Você está na página 1de 18

Artigo,

Adjetivo &
Numeral
Classes 123
Gramaticais Artigo é a palavra Adjetivo é a palavra Numeral é a palavra
que antecede os que caracteriza o que indica os seres
Segundo um estudo morfológico da
substantivos que substantivo e é em termos
língua portuguesa, as palavras podem designam seres variável em gênero, numéricos,
ser analisadas e catalogadas em dez determinados ou número e grau. atribuindo-lhes
classes de palavras ou classes indeterminados. Daí quantidade ou os
gramaticais distintas, sendo elas: resulta a divisão dos situando em
substantivo, artigo, adjetivo, pronome, artigos em definidos determinada
numeral, verbo, advérbio, preposição, (o, a, os, as) e sequência.
conjunção e interjeição. indefinidos (um,
uma, uns, umas).
Hoje, conheceremos três:
2
Artigo
Artigos são palavras que antecedem os
substantivos, determinando a definição ou
a indefinição dos mesmos. Sendo
flexionados em gênero (masculino e
feminino) e número (singular e plural),
indicam também o gênero e o número dos
substantivos que determinam.
Vamos conhecer um pouco
O artigo definido determina o substantivo
mais sobre os artigos
de modo preciso, indicando tratar-se de um
ser de algum modo já conhecido do
interlocutor. O artigo indefinido indica um
desconhecimento individualizado, uma
espécie à qual não se fez menção
anteriormente.
Quero o livro.
3
Quero um livro.
• A) A anteposição de um artigo serve para substantivar qualquer
palavra:

Valores dos
O cantar dos pássaros é lindo.
Esperava um sim, mas recebeu um não.

Artigos • B) Cabe, por vezes, ao artigo evidenciar o gênero e o número do


substantivo que determina:
Ele trouxe o pires que fazia par com a xícara de porcelana.
Ele trouxe os pires que faziam par com a xícara de porcelana.
O estudante estava feliz com o resultado da prova.
A estudante estava feliz com o resultado da prova.
• C) O artigo tem, por vezes, valor adjetivo:
Você devia ver como ele jogou! Ele é o atacante!
• D) O artigo pode unir-se às preposições:
Ele estava na sala de aula.
4
Gostamos muito do professor substituto.
• A) Deve-se usar obrigatoriamente o artigo entre o numeral
ambos e o substantivo a qual se refere:
Ambos os jogadores fizeram gols na partida.

Emprego dos Na fila havia desempregados de ambos os sexos.


• B) Não se usa artigo após o pronome relativo cujo:

Artigos O menino cujo pai é cantor quer seguir a profissão paterna.


Esse é o cantor de cuja obra sou fã.
• C) Alguns nomes de lugar não admitem artigo:
Passeávamos em Roma.
Gosto do carnaval de Salvador.
Brasília é nossa capital.
Meu prazer é caminhar em Copacabana.
• D) Diante dos pronomes possessivos é facultativo o uso do
artigo:
5
Encontrei meu irmão no Maracanã.
Encontrei  o meu irmão no Maracanã.
• E) Nunca se deve usar o artigo antes de pronomes de
tratamento, à exceção de senhor(a), senhorita e dona:
Vossa Excelência saberá decidir o melhor para o país.

Emprego dos Posso ajudar o senhor com as compras?


• F) Depois do pronome indefinido todo emprega-se o
Artigos artigo quando a ideia for de totalidade. Caso o pronome
seja sinônimo de qualquer, não se coloca o artigo:
Ele leu todo o jornal.
Todo o Brasil mobilizou-se por Santa Catarina.
Todo brasileiro gosta de futebol.
Todo povo tem o governo que merece.
• G) Não se deve unir a preposição ao artigo que faz parte
do nome de revistas, jornais e obras literárias:
Li o artigo do economista em O Globo. 6

Os Karas são personagens de A Droga da Obediência.


