Você está na página 1de 29

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO GRANDE DO SUL

ESCOLA DE NEGÓCIOS
PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ECONOMIA DO
DESENVOLVIMENTO

COOPERAÇÃO, COMÉRCIO INTERNACIONAL


AGRÍCOLA E DESENVOLVIMENTO:
ENSAIOS SOBRE A AMÉRICA LATINA
ORIENTAÇÃO
Augusto Mussi Alvim (PPGE-PUCRS)
Leonardo Xavier da Silva (PGDR-UFRGS)

22507-03 - PROJETO DE PESQUISA EM ECONOMIA

EDUARDO RODRIGUES SANGUINET


TÓPICOS DA APRESENTAÇÃO
• INTRODUÇÃO
• Problema de Pesquisa; Objetivos; Justificativa; Hipóteses
• REFERENCIAL TEÓRICO-CONCEITUAL
• Quadro conceitual amplo
• Cooperação e desenvolvimento
• Instituições, cooperação e desenvolvimento
• Contextualização: cooperação na AL
• Procedimentos metodológicos
• Métrica - Desenvolvimento
• Ensaios
• Análise Institucional e Índice de Anticooperação
• Abordagem econométrica
• Abordagem neoclássica e MEG
1 INTRODUÇÃO
Problema de Pesquisa
Objetivos do estudo
Justificativa
Hipóteses
INTRODUÇÃO
Tópicos centrais de análise
• Ações coordenadas Comércio e
• Estratégias de
colaboração e Agricultura • Indicador
multidimensional
benefícios mútuos • Perfil produtivo e para as economias
• Aumento das relações comercial • Mantém relação
sociais e econômicas • Vantagens com o comércio e a
setoriais cooperação
Cooperação e • Histórico
Desenvolvimento dos
consolidado
integração países
regional
INTRODUÇÃO
Problema de Pesquisa

o Considerando-se
(i) as características de cooperação entre os países da AL;
(ii) a diversidade das agendas de negociação bilaterais e regionais para enfrentar os
desafios internos e globais;
(iii) a experiência da AL no comércio agrícola internacional e
(iv) a incidência de práticas protecionistas por alguns países e blocos regionais que
favorecem a produção doméstica

PROBLEMA DE PESQUISA:
Como a cooperação e o comércio internacional agrícola podem
influenciar o desenvolvimento econômico dos países da América
Latina?
OBJETIVOS
Analisar a influência da cooperação
comercial agrícola no desenvolvimento dos
países latino-americanos.

Analisar métricas Avaliar os efeitos da


relacionadas à Avaliar os efeitos da adoção de políticas
Discutir o contexto determinação do nível de cooperação e do
institucional no que tange conjuntas dos países
cooperação dos países comércio internacional da AL em prol do
às práticas de cooperação latino-americanos e o seu agrícola no
comercial nos países latino- fortalecimento das
reflexo no desenvolvimento dos economias latino-
americanos; desenvolvimento das países da AL americanas
nações
HIPÓTESES
Hipótese 1 Hipótese 2 Hipótese 3

As medidas de cunho
O crescimento econômico e a
A cooperação por meio da neoliberal pouco permitem
promoção da melhoria da
integração regional pode avançar na debate sobre
qualidade de vida das
trazer um conjunto de desenvolvimento e
populações depende cada vez
benefícios econômicos, integração técnico-produtiva
mais de uma boa articulação
sociais e institucionais interna dos países latino-
com o meio internacional
- determinantes para o americanos
- a estabilidade das
fortalecimento das - não alteram a posição atual
instituições relacionadas à
economias no contexto dos países frente à dinâmica
cooperação mantém uma
internacional econômica mais ampla
relação positiva e direta.
internacionalmente
ELEMENTOS DE JUSTIFICATIVA
Características estruturais Falta de planejamento
das economias Políticas e de abertura dos acordos
Baixo nível de
comercial por parte dos
integração de comércio
- limita a inserção mais países em - proliferação de
inter-regional na AL
ampla no comércio desenvolvimento acordos bilaterais dos
(menos de 20%)
mundial países
- Resultados incipientes - Debilita melhores
-54% da Ásia-Pacífico e negociações
em termos de
70% da EU
desenvolvimento
A atualidade do tema

