Você está na página 1de 48

CFSD 2014

Título do Conteúdo

• Conteúdo do slide
Procedimentos Policiais em Crimes
Ambientais

Cap PM Patricio Bernabé Fiorim


Procedimentos Policiais em Crimes
Ambientais

FLORA SILVESTRE
Flora Silvestre
Flora Silvestre

BIOMAS

Bioma é uma unidade biológica ou espaço


geográfico caracterizado de acordo com o
macroclima, a fitofisionomia (aspecto da vegetação
de um lugar), o solo e a altitude específicos.

BIOMA: de “bios=vida” e “oma=grupo ou massa”.


Flora Silvestre

BIOMAS
Política Nacional de Meio Ambiente

MATA ATLÂNTICA

A Mata Atlântica compreende a cobertura florestal


que se estende sobre a cadeia montanhosa litorânea
ao longo do Oceano Atlântico, nas regiões nordeste,
sudeste e sul do Brasil, incluindo também o leste do
Paraguai e Missiones, na Argentina. É um dos
maiores repositórios de biodiversidade do planeta e
é considerada um dos mais importantes e
ameaçados biomas do mundo (BSP et al, 1995 apud
Mittermeier et al, 1999).
Flora Silvestre

MATA ATLÂNTICA NO ESPÍRITO SANTO

1500 – 87%

2012 – 11,5%
FONTE: USO E OCUPAÇÃO DO SOLO - IJSN
Flora Silvestre

MATA ATLÂNTICA NO ESPÍRITO SANTO

Gráfico de Desmatamento

FONTE: INPE/SOS MATA ATLÂNTICA


Flora Silvestre

MATA ATLÂNTICA NO ESPÍRITO SANTO

FONTE: INPE/SOS MATA ATLÂNTICA


Organização: Cap Fiorim (Monografia do CAO/2013)
Flora Silvestre

MATA ATLÂNTICA NO ESPÍRITO SANTO

FONTE: INPE/SOS MATA ATLÂNTICA


Organização: Cap Fiorim (Monografia do CAO/2013)
Flora Silvestre

MATA ATLÂNTICA NO ESPÍRITO SANTO

FONTE: Fiorim, 2013, p. 43 e 44.


Flora Silvestre

MATA ATLÂNTICA NO ESPÍRITO SANTO

FONTE: Fiorim, 2013, p. 47.


Flora Silvestre

MATA ATLÂNTICA NO ESPÍRITO SANTO

Principais causas de Desmatamento no ES:


Processo histórico e cultural de exploração dos
recursos naturais;
Cana-de-açúcar;
Café;
Pecuária extensiva;
Exploração madeireira;
Mineração.
Procedimentos Policiais em Crimes
Ambientais

UNIDADES DE CONSERVAÇÃO
Flora Silvestre

UNIDADES DE CONSERVAÇÃO

Unidade de Conservação: espaço territorial e seus


recursos ambientais incluindo as águas
jurisdicionais, com características naturais
relevantes, legalmente instituído pelo Poder Público,
com objetivos de conservação e limites definidos,
sob regime especial de administração, ao qual se
aplicam garantias adequadas de proteção.
Regulado pelo SNUC: Lei 9.985/00.
Flora Silvestre

UNIDADES DE CONSERVAÇÃO

FONTE: IEMA.
Flora Silvestre

UNIDADES DE CONSERVAÇÃO

Unidade de Proteção Integral – Tem por objetivo


preservar a natureza, sendo admitido apenas o uso
indireto dos seus recursos naturais:
Estação Ecológica;
Reserva Biológica;
Parque Nacional;
Monumento Natural;
Refúgio de Vida Silvestre.
Flora Silvestre

UNIDADES DE CONSERVAÇÃO

Unidade de Uso Sustentável – Tem por objetivo


compatibilizar a conservação da natureza com o uso
sustentável de parcela dos seus recursos naturais:
Área de Proteção Ambiental;
Área de Relevante Interesse Ecológico;
Floresta Nacional;
Reserva Extrativista;
Reserva de Fauna;
Reserva de Desenvolvimento Sustentável;
Reserva Particular do Patrimônio Natural.
Procedimentos Policiais em Crimes
Ambientais

ÁREA DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE


Flora Silvestre

Área de Preservação Permanente

Área de Preservação Permanente: área protegida,


coberta ou não por vegetação nativa, com a função
ambiental de preservar os recursos hídricos, a
paisagem, a estabilidade geológica e a
biodiversidade, facilitar o fluxo gênico de fauna e
flora, proteger o solo e assegurar o bem estar das
populações humanas. (inc. II do art. 3º e art. 4º da
Lei Federal nº 12.651/12).
Flora Silvestre

Área de Preservação Permanente

 Nascente: afloramento natural do lençol


freático que apresenta perenidade e dá início
a um curso d’água;
 Olho d’água: afloramento natural do lençol
freático, mesmo que intermitente;
 Leito regular: a calha por onde correm
regularmente as águas do curso d’água
durante o ano;
Flora Silvestre

Área de Preservação Permanente


Flora Silvestre

Área de Preservação Permanente

Lagos e lagoas naturais: faixa ao redor do espelho


d’água.

