Você está na página 1de 34

MODELAGEM E SIMULAÇÃO

Professor: MSc. Eng. Eder Reis Tavares


DISTRIBUIÇÕES ESTATÍSTICAS

Normal

A distribuição Normal descreve fenômenos regidos por


variáveis aleatórias que possuem variação simétrica acima e
abaixo da média. Muito utilizada em tempos de processo
como tempos de máquina.

Sua mais importante contribuição é o fato de que os


possíveis valores de uma variável aleatória, que são
resultantes da soma ou da média, de um grande número de
outras variáveis aleatórias, resulta em uma curva cuja forma
pode ser aproximada por uma Normal.
DISTRIBUIÇÕES ESTATÍSTICAS

Normal
DISTRIBUIÇÕES ESTATÍSTICAS

Beta

Devido a sua capacidade de se adequar a várias formas


(vide figura), esta distribuição é usada como uma
aproximação, quando houver ausência de dados.
DISTRIBUIÇÕES ESTATÍSTICAS

Uniforme

A distribuição Uniforme especifica que cada valor entre


um mínimo e um máximo especificado, tenham igual
probabilidade de acontecer. Costuma-se utilizar esta
distribuição quando pouco ou quase nada se sabe a respeito
do comportamento da variável aleatória que estamos
tratando, a exceção de seus pontos extremos.
DISTRIBUIÇÕES ESTATÍSTICAS

Triangular

A distribuição triangular não é identificada com nenhum


tipo de operação específica, mas é útil quando se deseja uma
primeira aproximação na falta de dados mais específicos.
Além dos valores mínimo e máximo característicos da
distribuição uniforme, o conhecimento de um valor mais
provável, valor modal, permite o uso desta distribuição, no
lugar da uniforme. É muito utilizada quando não existem
dados suficiente e é necessária uma estimativa.
DISTRIBUIÇÕES ESTATÍSTICAS

Triangular
DISTRIBUIÇÕES ESTATÍSTICAS

Exponencial

A distribuição exponencial é uma das mais utilizadas em


modelos de simulação. No entanto possui uma grande
variabilidade.
O principal uso é na modelagem de períodos de tempos
entre dois acontecimentos (eventos) quaisquer, como por
exemplo: tempos entre chegadas de entidades em um
sistema, tempos entre falhas, tempo de atendimento à
clientes, etc.
DISTRIBUIÇÕES ESTATÍSTICAS

Exponencial
DISTRIBUIÇÕES ESTATÍSTICAS

Erlang

Utilizada na simulação de alguns tipos de processos,


muitas vezes em situações em que uma entidade entra em
uma estação para ser servida, sequencialmente, por uma
série de postos.
DISTRIBUIÇÕES ESTATÍSTICAS

Gamma

Esta função costuma ser aplicada para representar tempo


de completar alguma tarefa (tempos de reparos, por
exemplo).
DISTRIBUIÇÕES ESTATÍSTICAS

Log Normal

É frequentemente utilizada para representar tempos de


atividades com distribuição não simétrica.
DISTRIBUIÇÕES ESTATÍSTICAS

Weibull

É largamente utilizada em modelos que representam o


tempo de vida de equipamentos.
O SOFTWARE ARENA

O ARENA® é ao mesmo tempo uma linguagem de


simulação e um ambiente de trabalho e experimentação, que
pode ser usado para testar o modelo e fazer a apresentação
de seus resultados, através de avançados recursos de
animação.
Sua interface segue os padrões do MS Office® , com
comandos e botões semelhantes e menus que agregam
funções semelhantes às encontradas em outros softwares
Windows®. Um usuário do MS Word®, por exemplo, ao abrir
o ARENA® saberá de pronto como salvar ou abrir um arquivo
de modelo, pois os botões para isso são iguais, e os
comandos "Abrir” e “Salvar” encontram-se também no menu
“Arquivo”. A barra de menus principal do Arena possui os
menus:
O SOFTWARE ARENA
O SOFTWARE ARENA

Quando um arquivo de modelo é aberto (menu FILE,


opção OPEN) ou um novo é criado (menu FILE, opção NEW),
o seguinte ambiente de trabalho é apresentado:
O SOFTWARE ARENA
O SOFTWARE ARENA

As barras de ferramenta do ARENA, são semelhantes a


do MS Office, e podem ser “desconectadas” de suas bordas,
permanecendo flutuantes.

