Você está na página 1de 12

AMÉM. - Ap 22.

20, 21
O Credo, tal como a Escritura (Ap
22.20,21), termina com a palavra hebraica
“amém”, palavra que se encontra com
frequência nas orações bíblicas.
Alister McGrath escreve:
O Credo termina com uma única palavra:
‘Amém’. Isso nos lembra que ele é uma oração
e ao mesmo tempo, uma declaração de fé.
O “amém” final do Credo confirma, portanto, a palavra
com que este texto começa: “Creio”. Pois crer é dizer
“amém”, isto é, confiar totalmente no Deus Trindade, que
se revelou a si mesmo na Escritura – cujos ensinos mais
básicos são resumidos no Credo.
A humanidade tem vivido um período em que a
compreensão correta sobre as coisas sagradas tem se
desintegrado. O credo pode ajudar a manter a mente e o
coração dos filhos de Deus sempre alicerçados nas
verdades das escrituras.
Sempre que tempos de apostasias se
manifestarem, confesse a sua fé. Diga sempre
“creio” e termine com um “amém”!
(Mt 10.32)
SOBRE A UTILIDADE DO CREDO DOS
APÓSTOLOS
Podemos destacar algumas formas de usar o Credo dos
Apóstolos em nossas igrejas evangélicas, na atualidade.
1. Em primeiro lugar, o credo é o ensino básico de todo verdadeiro cristão. Imaginemos uma grande casa, com muitos
cômodos, mas que tem um único saguão de entrada. O saguão é o ponto inicial, depois que você entra por ele, pode ter a
experiência de conhecer todo o restante da casa. Cada cômodo é diferente do outro, mas todos são ligados há um só saguão.
Assim é o credo e a vida cristã. O credo é a sala de entrada, mas há muito mais a se aprender na vida cristã. (Os 6:3).
2. Em segundo lugar, o Credo deve ser usado para refutação de heresias. Por exemplo, a pessoa começa a dizer:
“Olha, Deus sofre conosco, mas não tem o poder de mudar o nosso sofrimento, ele não intervém”. Conhecendo o
Credo já somos alertados: “O Credo ensina: ‘Creio em Deus, o Pai Todo-Poderoso’”. O credo ensina que “Jesus
Cristo é nosso Senhor”. Portanto, aquele que ensina de forma diversa está se afastando do ensino cristão mais
básico sobre Deus, como resumido no Credo.
Pois bem, quem declara uma fé diferente da que está nas Escrituras, a própria bíblia nos ensina que não
devemos ter comunhão com essas pessoas. E o Novo Testamento é muito radical quanto a esse tipo de
separação. Não é separação entre irmãos na fé, mas é separação daquelas pessoas que, se dizendo cristãos,
distorcem a mensagem cristã e podem, inclusive, envenenar a comunidade da fé (2Rs 4.38-41).
Consideremos com seriedade o que Dietrich Bonhoeffer escreveu:

“Uma doutrina falsa deteriora a fonte da vida da igreja, por isso, quem rouba da
igreja o Evangelho merece condenação irrestrita (1Tm 1.3; Tt 3.10; 1Tm 6.4s).
3. Em terceiro lugar, para os membros da igreja, o Credo pode ser usado para conferir o que um pregador está
ensinando. Será que algo que este mestre ensina viola algum artigo ou ensino do Credo? Portanto, usemos o Credo
dos Apóstolos como um guia, um roteiro, para tentar entender o que pregadores e mestres estão dizendo sobre
Deus e a fé, nos ajudando a discernir a voz de Deus, nas Escrituras, de outras vozes, que não procedem de Deus
(1Jo 4.4-6).

Você também pode gostar