Você está na página 1de 15

EVOLUÇÃO ESTELAR

Ciclo de vida de uma estrela


Prof. Lucas
Quando olhamos para ao céu, conseguimos ver um
conjunto de pontos brilhantes. Nem todos são
estrelas pois também existem planetas e galáxias.

Os povos antigos dedicaram-se à


observação das estrelas, imaginando
linhas imaginárias a uni-las de modo a
formar determinadas configurações –
Constelações.

Estrela - enorme nuvem de gás a altíssimas temperaturas (milhões de graus)


que cria a sua própria energia através de reacções nucleares.
Como nasce uma estrela
Nebulosa: gigantesca nuvem de gás
(hidrogénio) e poeiras estelares em
turbilhão. Por vezes muito brilhantes,
são autênticas maternidades de Estrelas.

A força da gravidade, atraindo nova


matéria, origina esferas de gás cada vez
maiores, no centro das quais a
temperatura, a pressão e a densidade
vão aumentando.

É na fase de Proto-Estrela, quando são atingidos 10 milhões de


graus Celsius, que se iniciam as primeiras reacções nucleares: núcleos
de hidrogénio fundem entre si, libertando enormes quantidades de
energia,
e ...a Estrela nasce…..
“acende”
3.1 Produção de Energia nas Estrelas
A energia nas estrelas é produzida por fusão nuclear.
Quando a temperatura no núcleo da estrela atingir os 2 000 K inicia-se a
dissociação da molécula de hidrogénio em dois átomos de hidrogénio. Quando é
alcançada a temperatura de 107 K a fusão nuclear torna-se possível e os dois
protões fundem-se num deuterão.

Legenda
Protão
Neutrão
positrão (e+)
Neutrino ()
- gama

1H + 1H  2H +  + e+
Legenda O processo mais importante no início da vida
Protão
das estrelas é a fusão nuclear do hidrogénio para
Neutrão
positrão (e+)
formar hélio.
Neutrino ()
- gama

H + 2H  3He + 
1
Se a massa for suficiente, a pressão gravitacional exercida no núcleo da estrela e o
aumento da temperatura criam condições para que ocorra a fusão de núcleos mais
pesados. Ao atingir os 108 K inicia-se a combustão de três núcleos de hélio para
formar carbono e posteriormente a sucessiva combustão dos núcleos mais
pesados, oxigénio, néon, magnésio e silício.

4 4
2 He  2 He  42 He  12
6C

12
6 C  He  O  
4
2
16
8

16 4 20
8 O  2 He  10 Ne  

20
10 Ne  4
2 Ne  24
12 Mg 
3.2 Propriedades das Estrelas
Algumas características das estrelas, como por exemplo, a temperatura, brilho,
luminosidade, raio, massa e taxa de rotação, podem ser medidas através da
informação que se obtém da radiação electromagnética que elas emitem –
Espectro.

Cada estrela possui um espectro característico, como se fosse uma impressão


digital, e assim torna-se possível catalogá-las.
A cor de uma estrela corresponde à temperatura da sua superfície.

As estrelas mais frias são vermelhas, enquanto as estrelas azuis são as mais
quentes.
A luminosidade de uma estrela está relacionada com o seu tamanho. Isto é
quanto maior for o tamanho de uma estrela, dentro de uma gama de cor,
maior será a sua luminosidade.
Classificação espectral das estrelas

>45.000 K O Oh!

25.000 K B Be

10.000 K A A

Fine
8.000 K F
Girl,
6.000 K G
Kiss
4.000 K K
Me
3.000 K M
As classes de luminosidade estão relacionadas com a intensidade luminosa
intrínseca das estrelas.

Duas estrelas com uma temperatura idêntica emitem a mesma energia por unidade
de superfície mas, se uma delas for muito maior, a energia total emitida será
também muito maior.

Classe Nome
I supergigantes

Classificação das II gigantes luminosas


estrelas quanto a sua
III gigante
luminosidade
IV subgiantes

V anãs da sequencia
principal
VI subanãs

VII anãs brancas


3.3 O diagrama H-R e a evolução estelar
3.4 Ciclo de Vida das Estrelas
Nuvem de gás

Proto-estrela

Sequência Principal

Estrela estável (Sol,por exemplo)

Gigante Vermelha Massa entre 0,8 e Supergigante vermelha


10 vezes a do Sol

Gigantes

Nebulosa Planetária Supernova


Massa entre 10 a 25 vezes
a massa do Sol

Buraco Negro
Estrela de Neutrões
Anã Branca
3.5 Buracos Negros Estelares

Buraco negro – núcleos estelares extremamente densos que atraem


tudo, inclusive a própria luz.

Encontram-se no centro das galáxias e são formados por imensas


nuvens de gás ou por aglomerados de milhões de estrelas que
colapsaram sobre a sua própria gravidade no início do Universo
Filme: A Via-Láctea, Nascimento e
morte das estrelas

Menu principal