Você está na página 1de 15

Contribuição Grega para as Teorias Atômicas

 
 Tradição antiga que combinava elementos de química, física,
astrologia, arte, filosofia, metalurgia, medicina, misticismo,
geometria e religião.
Os “alquimistas” buscavam:

 a transmutação de metais vis em


ouro e prata;
 o Elixir da Longa Vida um remédio
para a cura de todas as enfermidades
humanas;
 ambos os objetivos poderiam ser
atingidos com a obtenção de uma
substância mística, a Pedra Filosofal.
Foi no Egito que a alquimia se
desenvolveu, especialmente na cidade
de Alexandria.
Os gregos que a frequentavam em
busca
novos conhecimentos,
puderam se beneficiar
da rica sabedoria mística
dos egípcios.
 Os gregos foram os Lêucipo
primeiros a buscar de
explicações para os Mileto
fenômenos alquímicos e
por isso foram os
precursores na teorização
sobre a composição da
matéria.
 As primeiras idéias de
átomo foram discutidas
pelos sábios gregos:
Lêucipo de Mileto e
Demócrito de Abdera. Demócrito
de Abdera
Diversos estudiosos e filósofos gregos teorizaram sobre a
composição da matéria, mas não concordavam:
Tales de Mileto - a alteração de substância seria a
alteração de seu “aspecto” fundamental;
Anaxímenes - o ar era o princípio formador da matéria;
Heráclito - o fogo era o elemento fundamental;
Empédocles de Agrineto – os quatro elementos
formavam a matéria: água, terra, fogo e ar: “Teoria dos
Quatro Elementos Imutáveis”;
Aristóteles de Estagira - atribuiu qualidades aos
quatro elementos fundamentais, as “qualidades
elementares”, que eram: quente, frio, seco e úmido.
Seu conceito foi o que mais se aproximou da
realidade na química atual: a matéria não era
contínua, mas sim formada por minúsculas
partículas duras, indivisíveis e indestrutíveis,
infinitas repetições do todo: os “átomos (do grego,
quer dizer indivisível) ;
no universo haveria duas ocorrências: os átomos e o
vácuo. Os átomos se moviam perpetuamente no
vácuo e, o vácuo por sua vez, além de existir no
mundo, existiria também no infinito espaço do
cosmos.
Segundo Leucipo e Demócrito:

as unidades constituintes da matéria não poderiam


ser divididas em unidades ainda menores ;
as partículas teriam de ser eternas, pois não poderiam
surgir do nada e deveriam ser diferentes uma das
outras, explicando a diversidade da natureza;
mudanças no mundo teriam origem na combinação
dos imutáveis átomos, pois esses possuíam diferentes
“engates”, permitindo que pudessem se ligar
novamente compondo outras substâncias.
 A alquimia foi responsável pelo desenvolvimento de
diversas ciências e serviu de base principalmente para a
química moderna. Os gregos fundaram os pilares básicos
para a criação de uma química experimental. Mas o
pensamento científico passou por várias evoluções antes
atingir a maturidade atual.

 No século XVI o Renascimento permitiu que os


conhecimentos alquímicos fossem estudados com maior
liberdade, considerando a aplicação do modelo
experimental e o aperfeiçoamento dos instrumentos de
medidas.
Químico e físico inglês, é
considerado o fundador da
teoria atômica. Usou como
base a idéia de átomo de
Leucipo e Demócrito.

Para ele os átomos eram


partículas esféricas,
maciças, indestrutíveis e
indivisíveis.
em uma transformação química os átomos se
rearranjavam dando origem a novas substâncias;
elementos químicos diferentes apresentavam átomos
com massas, tamanhos e formas diferentes ;
as reações químicas resultariam da união ou da
separação entre os átomos e usou o termo “átomos
compostos” para designar tais ligações
O peso (massa) de um composto seria igual a somo dos
pesos de cada átomo que o constitui.
Na época de Dalton
haviam sido isolados
apenas 36 elementos
químicos e para
representá-los, ainda eram
usados símbolos vindos da
alquimia
 Até 1897 os estudiosos não
podiam explicar o motivo pelo
qual, os átomos se ligavam entre si.
Então Joseph John Thomson,
descobriu a primeira partícula
subatômica, o elétron.
 Thomson formulou um novo
modelo atômico: os átomos
seriam descontínuos, semelhantes
a uma massa de matéria carregada de carga positiva e, de
elétrons com carga negativa, que estariam flutuando em
sua superfície.
Em 1911, Rutherford, ex-aluno
e assistente de Thomson,
chegou a um modelo atômico
mais preciso: o átomo seria
semelhante a um pequeno
sistema solar, com elétrons
girando em torno do núcleo,
como os planetas em torno do sol.
Com suas experiências foi o primeiro a provar a
existência do núcleo no átomo.
Em 1913, o dinamarquês
Neils Bohr afirmou que os
elétrons giravam em torno do
núcleo em órbitas circulares,
cada uma delas com um nível
específico de energia.
A circulação de um elétron só
aconteceria em uma órbita
estável, sem emissão de energia. Essa emissão só
ocorreria quando o elétron saltasse de uma órbita
estável para outra igual, mas de menor energia.
A postura investigativa dos
gregos deu início a pesquisa
científica em química.
Hoje se pode dizer que a
teoria atômica grega estava
quase perfeita, pois muitas
de seus conceitos foram aceitos
e utilizados pela química moderna.
O legado da alquimia só pôde ser notado quando a
química adquiriu as características típicas de uma
ciência moderna e objetiva.

Você também pode gostar