Você está na página 1de 32

ANATOMIA E

FISIOLOGIA
DO SISTEMA
DIGESTÓRIO

MARÇO/2018
NATAL/ RN PROF. BRUNO DA SILVA
SISTEMA DIGESTÓRIO
• O sistema digestório humano é dividido em dois grupos de órgãos:
TRATO DIGESTIVO:
É um canal oco se inicia na boca e termina no ânus. É constituído por
várias estruturas: boca, faringe, esôfago, estômago, intestino delgado e
intestino grosso e reto.
ÓRGÃOS ACESSÓRIOS OS ANEXOS:
Não fazem parte do tubo, mas estão intimamente relacionados com
ele pelas funções que desempenham no processo digestivo- os dentes,
a língua, as glândulas salivares, o pâncreas, o fígado e a vesícula biliar.
FUNÇÕES
• O sistema digestório degrada o alimento em moléculas pequenas,
absorvíveis pelas células, que são usadas no desenvolvimento e na
manutenção do organismo e nas suas necessidades energéticas.
CAVIDADE ORAL (BOCA)
• O início da degradação do alimento ocorre na cavidade oral, onde os
dentes o trituram, transformando-o em pedaços menores; a saliva o
umedece, lubrifica e inicia a digestão, e a língua mistura os fragmentos
com a saliva, formando o bolo alimentar, e promove a sua deglutição.
• A Cavidade bucal é dividida em duas porções:
• Vestíbulo da boca: é o espaço semelhante a uma fenda entre dentes e
a gengiva e os lábios e as bochechas.
• Palato : separa a cavidade bucal da cavidade nasal.
Palato duro (ósseo)
Palato mole (muscular) – projeta-se a úvula.
LÍNGUA

• É um órgão muscular revestido por


mucosa, exerce importante função na
mastigação, deglutição, na articulação
das palavras e é um órgão gustativo.
• Face superior/dorso da língua.
• Sulco terminal que divide a língua em
duas porções – corpo e raiz.
• Apresenta projeções- papilas linguais.
LÍNGUA
• Na face superior e nas
margens da língua estão as
papilas gustativas
responsáveis pelos quatro
sabores dos alimentos:
doce, amargo, ácido e
salgado.
DENTES
• São estruturas duras e mineralizadas, inseridas na maxila e na mandíbula.
• Os dentes incisivos e caninos são pontiagudos e cortam o alimento em pedaços
de tamanho médio, enquanto os pré-molares e molares possuem superfícies
mais largas e achatadas, triturando os pedaços de tamanho médio em
fragmentos menores.
• Apresentam três partes: raiz, colo e coroa.
• No adulto há duas dentições:
• Primária (decíduos ou de leite): com 20 dentes que começam a aparecer a partir
dos 6 meses;
• Permanente: apresenta-se com 32 dentes, substituídos entre os 6 – 7 anos e
estende-se até os 25 anos.
DENTES
FARINGE
• A faringe é um conduto musculomembranoso, situado atrás das
fossas nasais e da cavidade bucal.
• As fossas nasais abrem-se nela por dois orifícios ovalares, as coavas.
A cavidade bucal com ela se comunica por intermédio do istmo da
garganta, que a base da língua oblitera.
• O comprimento da faringe alcança 14 centímetros. A sua superfície
interna é revestida por uma mucosa, cujo epitélio é, na parte superior
ou nasal, igual ao da mucosa do nariz: cilíndrico, estratificado, ciliado;
e, na parte inferior ou bucal, igual ao da boca: pavimentoso e
estratificado.
FARINGE

A faringe pode ser dividida em


três partes:
NASAL = nasofaringe
ORAL = orofaringe
LARINGEA = laringofaringe
ESÔFAGO
• O esôfago é um órgão condutor muscular, localizado entre o extremo
inferior da laringofaringe e o superior do estômago, que faz parte do
aparelho digestório unindo a faringe ao estômago.
• Sua principal função é levar os alimentos até o estômago. 
• O esôfago é oco e formado por três camadas: mucosa, submucosa e
muscular. 
• Os alimentos são conduzidos ao estômago através de movimentos
peristálticos (movimentos involuntários), que fazem com que o bolo
alimentar chegue até o estômago.
 
ESÔFAGO
ESTÔMAGO
• O estômago é uma bolsa mais ou menos dilatada, em continuação ao
esôfago e precedendo o intestino.
• Está situado na parte superior da cavidade abdominal, logo abaixo do
diafragma e do fígado, e repousa sobre o colo transverso.
• Possuem dois orifícios, um é a cárdia, de comunicação com o esôfago,
e desprovida de válvula; outro é o piloro, de comunicação com o
intestino delgado, munido de uma válvula, o esfíncter pilórico.
• Varia a capacidade do estômago de 1.000 a 1.500 centímetros cúbicos.
Encontram-se, contudo, volumes inferiores e superiores a esses limites,
resultado não só de doenças como de maus hábitos alimentares.
ESTÔMAGO
INTESTINO DELGADO
• Intestino delgado é uma parte do tubo digestório médio, situado
entre o estômago e o intestino grosso.
• O tamanho do intestino delgado é de aproximadamente 5 metros de
comprimento.
• É no intestino delgado que ocorre a maior parte da digestão dos
nutrientes, bem como a sua absorção, ou seja, a assimilação das
substâncias nutritivas.
INTESTINO DELGADO
O intestino delgado subdivide- se em três
segmentos:

