Você está na página 1de 70

SOLUÇÕES VERDADEIRAS OU SOLUÇÕES

São misturas homogêneas de duas ou mais substâncias.

Disperso: menor quantidade- soluto

Dispersante: maior quantidade- solvente


SOLUÇÕES são misturas
homogêneas de duas ou mais
substâncias.
SOLUÇÕES

SOLUÇÃO = SOLUTO + SOLVENTE

em geral H2O
menor proporção

Exemplos:
açúcar em água, ar, ligas metálicas,...
Como se forma uma solução ?

substância A substância B mistura A + B (solução)


SOLUÇÕES

●●●●● OOOO ● O● O● O ●O ● O

●●●●● OOOO O● O● O ● O● O●

●●●●● OOOO ●O ●O ●O● ●O

parede de separação removendo a parede

A disseminação do soluto no solvente ocorre de


forma espontânea !
TIPOS DE SOLUÇÕES

⇒ SOLUÇÃO SÓLIDA
Exemplo:
LIGAS METÁLICAS

LIGA SOLVENTE SOLUTO


BRONZE Cu Sn
Ouro 18 quilates Au Ag e Cu
⇒SOLUÇÃO GASOSA

Exemplo:
AR - N2 78%
-O2 21%
-Ar , CO2 , etc. 1%
?
⇒ SOLUÇÕES LÍQUIDAS

1)Formadas por gás e líquido


Exemplos: água com gás, refrigerante, cerveja...

O aumento da pressão sobre o gás favorece a


dissolução do gás no líquido.
2) Formadas por líquidos

Exemplos: álcool comum ( C2H6O+ H2O)


água oxigenada ( H2O2 + H2O)

3)Formadas por sólidos e líquidos

Exemplos: - soro fisiológico


- vinagre
- água sanitária
Classificação das Soluções
SOLUÇÕES

1) Quanto ao estado físico:


- SÓLIDAS: ligas metálicas, medicamentos
na forma de comprimidos,...
- LÍQUIDAS: água mineral (sem gás), soro
fisiológico, bebidas,...
- GASOSAS: ar (isento de poeira),...
COEFICIENTE DE SOLUBILIDADE ( CS )

É a quantidade máxima de um soluto A


capaz de se dissolver totalmente numa quantidade
padrão (100g, 1000g, 100mL, 1L) do solvente B
em determinada temperatura.

CS
Classificação das Soluções

1) Quanto a quantidade de soluto dissolvido

SOLUÇÃO
OBS: a solução supersaturada é
instável, agitando-a ou
adicionando-lhe um pequeno
cristal do soluto ( gérmen de
cristalização), ocorrerá
imediata precipitação do soluto
dissolvido em excesso, voltando
a ser saturada.
Adicionando um pequeno cristal à solução
supersaturada de acetato de sódio, a cristalização inicia-se
com formação de cristais na forma de agulhas e continua até
que todo o soluto em excesso se cristalize.
Germen de cristalização = macro-cristal do soluto, sobre o
qual o excesso dissolvido se aglutina.
2) Quanto a proporção entre soluto e solvente

Solução Quantidade Exemplo


de soluto
DILUÍDA PEQUENA 1g de NaCl em 100g de H2O
a 20°C
CONCENTRADA GRANDE 30g de NaCl em 100g de
H2O a 20°C
3) Quanto a natureza das partículas dispersas
⇒ SOLUÇÃO IÔNICA OU ELETROLÍTICA - As
partículas dispersas são íons ou íons e moléculas
provenientes de dissociação iônica ou ionização do
soluto. A presença de íons faz com que esta solução
conduza corrente elétrica.
⇒ SOLUÇÃO MOLECULAR OU NÃO
ELETROLÍTICA - As partículas dispersas são
moléculas pois não ocorre dissociação iônica nem
ionização do soluto. Não tem íons logo não conduz
corrente elétrica.

