Você está na página 1de 13

COORDENAÇÃO COMO

FUNÇÃO
ADMINISTRATIVA NUMA
ORGANIZAÇÃO
Coordenação como função administrativa numa instituição de IEP
Introdução
Introdução

 Segundo CONCEIÇÃO (2011, p. 24), coordenar significa dispor de recursos próprios e


catalisar recursos alheios em busca de uma finalidade comum.
 A função da Coordenação Pedagógica pode ser compreendida também, como um
processo em que um professor, em princípio mais experiente e mais informado, orienta
outro professor ou candidato a professor no seu desenvolvimento humano e profissional
de maneira amigável e humana, não deixando com que a sua imagem seja de alguém
onipotente e detentor do saber.
Importância da Coordenação no contexto da
IEP
Importância da Coordenação no contexto da IEP

 No Conselho Administrativo duma IEP, neste caso, aos órgãos de Direcção, destaca –
se mais o Coordenador Pedagógico para esta função administrativa. O Coordenador
Pedagógico tem sido uma peça-chave ao lado da direcção da escola. Segundo
Carvalho; Klissys; Augusto (2006, p. 145), o Coordenador Pedagógico apresenta as
seguintes funções:
 Diagnosticar as prioridades pedagógicas constantemente
 Coordenar os projectos institucionais, do ponto de vista pedagógico
 Supervisionar o andamento da rotina pedagógica
Importância da Coordenação no contexto da IEP

 Apartir destas funções a desempenhar, o Coordenador Pedagógico, por sua vez,


desenvolve importâncias como:
 Construir hipóteses de trabalho para a formação do seu grupo de educadores
 Apoiar no desenvolvimento dos projetos da Instituição, do modo que aja interação dos
professores a fim de desenvolver novas aprendizagens e melhoria de qualidade de ensino
 Oferecer apoio sistemático ao planeamento das actividades educativas com os estudantes,
segundo as diretrizes metodológicas e educativas do IEP
 Promover mudanças e ajustes de acordo com as necessidades dos estudantes
Segundo Ramos (2000):

 “O Coordenador Pedagógico é o líder da aprendizagem, pois é o responsável por obter


bons resultados com o trabalho de formação dos docentes/professores, e para cada
unidade de ensino precisa ter pelo menos um profissional.”
Formas de coordenação numa IEP

 É importante ressaltar que os pensamentos distintos numa comunidade escolar chegar a


promover conflitos. Assim, a Instituição precisa ter um coordenador pedagógico que
possa resolver esses conflitos quando for necessário. O coordenador exerce três formas
estratégicas de Coordenação que são: articuladora, formadora e transformadora.
 Dentro dessa forma de coordenação, o
coordenador pedagógico deve:
 Observar a conduta pedagógica dos
docentes/professores
Forma de coordenação  Acompanhar o processo de ensino-
formadora aprendizagem
 Incentivar o trabalho interdisciplinar com
projectos e meios para tal
 Para atingir os objectivos de seu princípio
articulador, o coordenador pedagógico
deve:

 Fazer trabalhos colectivos pedagógicos


frequentemente
Forma de coordenação articuladora  Realizar encontros/reuniões com os
docentes
 Estabelecer a mediação entre direcção,
comunidades, estudantes e docentes
 Articular planeamento, currículo, avaliação
de aprendizagem e a formação continuada
da equidade do docente
 Para formar professores e favorecer a
construção de um ambiente harmónico e
participativo para a comunidade escolar, o
coordenador pedagógico deve:

Forma da coordenação
transformadora  Inovar estudos e planeamentos
 Mapear dados para prevenção de conflitos
 Implementar tecnologias e inovações que
auxiliem o processo de ensino-
aprendizagem
 Identificar necessidades dos docentes e
alunos transformando a realidade quando
necessário
Segundo Coelho (1996)

 “Para que as coisas funcionam bem, deve existir um trabalho colaborativo, com o
envolvimento de todos.” Para tal, também é preciso da colaboração dos pais. “É preciso
um coordenador para receber os pais quando se trata de questões pedagógicas”.
FIM

 CONCEIÇÃO, Lilian Feingold, (2011). Coordenação pedagógica e orientação


educacional: princípios e ações em formação de professores e formação do estudante. 2. ed.
Porto Alegre: Ed. Mediação.
 CARVALHO, Sílvia Pereira de; KLISSYS, Adriana; AUGUSTO, Silvana (2006), Bem-
vindo, Mundo! Criança, cultura e formação de educadores. São Paulo: Ed. Petrópolis.
 LIBANÊO, José Carlos, (1996). Organização e gestão da escola: Teoria e Prática.
Goiás: Alternativa.
 VASCONCELLOS, Celso S. Planejamento, (2000). Projecto de Ensino-Aprendizagem e Projeto
Político Pedagógico. São Paulo: Libertad.