Você está na página 1de 28

TEMA II.

O Direito e a organização da
sociedade
1. Estado – sociedade politicamente
organizada
1. ESTADO – SOCIEDADE POLITICAMENTE ORGANIZADA
1.1 DIREITO PÚBLICO E DIREITO PRIVADO

Conceito
Conceito de
de Ramos
Ramos do
do
Direito
Direito

Ramos do Direito – conjunto de normas que regulam as diferentes


áreas ou setores da vida social organizadas em torno de certos
princípios comuns que lhes conferem uma certa especificidade e as
diferenciam de outros grupos de normas.

Tradicionalmente, distingue-se entre Direito público e Direito


privado.

Tema II – O Direito e a organização da


1. ESTADO – SOCIEDADE POLITICAMENTE ORGANIZADA
1.1 DIREITO PÚBLICO E DIREITO PRIVADO

Critérios
Critérios de
de
distinção
distinção
A distinção entre Direito público e Direito privado tem sido polémica ao
longo dos tempos, sendo vários os critérios propostos pelos vários
autores, de que se destacam:

Critério da natureza dos


interesses
Critério da qualidade dos
sujeitos
Critério da posição dos sujeitos na relação jurídica

Tema II – O Direito e a organização da


1. ESTADO – SOCIEDADE POLITICAMENTE ORGANIZADA
1.1 DIREITO PÚBLICO E DIREITO PRIVADO

Critérios
Critérios de
de
distinção
distinção
O critério que reúne maior consenso entre os autores na divisão
tradicional entre o Direito público do Direito privado é o:

RITÉRIO DA POSIÇÃO DOS SUJEITOS NA RELAÇÃO JURÍDICA

Direito público Direito privado

Constituído pelo conjunto de Constituído pelo conjunto de


normas que regulam as relações normas que regulam as relações
em que intervenha o Estado ou que se estabelecem entre os
qualquer ente público, dotado de cidadãos ou entre estes e o Estado
supremacia, isto é, desde que ou qualquer ente público, mas
investido de imperium. desde que despidos do seu ius
Tema II – O Direito eimperium
a organização da
1. ESTADO – SOCIEDADE POLITICAMENTE ORGANIZADA
1.1 DIREITO PÚBLICO E DIREITO PRIVADO

Ramos
Ramos do
do Direito
Direito

Direito público Direito privado


Direito constitucional Direito civil:
Direito administrativo - Direito das obrigações;
Direito financeiro - Direitos reais;
Direito fiscal - Direito da família;
Direito penal - Direitos das sucessões.
Direito processual: Direito comercial
- civil; Direito do trabalho
- penal; Direito agrário
- trabalho;
- fiscal;
- administrativo.
Tema II – O Direito e a organização da
1. ESTADO – SOCIEDADE POLITICAMENTE ORGANIZADA
1.2 NOÇÃO E ELEMENTOS DO ESTADO

Noção
Noção de
de Estado
Estado

Estado – sociedade, fixa num determinado território, onde se


organizou politicamente instituindo um poder político autónomo e
independente.

Entre o Estado e o Direito há uma estreita interdependência, porque,


sendo o Estado uma necessidade, também o é o Direito que
representa, afinal, a disciplina daquele, ou seja, a linguagem de quem
governa.

Tema II – O Direito e a organização da


1. ESTADO – SOCIEDADE POLITICAMENTE ORGANIZADA
1.2 NOÇÃO E ELEMENTOS DO ESTADO

Noção
Noção de
de Estado
Estado

Elementos
Elementos do
do Estado
Estado

Comunidade
Comunidade ou
ou Território
Território Poder
Poder político
político
povo
povo

Tema II – O Direito e a organização da


1. ESTADO – SOCIEDADE POLITICAMENTE ORGANIZADA
1.2 NOÇÃO E ELEMENTOS DO ESTADO

Comunidade
Comunidade ou
ou
povo
povo

Noção

Comunidade ou povo - conjunto de cidadãos ou nacionais de cada


Estado, isto é, ligados a certo Estado por um vínculo jurídico de
nacionalidade.

O vinculo jurídico que une os cidadãos ao Estado é a cidadania ou


nacionalidade – artigo 4.º da C.R.P.