Solução de glicose
Classificação das Soluções
SOLUÇÕES

2) Quanto à natureza do soluto:


- MOLECULARES: o soluto é formado por moléculas, que
não se dissociam.
H2O
C6H12 O6(sólido)) C6H12 O6(aquoso)
- IÔNICAS: o soluto não apenas se dissolve, mas se separa
em íons.
H2O
NaCl(sólido) Na+(aquoso) + Cl-(aquoso)
* A solução iônica conduz corrente elétrica !
CURVAS DE SOLUBILIDADE

Uma curva de solubilidade relaciona os valores


de T e os valores de coeficiente de solubilidade.

SUPERSATURADA
SATURADA

INSATURADA
TIPOS DE CURVAS DE SOLUBILIDADE
CS Ponto de inflexão
Diretamente
A proporcional

D Sal hidratado
C Não se altera

B Inversamente
proporcional

TºC
Solubilidade e temperatura
Para solutos sólidos, em geral, o aumento da
temperatura provoca aumento na solubilidade.
Esse efeito varia de substância para substância e
pode ser facilmente evidenciado em diagramas de
solubilidade. Para substâncias gasosas o
fenômeno é oposto pois o aumento da
temperatura diminui a solubilidade. Por esse
motivo devemos conservar um refrigerante, após
aberto, em geladeira, pois a menor temperatura
favorece a dissolução do CO2.
Solubilidade e temperatura

O quadro ao lado
mostra a
SOLUÇÕES

variação da
solubilidade de
KNO3 com a
temperatura,
identificando as
regiões de
soluções
insaturadas,
saturadas e
supersaturadas.
SOLUBILIDADE DE UM SAL HIDRATADO
Exemplo:

Uma solução saturada de nitrato de potássio ( KNO3)


constituída além do sal por 100g de água esta à temperatura
de 70°C. Esta solução é resfriada a 40°C, ocorrendo
precipitação de parte do sal dissolvido.
Calcule:
1)A massa do sal que precipitou. 138 - 64 = 74
2)A massa do sal que permanece em solução. 64

138

64

40 70
EXP
RES
SÕE
S
DE
CON
CEN
TRA
ÇÃO
DAS
SOL
UÇÕ
ES
C
O Concentração é a relação
N entre a quantidade de soluto
C ( massa, no de mols, volume,..) e a
E quantidade de solução.
N
T
Exemplo
R
A Soro fisiológico (NaCl) 0,9 %
Ç - em cada 100 gramas dessa
Õ solução há 0,9 gramas de NaCl e
E 99,1 gramas de H2O.
S
C
O Unidades de massa
N grama = 103 miligramas
C quilograma (kg) = 103 gramas
E
N miligrama = 10-3 gramas = 10-6 kg
T
R Unidades de volume
A
Litro = 103 mililitros = dm3
Ç
Õ m3 = 103 litros
E mililitro = cm3 = 10-3 litro
S
C
O Concentração Comum
N (C)
C
É a razão entre a massa, em
E
gramas, do soluto (m1) e o
N
volume, em litros (V), da solução.
T
R
A
C= m 1
Ç unidades: grama/litro

Õ V
E
S
C
O Exemplo
N
C Uma solução de NaOH apresenta
E 200 mg dessa base num volume de 400
mL de solução. Qual a Concentração
N (g/L)?
T
R Solução:
A m1 = 200 mg = 0,2 g ; V = 400 mL = 0,4 L
Ç
Õ C = 0,2 g / 0,4 L = 0,5 grama/Litro
E Resposta: C = 0,5 g/L
S
C
O Título ou % em massa (T)
N
C
É a razão entre a massa, em
E
gramas, do soluto (m1) e a massa,
N
em gramas, da solução(m).
T
R m m
A T= 1
= 1
sem unidades

Ç m m1+ m2
Õ
E Ainda: T% = T . 100
S
C
O Exemplo
N
C Foram dissolvidas 80 gramas de
E NaCl em 320 gramas de água. Qual o
N título da solução ?
T
Solução:
R
A m1 = 80 g ; m2 = 320 g ; m = 400 g
Ç
Õ T = 80 / 80 + 320 = 80 / 400 = 0,2
E Resposta: T = 0,2 ou T% = 20 %
S
C
O Título em volume (T v )
N
C
É a razão entre o volume, em L ou
E
mL, do soluto (V1) e o volume, em
N
L ou mL, da solução(V).
T
R V= V
Tv =
1 1
A sem unidades

