Você está na página 1de 19

As redes de difusão apresentam aspectos interessantes que as

tornam uma solução bastante adequada aos requisitos de


comunicação industrial, porém um dos problemas em sua
aplicação está relacionado com o método de acesso ao meio
que é compartilhado, pois, uma vez que vários equipamentos
deverão trocar informações num dado instante, a decisão de
quem vai ter o direito de uso do meio para o envio de uma
mensagem não é uma tarefa evidente.

Os protocolos de acesso ao meio tem papel fundamental no


tempo de entrega de uma mensagem via rede. Este tempo é
fundamental para aplicações com características de tempo real.
Os protocolos de acesso ao meio
podem se classificados de maneira geral em
cinco categorias:
ALOCAÇÃO FIXA: Estes protocolos alocam o
meio às estações por determinados intervalos
de tempo (chamados de bandas),
independentemente de haver ou não a
necessidade de acesso (ex: TDMA - Time
Division Multiple Acces);
Os protocolos de acesso ao meio
podem se classificados de maneira geral em
cinco categorias:
ALOCAÇÃO ALEATÓRIA: Permitem acesso
aleatório de estações ao meio (ex: CSMA -
Carrer Sense Multiple Acces). Em caso de
envio simultâneo por mais de uma estação,
ocorre uma colisão e as estações envolvidas
tem que transmitir suas mensagens após a
resolução do conflito resultante (Também
chamados protocolos de contenção):
Os protocolos de acesso ao meio
podem se classificados de maneira geral em
cinco categorias:
ALOCAÇÃO CONTROLADA: Cada estação tem
direito de acesso apenas quando de posse de
uma permissão, que é entregue às estações
segundo alguma seqüência predefinida (ex:
Token-Passing, Master-Slaves)
Os protocolos de acesso ao meio
podem se classificados de maneira geral em
cinco categorias:
ALOCAÇÃO POR RESERVA: Para poder usar o
meio, as estações tem que reservar banda com
antecedência, enviando pedidos a uma
estação controladora durante um intervalo de
tempo pré-determinado a este fim (ex: CRMA-
Cyclic Reservation Multiple Acces);
Os protocolos de acesso ao meio
podem se classificados de maneira geral em
cinco categorias:
HÍBRIDOS: consistem de duas ou mais das
características anteriores
Os protocolos determinísticos são caracterizados pela possibilidade de
definir um tempo limite para a entrega de uma dada mensagem enquanto os
protocolos não determinísticos não oferecem tal possibilidade.
Muitos dos atuais protocolos de acesso determinísticos são caracterizados pela
concessão do direito ao acesso independente das necessidades de
transmissão de cada nó da estação (alocação fixa). Dentre os protocolos
conhecidos desta classe, podemos destacar o protocolo TDMA-Time Division
Multiple Acces, onde o acesso é dado a cada estação considerando faixas de
tempo bem definidas. Este método apresenta um baixo desempenho uma vez
que muito tempo pode ser perdido no caso de estações que não tenham
mensagens a transmitir.
Outros exemplos de protocolos de acesso determinísticos são aqueles
baseados na passagem de ficha (token passing), onde uma ficha
correspondendo ao direito de transmissão é passada de estação a estação da
rede. Ao receber a ficha uma estação que não tenha mensagens a transmitir
repassa a ficha à estação seguinte na lista de estações compondo a rede
(alocação controlada).
Com relação ao comportamento
temporal, podemos organizar os
protocolos de acesso ao meio em duas
principais classes:

Protocolos determinísticos

Protocolos não determinísticos