Você está na página 1de 51

VERBO

VERBO
 Verbo é a palavra que podemos conjugar. Conjugar é
fazer a palavra passar por quatro variações ou flexões. O
conjunto de flexões verbais recebe o nome de
conjugação.
FLEXÕES DO VERBO
 Flexão de número – Todo verbo tem singular (estudo,
estudas, estuda) e plural (estudamos, estudais, estudam);
por isso, dizemos que o verbo se flexiona em número.

 Flexão de pessoa – Todo verbo tem a primeira (eu, nós), a


segunda (tu, vós) e a terceira pessoa (ele, ela, eles, elas);
por isso dizemos que o verbo se flexiona em pessoa.
A primeira pessoa é a que fala (também chamada de
emissor ou falante); a segunda é a pessoa com quem se
fala (também chamada receptor ou ouvinte); e a terceira
pessoa é a de quem se fala (também chamada assunto).
FLEXÕES DO VERBO
 Flexão de tempo – Todo verbo indica o momento ou a
época em que se realiza o fato; por isso dizemos que o
verbo se flexiona em tempo. São três os tempos: o
presente, o pretérito e o futuro.
Somente o pretérito e o futuro são divisíveis.
 Flexão de modo – A flexão de modo indica a maneira, o
modo como o fato se realiza. São três os modos:
1. o indicativo: eu estudo (indica que o fato é real,
verdadeiro)
2. o subjuntivo: se eu estudasse (indica que o fato é
provável ou incerto)
3. o imperativo: estude! (indica principalmente ordem)
VOZES VERBAIS
Além das flexões verbais, temos de considerar as vozes
verbais, que são três:
 Voz ativa

A voz se diz ativa quando a ação é praticada pelo sujeito, que,


por isso, se chama agente = aquele que age. Ex.:

Eu escrevi um livro.

 Voz passiva
A voz se diz passiva quando a ação é recebida pelo sujeito,
que, por isso, se chama paciente = aquele que recebe, aquele
que sofre. Ex.:

O livro foi escrito por mim.


VOZES VERBAIS
 A voz passiva pode ser:
 Analítica – formada principalmente com os verbos ser e
estar, seguidos de verbo no particípio.
Ex.: O livro foi escrito por mim.

 Sintética – formada com um verbo transitivo direto, na 3ª


pessoa, acompanhado do pronome se, que recebe o nome
de pronome apassivador.
Ex.: Alugam-se casas.

 Voz reflexiva – a voz se diz reflexiva quando a ação é, ao


mesmo tempo, praticada e recebida pelo sujeito, que, por
isso, se chama agente e paciente. Ex.: O rapaz se limpou.
AS CONJUGAÇÕES
 São três as conjugações, caracterizadas por uma vogal
temática. 1ª conjugação, vogal temática a, amar. 2ª
conjugação, vogal temática e, vender. 3ª conjugação,
vogal temática i, partir.

 O verbo pôr, assim como seus derivados, pertence à


segunda conjugação, de vogal temática e. Sua forma
atual não apresenta vogal temática, porém, podemos
encontrá-la em sua forma antiga: poer. A vogal temática
desse verbo se revela em algumas de suas formas: põe,
pões, põem, etc.
OS TEMPOS
Só podemos ter três tempos: o presente, o pretérito e o
futuro.
 O presente

