Você está na página 1de 18

UFCD4270 - Expressão Vocal e Instrumental

adora
m
For l Mota
e
Isab
VOZ

PRINCIPAL FORMA DE COMUNICAÇÃO;

REFLEXO DO ESTADO DE SAÚDE E EMOCIONAL;

FACTORES QUE CONDICIONAM A VOZ?

Ambientais Psicológicos/
emocionais
Poluição;
Uso de ar condicionado; Emoções fortes
Alterações de temperatura; (raiva, alegria, emoção);

Acústica do espaço / ruído;


VOZ = som SOM = vibrações

 O som é uma vibração do ar, que se propaga em forma de ondas. As


ondas sonoras podem ser representadas graficamente.

SONS AGUDOS
+ FREQUÊNCIA
VIBRATÓRIA

SONS GRAVES
- FREQUÊNCIA VIBRATÓRIA
 Simplificando o que são vibrações ?

Soprar numa garrafa faz agitar o ar.

Um elástico a vibrar faz som.

Régua evidencia que quando a vibração pára o


som também.
Fisiologia da voz

Produção de sons Ar expirado

Ar percorre um longo
percurso aparelho
fonador
CONSTITUÍÇÃO
APARELHO
FONADOR
APARELHO FONADOR
1. Traqueia
2. Laringe
3. Pregas Vocais
4. Faringe
5. Cavidade bucal
6. Cavidade nasal
7. Véu palatino
8. Maxilares (dentes)
9. Língua
10. Lábios
11. Palato duro
Formações Vocais
Respiração

Inspiração; Expiração;
Entrada de ar Saída de ar

• Para falar estamos sujeitos a uma elevada pressão de ar, que é


exercida pela sua passagem na laringe.

• Quando existe excesso de ar, o controlo da fala é dificultado,


produzindo sons desagradáveis que podem levar à rouquidão.
Respiração

• Deve exercer-se uma pressão abdominal (baixo – ventre : 4 dedos abaixo


do umbigo), seguindo-se uma leve descontracção.

• É nesta região que se concentra a atenção quando se deseja projectar


a voz.

• No momento de elevar a voz, não se deve levantar os braços antes de


soltar o grito ( o cinturão pélvico solta-se o grito cai na garganta).
Diafragma •Principal músculo responsável pelo processo da
respiração.

EXPIRAÇÃO INSPIRAÇÃO

Relaxamento do Contracção do
diafragma diafragma e
e dos dos
músculos músculos
intercostais; intercostais;
Leitura expressiva

•Na leitura expressiva é


necessário controlar a entrada
e saída do ar. Dosear o ar
conforme a extensão das
frases e fazer a inspiração de
acordo com a pontuação.
• Á medida que o ar acaba Leitura voz alta
deve aumentar-se a pressão da
musculatura abdominal. •Economizar o sopro na
expiração.

•Pontuação ajuda a
renova o ar.
Simplificando inspiração e expiração

Evidenciar que falamos com a expiração e que o som necessita de


ar para “viajar”.
Exercício do lobo mau – pronunciar “au” expirar/inspirar
Formações Vocais
Articulação
• Conjunto de movimentos que são coordenados por alguns órgãos
do aparelho fonador.

(unidades que distinguem


Produção de fonemas significados)
EXEMPLO
faca e vaca

Os fonemas são classificados em vogais, consoantes e semivogais.


Vogais - sons produzidos sem obstáculos para a passagem de ar
(passa livremente pela boca, oriundo do pulmão).
Sua emissão é independente de outro fonema, por isso constitui a base
da sílaba.

Consoantes - fonemas produzidos através da obstrução do ar,


precisam de uma vogal para ser emitidos.
Esses obstáculos podem ser totais ou parciais, a partir da posição da
língua e dos lábios.

Semivogais - Na língua escrita as semivogais são representadas pelo


"i" e "u", podendo em alguns casos serem representadas pelo "e" e
"o".
De acordo com a passagem do ar as consoantes são classificadas em
orais ou nasais. As consoantes nasais da língua portuguesa são três
(m, n, nh) todas as outras são orais.

EXERCÍCIO PARA ARTICULAÇÃO DE CONSOANTES – (ver ficha)


Formações Vocais
Vocalização e dicção
dicção
Acto ou efeito de vocalizar.
1. Maneira de dizer ou de pronunciar.
1. Realizar exercício de canto modelando a
2. Palavra, vocábulo.
voz sobre uma ou várias sílabas ou vogais.
Transformar consoantes em vogais.

VOZ AGUDA TENOR SOPRANO

VOZ MÉDIA BARÍTONO MEIO OU


Classificações vocais básicas MEZZO
SOPRANO

VOZ GRAVE BAIXO CONTRALTO


Formações Vocais

Afinação e boa sonoridade

• Para cantar é necessário


manter um som sem - EMOÇÕES
desafinar.
- POSTURA CORPORAL
Saber colocar a voz é
uma arte mas existem - ESPAÇO/TEMPERATURA
factores que o podem
influenciar: - RESPIRAÇÃO
Emissão da voz

EUFONIA DISFONIA

Sucessão Alterações na
harmoniosa de produção da
sons. voz.

Perturbações vocais
Perturbações vocais
São excessos vocais que podem causar vários problemas:

• Calos vocais (nódulos que se formam nas pregas vocais);

• Pólipos (evolução dos nódulos, obriga à cirurgia);

• Edemas, fendas, entre outras;

Concluindo:

É necessário conhecer bem a “anatomia vocal”, a produção da voz e o


funcionamento do aparelho fonador.
É de salientar que as pregas vocais são sensíveis e frágeis, para cuidar
melhor da voz é necessário preservá-la e protege-la.