Você está na página 1de 18

CHAPADA DOS

VEADEIROS
Geologia Estrutural
SOLOS: TIPOS E
CARACTERÍSTICAS
Especificidades dos solos presentes na Chapada dos Veadeiros

2
• Existe grande diversidade de solos na
Região que envolve os Municípios de Alto
TIPOS DE SOLOS Paraíso e Flores de Goiás, podendo ser
encontrados desde solos bastante
intemperizados, como os latossolos, solos
com deficiência de drenagem como os
Os níveis de alumínio nos solos, considerados Plintossolos além de solos pouco
um dos maiores desafios para o estabelecimento desenvolvidos como Cambissolos e
e o crescimento de plantas cultivadas no Litossolos
Cerrado, vêm sendo estudados em detalhe

3
CARACTERÍSTICAS DOS SOLOS
LATOSSOLOS PLINTOSSOLOS
• É uma ordem que reúne solos • É uma ordem de solo formada
caracterizados por seu avançado em condição limitante à
estádio de intemperismo, serem percolação de água que causa
constituídos de argilas oxídicas e efeito temporário de excesso de
silicatadas do tipo 1:1, estrutura umidade; este efeito gera a
granular, alta condutividade formação de nódulos
hidráulica, baixo teor de sílica, alta ferruginosos denominados
acidez, alto teor de alumina, e plintita, petroplintita e
usualmente baixo teor de cátions concreções.
trocáveis

4
CARACTERÍSTICAS DOS SOLOS
CAMBIOSSOLOS LITOSSOLOS
• São solos constituídos por material • Constituem uma família de solos
mineral com horizonte A ou hístico rasos, rochosos, colocados
com espessura insuficiente para a imediatamente sobre a rocha, não
classe dos Organossolos, seguido de apresentando portanto, horizontes
horizonte B incipiente subjacente, pedológicos diferenciados. Podem
satisfazendo os requisitos: a B ser eutróficos ou distróficos. Eles são
incipiente não coincidente com incipientes derivados de rochas
horizonte glei até 50 cm de consolidadas, de espessura efetiva
profundidade normalmente inferior a 10 cm

5
ROCHAS PREDOMINANTES
Materiais Rochosos da Chapada dos Veadeiros e sua Origem

6
• Temos ao norte, no interior do Parque Nacional
ESTRUTURAS da Chapada dos Veadeiros, os quartzitos do
Grupo Arai, cuja idade de formação (deposição)
ROCHOSAS teria sido por volta de 1,8 bilhão de anos atrás.

• Ao sul, os quartzitos e outros metassedimentos


Na chapada predominam os quartzitos com são mais novos e pertencentes ao Grupo Paranoá
idades e histórias geológicas distintas os quais teriam se depositado entre 1,0 a 1,5
bilhão de anos.

7
COMPARAÇÃO
GRUPO PARANOÁ GRUPO ARAÍ
• Ocorrem rochas com blocos e seixos esparsos, • quartzitos mais antigos que ocorrem no interior do
denominados de paraconglomerados. Esses parque e sofreram as deformações tectônicas
conglomerados basais afloram no Vale da Lua e, relacionadas à grande e extensa faixa de dobramentos,
por terem os grãos da matriz cimentados por denominada Faixa Brasília.
carbonato de cálcio, ao se dissolverem esculpem as • Sinais dessas deformações são dobras abertas e camadas
estranhas formas de erosão que fornece o nome ao inclinadas que observamos nas serras. Provavelmente
vale teriam sido essas deformações as grandes responsáveis
pela transformação dos arenitos (rochas sedimentares)
em quartzitos (rochas metamórficas).
• Durante essas deformações, fraturas também foram
abertas por onde fluíam águas quentes ricas em sílica
dissolvidas, os ditos fluidos hidrotermais, alguns com
condições especiais para formação de cristais de quartzo
muito puros, tão procurados pelos antigos garimpeiros. 
8
FORMAÇÕES E FRAGMENTAÇÕES
Processos de formação e fragmentação

9
FORMAÇÃO DAS
ESTRUTURAS • Na região do PNCV podem ser discriminados
três compartimentos geomorfológicos, cuja
GEOLÓGICAS evolução é intimamente associada ao
substrato rochoso e à estruturação tectônica.
Na chapada predominam materiais rochosos
com idades e histórias geológicas distintas
derivadas de seu processo de formação

10
HISTÓRIA FORMAÇÃO
GEOLÓGICA
A história geológica da região inicia-se por volta de 1,8 bilhão de anos atrás
• Há 1,8 bilhão de anos, abriram-se grandes fendas na crosta e blocos limitados por falhas se abateram,
ficando rebaixados. Essa imensa depressão formou uma bacia sedimentar na forma de um rifte.

