Você está na página 1de 13

IMPACTO AMBIENTAL

POLUENTES –PROCESSO COMBUSTÃO - MCI


Poluentes atmosféricos
• Poluentes resultantes do processo de combustão em MCI
• Óxidos de nitrogênio (NOx);
• Monóxido de carbono (CO);
• Hidrocarbonetos não-queimados;
• Material particulado;
• Aldeídos;
• Óxidos de enxofre (SO2) – Enxofre presente na gasolina
• Benzeno – agente cancerígeno
Poluentes atmosféricos
• Poluentes principais(produzidos em grandes quantidades):
• Óxido de nitrogênio;
• Monóxido de carbono;
• Hidrocarbonetos não-queimados
• Equação teórica da combustão completa – gasolina :
• C8 H18 + 12,5 (O2 + 3,76 N2) → 8 CO2 + 9 H2 O + 47 N2
• Outros resultantes da combustão completa: CO2 e H2 O
Poluentes atmosféricos
• Óxidos de nitrogénio
• Quanto maior a temperatura interna do cilindro, maior a taxa de
formação de NOx . É importante que exista oxigénio suficiente para que
ocorra a reacção química de formação de óxidos de nitrogénio.
• A etapa de combustão acontece a altas pressões, a frente de chama é
extremamente fina (apro. 0,1 mm), e o tempo de resistência da mistura
ar-combustível nesta região é pequeno. Os gases queimados produzidos
antecipadamente no processo são comprimidos a altas temperaturas.
Pode-se dizer que a formação de NO na região de altas pressões e
temperaturas posterior à chama sempre prevalece à formação de NO na
frente de chama.
Poluentes atmosféricos
• Apenas após a formação do NO é que começam a ocorrer as reacções
de formação do NO2.

• Monóxido de carbono
• A formação de CO depende directamente da relação combustível-ar.
Quando a mistura A/C apresenta combustível em excesso, ou menos de
100% de ar teórico, não há oxigénio disponível para queimar todo o
combustível (oxidar todo o carbono), e a reacção de queima incompleta
produz CO. Se tivermos uma mistura muito pobre, a combustão torna-
se irregular, e a taxa de formação de CO aumenta novamente.
Poluentes atmosféricos
• Hidrocarbonetos não-queimados
• Têm causas diversas. As altas pressões nas etapas de compressão e
combustão do ciclo empurram uma fracção dos gases para as frestas e
folgas presentes na câmara de combustão. Esta fracção gases não
participam do processo primário de combustão. Estes gases, que deixam
esses espaços posteriormente, na fase de expansão e escape, são uma fonte
de emissão de hidrocarbonetos não queimados.
• Regiões das frestas e folgas: entre o pistão, os segmentos e a parede do
cilindro(camisa).
• Outra causa de emissões de HC: filetes de óleo lubrificantes que penetram
no cilindro e no cabeçote.
Poluentes atmosféricos
• Esse óleo tem capacidade de absorver uma pequena fracção do HC antes
da combustão, e para uma situação de processo de combustão lento,
apenas após a essa etapa a fracção mão-queimada de HC é devolvida aos
gases presentes no cilindro.
• Outro factor é a extinção da chama, quando esta se aproxima muito das
paredes do cilindro, deixando uma fina camada de HC não-queimados e
parcialmente queimados.
• Os HC não-queimados são eliminados junto aos gases de escape, mas
ainda podem ser oxidados depois da combustão primária no cilindro se a
temperatura, a concentração de oxigénio e o tempo de permanencia no
sistema de escape forem apropriados.
Emissões Veiculares
• Técnicas para redução dos níveis de emissões de poluentes:
• Válvula EGR (Exhausr Gas Recycling) – recicla os gases de escape para
a admissão do novo ciclo de combustão. Os gases reduzem a
temperatura da câmara de combustão, e consequentemente os níveis
de NO – Reduzem a potência gerada
• Optimização do sistema de ignição – melhor posição da vela dentro
do cilindro; utilizar duas velas /cilindro; avanço do ponto de ignição ou
estudo da duração e intensidade ideais da faísca – reduzem a emissão
de Nox e HC não queimados – mas podem resultar num aumento de
consumo de combustível
Emissões Veiculares – cont.
• Pré-aquecimento da mistura induzida, facilita a queima mais uniforme
do combustível.
• A utilização de 4 válvulas por cilindro, permite uma mistura ar-
combustível mais homogênea em cargas elevadas, e dessa forma uma
maior regularidade na combustão.
• Sistema electrónico de injecção, optimiza a proporção da mistura ar-
combustível (closed loop) – para reduzir emissões e/ou consumo de
combustível.
Emissões Veiculares – cont.
• Factores que afectam os níveis de emissão de poluentes
• Factores de projecto:
• -Formato da câmara de combustão do motor
• - Posição da vela de ignição – ciclo Otto
• - Posição do injector – Ciclo Diesel
• - Taxa de compressão
• Factores operacionais:
• - mistura ar- combustível induzida ao motor
Emissões Veiculares – cont.
• -Ponto de ignição
• -Reciclagem de gases de escape
• Factores atmosféricos:
• - Humidade e temperatura do ar ambiente
• Efeito do aquecimento do motor nas emissões veiculares
• - A quantidade de NOx tende a aumentar com o aumento da T;
• - A quantidade de HC não queimados tende a diminuir com o aumento
da T;
• A quantidade de CO tende a diminuir com o aumento da T;
Emissões Veiculares – cont.
• A quantidade de CO2 tende a aumentar com o aumento da T.
• Impacto na saúde publica e ambiental
• - HC queimados ou não queimados – irritam as mucosas; alguns são
cancerígenos; HC mais Nox levam à formação de ozónio de baixa
altitude – causa irritações nos pulmões e problemas respiratórios.
• CO , concentrações elevadas podem levar à morte por envenenamento.
• NO2 , baixas concentrações são suficientes para causar irritações nos
pulmões e doenças respiratórias. O oxidos de nitrogénio NOx
juntamente com a água contida no ar atmosférico pode levar à
formação de chuvas ácidas.
Emissões Veiculares – cont.
• CO2 , contribui a longo prazo, para a mudança atmosféricas causadas
pelo aquecimento global (efeito de estufa).