Adjetivo
Adjetivos são palavras que
caracterizam um substantivo, Vamos conhecer um pouco
mais sobre os adjetivos
conferindo-lhe uma qualidade,
característica, aspecto ou estado.
Podem ser flexionados em gênero
(masculino e feminino), número
(singular e plural) e grau (normal,
comparativo, superlativo).
7
• a) simples: apresentam um único radical (ex: moça
alegre, remédio amargo).
• b) compostos: apresentam mais de um radical (ex:
vestido azul-marinho, acordo franco-brasileiro)
• c) primitivos: não provêm de outra palavra da língua
Classificações portuguesa( ex: calça bege, amigo fiel)
• d) derivados: originados de outras palavras da língua
portuguesa (olhos esverdeados, rapaz infeliz).
• Locução adjetiva é a expressão formada de preposição
+ substantivo (ou advérbio), com valor de adjetivo.
Ex.: material de guerra (bélico)
Ex.: comportamento de criança (infantil)
• Adjetivos pátrios são os referentes a países,
continentes, cidades, regiões, etc., exprimindo
8
nacionalidade ou origem.
Ex.: brasileiro, goiano, carioca, acreano, capixaba.
• No que se refere ao gênero, a flexão dos adjetivos é
semelhante à dos substantivos: podem ser do gênero

Quanto às
masculino ou feminino.
• Formam o plural da mesma maneira que os

flexões: substantivos simples, ou seja, a terminação do plural


varia conforme a terminação do singular:
Ex.: pessoa honesta / pessoas honestas
Ex.: regra fácil / regras fáceis
• Os substantivos empregados como adjetivos são
invariáveis.
Ex.: blusa vinho / blusas vinho
camisa rosa / camisas rosa
homem aranha / homens aranha
9
• a) Como regra geral, nos adjetivos compostos somente o

Plural dos
último elemento varia, tanto em gênero quanto em número.
Ex.: acordo sócio-político-econômico / acordos sócio-político-

adjetivos
econômicos
Ex.: decisão sócio-político-econômica / decisões sócio-político-
econômicas
compostos • b) Se o último elemento for substantivo, o adjetivo composto
fica invariável.
Ex.: blusa verde-limão / blusas verde-limão
Ex.: sapato marrom-café / sapatos marrom-café
• c) Os adjetivos compostos azul-marinho e azul-celeste são
invariáveis.
Ex.: blusa azul-marinho / blusas azul-marinho
Ex.: camisa azul-celeste / camisas azul-celeste
• d) No adjetivo composto surdo-mudo, ambos os elementos
variam. 10

Ex.: rapaz surdo-mudo / rapazes surdos-mudos


Ex.: moça surda-muda / moças surdas-mudas
Grau • O comparativo pode ser de igualdade, de inferioridade

Comparativo ou de superioridade. É formado da seguinte forma:


a) Comparativo de igualdade
a) sintético: a alteração de grau é Usando as palavras tão … quanto.
feita pelo acréscimo de sufixos. Ex: Marcos é tão esforçado quanto Pedro.
Ex.: Aquele bolo é saborosíssimo. • b) Comparativo de inferioridade
b) analítico: a alteração de grau é Empregando as palavras menos… que ou do que:
feita pelo acréscimo de alguma Ex: Marcos é menos esforçado do que/que Pedro.
palavra que modifique o adjetivo. • c) Comparativo de superioridade
Ex.: Aquele bolo é muito saboroso. Usando as palavras mais … que ou do que:
Ex: Marcos é mais elegante do que/que Pedro. 11
• Na maioria das vezes, o grau comparativo é obtido
pelo processo analítico. Entretanto, existem alguns
poucos adjetivos que formam o comparativo de
Comparativos superioridade pelo processo sintético.
Nesses casos, deve-se preferir a forma sintética na
Sintéticos comparação entre dois seres; a forma analítica
somente deverá ser empregada quando se comparam
duas qualidades do mesmo ser.
• Ex.: Esta casa é mais grande que confortável.
(comparação de duas qualidades do mesmo ser)
Ex.: Pedro é mais bom que esperto. (comparação de
duas qualidades do mesmo ser)

12
• O superlativo pode ser absoluto ou relativo.
a) absoluto: a qualidade atribuída pelo adjetivo não é expressa
em relação a outros elementos.