• A abertura e a evolução da antiga bacia sedimentar se deram em rochas pré-existentes.

• Com a formação da depressão, provavelmente em escala continental, o desnível causado pelo rebaixamento
deu início a processos de erosão, nas partes altas, e sedimentação nas partes baixas.

• Nesse processo de alteração das rochas, o feldspato é um mineral que se deteriora fácil e se transforma em
argilas, assim como também a mica; já quartzo, bem resistente, é transportado mecanicamente até o sítio
deposicional, no interior da bacia sedimentar.

11
HISTÓRIA FORMAÇÃO
GEOLÓGICA
A história geológica da região inicia-se por volta de 1,8 bilhão de anos atrás

• No interior do parque, ocorrem


blocos com estruturas
sedimentares interessantes, com
aspecto gretado. Essas gretas
podem ter se originado durante a
deposição, em função do
sedimento ter sido exposto ao ar e
ressecado

12
FRAGMENTAÇÃO
• Entretanto, a região é intensamente
DAS ESTRUTURAS afetada por uma intensa tectônica rúptil
caracterizada pela presença de grandes
GEOLÓGICAS falhas transcorrentes e normais que
afetaram a sequência sedimentar do
A área do PNCV encontra-se numa região Grupo Araí
relativamente estável do ponto de vista tectônico

13
FRAGMENTAÇÃO DAS ESTRUTURAS
GEOLÓGICAS
O relevo está associado à existência de inúmeras nascentes de águas que correm em vales
profundos e estreitos, marcados por rupturas de declive favorecendo o aparecimento de
cachoeiras e corredeiras.

14
FRAGMENTAÇÃO DAS ESTRUTURAS
GEOLÓGICAS
A geomorfologia subdivide-se em duas unidades: O Complexo Montanhoso Veadeiros e
O Vão do Paraná

15
FRAGMENTAÇÃO DAS ESTRUTURAS
GEOLÓGICAS
A geomorfologia subdivide-se em duas unidades: O Complexo Montanhoso Veadeiros e
O Vão do Paraná

COMPLEXO MONTANHOSO VÃO DO PARANÁ


VEADEIROS
• O Vão do Paraná é uma unidade
• Essa unidade faz parte do Domínio dos Planaltos geomorfológica que faz parte do Domínio das
em Estruturas Sedimentares Dobradas. A Depressões Pediplanadas.
morfologia caracteriza-se por formas estruturais dos
tipos sinclinal, anticlinal, patamares estruturais e • Caracteriza-se por uma superfície plana
hog-back, modeladas em rochas do grupo Araí. entalhada pela drenagem.

16
TURISMO
Impactos gerados pelo Turismo

17
SEGUNDO A POPULAÇÃO LOCAL
A POPULAÇÃO CONCORDA A POPULAÇÃO
QUE: DESCORDA QUE:
• O turismo gera emprego e renda para a comunidade; • O turismo tem provocado a exclusão da comunidade
• Ocasionou desenvolvimento econômico e social; local;
• É a principal atividade econômica da localidade; • Provocado a diminuição da vegetação;
ocasionou o aumento de moradores na Vila, pela • Gerado lixo nos atrativos;
possibilidade de novos postos de trabalho; • Proporcionado a ocupação irregular de lotes;
• Tem proporcionado a especulação imobiliária;
• Prejudicado a qualidade da água;
• Tem causado um aumento no fluxo de veículos na Vila;
• Poluído o ar;
• Aumenta o volume de lixo produzido;
• Poluído o riacho Preguiça;
• Provoca a falta de água, principalmente nos finas de
• Poluído as cachoeiras;
semana e períodos de férias;
• Modificou a paisagem construída da Vila; • Causado o afugentamento da fauna;
• Ocasionou mudanças culturais a Vila; • Provocado a queda de energia elétrica.
18
• Tem causado a poluição sonora.

Você também pode gostar