Ç
V V +V
1 2
O Título em volume é
Õ usado para expressar
a graduação alcoólica
E das bebidas.
Ainda: Tv% = Tv . 100
S Ex.: 38o GL = 38 %
C
O Exemplo
N
C Uma bebida alcoólica apresenta
E 25% de etanol (álcool). Qual o volume,
N em mL, do etanol encontrado em 2 litros
T dessa bebida ?
R Solução:
A Tv% = 25% ⇒ Tv = 0,25 ; V = 2 L
Ç
Õ V1 = Tv. V = 0,25.2 = 0,5 L = 500 mL
E
Resposta: V1 = 500 mL = 0,5 L
S
C
Concentração Molar ou
O
N Molaridade (M)
C
E É a razão entre o no de mols do
N soluto (n1) e o volume, em litros
T (V), da solução.
R
A
Ç M= n 1 unidades: mol/litro ou M
Õ
E
V
S
C
O Exemplo
N
C Uma solução de H2SO4 contém 0,75
E mols desse ácido num volume de 2500
N cm3 de solução. Qual a Molaridade ?
T
Solução:
R
A n1 = 0,75 mol ; V = 2500 mL = 2,5 L
Ç
Õ M = n 1 / V = 0,75 / 2,5 = 0,3 mol/L ou 0,3 M
E Resposta: M = 0,3 mol/L
S
C
O Relações entre C
N e T
C m
C= 1 m m
T= 1
= 1
E V m m1+ m2
N
T
dividindo C por T, resulta
R
A m1
Ç C = V = m = densidade = d ou µ
Õ
E
T m V1

S m
C
O Observações:
N
C 1. A Concentração (C) sempre
E deve ser expressa em g/L;
N 2. Se a densidade também está
T expressa em g/L a relação resultará
R C=T.d
A
Ç 3. Se a densidade está expressa
em g/mL (ou g/cm3) a relação resultará
Õ
E C = T . 1000 . d
S
C
O Relações entre C, T
N e M
C m
C= 1 m m n
T= 1
= 1
M=
1
E V m m1+ m2 V
N
T m1 = massa do soluto M1 = massa
R como n1 = m1 / M1 molar do soluto

A
Ç
Õ
E M = n = m = C = T .1000 . d
1

V V .M M
1

1 M 1 1

S
C
O Exemplo
N
C Uma solução de HCl contém 36,5 %, em massa do

E ácido e densidade 1,2 g/mL.Qual a Molaridade ?


Solução:
N T% = 36,5 % → T = 0,365; d = 1,2 g / mL
T
R M = T . 1000 . d / M1 = 0,365 . 1000 . 1,2 / 36,5

A M = 12,0 mol ou 12,0 M ou 12,0 Molar


Ç
Õ
E Resposta: M = 12,0 mol/L
S
Diluição e Concentração de
Soluções

Professora Cláudia Bacchi


No dia a dia:

Professora Cláudia Bacchi


No laboratório:

Acrescentar
200mLde H2O

Solução de KMnO4 C=10g/L Solução diluída C<10g/L

Professora Cláudia Bacchi


Concentrar uma solução

a) Solução aquosa de CuSO4 3M


b) Evapora-se parte do solvente
c) Solução mais concentrada

Professora Cláudia Bacchi


Titulação de uma solução
Medindo o volume de soluções que
reagem é possível determinar a
concentração de uma delas desde
que se conheça a da outra .

Importante :
Ácidos + Bases ⇒ Sal + H2O
Professora Cláudia Bacchi
10 Passo

Pipeta-se um volume definido de uma solução


com concentração conhecida e transfere-se
para um erlenmeyer.

Professora Cláudia Bacchi


2o Passo
Carrega-se a bureta com uma solução que reaja com a outra solução e que tenha
concentração conhecida.

HCl + NaOH ⇒ NaCl + H2O


Concentração
conhecida

Concentração
desconhecida

Coloca-se um indicador na solução desconhecida de modo que se visualize o término


da titulação.