É indivisível. Normalmente, a primeira pessoa do


singular do presente do indicativo termina em o: canto,
vendo, parto.
Essa mesma pessoa, no presente do subjuntivo, termina
normalmente em e, se o verbo for da primeira
conjugação: cante, ame, dance.
E em a, se o verbo for da segunda ou da terceira
conjugação: venda, corra, parta, minta.
OS TEMPOS
 O pretérito
O pretérito possui subdivisões: perfeito, imperfeito e mais-que-
perfeito.
 O normal é a primeira pessoa do singular do pretérito perfeito do
indicativo terminar em ei, se o verbo for da primeira conjugação; e em
i, se o verbo for da segunda ou da terceira conjugação: cantei, amei,
vendi, corri, parti, menti.
 O normal é a primeira pessoa do singular do pretérito imperfeito do
indicativo terminar em va, se o verbo for da primeira conjugação; e em
ia, se o verbo for da segunda ou da terceira conjugação: cantava,
amava, corria, partia, mentia.
 Essa mesma pessoa, no pretérito imperfeito do subjuntivo, termina
sempre em sse, em qualquer conjugação: cantasse, amasse, vendesse,
corresse, partisse, mentisse.
 A primeira pessoa do singular do pretérito mais-que-perfeito do
indicativo termina em ra, em qualquer conjugação: cantara, amara,
vendera, correra, partira, mentira.
OS TEMPOS
 O futuro
O futuro também possui subdivisões: do presente e do
pretérito.
 A primeira pessoa do singular do futuro do presente do
indicativo termina sempre em rei, em qualquer conjugação:
cantarei, amarei, venderei, correrei, partirei, mentirei.
 A primeira pessoa do singular do futuro do pretérito do
indicativo termina sempre em ria, em qualquer
conjugação: cantaria, amaria, venderia, partiria, mentiria.
 Essa mesma pessoa, no futuro do subjuntivo, termina em
ar, se o verbo for da primeira conjugação; em er, se o
verbo for da segunda conjugação; e em ir, se o verbo for da
terceira conjugação: cantar, amar, vender, correr, partir,
mentir.
AS FORMAS NOMINAIS
 São três as formas nominais: o infinitivo, o gerúndio e o
particípio.

 O infinitivo pode ser pessoal (variável) e impessoal


(invariável). O infinitivo pessoal, que é conjugável, começa
sempre pelo próprio verbo: cantar eu, cantares tu, etc. O
infinitivo impessoal é o próprio verbo: cantar, vender, partir.

 O gerúndio termina sempre em ndo: cantando, vendendo,


partindo.

 O particípio termina normalmente em do: cantado, vendido,


partido.
FORMAÇÃO DO MODO IMPERATIVO
 O modo imperativo, que essencialmente indica ordem,
subdivide-se em imperativo afirmativo e imperativo negativo.
 A primeira pessoa do singular do imperativo não existe,
porque ninguém dá ordem a si mesmo.
 As segundas pessoas do imperativo afirmativo vêm do
presente do indicativo, sem o s final. As demais vêm do
presente do subjuntivo, tais quais elas lá se encontram.
 No imperativo as terceiras pessoas são lidas com o pronome
de tratamento (você, vocês), e não com o pronome pessoal.
 O único verbo que não segue essas normas é ser, que no
imperativo afirmativo tem estas segundas pessoas: sê tu, sede
vós.
 O imperativo negativo vem inteiro do presente do subjuntivo.
VERBOS REGULARES

 Verbos regulares são os que, durante a conjugação, não


apresentam nenhuma alteração no radical, e suas
desinências seguem as do verbo padrão, chamado
paradigma.

 Verbos paradigmais das três conjugações: amar, vender,


partir.
VERBOS IRREGULARES
 Verbos irregulares são os que, durante a conjugação,
apresentam alguma alteração no radical, ou suas
desinências não seguem as do verbo padrão, o
paradigma. Ex.: dar, estar.

 Principais verbos irregulares da segunda conjugação:


caber, crer, dizer, fazer, haver, poder, pôr, precaver,
prover, querer, reaver, requerer, saber, ser, ter, trazer,
valer, ver.

 Principais verbos irregulares da terceira conjugação:


agredir, cobrir, ferir, fugir, ir, vir, atribuir, cair, construir,
frigir, ouvir, parir, pedir, polir, remir, rir.
VERBOS TERMINADOS EM IAR
 São conjugados regularmente. Assim, o presente do
indicativo do verbo premiar é: premio, premias, premia,
premiamos, premiais, premiam. O presente do
subjuntivo é: premie, premies, premie, premiemos,
premieis, premiem.

 Todos os verbos terminados em iar assim se conjugam,


com exceção de cinco (e todos os seus derivados):
mediar, ansiar, remediar, incendiar, odiar. Estes verbos se
conjugam por passear.
VERBOS ANÔMALOS

 São os verbos ser e ir, que apresentam, durante a


conjugação, radicais diferentes: ser (sou, és, fui) e ir
(vou, ia, fui).
VERBOS DEFECTIVOS

 Todo verbo que não tem a conjugação completa é


chamado de defectivo. Ex.: verbos impessoais, adequar,
precaver, viger, feder, soer, reaver, abolir, falir.
VERBOS ABUNDANTES

 Todo verbo que tem mais de uma forma equivalente. Ex.:


havemos e hemos, haveis e heis, acendido e aceso,
soltado e solto.
VERBOS PRONOMINAIS

 Todo verbo que se conjuga com pronomes átonos da


mesma pessoa do sujeito.
PRINCIPAIS DÚVIDAS E
DIFICULDADES SOBRE O ASSUNTO
 Certos verbos sofrem alteração no radical apenas e tão
somente para que seja mantida a regularidade sonora.