- avanço nos acordos de A AL tem capacidade


cooperação para capitalizar os ativos
internacional regionais disponíveis
Importância em explorar
Questões apontadas - econômico, comercial,
espaços e desenvolver
desafios da Agenda 2030 histórico ou cultural
políticas regionais
da ONU.
comuns.
REVISÃO BIBLIOGRÁFICA E ENQUADRAMENTO
2 TEÓRICO
Enfoques teóricos
Conceitos e concepções principais
QUADRO TEÓRICO

(i) Economia neoclássica


imposição de tarifas, a aplicação de subsídios, determinação de cotas e barreiras à
importação, vantagens comparativas (em modelos de comércio internacional) etc.
(MENDONÇA et. al., 2014) e;

(ii) Economia institucional


cooperação internacional, regulação do comércio internacional e demais ações de caráter
político-institucional que podem vir a alterar a dinâmica das trocas internacionais
(ANDERSON, 2000; LINDERS, 2006).
QUADRO CONCEITUAL AMPLO

(i) Cooperação e desenvolvimento


xxxxxxx;

(ii) Instituições, cooperação, comércio e desenvolvimento xxxxxxxxxxx.


COOPERAÇÃO NA AL - CONTEXTUALIZAÇÃO

(i) Cooperação e desenvolvimento


xxxxxxx

(ii) Instituições, cooperação, comércio e desenvolvimento xxxxxxsxxxx


3 PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS
Métrica de Desenvolvimento
Ensaio 1 – Análise Institucional
Ensaio 2 – Abordagem econométrica
Ensaio 3 - MEG
MÉTRICA PARA
DESENVOLVIMENTO
Fonte de dados
◦ Sistema de Contas Nacionais (IBGE)
▫ PIB, deflator do PIB, número de trabalhadores

◦ Massa líquida de Kfixo não residencial


▫ Método de inventário perpétuo:
registro de operações de bens de forma a que possa ser conhecido a qualquer
momento o valor do inventário final, o custo da venda e o lucro ou prejuízo bruto

◦ Taxa de depreciação:
▫ δ = R/T = taxa redução valor ativo/tempo de vida
◦ Consumo de K
▫ Soma de massa líquida de K fixo e FBCF.
PROGRESSO TÉCNICO NA
4 ECONOMIA
BRASILEIRA
Análise de 1952 - 2008
PROGRESSO TÉCNICO NA ECONOMIA
BRASILEIRA
Brasil: Relação Distribuição-Crescimento, 1952 - 2008
Progresso técnico
distorcido no sentido de
Marx:

- x (+2,25% a.a)
- k (-1,48% a.a)
PROGRESSO TÉCNICO NA ECONOMIA
BRASILEIRA
Brasil: Relação Distribuição-Crescimento, fases
x = +0,75%; x = +0,71%; x = +4,45%;
k = +0,55% k = -2,99%c k = -1,93%c
1952 – 1975
-milagre econômico;
- setor industrial (PSI)

1975 – 1991
- PND II (Geisel);
- Crise modelo PSI
- Década perdida

1991 – 2008
- abertura econômica;
- liberalização financeira e
privatizações;
- plano real (1994)
PROGRESSO TÉCNICO NA ECONOMIA
BRASILEIRA
Produtividade do Trabalho, 1952 - 2008
Fases do progresso e
Crescimento

- Sentido de Marx: PSI;

- Mudanças técnicas
resultam do processo
histórico de invenção ou
transferência
MODELO INGLÊS

Operacionalização do conceito

Indústrias criativas são aquelas que cuja intensidade criativa (ou


seja, o percentual de trabalhadores criativos sobre o total de
trabalhadores do setor) é maior ou igual a 30%.
MODELO INGLÊS

Etapa 1: Seleção das ocupações criativas;

- a partir da Classificação Brasileira de Ocupações (CBO).