Também podem ser conectadas em outro local ou mesmo


fechadas. Através do menu VIEW, opção TOOLBARS..., é
possível selecionar quais barras de ferramenta permanecerão
à vista do operador:
O SOFTWARE ARENA
O SOFTWARE ARENA

As barras de ferramenta facilitam o trabalho do usuário,


permitindo um acesso rápido às funções mais importantes, e
a sua flexibilidade habilita o usuário a criar um ambiente mais
confortável ao seu trabalho, mantendo sempre à vista as
ferramentas preferidas por ele.

Algumas barras de ferramentas contém essencialmente


botões conhecidos pelos usuários do MS Office, e outras
reúnem ferramentas específicas para simulação com o
ARENA.
BARRAS DE FERRAMENTAS DO
ARENA

Standard (Padrão)

É a barra que contém os comandos de manipulação de


arquivos, impressão e edição. Reúne também as opções de
navegação dentro da área de trabalho e comandos para
controle da simulação:
BARRAS DE FERRAMENTAS DO
ARENA

Standard (Padrão)
BARRAS DE FERRAMENTAS DO
ARENA

Draw (Desenho)

Esta barra de ferramentas contém também muitos


comandos familiares aos usuários do MS Office. Ela reúne os
comandos de desenho, texto e troca de cores tanto dos
elementos gráficos como do fundo da área de trabalho.
BARRAS DE FERRAMENTAS DO
ARENA
BARRAS DE FERRAMENTAS DO
ARENA

Animate (Animação)

Esta barra contém elementos que podem ser agregados


ao modelo de simulação, acrescentando uma representação
visual do funcionamento do sistema e das estatísticas
coletadas. Cada comando será detalhado em aulas
posteriores:
BARRAS DE FERRAMENTAS DO
ARENA
View (Visualizar)

Esta barra apresenta funções úteis para navegação pela


área de trabalho:
BARRAS DE FERRAMENTAS DO
ARENA
Run Interaction (Interação com a Simulação)

Esta barra permite que o operador interaja com o modelo


em tempo de simulação, para depurar ou estudar seu
comportamento:
BARRAS DE FERRAMENTAS DO
ARENA
Project Bar (Barra de Projeto - Templates)

A barra de projeto reúne os elementos que são usados


para montar o modelo dentro da área de trabalho do ARENA.

• Estes elementos são organizados na forma de “templates”.


• Cada template é um conjunto de elementos, chamados
“módulos”.

Ao anexar um template ao modelo, este aparece na barra


de projeto como mais uma subjanela. Esta barra ainda possui
duas subjanelas permanentes: Reports, que apresenta os
relatórios disponíveis para o modelo, e Navigate, que
apresenta as opções de navegação do modelo.
BARRAS DE FERRAMENTAS DO
ARENA
MODELAGEM ATRAVÉS DE
FLUXOGRAMAS
O processo de modelagem (construção do modelo) nada
mais é do que o ato de “explicar” ao ARENA como funciona o
sistema. Essa “explicação” é feita através de uma linguagem
de fácil entendimento, semelhante a um fluxograma.

O fluxograma é uma das ferramentas mais amplamente


usadas atualmente para se descrever o funcionamento de um
sistema, seja o algoritmo de um programa de computador ou
os procedimentos para aprovação de crédito em uma loja.
MODELAGEM ATRAVÉS DE
FLUXOGRAMAS
O fluxograma é constituído de formas geométricas que
representam procedimentos, decisões a serem tomadas,
início e término de processos, etc. No ARENA, estas formas
geométricas são substituídas pelos elementos dos templates.

Os seguintes elementos podem ser encontrados em


qualquer fluxograma, constituindo as funções mais básicas:
MODELAGEM ATRAVÉS DE
FLUXOGRAMAS
MODELAGEM ATRAVÉS DE
FLUXOGRAMAS
Como exemplo, é apresentado o fluxograma abaixo, que
descreve procedimento adotado por um porteiro na bilheteria
de um cinema:
Dúvidas