Eleger elejo
Agir ajo
Corrigir corrijo
Fingir finjo
Embarcar embarquei
Tocar toquei
PRINCIPAIS DÚVIDAS E
DIFICULDADES SOBRE O ASSUNTO
 A segunda pessoa do singular do imperativo afirmativo do
verbo ser é Sê e a segunda do plural é Sede.

Para ser grande, sê inteiro: nada


        Teu exagera ou exclui.
Sê todo em cada coisa. Põe quanto és
        No mínimo que fazes.
Assim em cada lago a lua toda
        Brilha, porque alta vive. (Ricardo Reis)

 “Sede em meu favor, Virgem soberana, livrai-me do inimigo


com o vosso valor.”
PRINCIPAIS DÚVIDAS E
DIFICULDADES SOBRE O ASSUNTO
 Estes verbos e seus derivados só possuem o particípio
irregular:

 abrir => aberto


 cobrir => coberto
 dizer => dito
 escrever => escrito
 fazer => feito
 pôr => posto
 ver => visto
 vir => vindo
PRINCIPAIS DÚVIDAS E
DIFICULDADES SOBRE O ASSUNTO
 Ele foi pego ou pegado de surpresa?
O verbo pegar tem dois particípios: pegado (que se usa
com ter e haver) e pego (que se usa com ser e estar).

Tenho pegado resfriado muito frequentemente.

As crianças haviam pegado forte gripe.

O ladrão foi pego em flagrante.

Ela foi pega de surpresa.


PRINCIPAIS DÚVIDAS E
DIFICULDADES SOBRE O ASSUNTO
 Ganhar, gastar e pagar também são abundantes:

Tenho ganhado (ou ganho) muitos presentes ultimamente.


Meu dinheiro tem sido ganho com muito suor.
Tenho gastado (ou gasto) muito dinheiro ultimamente.
Muito dinheiro tem sido gasto por mim ultimamente.
Tenho pagado (ou pago) minhas contas em dia.
Minhas contas foram pagas em dia.

 A língua cotidiana dá nítida preferência aos particípios


irregulares ganho, gasto e pago.
PRINCIPAIS DÚVIDAS E
DIFICULDADES SOBRE O ASSUNTO
 O verbo chegar não é abundante. Só existe o particípio
chegado.

Eu tinha chegado cedo.

Por ter chegado tarde, foi castigada pelos pais.


PRINCIPAIS DÚVIDAS E
DIFICULDADES SOBRE O ASSUNTO
 O verbo empregar só tem um particípio: empregado. Não
há o suposto particípio “empregue”, que surgiu por
influência de entregue.

O dinheiro foi bem empregado.

A empresa tinha empregado muita gente.

O comércio tem empregado muita gente no Natal.

Quanto dinheiro foi empregado na obra?


PRINCIPAIS DÚVIDAS E DIFICULDADES
SOBRE O ASSUNTO
 TINHA TRAGO OU TINHA TRAZIDO?

Diga sempre TINHA TRAZIDO, HAVIA TRAZIDO,


FOI TRAZIDO.
PRINCIPAIS DÚVIDAS E
DIFICULDADES SOBRE O ASSUNTO
 Coisas que o dinheiro não trás ou não traz?
A palavra TRÁS (com S e acento) indica um lugar posterior e sempre
vem acompanhada de uma preposição, geralmente DE ou PARA. Veja
estes exemplos de TRÁS (com S e acento):

“Saia e não olhe para trás.”


“Ela saiu de trás da porta.”
“A pasta estava no banco de trás.”

Por outro lado, TRAZ (com Z) é a forma conjugada do verbo


TRAZER. Veja alguns exemplos de TRAZ (com Z):

“Ele sempre TRAZ flores para a namorada.”