Etapa 2: Cálculo da intensidade de trabalho criativo para definição das


atividades econômicas ligadas a cultura

- Seleção lista de atividades (Classificação Nacional de Atividades


Econômicas, CNAE);
- Escolha: mais de 30% de cada atividade econômica é composta por
ocupações criativas
1 2 3

DEZ SETORES ATIVIDADES DEFINIÇÃO


(CSC) ECONÔMICAS FINAL
SELECIONADA
Arquitetura
Artes S Enquadramento
Audiovisual das atividades
Design
Editoração
MODELO DCMS (CNAEs) nos
(intensidade criativa) setores
Entretenimento
Formação
Gestão
Música
Patrimônio
MODELO INGLÊS

Resultados: Inclusão de quatro atividades econômicas intensas em


criatividade
% de ocupações
Código Manuteção das 40 classes CNAE
CNAE 2.0 Classe criativas em Conta
satélite
2014
60101 60101:Atividades de rádio 57,74% Já incluída
60217 60217:Atividades de televisão aberta 53,23% Já incluída
32116 32116:Lapidação de gemas e fabricação de artefatos de ourivesaria e joalheria 44,67% Já incluída
47431 47431:Comércio varejista de vidros 42,71%  
59111 59111:Atividades de produção cinematográfica, de vídeos e de programas de televisão 42,46% Já incluída
73114 73114:Agências de publicidade 42,45%  
23494 23494:Fabricação de produtos cerâmicos não-refratários não especificados anteriormente 42,12%  
63917 63917:Agências de notícias 41,36%  
59201 59201:Atividades de gravação de som e de edição de música 40,08% Já incluída
60225 60225:Programadoras e atividades relacionadas à televisão por assinatura 36,49% Já incluída
59120 59120:Atividades de pós-produção cinematográfica, de vídeos e de programas de televisão 36,48% Já incluída
58239 58239:Edição integrada à impressão de revistas 31,65% Já incluída
32124 32124:Fabricação de bijuterias e artefatos semelhantes 30,63% Já incluída
4 DIFICULDADES
Utilização da Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE)
CNAE
o O sistema de classificação das CNAEs é composto por 5 níveis de
desagregação:
o seção, divisão, grupo, classe e subclasse

◦ Os dados que podem ser obtidos pela RAIS e pelas estatísticas do


IBGE são de classes (4 dígitos);

◦ A CSC baseia-se na classificação de classes, com atividades


fortemente ligadas à cultura;

◦ Classificações em subclasses que incluem aspectos de cultura não são


selecionados, pois a participação relativa da cultura é pequena.
Código Descrição CNAE
1813-0/01 CATÁLOGOS DE ARTE, KITS PROMOCIONAIS; IMPRESSÃO SOB ENCOMENDA
2391-5/03 OBJETOS DE ARTE EM GRANITO - INCLUSIVE PARA JAZIGOS; PRODUÇÃO DE

CNAE: EXEMPLO 2391-5/03


2391-5/03
OBJETOS DE ARTE EM MÁRMORE - INCLUSIVE PARA JAZIGOS; PRODUÇÃO DE
OBJETOS DE ARTE EM PEDRA-SABÃO; PRODUÇÃO DE
2391-5/03 OBJETOS DE ARTE EM PEDRAS; PRODUÇÃO DE