DUODENO: tem início no esfíncter pilórico do


estômago e termina no início do jejuno.
JEJUNO: Imediatamente a seguir ao duodeno,
o jejuno é a zona média e móvel, sendo
descrito em conjunto com o íleo.
ÍLEO: é segmento terminal do intestino
delgado e abre-se no intestino grosso pela
válvula iléo-cecal.
INTESTINO GROSSO
• O intestino grosso é um órgão que faz parte do sistema digestório.
• É o local de absorção da água, tanto a ingerida quanto a das
secreções digestivas e de alguns nutrientes que o intestino delgado
não assimilou, também há armazenamento e eliminação dos resíduos
da digestão.
• O intestino grosso mede cerca de 1,5 m de comprimento e 6 cm de
diâmetro. É composto por três partes: o ceco, o cólon e o reto.
INTESTINO GROSSO
• CECO:
Tem a forma de um saco com cerca de 5 cm, é a primeira parte do intestino
grosso, onde os resíduos alimentares, já constituindo o bolo fecal, passam ao cólon.
• CÓLON:
É a maior parte do intestino grosso. Se subdivide em 4 partes: o cólon
ascendente, o cólon transverso o cólon descendente e a curva sigmoide.
• RETO:
É a parte final do intestino grosso, e termina com o canal anal que se comunica
com o exterior através do ânus, por onde são eliminados os resíduos fecais.
INTESTINO GROSSO
ÓRGÃOS ACESSÓRIOS
• As glândulas salivares são glândulas exócrinas responsáveis pela
produção de saliva, fluído que possui funções digestivas, lubrificantes
e protetoras.
• Além das glândulas pequenas que estão dispersas espalhadas pela
cavidade oral, existem três glândulas salivares maiores:
• As glândulas parótidas;
• As glândulas submandibulares (também conhecida como submaxilar);
• As glândulas sublinguais.
GLÂNDULAS SALIVARES
• As glândulas parótidas possuem uma forma achatada e estão situadas
abaixo e na frente da orelha, e o ducto de cada glândula desemboca em
frente ao segundo molar superior. Elas são responsáveis por 30% da
saliva.
• As glândulas submandibulares são ovoides e estão sob o assoalho da
boca, com os ductos abrindo-se ao lado do frênulo da língua. Produzem
60% da saliva.
• As glândulas sublinguais possuem forma de amêndoa e estão sob o
assoalho da boca, anteriormente às submandibulares, e seus ductos
abrem-se nos ductos destas glândulas ou junto a eles. Secretam cerca de
5% da saliva.
GLÂNDULAS SALIVARES
FÍGADO
• O fígado é um órgão que atua como glândula exócrina (liberando
secreções) e glândula endócrina (liberando substâncias no sangue e
sistema linfático). Ele é a maior glândula do corpo humano.
• Desempenha muitas funções importantes dentro de nosso organismo,
como: armazenamento e liberação de glicose, metabolismo dos
lipídeos, metabolismo das proteínas (conversão de amônia em ureia),
síntese da maioria das proteínas do plasma, processamento de drogas
e hormônios, destruição das células sanguíneas desgastadas e
bactérias, emulsificação da gordura durante o processo de digestão
através da secreção da bile, etc.
FÍGADO
• O fígado é dividido em duas
regiões principais: o lobo
direito e o lobo esquerdo.
• As células hepáticas são
chamadas de hepatócitos.
FÍGADO
VESÍCULA BILIAR
• A vesícula biliar é um órgão muscular responsável pelo armazenamento da
bile e está presente na maioria dos vertebrados. No ser humano é um saco
membranoso no formato de pêra, que se situa abaixo da superfície do
lóbulo direito do fígado, logo atrás das costelas inferiores.
•  A função da vesícula é armazenar a bile segregada pelo fígado, que chega
nela através dos condutos hepático e cístico e lá permanece até ser
solicitada pelo aparelho digestório. 
•  Quando funciona dentro da normalidade, a vesícula esvazia seu conteúdo
através do conduto biliar no duodeno para facilitar a digestão,
favorecendo assim, os movimentos dos intestinos e a absorção dos
nutrientes. Além disso, evita a putrefação e emulsiona as gorduras.
VESÍCULA BILIAR
PÂNCREAS
• O pâncreas é glândula anexa ao duodeno. Volumoso e alongado, está
ele profundamente situado na cavidade abdominal, atrás do
estômago, tendo à esquerda o baço, à direita a concavidade
duodenal. Sua posição é mais ou menos horizontal; seu peso regula
70 gramas.
• É dividido anatomicamente em: cabeça, corpo e cauda. A cabeça
situa-se na curvatura do duodeno, o corpo cruza a linha média do
abdômen e a cauda estende-se na direção do baço.
• É uma glândula mista endócrina e exócrina:
• Endócrina: secretam insulina, glucagon, e outros hormônios;
• Exócrina: secretam o suco pancreático.
PÂNCREAS
PÂNCREAS
REFERÊNCIAS
• SISTEMA DIGESTÓRIO. Disponível em:
https://www.auladeanatomia.com/novosite/sistemas/sistema-digestorio/ . Acesso em 28
novembro 2017.
• SISTEMA DIGESTÓRIO. Disponível em:
http://biologianet.uol.com.br/anatomia-fisiologia-animal/sistema-digestorio.htm. Acesso em 28
novembro 2017.
• SISTEMA DIGESTÓRIO HUMANO. Disponível em:
https://www.estudopratico.com.br/sistema-digestorio-humano-orgaos-e-suas-funcoes/. Acesso
em 28 novembro 2017.
• SITEMA DIGESTÓRIO. Disponível em: http://www.ufrgs.br/livrodehisto/pdfs/8Digest.pdf . Acesso
em 28 novembro 2017.