“Ele traz paz para minha alma.”
“Traz esse caderno aqui agora!”
PRINCIPAIS DÚVIDAS E
DIFICULDADES SOBRE O ASSUNTO
 Ele soa ou Ele sua?

Ele soa significa “ele produz som” (verbo soar).

O verbo suar mantém a vogal da raiz por toda a sua


conjugação: suo, suas, sua, suamos, suais, suam...
PRINCIPAIS DÚVIDAS E
DIFICULDADES SOBRE O ASSUNTO
 Obrigado ou Obrigada?

Obrigado(a) é a forma reduzida de Estou obrigado(a) a


você, ou seja, devo obrigação a você. Portanto, o
adjetivo (particípio do verbo obrigar) deve concordar em
gênero e número com o sujeito, de que é predicativo.
Assim, uma mulher dirá Obrigada. Se se tratar de vários
homens ou homens e mulheres, impõe-se o
plural Obrigados; se forem apenas mulheres, Obrigadas.
PRINCIPAIS DÚVIDAS E
DIFICULDADES SOBRE O ASSUNTO
 Que seje ou seja feliz?

O presente do subjuntivo de ser e estar é seja e esteja: 

Que seja feliz.

Que esteja (e nunca “esteje”) alerta.


PRINCIPAIS DÚVIDAS E DIFICULDADES
SOBRE O ASSUNTO
 PERCA ou PERDA?

PERDA é o substantivo: “Houve uma PERDA


irreparável.”

PERCA é verbo (presente do subjuntivo): “É preciso que


você PERCA três quilos.”
PRINCIPAIS DÚVIDAS E DIFICULDADES SOBRE O ASSUNTO
 Policiais não deteram os criminosos.
                  
O verbo DETER é derivado de TER, logo deve seguir sua conjugação. Se eles
TIVERAM, o correto é DETIVERAM.

 Foram chamados os que ainda não deporam na CPI.

Os derivados do verbo PÔR devem seguir sua conjugação. Se eles PUSERAM, o


correto é DEPUSERAM.

 O juiz já interviu no caso.

O verbo INTERVIR deve seguir a conjugação do verbo VIR. Se ele VEIO, “o juiz já
INTERVEIO no caso”. 

 Ele não tinha intervido no caso.

O particípio do verbo VIR é VINDO (igual ao gerúndio). O correto, portanto, é “Ele


não tinha INTERVINDO no caso”.
PRINCIPAIS DÚVIDAS E DIFICULDADES
SOBRE O ASSUNTO
 Ele REQUIS ou REQUEREU?
REQUERER não significa “querer de novo”. 

REQUERER é solicitar por meio de requerimento, dirigir


petição a uma autoridade ou pessoa em condições de
despachar o que é pedido.

Então, nem pense em conjugar o verbo REQUERER


como o verbo QUERER. 

Ouça com atenção:


“EU REQUEIRO”, e não eu requero.
“EU REQUERI”, e não eu requis. 
PRINCIPAIS DÚVIDAS E DIFICULDADES
SOBRE O ASSUNTO
 Eles OBTERAM ou OBTIVERAM?
 OBTER se conjuga como TER. 

Como dizemos "Eles TIVERAM", devemos dizer: "Eles OBTIVERAM".

Confira a conjugação do verbo TER e OBTER no pretérito perfeito, do


modo indicativo:
Eu tive.  Eu obtive.
Tu tiveste.  Tu obtiveste.
Ele teve.   Ele obteve.
Nós tivemos.  Nós obtivemos.
Vós tivestes.  Vós obtivestes.
Eles tiveram.  Eles obtiveram.

Verbos como manter, conter, reter e outros derivados de TER também


seguem esse modelo de conjugação: eles mantiveram, contiveram,
retiveram...
PRINCIPAIS DÚVIDAS E DIFICULDADES
SOBRE O ASSUNTO
 Eu VALHO ou VALO?

Invista num negócio que VALHA a pena.

Mesmo que aquelas terras VALHAM tudo isso, ninguém


tem tanto dinheiro.

Só 1 milhão? – disse o astro do filme. – Eu VALHO mais


que isso!”
PRINCIPAIS DÚVIDAS E DIFICULDADES
SOBRE O ASSUNTO
 VEM, VÊM ou VEEM?