o Busca pelo 4212-0/00


4212-0/00
GRANDES ESTRUTURAS E OBRAS DE ARTE, CONSTRUÇÃO DE
OBRAS DE ARTE CORRENTE, CONSTRUÇÃO DE
4212-0/00 OBRAS DE ARTE ESPECIAIS, CONSTRUÇÃO DE
termo “arte”; 4212-0/00 OBRAS DE ARTE RODOVIÁRIAS; MANUTENÇÃO DE
4212-0/00 RECOMPOSIÇÃO DE OBRAS DE ARTE
4212-0/00 RECUPERAÇÃO DE OBRAS DE ARTE: PONTES, TÚNEIS, VIADUTOS, PASSARELAS
4789-0/03 GALERIAS DE ARTE; COMÉRCIO VAREJISTA
o Resultam 14 4789-0/03 OBJETOS DE ARTE NOVOS; COMÉRCIO VAREJISTA
5819-1/00 REPRODUÇÃO DE TRABALHOS DE ARTE; EDIÇÃO DE
subclasses 5821-2/00
5829-8/00
LIVROS DE ARTE; EDIÇÃO INTEGRADA À IMPRESSÃO DE
REPRODUÇÃO DE TRABALHOS DE ARTE; EDIÇÃO INTEGRADA À IMPRESSÃO DE
7490-1/05 AGENTE DE OBRAS DE ARTE; SERVIÇOS DE
8412-4/00 ADMINISTRAÇÃO DE ARTE E CULTURA; ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA
o Classe: 4789 9002-7/01 DIREITOS AUTORAIS DE OBRAS DE ARTE; GESTÃO DE
9002-7/02 OBJETOS DE ARTE; RESTAURAÇÃO DE
9002-7/02 RESTAURAÇÃO DE OBRAS DE ARTE; SERVIÇOS DE
EMPRÉSTIMO E ARMAZENAMENTO DE LIVROS, MAPAS, PERIÓDICOS, REVISTAS, FITAS
9101-5/00
DE VÍDEO, DVDS, OBRAS DE ARTE, ETC; ATIVIDADES DE
9102-3/01 MUSEU DE ARTE; ATIVIDADE DE
9493-6/00 ARTE; ASSOCIAÇÕES DE
9493-6/00 CLUBE DE MÚSICA E ARTE
EXEMPLO
o A Classe 4789 é de: COMÉRCIO VAREJISTA DE OUTROS
PRODUTOS NOVOS NÃO ESPECIFICADOS ANTERIORMENTE;

o Não pode ser incluída para mensurar o impacto de galeria de artes na


economia: problema de superestimação

Seção: G COMÉRCIO; REPARAÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES E MOTOCICLETAS


Divisão: 47 COMÉRCIO VAREJISTA
COMÉRCIO VAREJISTA DE PRODUTOS NOVOS NÃO ESPECIFICADOS
Grupo: 478
ANTERIORMENTE E DE PRODUTOS USADOS
COMÉRCIO VAREJISTA DE OUTROS PRODUTOS NOVOS NÃO ESPECIFICADOS
Classe: 4789-0
ANTERIORMENTE
CNAE: EXEMPLO
o A Classe 4789 é de: COMÉRCIO VAREJISTA DE OUTROS
PRODUTOS NOVOS NÃO ESPECIFICADOS ANTERIORMENTE;

o Não pode ser incluída para mensurar o impacto de galeria de artes na


economia: problema de superestimação

Seção: G COMÉRCIO; REPARAÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES E MOTOCICLETAS


Divisão: 47 COMÉRCIO VAREJISTA
COMÉRCIO VAREJISTA DE PRODUTOS NOVOS NÃO ESPECIFICADOS
Grupo: 478
ANTERIORMENTE E DE PRODUTOS USADOS
COMÉRCIO VAREJISTA DE OUTROS PRODUTOS NOVOS NÃO ESPECIFICADOS
Classe: 4789-0
ANTERIORMENTE
ADAPTAÇÃO MODELO INGLÊS

o O sistema de classificação das CNAEs é diferente da


classificação inglesa:
o A simples tradução e adaptação pode incorrer em erros de escolha de
ocupações

◦ A estrutura de 4 dígitos inglesa é mais detalhada do que a de 4


dígitos brasileira:
▫ amplitude do leque de atividades das ocupações
Núcleo de Estudos em Economia Criativa e da Cultura (NECCULT)
neccult@ufrgs.br
Avenida João Pessoa, 52, Anexo da Faculdade de Ciências Econômicas
Centro Histórico, Porto Alegre, Rio Grande do Sul