Tema II – O Direito e a organização da


1. ESTADO – SOCIEDADE POLITICAMENTE ORGANIZADA
1.2 NOÇÃO E ELEMENTOS DO ESTADO

Território
Território

Território
Território
(( Artigo
Artigo 5.º
5.º C.R.P.)
C.R.P.)

Terrestre
Terrestre Marítimo
Marítimo
Aéreo
Aéreo
(solo
(solo ee subsolo)
subsolo) (12
(12 milhas)
milhas)

Tema II – O Direito e a organização da


1. ESTADO – SOCIEDADE POLITICAMENTE ORGANIZADA
1.2 NOÇÃO E ELEMENTOS DO ESTADO

Poder
Poder político
político

Noção

Poder político - Faculdade exercida por um povo de, por autoridade


própria, instituir órgãos que exerçam com relativa autonomia a
jurisdição sobre um território, nele criando e executando normas
jurídicas usando para o efeito os necessários meios de coação.

Tema II – O Direito e a organização da


1. ESTADO – SOCIEDADE POLITICAMENTE ORGANIZADA
1.2 NOÇÃO E ELEMENTOS DO ESTADO

Conceito
Conceito de
de
Estado
Estado

O conceito de Estado pode ter vários sentidos:

Estado em sentido restrito – sociedade politicamente


organizada, fixa em determinado território, que lhe é privativo e
tendo soberania ou independência como características. (Estado
soberano).
Estado em sentido amplo – sociedade politicamente organizada,
fixa em determinado território, que exerce o poder político de
forma soberana ou não. (Estado soberano e Estado não
soberano)

Tema II – O Direito e a organização da


1. ESTADO – SOCIEDADE POLITICAMENTE ORGANIZADA
1.3 PODERES E FUNÇÕES DO ESTADO

Separação
Separação de
de
poderes
poderes

Princípio
Princípio da da divisão
divisão de
de
poderes
poderes
(Locke
(Locke ee Montesquieu
Montesquieu –– Séc.
Séc.
XVII
XVII ee XVIII)
XVIII)

Poder
Poder legislativo
legislativo Poder
Poder executivo
executivo Poder
Poder judicial
judicial

Tema II – O Direito e a organização da


1. ESTADO – SOCIEDADE POLITICAMENTE ORGANIZADA
1.3 PODERES E FUNÇÕES DO ESTADO

Funções
Funções do
do
Estado
Estado

Noção

Funções do Estado - são as atividades que este desenvolve através dos


seus órgãos para atingir os seus fins:

A justiça,
A segurança e
O bem-estar económico e social.

Tema II – O Direito e a organização da


1. ESTADO – SOCIEDADE POLITICAMENTE ORGANIZADA
1.3 PODERES E FUNÇÕES DO ESTADO

Funções
Funções do
do
estado
estado

Funções
Funções do
do Estado
Estado

Político
Político -- Administrativa
Administrativa Legislativa
Legislativa Judicial
Judicial
governativa
governativa

Contudo,
Contudo, aa C.R.P.
C.R.P. consagra
consagra aa separação
separação ee interdependência
interdependência entre
entre
estas
estas funções,
funções, oo que
que decorre,
decorre, nomeadamente,
nomeadamente, dodo seu
seu artigo
artigo 111.º.
111.º.

Tema II – O Direito e a organização da


1. ESTADO – SOCIEDADE POLITICAMENTE ORGANIZADA
1.4 ÓRGÃOS DE SOBERANIA

Órgãos
Órgãos de
de
Soberania
Soberania

Noção

Órgãos de soberania - são aqueles que se encontram em posição


dominante no Estado, que decidem independentemente da obediência
a ordens de outros órgãos e é através deles que, num Estado
democrático, o povo exerce a soberania.

Tema II – O Direito e a organização da


1. ESTADO – SOCIEDADE POLITICAMENTE ORGANIZADA
1.4 ÓRGÃOS DE SOBERANIA

Órgãos
Órgãos de
de
Soberania
Soberania

De acordo com o artigo 110.º da C.R.P. são órgãos de soberania:

Presidente da República - artigo 120.º da C.R.P. e segs.

Assembleia da República - artigo 147.º da C.R.P. e segs.

Governo - artigo 182.º da C.R.P. e segs.