A forma VEM (sem acento) é a 3ª pessoa do singular do verbo VIR (presente do


indicativo). Veja o exemplo:

“Ela já confirmou que VEM de metrô e vai chegar mais tarde.”

Já a forma VÊM, com acento circunflexo, também é do verbo VIR, só que da 3ª


pessoa do plural. Observe:

“Querido, papai e mamãe VÊM almoçar com a gente domingo!”

Por outro lado, VEEM, com dois ês, não é do verbo VIR, mas do verbo VER, e
se refere à 3ª pessoa do plural do presente do indicativo. Confira o exemplo:

“Acidentes acontecem ali porque os motoristas não VEEM a placa  encoberta


pela vegetação.”
PRINCIPAIS DÚVIDAS E DIFICULDADES
SOBRE O ASSUNTO
 Nós VIMOS ou VIEMOS à reunião?

A resposta é: depende. Sim, depende do tempo a que nos


referimos.

A forma VIMOS é do presente do indicativo. Por exemplo: 


“VIMOS, por meio desta, solicitar..." (o verbo VIR está na
1ª pessoa do plural, no presente do indicativo);

A forma VIEMOS é do pretérito, do passado. Exemplo:


"Ontem nós VIEMOS à reunião." (o verbo VIR está
também na 1ª pessoa do plural, mas desta vez no pretérito
perfeito do indicativo).
PRINCIPAIS DÚVIDAS E DIFICULDADES
SOBRE O ASSUNTO
 Queremos parabenizar ou queremos
parabenizarmos?

O certo é "queremos PARABENIZAR", sem flexionar o


verbo. E por quê? 

Em locuções verbais, usamos o infinitivo IMPESSOAL,


ou seja, aquela forma que não varia. Veja os exemplos:
“Eles podem SAIR”, e não "Eles podem saírem";
“Tu deves VIAJAR”, e não "Tu deves viajares".

O que varia, nas locuções, é o verbo auxiliar. 


PRINCIPAIS DÚVIDAS E DIFICULDADES
SOBRE O ASSUNTO
 PODER ou PODEREM?

"Os torcedores compraram passagens para PODER ver os jogos no


Brasil"? OU “...para PODEREM ver os jogos no Brasil"?

Sempre que o sujeito do infinitivo for o mesmo da primeira oração e


estiver oculto, não devemos flexionar o infinitivo:

Perceba que o sujeito do verbo PODER é "os torcedores", que está oculto.
Então, deixe no singular!

Outros exemplos:
“Os advogados foram chamados para assinar o contrato.”
“Os funcionários foram proibidos de fumar.”
“As meninas foram obrigadas a sair mais cedo.”
“Nós saímos para almoçar”.
PRINCIPAIS DÚVIDAS E DIFICULDADES
SOBRE O ASSUNTO
 Ele possue ou ele possui?

os verbos terminados em UIR, como possuir, excluir,


substituir, constituir e outros devem ser escritos com a
letra "i". Escreva, então, com "i":

Ele possui / exclui / substitui / inclui / constitui.


PRINCIPAIS DÚVIDAS E DIFICULDADES
SOBRE O ASSUNTO
 Tem ou têm?

 Maria TEM 20 anos.


 Maria e Carlos TÊM 20 anos.

 Cuidado com os verbos derivados do verbo TER como


MANTER, RETER, CONTER... Além de apresentar o acento
circunflexo na terceira pessoa do plural, eles ganham um acento
agudo na terceira pessoa do singular:

 Ele mantém/ eles mantêm.


Ele retém/ eles retêm.
Ele contém/ eles contêm.
PRINCIPAIS DÚVIDAS E
DIFICULDADES SOBRE O ASSUNTO
 TRUXE ou TROUXE ou TROUCE ou TROUSSE?
O certo é TROUXE.
Truxe, trouce e trousse não existem.
O pretérito perfeito do indicativo do verbo TRAZER é:
Eu trouxe, tu trouxeste, ele trouxe, nós trouxemos, vós
trouxestes, eles trouxeram.
Observação:
TRAZER é infinitivo: “Calou-se para não nos TRAZER
problemas.”
TROUXER é futuro do subjuntivo: “Se eu TROUXER,
quando ele TROUXER...”
PRINCIPAIS DÚVIDAS E DIFICULDADES
SOBRE O ASSUNTO
 Que eu ROBE ou ROUBE?
O certo é ROUBE.
O verbo é ROUBAR (=sempre com a vogal “u”).

