Você está na página 1de 36

Como Ler, Entender

e Redigir um Texto
1. A escolha do texto

 
Leitura pressupõe busca de informação.

Para que o leitor se informe é necessário que haja


entendimento daquilo que ele lê.
Há textos cujo assunto é inteiramente inteligível ao
leitor, porém, há outros, que a pessoa tenta ler, já
sabendo, a princípio, que não entende completamente
seu conteúdo.
A desigualdade de entendimento se
manifesta principalmente quando se tem de
“mergulhar” numa leitura criteriosa de texto
técnico.
Quais os cânones a seguir?
2. Tipos de leitura

2.1. Leitura informativa

2.1.1. Fazer leitura seletiva


2.1.2. Fazer leitura crítica
2.1.1. Leitura seletiva

 
Escolher as ideias pertinentes que
complementem o ponto de vista do autor.
Identificar o conjunto vocabular que,
esquematicamente, sintetiza as ideias expostas
2.1.2. Leitura crítica

 
Exige do leitor uma visão abrangente em
torno do assunto que está sendo focalizado.
É necessário uma pré-leitura do material
para, então, estabelecer-se diferença entre a
sucessão das ideias principais, contidas nas
sentenças-tópico.
Ler criticamente significa reconhecer a
pertinência dos conteúdos apresentados, tendo
como base o ponto de vista do autor e a
relação entre este e as sentenças-tópico.
Essa pertinência é que permite estabelecer-se
uma hierarquia entre a ideia mais abrangente
e as que a subsidiam.
Hierarquizar é diferenciar os assuntos pela ordem de
importância, ao longo de um raciocínio.

a) primeiro, distinguem-se as ideias principais das


secundárias, depois diferenciam-se as ideias secundárias
entre si; finalmente, classificam-se os pormenores que
servem de apoio às ideias secundárias;
b) analisam-se as ligações que unem duas ideias sucessivas,
distinguindo as ideias paralelas, as opostas, as coordenadas e as
subordinadas entre si;
c) ordena-se a sequência das ideias, observando-se o mecanismo
lógico a fim de perceber os mecanismos sutis do pensamento do
autor.
2.2. Leitura interpretativa

 
A leitura interpretativa requer total
domínio da leitura informativa.
É necessário ainda possuir determinadas
capacidades de conhecimento.
Texto e entendimento
Capacidades cognitivas

 
As capacidades cognitivas, propostas por Benjamin
Bloom et alii. Se bem apreendidas essas capacidades, o
leitor ficará apto a entender-interpretar textos e, mais
ainda, a redigir com maior segurança.
Entender um texto é compreender
claramente as ideias expressas pelo autor para,
então, interpretar e explorar essas ideias. Nesse
momento o leitor deve ajustar as informações
contidas no contexto em análise às que ele
possui em seu arquivo de conhecimentos.
1. Capacidades cognitivas, de acordo com
Bloom:

1.1.  Compreensão – é a capacidade de
entender a mensagem literal contida em uma
comunicação. Em um primeiro momento
deve o leitor ater-se ao ponto de vista do
autor,
à tese que o autor defende no texto.
1.2. Análise – é a capacidade de desdobrar o
material em suas partes constitutivas,
percebendo-se suas inter-relações e os modos de
organização. É a capacidade de decompor um
todo em suas partes, partindo das sentenças-
tópico dos parágrafos e suas relações com o
texto.
1.3. Síntese – é a capacidade de colocar em
ordem os pensamentos essenciais do autor,
utilizando-se das sentenças-tópico dos parágrafos,
que são as que normalmente sintetizam as ideias
do texto.
Manifesta-se pela reconstituição do todo,
decomposto pela análise , eliminando-se o que é
secundário e acessório e fixando-se no essencial.
1.4. Avaliação – é a capacidade de emitir um
juízo de valor e de verdade a respeito das
ideias essenciais de um texto. Manifesta-se por
meio de julgamento, de crítica às relações lógicas
evidenciadas no texto e sua possível aplicação
científica.
1.5. Aplicação – é a capacidade de resolver
situações semelhantes à situação
explicitada no texto. Manifesta-se pela
habilidade de, ao associarem-se assuntos
paralelos, utilizar-se de princípios apreendidos
num contexto em contextos semelhantes.
Questões importantes para
interpretar um texto:

a) Compreensão:
Que tese é defendida no texto?

b) Análise:
Quais as partes constitutivas do texto?

c) Síntese:
Qual a síntese ideal deste texto?
D) Avaliação:
As ideias essenciais do texto merecem crítica?
Positiva? Negativa?

E) Aplicação:
Em que outro(s) contexto(s) podem ser aplicadas as
ideias essenciais do texto?
LIVRO