Tribunais - artigo 202.º da C.R.P. e segs.

Tema II – O Direito e a organização da


1. ESTADO – SOCIEDADE POLITICAMENTE ORGANIZADA
1.4 ÓRGÃOS DE SOBERANIA

Órgãos
Órgãos de
de
Soberania
Soberania

Presidente da República

É o órgão máximo da nação que representa a República


Portuguesa e garante a independência nacional, a unidade do
Estado e o regular funcionamento das instituições democráticas e
é, por inerência, comandante das Forças Armadas.
( Artigo 120.º da C.R.P.)
É eleito por sufrágio universal, direto e secreto dos cidadãos
portugueses eleitores recenseados no território nacional, bem
como dos cidadãos portugueses residentes no estrangeiro,
devendo neste caso ter-se em conta a existência de laços de
efetiva ligação à comunidade nacional.

Tema II – O Direito e a organização da


1. ESTADO – SOCIEDADE POLITICAMENTE ORGANIZADA
1.4 ÓRGÃOS DE SOBERANIA

Órgãos
Órgãos de
de
Soberania
Soberania

Presidente da República

São elegíveis para Presidente da República, cidadãos eleitores


portugueses de origem, maiores de 35 anos.

O mandato do Presidente da República tem a duração de cinco


anos e termina com a posse do novo Presidente eleito.

Tema II – O Direito e a organização da


1. ESTADO – SOCIEDADE POLITICAMENTE ORGANIZADA
1.4 ÓRGÃOS DE SOBERANIA

Órgãos
Órgãos de
de
Soberania
Soberania

Assembleia da República

É o órgão representativo de todos os cidadãos portugueses,


detendo poderes político e legislativo e exercendo funções de
fiscalização dos atos do Governo e da Administração.

A Assembleia tem no mínimo 180 e no máximo de 230 deputados


no termos da lei eleitoral.

Tema II – O Direito e a organização da


1. ESTADO – SOCIEDADE POLITICAMENTE ORGANIZADA
1.4 ÓRGÃOS DE SOBERANIA

Órgãos
Órgãos de
de
Soberania
Soberania

Assembleia da República

As candidaturas para deputado são apresentadas nos termos da


lei, pelos partidos políticos, isoladamente ou em coligação,
podendo as listas integrar cidadãos não inscritos nos respetivos
partidos.
Os deputados representam todo o país e não os círculos por que
são eleitos.

A legislatura tem a duração de quatro sessões legislativas, cada


sessão legislativa tem a duração de um ano e inicia-se a 15 de
setembro.

Tema II – O Direito e a organização da


1. ESTADO – SOCIEDADE POLITICAMENTE ORGANIZADA
1.4 ÓRGÃOS DE SOBERANIA

Órgãos
Órgãos de
de
Soberania
Soberania

O Governo

É o órgão a quem compete a condução da política geral do país e


da administração pública, detendo competências aos níveis
político, legislativo e administrativo.
O Governo é constituído pelo Primeiro Ministro, pelos Ministros e
pelos Secretários e Subsecretários de Estado e pode incluir um ou
mais Vice-Primeiros-Ministros.

Os membros do Governo reúnem-se em Conselho de Ministros.

Tema II – O Direito e a organização da


1. ESTADO – SOCIEDADE POLITICAMENTE ORGANIZADA
1.4 ÓRGÃOS DE SOBERANIA

Órgãos
Órgãos de
de
Soberania
Soberania

O Governo

O Primeiro Ministro é nomeado pelo Presidente da República,


ouvidos os partidos representados na Assembleia da República e
tendo em conta os resultados eleitorais.

Os restantes membros do Governo são nomeados pelo


Presidente da República, sob proposta do Primeiro Ministro.

O Governo é politicamente responsável perante o Presidente da


República e a Assembleia da República, o que significa que estes
o podem demitir.

Tema II – O Direito e a organização da


1. ESTADO – SOCIEDADE POLITICAMENTE ORGANIZADA
1.4 ÓRGÃOS DE SOBERANIA

Órgãos
Órgãos de
de
Soberania
Soberania

Tribunais

São os órgãos com competência para administrar a justiça em


nome do povo.
Os tribunais são independentes e apenas estão sujeitos à lei.