 SABER ou SOUBER?
SABER é infinitivo: “Estude para você SABER mais.”
SOUBER é futuro do subjuntivo: “Se eu SOUBER...”,
“Quando você SOUBER...”
PRINCIPAIS DÚVIDAS E DIFICULDADES
SOBRE O ASSUNTO
 QUIZ ou QUIS?
O certo é QUIS.
Nas formas do verbo QUERER, o som “zê” é sempre
escrito com “s”: tu quiseste, ele quis, eles quiseram, se
eu quisesse, quando eu quiser...

Observação:
QUISER é futuro do subjuntivo: quando eu quiser, se eu
quiser...
QUERER é infinitivo: “Fez isso para eu querer sair.”
PRINCIPAIS DÚVIDAS E
DIFICULDADES SOBRE O ASSUNTO
 FAZEREM ou FIZEREM?

FAZEREM é infinitivo: “Houve uma ordem para eles


FAZEREM o teste.”

FIZEREM é futuro do subjuntivo: “Só poderão sair se


FIZEREM o teste.”
PRINCIPAIS DÚVIDAS E DIFICULDADES
SOBRE O ASSUNTO
 Ele INTERVIU ou INTERVEIO?
O certo é INTERVEIO.
O verbo INTERVIR, como todos os derivados do verbo VIR
(=ADVIR, CONVIR, PROVIR, SOBREVIR...), deve seguir o
verbo primitivo:

a) Ele VEM (singular = sem acento); eles VÊM (plural = com


acento);
b) Para os verbos derivados:
Ele INTERVÉM, PROVÉM, CONVÉM ... (singular = acento
agudo);
Eles INTERVÊM, PROVÊM, CONVÊM ... (plural = acento
circunflexo).
PRINCIPAIS DÚVIDAS E
DIFICULDADES SOBRE O ASSUNTO
 Se eu DIZER ou DISSER?
O certo é “se eu DISSER”.
Os verbos regulares não fazem diferença entre o infinitivo e o futuro do
subjuntivo:
“Ao ENTRAR em campo, o Flamengo foi aplaudido.” (=infinitivo)
“O Flamengo exigiu segurança para ENTRAR em campo.” (=infinitivo)
“Quando o Flamengo ENTRAR em campo, será aplaudido.” (=futuro do
subjuntivo)
“Se o Flamengo ENTRAR em campo, será aplaudido.” (=futuro do subjuntivo)
 
Os verbos irregulares fazem diferença:
“Ao SABER a verdade, começou a chorar.” (=infinitivo)
“Se SOUBER a verdade, começará a chorar.” (=futuro do subjuntivo)
“Ele veio até aqui para DIZER a verdade.” (=infinitivo)
“Quando ele DISSER a verdade, ninguém acreditará.” (=futuro do subjuntivo)
PRINCIPAIS DÚVIDAS E DIFICULDADES
SOBRE O ASSUNTO
 Eles CRÊM ou CRÊEM ou CREEM?

Segundo o novo acordo ortográfico certo é CREEM.


Os verbos CRER, DAR, LER e VER (=grupo CRÊ-DÊ-LÊ-VÊ)
são os únicos que fazem o hiato “-EEM” na 3 ª pessoa do plural:
 Ele crê            -            eles   CREEM

 Que ele dê      -            eles   DEEM

 Ele  lê              -            eles    LEEM

 Ele  vê             -           eles    VEEM

Os verbos derivados do grupo CRÊ-DÊ-LÊ-VÊ seguem esta


regra: eles descreem, releem, preveem...
PRINCIPAIS DÚVIDAS E
DIFICULDADES SOBRE O ASSUNTO
 Eu CAIBO ou CABO?
 
 O certo é CAIBO.
PRINCIPAIS DÚVIDAS E DIFICULDADES
SOBRE O ASSUNTO
 Eu ADIRO ou ADERO?
O certo é ADIRO.
 
 PRESENTE                  PRESENTE
DO INDICATIVO          DO SUBJUNTIVO
Eu   adiro                             que eu  adira
Tu   aderes                           tu  adiras
Ele  adere                             ele adira
Nós aderimos                       nós adiramos
Vós aderis                            vós adirais
Eles aderem                         eles adiram

Você também pode gostar