Grau Ex.: A moça ficou muito feliz com a notícia (superlativo absoluto
analítico)

Superlativo Ex.: A moça ficou felicíssima com a notícia. (superlativo


absoluto sintético)
• b) relativo: a qualidade atribuída pelo adjetivo é expressa em
a) sintético: a alteração de grau é relação a outros elementos.
feita pelo acréscimo de sufixos. Ex.: Esta exercício é o mais fácil do capítulo. (superlativo
Ex.: Aquele bolo é saborosíssimo. relativo de superioridade)
Ex.: Este exercício é o menos fácil do capítulo. (superlativo
b) analítico: a alteração de grau é
relativo de inferioridade)
feita pelo acréscimo de alguma
• Normalmente, o superlativo absoluto sintético é feito pelo
palavra que modifique o adjetivo.
acréscimo dos sufixos superlativos: -íssimo, -ílimo ou -érrimo.
Ex.: Aquele bolo é muito saboroso.
Quando o adjetivo apresenta mais de uma forma para o
superlativo absoluto sintético, a primeira é erudita; as demais 13
são formas populares consagradas pelo uso.
Numeral
Numerais são palavras que
indicam quantidades de pessoas Vamos conhecer um pouco
mais sobre os numerais
ou coisas, bem como a ordenação
de elementos numa série. Alguns
numerais podem ser flexionados
em gênero (masculino e feminino)
e número (singular e plural), outros
são invariáveis.
14
Classificações • a) cardinais: indicam quantidade determinada,
contagem, medida: um, dois, duzentos, três mil,
Além dos numerais mais etc.
conhecidos, há também outras • b) ordinais: indicam a ordem ou lugar do ser numa
palavras consideradas numerais determinada série: primeiro, segundo, vigésimo,
porque denotam quantidade,
centésimo, etc.
proporção ou ordenação, como no
caso de década, dúzia, par, • c) fracionários: indicam parte de um inteiro,
ambos(as), novena. divisão, fração: meio, metade, dois quintos, etc.
• d) multiplicativos: expressam ideia de 15
multiplicação: dobro, triplo, sêxtuplo, etc.
• Os numerais cardinais que variam em gênero são um/uma,
dois/duas e os que indicam centenas de duzentos/duzentas
em diante: trezentos/trezentas;

Flexão de
quatrocentos/quatrocentas, etc. Cardinais como milhão,
bilhão, trilhão, etc. variam em número: milhões, bilhões,
trilhões, etc. Os demais cardinais são invariáveis.
Gênero • Os numerais ordinais variam em gênero e número,
conforme o exemplo a seguir:
primeiro/primeira/primeiros/primeiras.
• Os numerais multiplicativos são invariáveis quando atuam
em funções substantivas: fizeram o dobro do esforço e
conseguiram o triplo de produção; quando atuam em
funções adjetivas, esses numerais flexionam-se em gênero
e número: aplicou doses triplas do medicamento.
• Os numerais fracionários flexionam-se em gênero e
número: um terço/dois terços; já os numerais coletivos
16
flexionam-se somente em número: uma dúzia, dois
milheiros.
• a) Para designar papas, reis, imperadores, séculos e partes
em que se divide uma obra, utilizam-se os ordinais até

Emprego dos
décimo e a partir daí os cardinais, desde que o numeral
venha depois do substantivo. Confira os exemplos abaixo:
João Paulo II (segundo) Luís XVI (dezesseis)
Numerais Parágrafo XI (sexto) Capítulo XXIII (vinte e três)
Século V (quinto) Século XXI (vinte e um)
Canto IV (quarto)
• b) Para designar leis, decretos e portarias, utiliza-se o
ordinal até nono e o cardinal de dez em diante:
Artigo 3.° (terceiro) Artigo 14 (quatorze)
Observação: Ambos/ambas são considerados numerais.
Significam “um e outro/”uma e outra”; “os dois”/”as duas”.
Quando empregados, concordam em gênero com o
substantivo: ambos os candidatos compareceram ao
debate/ ambas as candidatas compareceram ao debate. 17
Bons estudos
e até mais,
pessoal!
18