comercialização de energia eléctrica com recurso a fontes renováveis; ... O Grupo orienta a sua actuação tendo por base os seguintes valores fundamentais: Excelência Inovação ± Ser pioneira Sustentabilidade a longo prazo Responsabilidade Social - Respeito pelo Meio Ambiente e Segurança Confiança dos Stakeholders Honestidade Promover o desenvolvimento de Talentos

Composição do Grupo .

O negócio : Fabrico de torres para Aerogeradores Nacelle montada sobre torre  Dentro situam-se a caixa multiplicadora e o gerador Grandes aerogeradores usam torres tubulares de aço .

Objectivos Financeiros  Continuar a crescer a 30% ao ano  Melhorar a margem EBITDA para cima de 10% Não financeiros  Atingir capacidade de produção de 400 torres/ano até 2010  Desenvolver e patentear novo modelo de torre  Entrar no Top10 europeu até 2010 .

Meio Envolvente Contextual do negócio Político-legal Protocolo de Quioto Licenciamentos de potência Dependência energética Distorções do mercado Consumo de energia Preço dos combustíveis fósseis Preço das matérias primas Impacto visual. ambiental e ruído Preocupação ambiental dos consumidores Eficiência dos aerogeradores Eficiência de outras formas de produção de electricidade Novas formas de produção de energia + ++ -/+ ++ ++ - Económico Sócio-cultural + + +/-- Tecnológico .

Meio Envolvente Transaccional Clientes da indústria Fornecedores da indústria Concorrentes na indústria Sociedade .

Atractividade Estratégica Ponderação 25% 10% 20% 20% 25% Força Potencial de Novas Entradas Pressão de Produtos Substitutos Poder Negocial dos Fornecedores Poder Negocial dos Clientes Rivalidade entre os concorrentes Atractividade 0 (desfavorável) a 5 (favorável) 4 5 3 3 3 3.5 .

Factores Críticos de Sucesso O que os clientes valorizam + Armas com que as empresas competem = Factores Críticos de Sucesso Capacidade produtiva e logística Proximidade do cliente e controlo de qualidade Prazos de entrega Prazos de entrega Acompanhamento e personalização Preço Preço/Qualidade Inovação Capacidade de desenvolvimento de melhores produtos .

Competências Centrais e Adequação Estratégica Factores Críticos de Sucesso Capacidade produtiva e logística Proximidade do cliente e controlo de qualidade Capacidade de desenvolvimento de melhores produtos Competências Centrais Engenharia de processos Dinamismo da equipa e qualidade de produção Know-how na metalomecânica Adequação Estratégica Boa Média Boa .

Análise SWOT Forças Oportunidades Atribuição de potência por concursos públicos Rentabilidade da energia eólica sem apoios Aumento do custo das matérias-primas Saturação do mercado nos países desenvolvidos Longo prazo (>5 anos) Comportamento ecológico dos consumidores nos países desenvolvidos Desenvolvimento da energia eólica em mercados emergentes Inovação e engenharia de processos Equipa jovem e motivada Integração num grupo sólido Capacidade produtiva no limite Fraquezas Escassez de mãode-obra Localização Fazer parte de consórcios fortes Integração vertical a jusante Utilização de novos materias Desenvolvimento de soluções específicas Expansão da capacidade produtiva Aumentar o recrutamento e formação Criação de parcerias a montante Parcerias sólidas para diminuir a rivalidade Curto/ médio prazo (até 5 anos) Fortalecer a imagem da energia eólica Soluções para novas exigências dos consumidores Aproveitar a expansão do grupo e criar dimensão Novas fábricas próximo dos novos mercados .

Integração vertical Vantagens Expande a base tecnológica Complementa a oferta aos clientes Maior peso negocial Desvantagens Maior complexidade de produção Diferentes escalas óptimas de produção Aumenta o risco operacional .

mini-eólicas) Expansão para mercados promissores Em relação aos clientes  Sistema de informação integrado Integração vertical   A montante (matérias-primas) A jusante (aerogerador.Conclusões Em relação aos produtos/mercados  Acompanhamento da concorrência e das tendências Diversificação/internacionalização   Novos tipos de torres (offshore. pás. comoercialização de energia) .