30 metros em área urbana;


100 metros em área rural;
50 metros, se o espelho d’água for menor que
20ha em área rural.
Flora Silvestre

Área de Preservação Permanente

Encostas ou parte delas:

s
au
gr
45
ou raus
45g
0%

ou
00%
10

1
r que
o
Men
Flora Silvestre

Área de Preservação Permanente

Topos de morros, montes e montanhas: Com altura


mínima de 100 (cem) metros e inclinação média
maior que 25°, as áreas delimitadas a partir da curva
de nível correspondente a 2/3 (dois terços) da altura
mínima da elevação sempre em relação à base,
sendo esta definida pelo plano horizontal
determinado por planície ou espelho d’água
adjacente ou, nos relevos ondulados, pela cota do
ponto de sela mais próximo da elevação.
Área correspondente
ao terço superior com
inclinação média de
Topo superior a 25º.
Terço superior

Terço médio
Pelo menos 100m
de altura Terço inferior

Base
Flora Silvestre

Área de Preservação Permanente

Restingas:
Flora Silvestre

Área de Preservação Permanente

Manguezais:
Flora Silvestre

Área de Preservação Permanente

Área superior a 1800m;


Veredas.
Flora Silvestre

Área de Preservação Permanente

 Não se aplica o previsto no inciso III nos casos em que os


reservatórios artificiais de água não decorram de
barramento ou represamento de cursos d’água;
 No entorno dos reservatórios artificiais na faixa definida
no licenciamento ambiental;
 Fica dispensado o estabelecimento das faixas de APP no
entorno das acumulações naturais ou artificiais de água
com superfície inferior a 1 ha, vedada nova supressão de
áreas de vegetação nativa.
Flora Silvestre

Área de Preservação Permanente

Art. 61-A da Lei 12.651/12: Nas Áreas de


Preservação Permanente é autorizada,
exclusivamente, a continuidade das atividades
agrossilvipastoris, de ecoturismo e de turismo rural
em áreas rurais consolidadas até 22 de julho de
2008.
Flora Silvestre

Área de Preservação Permanente

A supressão de vegetação em APP somente poderá


ser autorizada nos casos de:
Utilidade Pública;
Interesse Social;
Atividades Eventuais de Baixo Impacto Ambiental.
Procedimentos Policiais em Crimes
Ambientais

RESERVA LEGAL
Flora Silvestre

Reserva Legal

Reserva Legal:
Legal área localizada no interior de uma
propriedade ou posse rural, excetuada a de
preservação permanente, necessária ao uso
sustentável dos recursos naturais, à conservação e
reabilitação dos processos ecológicos, à conservação
da biodiversidade e ao abrigo e proteção de fauna e
flora nativas (art. 1º, § 2º III, da MP 2.166-67/2001).
Flora Silvestre

Reserva Legal

Delimitação:

80% da propriedade na Amazônia Legal;


35% da propriedade no Cerrado;
20% da propriedade nas demais regiões do País.
Flora Silvestre

Reserva Legal
Flora Silvestre
Flora Silvestre
Procedimentos Policiais em Crimes
Ambientais

QUEIMA CONTROLADA
Flora Silvestre

Queima Controlada

O uso do fogo em prática silviculturais e


agroflorestais é cultural na nossa sociedade, porém,
é uma das atividades mais nocivas ao solo e a
atmosfera, além de colocar em risco bens materiais,
a flora nativa e a vida em todas as suas formas.
Ainda assim, de forma permissionada e controlada,
pode ser utilizado em propriedades rurais e até em
Unidades de Conservação.
Flora Silvestre

Queima Controlada

Proibição do uso do fogo no ES:

1º de Maio a 31 de Outubro (Decreto Estadual 1402-


R/2004).
Flora Silvestre

Queima Controlada

Permissão da queima controlada:

A queima controlada no ES pode ser concedida nos


casos de preparação do terreno para plantio,
exploração de canaviais, manejo de pastagens e
práticas florestais. (Decreto Estadual 4.170-N/1997).
Flora Silvestre

Queima Controlada

Precauções que devem ser adotadas por quem


pretende utilizar a queima controlada:

I.Conhecer a potencial periculosidade do fogo;


II.Dominar as técnicas da queima;
III.Escolher a melhor estação do ano e horário do
dia;
IV.Planejar a operação;
Flora Silvestre

Queima Controlada

V. Roçar a vegetação;
VI. Construir aceiros e manter vigilantes;
VII.Avisar aos confrontantes, por escrito, de três a
sete dias antes;
VIII.Manter a autorização na propriedade;
IX. Não realizar a queima em dias com muito vento
ou temperatura elevada;
X. Não utilizar produtos inflamáveis ou nocivos.
Flora Silvestre

Queima Controlada
BPMA – 26 anos em defesa da vida e do meio ambiente

MUITO OBRIGADO!