Você está na página 1de 8

O SUJEITO

O PREDICADO
O COMPLEMENTO
DIRETO

Português
O COMPLEMENTO
5ºAno INDIRETO
O VOCATIVO
O sujeito é aquele ou aquilo sobre quem se declara algo.
Normalmente é ele quem pratica a ação. É composto por um
nome ou um pronome, podendo ser acompanhado de outras
palavras e surge, geralmente, à esquerda do verbo.
O SUJEITO
Para sabermos qual o sujeito de uma frase, podemos
perguntar: de quem / do que é que se fala?

Ex: O Rúben leu um livro interessante. 


(Sobre quem é que se fala? Fala-se do Rúben! 
Logo, O Rúben é o sujeito da frase!)

O livro conta uma história antiga.


(Sobre o que é que se fala? Fala-se sobre o livro!
Logo, O livro é o sujeito da frase!)
- SUJEITO SIMPLES
- SUJEITO COMPOSTO

Há dois tipos de sujeito: O sujeito simples e o sujeito composto:

O sujeito simples possui apenas um núcleo:


Ex: A Mariana redigiu um bonito texto.

O sujeito composto possui mais do que um núcleo, ligados pela


conjunção “e”:
Ex: A Rosa e a Júlia leram-no.
O predicado é a função sintática desempenhada pelo grupo verbal.

Indica tudo aquilo que se diz sobre o sujeito. O predicado é formado


O PREDICADO
por um verbo ou por um verbo e os seus complementos.

Para sabermos qual o predicado de uma frase, podemos perguntar:

o que é que se diz sobre o sujeito?


Ex: Os alunos resolveram os exercícios.
(O que é que sabemos sobre os alunos? que resolveram os exercícios!
Logo, resolveram os exercícios é o predicado da frase!)

O Paulo e a Raquel acertaram todos os exercícios.


(O que é que sabemos sobre o Paulo e a Raquel? que acertaram todos os
exercícios!
Logo, acertaram todos os exercícios é o predicado da frase!)
Na maior parte dos casos, os verbos precisam de um termo que complete o seu
sentido. Assim, é necessário completá-los usando um complemento.
Um complemento é, deste modo, um elemento que pertence ao predicado e que
serve para completar o sentido do verbo. Sem ele, a frase fica incompreensível.

O complemento direto
O complemento direto encontra-se dentro do predicado e responde à pergunta
“o quê?” ou “quem?”.
Exemplo: O Jorge viu um pássaro. (O Jorge viu o quê? – um pássaro. Logo, o
complemento direto é “um pássaro”)
A Rita ajudou a mãe. (A Rita ajudou quem? – a mãe. Logo, o complemento direto
é “a mãe”)
O complemento indireto

O complemento indireto encontra-se dentro do predicado e


responde à pergunta “a quem?” ou “para quem?”.
Exemplo: A Helena telefonou aos avós. (A Helena telefonou a quem? – aos
avós. Logo, o complemento indireto é “aos avós”).
Os avós têm um presente para a neta. (Os avós têm um presente para quem?
– para a neta. Logo, o complemento indireto é “para a neta”).

Nota! O complemento indireto começa sempre por uma preposição!


O vocativo é utilizado em contextos de
O
chamamento ou interpelação do interlocutor.
VOCATIVO
Aparece separado do resto da frase por vírgulas.
Pode surgir no início, no meio ou no fim da frase.
 Ana, entra e está à vontade.
 Entra, Ana, e está à vontade.
 Entra e está à vontade, Ana.

Atenção! Não confundas Vocativo com Sujeito!


RESUMINDO…

Atenta na frase:

Mana, a Rita deu uma flor à mãe.

 Estão a chamar ou a invocar alguém? A mana, - é o vocativo.

 Sobre quem é que se fala? – da Rita, - é o sujeito.

 O que sabemos sobre o sujeito? - Deu uma flor à mãe, - é o


predicado.
 Deu o quê? Uma flor, - é o complemento direto.

 Deu a quem? À mãe, - é o complemento indireto.

Você também pode gostar