Você está na página 1de 17

Prof.

Juliano

“Aquele a quem a palavra não educar, também o pau não educará.”


Sócrates.

Sócrates de Atenas
470? - 399? .a.C.

Considerações importantes sobre Sócrates e sua filosofia:

• pertence ao segundo período da filosofia antiga, conhecido como socrático, clássico


ou antropológico V-IV a.C.;
• considerado pela história da filosofia como o maior dos filósofos;

• considerado, ao lado de Platão e Aristóteles, o maior adversário dos sofistas;


• deduz que a sabedoria é o resultado da percepção da própria ignorância.
Prof. Juliano julianojbs@yahoo.com.br

Sócrates de Atenas
Considerações importantes sobre Sócrates e sua filosofia:

- considerado pelo oráculo de Delfos, principal templo erguido em homenagem a


Apolo, deus da razão, que se manifesta por meio de sua sacerdotisa Pítia ou Sibila,
“o mais sábio dos homens”, cuja afirmação é testemunhada por Querofonte e
apresentado na boulé, tribunal grego, na defesa de Sócrates;

- acredita que Apolo lhe deu uma missão, que é


questionar todo homem que toma opiniões como
conhecimento verdadeiro;

- não deixou nenhum escrito, pois toda sua filosofia


foi concebida através de diálogos: oralidade.

Ruínas do Oráculo de Delfos.


Prof. Juliano julianojbs@yahoo.com.br

Principais escritos sobre Sócrates e sua


filosofia
Tudo que sabemos sobre a vida e o pensamento de Sócrates, pois ele não deixou
nenhum escrito, é proveniente de comentários dos filósofos (que o seguiram, ou
criticaram suas ideias, ou só estudaram suas ações), dos historiadores e outros
escritores da época. As principais fontes sobre o assunto em questão são de seus
dois mais importantes discípulos, Xenofonte e Platão; além de Aristófanes,
escritor de teatro/dramaturgo, que satirizava os sofistas em suas comédias, onde
Sócrates é personagem de uma delas.
Prof. Juliano julianojbs@yahoo.com.br

Quem foi Sócrates?


 Vejamos a posição de cada um deles sobre Sócrates:

Aristófanes: visão negativa que afirma ser Sócrates um tipo de “mestre-pensador


perigoso”.
Xenofonte: visão neutra que afirma ser Sócrates apenas um “homem moralista e
convencional”.
Platão: visão positiva que afirma ser Sócrates o “modelo ideal de cidadão da
pólis”.

Platão e os diálogos
socráticos
Prof. Juliano julianojbs@yahoo.com.br

Sócrates de Atenas
Máxima socrática:

Principais objetivos da filosofia socrática:

o pensamento de Sócrates relaciona dois conceitos fundamentais, são eles: Teoria


do conhecimento e Ética, pois conhecer a verdade teria como consequência
inevitável a ação moral (virtuosa, justa ou correta).

 Logo...
a virtude (ação de bem) e a verdade (conhecimento do bem) estariam
intimamente ligados... seriam inseparáveis, pois a primeira, agir conforme o bem,
é fruto da segunda, pensar o que é o bem.
Prof. Juliano julianojbs@yahoo.com.br

Sócrates de Atenas
 Objeto de estudo da...
• Teoria do Conhecimento: tem como objeto de estudo compreender qual é e o
que é o conhecimento verdadeiro.
• Ética: tem como objeto de estudo descobrir qual é a ação
moral.

 Na filosofia socrática o objetivo da...

• Teoria do Conhecimento: é fazer com que os homens adquiram, a partir da


razão, o conhecimento do que é em si – isto é, a substância/essência dos seres
(verdade).
• Ética: é fazer com que os homens busquem a prática de ações corretas ou justas
nas relações privadas (pessoais) e públicas (políticas) com os membros da pólis.
Prof. Juliano julianojbs@yahoo.com.br

Objetivo da Filosofia Socrática


 Relação entre Teoria do Conhecimento (saber) e Ética (fazer):

Razão: saber Logo...

A filosofia socrática busca estabelecer uma


relação direta entre Teoria do Conhecimento
(verdade) e Ética (moral), cuja interdependência
 Ação: fazer decidem os rumos políticos da pólis.

Prof. Juliano julianojbs@yahoo.com.br

Sócrates de Atenas
A Filosofia Socrática
Para facilitar a compreensão dos conceitos socráticos, cuja finalidade é o entendimento
das possíveis interpretações desse filósofo, iremos, pedagogicamente, dividir seu
pensamento em três partes, deixando claro que existem divergências sobre o tema. As
três partes são:
- 1ª Parte: Exortação:
2ª Parte: Ironia: refutação/elenchos: aporia
- 3ª Parte: Maiêutica;

Atenção!
•Bem, Bom ou Belo são as produções da
epistemologia filosófica que os homens definem
como conceito, verdade, razão ou logos.
Prof. Juliano julianojbs@yahoo.com.br

Filosofia Socrática

1ª Parte: Exortação: convite que Sócrates dirige ao seu interlocutor com o intuito
de iniciar um diálogo. Vale ressaltar que o mesmo costuma ocorrer após a emissão
de um juízo de valor qualquer ou conclusão do interlocutor.
Prof. Juliano julianojbs@yahoo.com.br

Filosofia Socrática
2ª Parte: Ironia: tem como finalidade destruir os preconceitos que não passam de
opiniões baseadas nos sentidos. Para tanto Sócrates diante do oponente, que se diz
conhecedor de terminado assunto, afirma inicialmente nada saber e, com hábeis
perguntas, demonstra as certezas até o outro reconhecer a própria ignorância através
da refutação (ou elenchos/elenkos).