Professora Cláudia Bacchi


Professora Cláudia Bacchi
D Diluir uma solução é
I adicionar solvente
L
(em geral água)
U
I mantendo a
Ç quantidade de soluto
Õ constante.
E
S
Solução 1 Solução 2

D
I
L + Vágua
U
I
Ç
Õ M = n1 / V M’ = n1/ V’

E n1 = M.V n1 = M’.V’

S
M . V = M’ . V’
Exemplo
D
I Foram adicionados 750 mL de água destilada à 250 mL
de uma solução 0,5 M de HCl. Qual a molaridade da solução
L formada ?

U Solução:
Vágua = 0,75 L ; V = 0,25 L ; M = 0,5 ; M’ = ?
I M .V = M’.V’ → M’ = M.V / V’
Ç
M’ = 0,5 . 0,25 / 1,0 = 0,125 mol/L ou 0,125 M
Õ
E
S
Resposta: M = 0,125 mol/L
I - MESMO SOLUTO (sem reação química)

M Solução 1 Solução 2 Solução 3

I
S
+
T
U
R n1 = M.V + n1’ = M’.V’ = n1’’ = M’’.V’’
A
S donde resulta:

n1 + n1’ = n1’’ M.V + M’.V’ = M’’ .V‘’


Exemplo
M
I Foram misturados 0,5 L de solução 1 M de NaOH, com

S
1,5 L de solução 2 M, da mesma base. Qual a Molaridade
resultante ?

T Solução:
M = 1 ; V = 0,5 ; M’ = 2 ; V’ = 1,5 ; V’’ = 2,0 ; M’’ = ?
U M .V + M’.V’ = M’’ .V’’ → M’’ = M.V + M’ V’ / V’’
R M’’ =(1 . 0,5) + (2 . 1,5) / 2,0 = 1,75 mol/L = 1,75 M
A
S
Resposta: M = 1,75 M
II - SOLUTOS DIFERENTES (c/ reação química)

M Ex.: solução de HCl + solução de NaOH

I Nesse caso devemos levar em conta a estequiometria da

S reação, no seu ponto final.


HCl + NaOH → NaCl + H 2 O
T 1 mol 1 mol
U No ponto final da reação

R no mols ácido = no mols da base


nácido = nbase
A
S Mácido .Vácido = Mbase . Vbase
II - SOLUTOS DIFERENTES (c/ reação química)

M
I Nesse caso ácido
adiciona-se uma
S solução sobre a
T outra e o ponto
U final da reação
pode ser
R visualizado pela
A adição de um
S indicador ácido- base

base.
Exemplo
M
Foram neutralizados 600 mL de solução 1 M de NaOH,
I com 1,5 L de solução de HCl. Qual a Molaridade da solução
ácida ?
S Solução:

T Mb = 1 ; Vb = 600 mL = 0,6 L ; Ma = ? ; Va = 1,5

U Para essa reação, no ponto final ,


Ma.Va = Mb. Vb
R Ma = 1 . 0,6 / 1,5 = 0,4 mol/L
A
S
Resposta: M = 0,4 mol/L
CONCENTRAÇÃO E APLICAÇÃO
DAS SOLUÇÕES NO COTIDIANO

PROFESSORA CLÁUDIA BACCHI


Verificação da qualidade a gasolina

PROFESSORA CLÁUDIA BACCHI


Teste do Bafômetro

PROFESSORA CLÁUDIA BACCHI


Salinas

PROFESSORA CLÁUDIA BACCHI


PROFESSORA CLÁUDIA BACCHI
Álcool comum

PROFESSORA CLÁUDIA BACCHI


Exemplo de densidade

PROFESSORA CLÁUDIA BACCHI


Pontos de nucleação

PROFESSORA CLÁUDIA BACCHI


Preparo de soluções

PROFESSORA CLÁUDIA BACCHI


Soro fisiológico

PROFESSORA CLÁUDIA BACCHI


COLORAÇÃO x CONCENTRAÇÃO

PROFESSORA CLÁUDIA BACCHI