As decisões dos tribunais que não sejam de mero expediente são


fundamentadas na forma prevista na lei.

Tema II – O Direito e a organização da


1. ESTADO – SOCIEDADE POLITICAMENTE ORGANIZADA
1.4 ÓRGÃOS DE SOBERANIA

Hierarquia
Hierarquia dos
dos
Tribunais
Tribunais

Os tribunais judiciais encontram-se hierarquizados, para efeito de


recurso das suas decisões - Art. 27.º da Lei n.º 52/08 e Art. 210.º da C.R.P.
da forma seguinte:
Supremo Tribunal de Justiça – órgão superior dos tribunais judiciais,
sem prejuízo da competência própria do Tribunal Constitucional. Tem
sede em Lisboa e competência em todo o território nacional.
Tribunais da Relação ( Tribunais de 2.ª Instância) – funcionam por
princípio na sede do respetivo distrito judicial, tomando a designação
deste e exercendo aí a sua competência. (Existem tribunais Judiciais em
Lisboa, Coimbra, Porto, Évora, Guimarães e Faro.)
Tribunais Judiciais (Tribunais de 1.ª Instância) – são em regra os
Tribunais de Comarca e designam-se pelo nome da circunscrição em que
se encontram instalados.
Tema II – O Direito e a organização da
1. ESTADO – SOCIEDADE POLITICAMENTE ORGANIZADA
1.5 DO ESTADO DE DIREITO AO ESTADO SOCIAL DE DIREITO

Estado
Estado liberal
liberal de
de
direito
direito

O Estado liberal de direito marca a primeira grande tentativa de


institucionalização do Estado de direito e surge como reação ao poder
despótico do absolutismo real e assentava, nomeadamente, nos
seguintes princípios:
Império da lei;

Defesa do princípio da separação de poderes;

Atribuição aos tribunais da competência de zelar pela legalidade;

Possibilidade de recurso dos cidadãos para os tribunais, sempre


que se julguem prejudicados por atos praticados pela
Administração Pública.
Tema II – O Direito e a organização da
1. ESTADO – SOCIEDADE POLITICAMENTE ORGANIZADA
1.5 DO ESTADO DE DIREITO AO ESTADO SOCIAL DE DIREITO

Estado
Estado social
social de
de
direito
direito

Estado social de direito – procurou evitar as características demasiado


individualistas e abstencionistas do Estado liberal de direito, passando a
intervir em domínios cada vez mais alargados da vida social. Procurou
exercer uma função corretiva das desigualdades e supletiva em relação à
iniciativa privada sem, contudo, deixar de reconhecer a iniciativa e as
liberdades privadas.

A tutela dos direitos, na sua dimensão social, económica e cultural, passa


a ser uma das suas principais preocupações.

Tema II – O Direito e a organização da


1. ESTADO – SOCIEDADE POLITICAMENTE ORGANIZADA
1.5 DO ESTADO DE DIREITO AO ESTADO SOCIAL DE DIREITO

Estado
Estado social
social de
de
direito
direito

Tradicionalmente são apontados como requisitos do Estado de direito, os


seguintes:
Império da lei;

Separação de poderes: legislativo, executivo e judicial;

Legalidade da administração;

Direitos, liberdades fundamentais: garantia jurídico formal e


efetiva realização material.

Tema II – O Direito e a organização da


1. ESTADO – SOCIEDADE POLITICAMENTE ORGANIZADA
1.5 DO ESTADO DE DIREITO AO ESTADO SOCIAL DE DIREITO

Estado
Estado de
de direito
direito
democrático
democrático
Estado de direito democrático – o Estado de direito, hoje em dia, postula
a democracia representativa e pluralista, considerando-se, assim, mais
adequado falar-se em Estado de direito democrático, designação acolhida
pela C.R.P..
ARTIGO 2.º C.R.P.
(Estado de direito democrático)
A República Portuguesa é um Estado de direito democrático, baseado
na soberania popular, no pluralismo de expressão e organização
política democráticas, no respeito e na garantia de efetivação dos
direitos e liberdades fundamentais e na separação e interdependência
de poderes, visando a realização da democracia económica, social,
cultural e o aprofundamento da democracia participativa.

Tema II – O Direito e a organização da

Você também pode gostar