Realizado por: José Baptista José Costa Eduardo Pereira Luís Simões nº 20001532 nº 20021782 nº 20030866 nº 20001539 .

Fim da apresentação .

Anexos .

pode ser muito positivo A sua morosidade e burocracia é prejudicial .Contexto Político-legal Impacto na Indústria Redução da poluição (Protocolo de Quioto) Dependência energética Processos de licenciamento da potência Distorções de mercado (tarifas garantidas/ subsídios/ benfícios Depende fiscais) Positivo Depende.

Contexto Económico .

embora ainda não condicione o comportamento dos consumidores .Contexto Sócio-Cultural Impacto na Indústria Impacto Visual / Ruído / Ambiental Preocupação Ambiental dos Consumidores Evolução será Positiva Positiva.

por diminuir a competitividade da energia eólica Negativo.Contexto Tecnológico Impacto na Indústria Efeito misto ± pode estimular a Indústria da energia eólica. mas para a mesma potência diminui o número de aerogeradores necessários Negativo. por diminuir a competitividade da energia eólica Aumento da eficiência dos aerogeradores Aumento de eficiência noutras formas de produção de elctricidade Outras formas de produção de energia .

Clientes da Indústria Os clientes são as empresas produtoras de aerogeradores O número de clientes é reduzido e com poder de mercado Não se prevêm alterações no perfil dos clientes 70% da produção é exportada para Espanha Nota: dados relativos a Portugal .

Fornecedores da Indústria Matérias-primas (aço. transporte) Trabalho Meios Financeiros . alumínio) Serviços diversos (energia.

N. Silva Matos ± Metalomecânica SA (Sever do Vouga . Metalomecânicos e Afins de Portugal (AIMMAP) .Aveiro)  Electrofer II ± Construções Metálicas (Marinha Grande) Fonte: Associação dos Industriais Metalúrgicos. S A (V.Concorrentes na construção de torres Em Portugal  Martifer Energia (Oliveira de Frades)  Tegopi ± Indústria Metalomecânica. Gaia)  A.

Atractividade da Indústria Atractividade em valor  Valor da Indústria  Ciclo da Indústria e concentração .

Potencial de Novas Entradas 25% Economias de escala 5% Diferenciação do produto 15% Requisitos de Capital 20% Custos de mudança 5% Acesso a canais de distribuição 15% Custos extra-escala 15% Política Governamental 100% Média 5 0 5 4 2 4 4 4.1 .

0 .Poder negocial dos fornecedores 21% Concentração da indústria fornecedora 21% Substitutos para a indústria fornecedora Importância da indústria de torres para os 10% fornecedores 19% Diferenciação dos produtos fornecidos Relevância dos produtos fornecidos para a 19% indústria de torres Possibilidade de os fornecedores integrarem 10% verticalmente 100% Média 4 2 2 5 2 4 3.

9 .Poder negocial dos clientes 20% Número de clientes e sua representatividade 20% Peso do produto nas compras dos clientes 10% Diferenciação do produto e custos de mudança 10% Rentabilidade estrutural dos clientes Possibilidade de os clientes integrarem 15% verticalmente Relevância do produto para a qualidade dos 20% produtos dos clientes 5% Informação que os clientes têm sobre a indústria 100% Média 1 3 4 3 2 5 2 2.

Rivalidade entre os concorrentes actuais 20% Número de clientes e sua representatividade 20% Peso do produto nas compras dos clientes 10% Diferenciação do produto e custos de mudança 10% Rentabilidade estrutural dos clientes Possibilidade de os clientes integrarem 15% verticalmente Relevância do produto para a qualidade dos 20% produtos dos clientes 5% Informação que os clientes têm sobre a indústria 100% Média 1 3 4 3 2 5 2 2.9 .

Recursos da empresa Recursos Humanos Recursos Financeiros Recursos Organizacionais .

(35 licenciados) Construção de Parques Eólicos 15 trabalhadores Manutenção de Parques Eólicos 1 Director 10 trab.Martifer Energy Systems Martifer Energia 2 Administradores não-executivos 3 Administradores executivos Fábrica de Torres Fabrico de Fábricas de Biodiesel RePower Portugal PowerBlades Martifer Solar Gebox Martifer Wood Pellets (início 03/ 2007) I&D 8 licenciados Director Industrial 100 trab. .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful