Você está na página 1de 29

Contenção mecânica

Educação continuada em Enfermagem


Hospital Anchieta 09/20
FATORES DE ATENÇÃO

Geralmente a queda de pacientes em hospitais está


associada a fatores vinculados tanto ao indivíduo como ao
ambiente físico, entre os fatores vinculados ao paciente
destacam-se:

• idade avançada (principalmente idade acima de 85 anos);


• história recente de queda;
• redução da mobilidade;
• incontinência urinária;
• uso de medicamentos;
• hipotensão postural.
NOSSO PERFIL

Hospital de Campanha no atendimento exclusivo ao


COVID-19.

• Perfil de pacientes idosos;


• Sem presença de acompanhantes;
• As portas dos quartos devem ser mantidas fechadas,
devido ao risco de contágio, pois todos os pacientes
da 3º Unidade são COVID-19 positivos;
• Não temos visibilidade e monitoramento contínuo dos
pacientes de cuidados mínimos.
RESTRIÇÃO/CONTENÇÃO DO PACIENTE

• Refere-se a qualquer dispositivo ou ação que interfere


na habilidade do paciente em tomar decisões ou que
restringe sua capacidade em tomar decisões ou que
restringe sua capacidade de movimentar-se, alterando
sua capacidade de raciocínio, a liberdade de
movimentos, a atividade física ou o acesso normal ao
seu corpo.

Deve ser utilizada somente quando o risco de seu


emprego é superado pelo risco de não utiliza-lo.

Conselho Regional de Enfermagem. Restrição de Pacientes. Março/2009


COMO SE CLASSIFICAM AS CONTENÇÕES???
CLASSIFICAÇÃO DE CONTENÇÃO

• Contenção química (medicamentos).

• Contenção Mecânica (Contensores de MMSS e MMII


padronizados para o CHMSBC).
• - TÓRAX: não é de responsabilidade da Enfermagem.
CONTENÇÃO QUÍMICA

Medida terapêutica na qual são usados medicamentos


para controlar o comportamento, prevenindo acidentes
ou agressividade a ele e a outros.

Conselho Regional de Enfermagem. Restrição de Pacientes. Março/2009


CONTENÇÃO MECÂNICA

É uma medida terapêutica que deve ser usada de forma


adequada e específica para que surta o efeito desejado,
de maneira segura e eficaz, evitando danos aos pacientes
e aos profissionais envolvidos na técnica. Contudo ela
deve ser o último recurso a ser utilizado, uma vez que a
conduta inicial é a contenção química.

(MARCOLAN, 2004; STUART e LARAIA, 2001; KAPLAN, SADOCK, GREBB, 1997).


QUANDO DEVE SER APLICADA

 Para proteger o paciente ou outras pessoas de lesões e traumas


provocados por ele mesmo ou para prevenir a interrupção do
tratamento a que vem sendo submetido.

 Quando outras medidas preventivas já foram consideradas ou


utilizadas, não se mostrando adequadas em proteger a pessoa que
tem risco de lesionar-se ou a outros.

 Deve basear-se na premissa de minimizar o uso de restrição ou


qualquer outra forma de contenção, com vistas à promoção de
prática seguras.

Conselho Regional de Enfermagem. Restrição de Pacientes. Março/2009


O QUE DIZ O COFEN ?????
RESOLUÇÃO COFEN Nº 427/2012
NORMATIZA OS PROCEDIMENTOS DA ENFERMAGEM
NO EMPREGO DA CONTENÇÃO MECÂNICA DE
PACIENTES

• Considerando o art. 5º, inciso III, da Constituição Federal de 1988,


segundo o qual “ninguém será submetido a tortura nem a
tratamento desumano ou degradante”;

• Considerando a Lei nº 7.498, de 25 de Junho de 1986, seu art. 11,


inciso I, alínea “m”, que dispõe ser privativo do Enfermeiro
“cuidados de Enfermagem de maior complexidade técnica e que
exijam conhecimentos de base cientifica, e capacidade de tomar
decisões imediatas”;
RESOLUÇÃO COFEN Nº 427/2012
NORMATIZA OS PROCEDIMENTOS DA ENFERMAGEM
NO EMPREGO DA CONTENÇÃO MECÂNICA DE
PACIENTES
• Considerando o art. 11, inciso II, alínea “f”, da Lei nº 7.498, de 25
Junho de 1986, segundo o qual é atribuição do Enfermeiro, como
integrante da equipe de saúde, “prevenção e controle sistemático
de danos que possam ser causados à clientela durante a assistência
de Enfermagem”;

Art. 1º Os profissionais da Enfermagem, excetuando-se as situações de


urgência e emergência, somente poderão empregar a contenção
mecânica do paciente sob supervisão direta do Enfermeiro e,
preferencialmente, em conformidade com protocolos estabelecidos
pelas instituições de saúde, pública ou provadas, a quem estejam
vinculados.
RESOLUÇÃO COFEN Nº 427/2012
NORMATIZA OS PROCEDIMENTOS DA ENFERMAGEM
NO EMPREGO DA CONTENÇÃO MECÂNICA DE
PACIENTES
• Art. 2º A contenção mecânica de paciente será empregada quando
for o único meio disponível para prevenir dano imediato ou
eminente ao paciente ou aos demais.

• Art. 4º Todo paciente em contenção mecânica deve ser monitorado


atentamente pela equipe de enfermagem, para prevenir a
ocorrência de eventos adversos ou para identificá-los.

§ 1º Quando em contenção mecânica, há necessidade de


monitoramento clínico do nível de consciência, de dados vitais e
de condições de pele e circulação nos locais e membros contidos
do paciente, verificados com regularidade nunca superior a 1
(uma) hora.
RESOLUÇÃO COFEN Nº 427/2012
NORMATIZA OS PROCEDIMENTOS DA ENFERMAGEM
NO EMPREGO DA CONTENÇÃO MECÂNICA DE
PACIENTES
§ 2º Maior rigor no monitoramento deve ser observado em
pacientes sob sedação, sonolentos ou com algum problema clínico,
e em idosos, crianças e adolescentes.

Art. 5º Todos os casos de contenção mecânica de pacientes, as


razões para o emprego e sua duração, a ocorrência de eventos
adversos, assim como os detalhes relativos ao monitoramento
clínico, devem ser registrados no prontuário do paciente.
CONTENÇÃO MECÂNICA DE PACIENTES COM
AGITAÇÃO
INDICAÇÃO

• A contenção mecânica está indicada para pacientes com problemas clínicos


graves, inconscientes, confusos e para momentos que nenhuma outra
opção terapêutica for eficiente.

• Quando o paciente apresentar quadro de agitação psicomotora o


Enfermeiro deverá solicitar avaliação médica;

• O Médico deverá avaliar o paciente e se necessário prescrever


medicamentos e/ou contenção mecânica;

• O Médico deve explicar aos familiares sobre a necessidade de


contenção do paciente, ressaltando as justificativas clínicas;
INDICAÇÃO

• O Médico e Enfermeiro Assistencial deverão reavaliar o


paciente a cada seis horas, ou dentro do tempo mínimo
necessário para que os medicamentos produzam o efeito
terapêutico esperado, para que a contenção seja suspensa;

• O Médico deverá solicitar avaliação do fisioterapeuta nos casos


em que o uso da contenção seja necessário por mais de seis
horas.
ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE DE ENFERMAGEM
Enfermeiro
Avalia o paciente com quadro de agitação psicomotora e em risco
eminente de queda e solicita a avaliação Médica.

Enfermeiro
Intervir com medidas preventivas de queda com a solicitação Médica
de contenção mecânica e/ou química.

Médico
Avaliar a necessidade de intervir ao paciente com contenção química
e/ou mecânica.
Médico
Orientar o familiar e se possível o paciente sobre o procedimento
prescrito, enfatizando que é para a segurança deste

Médico
Solicitar a avaliação do Fisioterapeuta aos pacientes em contenção
mecânica por mais de seis horas.

Médico
Atentar aos sinais de comprometimento do sistema decorrente da
contenção mecânica.
Equipe de Enfermagem
O Enfermeiro e o Técnico de Enfermagem devem realizar a contenção
mecânica, atentar-se quanto ao risco garroteamento do membro.

Enfermeiro
Durante o procedimento, o paciente em agitação psicomotora deverá
ser restrito com segurança.

Enfermeiro
Deve avaliar o paciente e prescrever cuidados de enfermagem visando
à prevenção de complicações relacionadas à contenção mecânica.
Equipe de Enfermagem
Devem avaliar a cada uma hora os membros com contenção mecânica.

Técnico/Auxiliar de Enfermagem
Administrar medicações conforme Prescrição Médica, seguindo o
Protocolo Institucional.

Equipe de Enfermagem
Realizar a contenção mecânica somente após ser prescrita pelo
Médico.
CUIDADOS DE ENFERMAGEM
• Avaliar a área a ser contida;

• Paciente com anastomose de fístula artéria venosa


(FAV), deve-se atentar para o local da contenção;

• Se a FAV for no antebraço deve conter o braço e vice-


versa;

• Atentar para não garrotear o membro contido, em


especial dos pacientes mastectomizadas.
CUIDADOS NECESSÁRIOS

• Integridade da pele – Risco de lesão por cisalhamento;

• Manter a pele limpa e seca;

• Trocar a contenção em caso de sujidade, umidade;

• Não colocar a contenção sobre a área de punção.


CONTENÇÃO DE MEMBROS SUPERIORES
CONTENÇÃO DE MEMBROS INFERIORES
CONTENÇÃO DE MEMBROS INFERIORES
CONTENÇÃO DE MEMBROS INFERIORES

• POP – Protocolo de Queda


• http://www.cofen.gov.br/resoluo-cofen-n-4272012_9146.htm
• Conselho Regional de Enfermagem. Restrição de Pacientes.
Março/2009