Você está na página 1de 8

Gasolina

Octanagem
MON
RON
IAD

Aluna: Daniele N de Araujo Silva


Prof.: Luiz Antônio d'Avila
Controle e Monitoramento da Qualidade de Derivados de Petróleo
O que é octanagem?

• A octanagem (ou índice de octano) é o índice de resistência à


detonação de combustíveis utilizados em motores do ciclo Otto.
*Ciclo Otto: motores de pistão de ignição com faísca, com funcionamento em 4 tempos: admissão,
compressão, combustão e exaustão (escape).

• O índice de octano relaciona a capacidade do combustível de


resistir à detonação com capacidade de resistência à detonação de
uma mistura (a uma determinada proporção) de iso-octano e n-
heptano, sendo o iso-octano puro com número de octano 100 e o n-
heptano puro com número de octano 0. Assim, uma gasolina com
octanagem de 92 significa que sua performance é compatível com
a de uma mistura contendo 92% de iso-octano e 8% de n-heptano.
A importância da octanagem

• No processo de combustão no interior do cilindro do motor, a mistura de


combustível/ar deve queimar de forma suave e uniforme,
proporcionando um movimento uniforme do pistão na fase de potência.
Entretando, quando ocorre uma detonação (ou seja, quando pelo calor e
pela compressão, a parcela ainda não queimada do combustível sofre
autoignição e uma detonação violenta) o pistão sofre uma pancada
seca, pois esta detonação provoca um movimento abrupto, ao qual o
pistão não é capaz de responder por estar interligado a outros pistões
que se encontram em fases diferentes do ciclo do motor.

• Além de produzir um som indesejável e desperdiçar energia do


combustível, a detonação prolongada superaquece as válvulas, velas e
pistões, o que encurta a vida útil do motor podendo levar à trinca no
cabeçote, furo na cabeça do pistão ou à fundição do cilindro.
A “química” da octanagem

• A estrutura química dos hidrocarbonetos constituintes do combustível exerce


forte influência na sua octanagem. Compostos com cadeias ramificadas,
olefinas, hidrocarbonetos cíclicos insaturados aumentam a octanagem do
combustível, visto que são mais resistêntes à detonação do que compostos de
cadeia linear e compostos cíclicos saturados.

• A fim de aumentar a octanagem de um combustível recorre-se a processos


como a reforma catalítica, que envolve reações de alquilação, isomerização e
polimerização, a fim de produzir compostos mais resistentes à detonação.
Dependendo do tipo de catalisador e das condições operacionais, as reações
de desidrogenação dos naftênicos gerando aromáticos e o hidrocraqueamento
das parafinas mais pesadas obtendo parafinas mais leves levam a obtenção
de gasolina com maior resistência à detonação.
A “química” da octanagem

• Há também a possibilidade do emprego de aditivos a fim aumentar a


octanagem da gasolina, alguns deles são:
 Chumbo tetraetila - Pb(C2H5)4 , que caiu em desuso por sua extrema toxidez e
conseqüente agressividade ao meio ambiente.
 MTBE (metiltercibutil éter)
 ETBE (etiltercibutil éter)

 TBA (álcool butílico terciário)


 Álcool etílico
* Atualmente, o teor de etanol anidro na gasolina C é de 27% em volume para gasolina C Comum e 25%
para gasolina C premium conforme Portaria MAPA nº 75/2015.
Métodos para determinação do número de octano

• Método RON
• No método RON (research octane number - ASTM D2699) se avalia o quanto o
combustível resiste à detonação quando o motor está em condições de direção
suave, em baixas rotações e sem a existência de cargas pesadas no motor.

• Método MON

• No método MON (motor octane number - ASTM D2700) se avalia a resistência


do combustível à detonação quando o motor está em plena carga,
representando as condições do motor em condições severas, de alta
velocidade e alta carga de direção.

• IAD = índice antidetonante, é a média dos valores de MON e RON.


Métodos para determinação do número de octano

• De acordo com a Resolução n°807/2020 da ANP, os valores mínimos de


octanagem para a gasolina brasileira são de:
• RON= 72 para a gasolina comum
• MON= 92 para a gasolina comum (subindo para 93 em 1° de janeiro de 2022)
e de 97 para a gasolina premium.
• IAD= 87 para a gasolina comum e de 91 para a gasolina premium.

*A gasolina Premium, foi especialmente desenvolvida para usuários de carros com motores de alta taxa de
compressão, projetados para combustível com índice de octano acima dos padrões regulares. Ela permite que
esses motores atinjam todo o seu potencial, com maior economia e proteção. Essa gasolina também pode ser
usada em veículos de tecnologia menos sofisticada, com motores carburados ou de injeção monoponto,
projetados para comprimir gasolina com octanagem menos elevada. Entretanto esses motores não usam todo
o potencial desse combustível.
Bibliografia

• MARQUES, Celso et. al., Avaliação da adição de aditivos do tipo "booster" de octanagem
no poder antidetonante da gasolina automotiva brasileira. 2o Congresso Brasileiro de
P&D em Petróleo & Gás. Disponível em: <
http://www.portalabpg.org.br/PDPetro/2/4095.pdf>. Acesso em: 28 de setembro de 2020.

• ASSIS, Júlio et al., Aplicaçaõ da matriz de Doehlert para avaliação da influência dos
principais componentes da gasolina na octanagem. 3o Congresso Brasileiro de P&D em
Petróleo e Gás. Disponível em: <
http://www.portalabpg.org.br/PDPetro/3/trabalhos/IBP0425_05.pdf>. Acesso em: 28 de
setembro de 2020.

• RESOLUÇÃO ANP Nº 807, DE 23.01.2020.

• AGÊNCIA NACIONAL DO PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS.


Petróleo, 2016 (atuallizado em 2020). Petróleo e derivados. Disponível em: <
http://www.anp.gov.br/producao-de-derivados-de-petroleo-e-processamento-de-gas-natut
al/producao-centrais-de-materias-primas-petroquimicas-cpq/gasolina
>. Acesso em: 28 de set. de 2020.

Você também pode gostar