 Mas como ocorre a refutação?


Sócrates conduz seu interlocutor a um estado de aporia (em grego “poros
tampados”), que significa pergunta sem resposta ou dificuldade de ordem racional
decorrente de um único raciocínio.

• Ironia: significa perguntar, questionar, interrogar, indagar etc.


• Refutação: mostrar que os conceitos do outro é infundado e falho.
Prof. Juliano julianojbs@yahoo.com.br

Filosofia Socrática
3ª Parte: Maiêutica: significa “dar luz a ideias novas, buscando a verdade”. Tem
como objetivo ajudar a construir ou a reconstruir a definição dos conceitos, de
modo que esses sejam racionais, isto é, válidos de modo universal, necessário e
atemporal.

 Portanto a filosofia socrática possui três conceitos chave, são eles:

Ironia: refutação: aporia


Prof. Juliano julianojbs@yahoo.com.br

Dados Históricos Sobre Sócrates


 Principais acusações apresentadas no Tribunal contra Sócrates:

• Corromper e perverter a mocidade ou juventude ateniense;


• Blasfemar e não crer nos deuses da cidade e da religião
grega;
• Negar as virtudes gregas;
• Fazer prevalecer o discurso e a razão mais fraca.

 Principais acusadores de Sócrates:

- Ânito;
- Meleto;
- Lícon.
Prof. Juliano julianojbs@yahoo.com.br

Dados Históricos Sobre Sócrates


 Sentenças dadas pelo Tribunal a Sócrates:

1ª. Pagar uma multa altíssima;


2ª. Exílio;
3ª Morte.

Cicuta

Sócrates foi obrigado a tomar cicuta, um líquido


venenoso extraído de uma planta de mesmo nome.
Cicuta
Prof. Juliano julianojbs@yahoo.com.br

Dados Históricos Sobre Sócrates


 Consequências da dialética socrática para Atenas na Grécia:

• Revolução política;
• Revolução ideológica;

• Sócrates como líder carismático;

Pintura de Sócrates

- Abertura de escolas sob a influência da reflexão socrática;


- O homem e suas produções como o centro das discussões;
- Valorização da razão e desvalorização dos sentidos/corpo.

Academia de Platão
Prof. Juliano julianojbs@yahoo.com.br

Escolas Socráticas
Escolas fundadas pela influência de Sócrates:

 Socráticas Maiores:

• Academia: Platão de Atenas.


• Liceu: Aristóteles de Estagira.

 Socráticas Menores:

• Cínica: Antístenes de Atenas – escola misantropa.


• Cirenaica: Aristipo de Cirene – escola hedonista.
• Megárica: Euclides de Mégara – escola ascética. Platão e Aristóteles

• Elide: Fedo e Menédemo – escola ascética.


Prof. Juliano julianojbs@yahoo.com.br

Escolas Socráticas Menores


Definição dos conceitos de...

- Misantropismo: é aquele que tem aversão às


convenções criadas pelo homem em sociedade. O
seu principal representante foi Diógenes de Sínope.

- Hedonismo: é uma concepção filosófica que


proclama o prazer como fim supremo da vida. Por
isso, os hedonistas baseiam a sua existência na
busca pelo prazer e na supressão da dor.

- Ascetismo: é prática da abstenção de prazeres e até


do conforto material, adotada com o fim de alcançar
a perfeição moral e espiritual.
Diógenes de Sínope
Prof. Juliano julianojbs@yahoo.com.br

Referências Bibliográficas
ABBAGNANO, Nicola. História da Filosofia. Lisboa: Presença, 1992.
ARANHA, M. L. & MARTINS, M. H. P. Filosofando. São Paulo: Moderna, 2003.
CHAUÍ, M. Convite à filosofia. São Paulo: Ática, 2003.
CHALITA, G. Vivendo a filosofia. São Paulo: Atual, 2002.
COTRIM, G. Fundamentos da filosofia. São Paulo: Saraiva, 2002 [e 2006].
GILES, T. R. Introdução à Filosofia. São Paulo: EDUSP, 1979.
MANDIN, B. Curso de filosofia. Os filósofos do ocidente. São Paulo:
Paulus, 1982.
OLIVEIRA, A. M. (org.). Primeira filosofia. São Paulo: Brasiliense, 1996.
de
REZENDE, A. (org.). Curso de filosofia; para professores e alunos
dos cursos