Você está na página 1de 55

ACÇÃO DE FORMAÇÃO SOBRE O IRT

E SUAS IMPLICAÇÕES

O QUE SIGNIFICA O IRT?


IMPOSTO SOBRE O
RENDIMENTO DO TRABALHO
NOÇÃO

O imposto sobre os rendimentos do trabalho (IRT) foi aprovado pela Lei nº 18/14, de
22 Outubro e entrou em vigor a partir de 1 de Janeiro de 2015.
Lei nº 28/20:
Que altera o código IRT.
-Revoga a Lei nº 9/19, de 24 de Abril e a lei nº 28/19, de 25 de Setembro, leis que
alteram o código do IRT
O Imposto sobre os redimentos de trabalho, como o próprio nome indica, é um
imposto sobre os rendimento recebidos pelos trabalhadores por conta pr ópria ou por
conta de outrem.
Impostos sobre os rendimentos do trabalho: é um imposto sobre as remunerações
dos trabalhadores por conta de outrem ou por conta própria , expressos em dinheiro ou
em espécie, de natureza contratual ou não contratual.
contratual
O IMPOSTO SOBRE OS RENDIMENTOS DO TRABALHO
APRESENTA AS SEGUINTES CARACTERÍSTICAS:

Directo: incide sobre rendimentos dos trabalhadores.


Estadual: sujeito ativo é o Estado.
Periódico: é liquidado periodicamente, geralmente mensalmente.
Progressivo: a taxa aumenta à medida que aumenta a matéria colectável
relativamente aos trabalhadores por conta de outrem
Constituem rendimentos do trabalho todas
as remunerações recebidas a titulo de:

 Ordenados;
 O rendimentos comerciais e industrial;
 As remunerações pagas por partidos políticos e outras organizações de carácter político ou social;
 Rendimentos auferidos por pessoas singulares que prestem serviço militar nos órgãos de defesa e ordem
interna, mas apenas os resultantes desta actividade;
 Subsídio de renda de casa até 100% do valor de contrato de arrendamento;
 Subsidio de férias e de natal até 100% do salário;
 As compensações pagas por rescisão contratual ;
 Os abonos para falhas, até 100% do salário base;
 As gratificações de fim de carreira .
 Os rendimentos auferidos por cidadãos nacionais com + de 60 anos que derivem de trabalho por conta de
outrem;
Não sujeição
Não constituem matéria colectável do IRT

 As prestações sociais pagas pelo INSS, reconhecidas na Legislação de Segurança Social


(Subs. de Maternidade, Subs. Aleitamento, Subsídio de Funeral);
 O abono de família, pago pela entidade empregadora, até 5% do salário base;
 Às contribuições para à segurança social;
 Os subsídios atribuídos por lei aos cidadãos nacionais portadores de deficiências motoras, sensoriais e
mentais;
 Os subsídios de alimentação atribuídos a trabalhadores dependentes na até limite mensal de 30.000,00
 os subsídios transporte atribuídos a trabalhadores dependentes até ao limite mensal de 30.000,00;.
 Os subsídios diários de representação, de viagens ou deslocações e outras acima do limite estabelecido
para os funcionários públicos;
ISENÇÕES

Estão isentos do IRT:


Os rendimentos dos funcionários diplomáticos sempre que haja reciprocidade de tratamento;

Os rendimentos auferidos pelo pessoal ao serviço de ONG’s quando exista reconhecimento
prévio por escrito do Director Nacional de Impostos;
Os rendimentos auferidos pelos deficientes de guerra, com incapacidade igual ou superior a
50%, comprovada com documentação emitida por autoridade competente para o efeito;
Rendimentos por conta de outrem abaixo do limite de isenção definido na tabela do IRT;
O novo CIRT segmenta os rendimentos de trabalho em
grupos de tributação, nomeadamente, Grupo A, B e C

Grupo A :Rendimentos pagos por uma entidade patronal, incluindo


funcionários públicos.
Grupo B: Profissionais liberais

Grupo C: Actividade comercial e industrial


SUAS IMPLICAÇÕES

Estado para poder prestar os serviços de utilidade pública à comunidade como: saúde, educação,
assistência social, administração pública, defesa e ordem interna, criação de infra-estrutura que
possibilitam o desenvolvimento económico-social etc, vai realizar diversos gastos. Esses gastos
são chamados despesas públicas. Ex:

Despesas plurianuais :são despesas referentes aquisição de medicamentos;

Despesas anuais: são despesas de construção de uma escola:

Despesas efectivas: correspondem aquisição de bens e serviços;

Despesas não efectivas: para pagamento dos empréstimos contraídos pelo Estado;

Despesas de funcionamento: são as despesas necessárias ao normal funcionamento do Estado,


como pagamento de salários

Necessita de receitas que resultam dos impostos pagas pelos contribuintes segundo leis

estabelecidas .
Suas implicações (conti)

Para obter as receitas necessárias aos objectivos, a política fiscal pode ajustar as taxas de impostos
ou alterar as regras de determinação dos rendimentos colectáveis no caso dos impostos directos

Políticas fiscais – traduzem-se na criação de imposto cuja matéria colectável são os rendimentos
directos, apresentam geralmente taxas progressivas ou seja, rendimentos mais elevados, estão
sujeitas a taxas mais altas conduzidas a uma redução os rendimentos recebidos pelas famílias.

Os principias objectivos da política fiscal :


Obter receitas necessárias as despesas publicas;
Corrigir desigualdade na repartição dos rendimentos e garantir a todos, a possibilidade de
utilização de bens e serviço de natureza essencial.

A proposta de lei de alteração do código o IRT tem, entre outros objectivos como proteger as
famílias com rendimentos mais baixos.
Suas implicações (conti)

Para salários de 108.819,80 até 171.403,00 terão um acréscimo na ordem de 1.059,00


a 790,00 e salários de 217.178,60 até 330.417 terão uma diminuição na ordem
11.055,77 até 13.240.17 para os agentes MED

De acordo com o princípio de justiça social , segundo o qual os mais ricos devem
ajudar os mais pobres , os que menos impostos pagam serão os que maiores serviços
irão usufruir .
DETERMINAÇÃO DA MATÉRIA COLECTÁVEL

A matéria colectável é o valor sobre que incide a taxa, ou taxas do imposto para
efeitos de cálculo da colecta
Ex: Salário, Subsídio de férias e de natal, etc.
Grupo A - Trabalhadores por conta de outrem
A determinação da matéria colectável faz-se pelas deduções à retribuição global das
contribuições obrigatórias para segurança social:
1.As contribuições obrigatórias para segurança social;
2.Dedução das componentes remuneratórias não sujeitas ou isentas do imposto;
3.Aplicação da tabela do IRT
A Tabela Antiga do IRT

Rendimento em Kwanzas Imposto


Ate 34.450,00 Isento
De 34.451,00 até 35.000,00 Excesso de 34.450,00
De 35.001,00 até 40.000,00 Parcela fixa de 550,00+7% sobre o excesso de 35.000,00
De 40.001,00 até 45.000,00 Parcela fixa de 900,00 +8% sobre o excesso de 40.000,00
De 45001,00 até 50.000,00 Parcela fixa de 1.300,00+9% sobre o excesso de 45.000,00
De 50.001,00 até 70.000,00 Parcela fixa de 1.750,00+10% sobre o excesso de 50.000,00
De 70.001,00 até 90.000,00 Parcela fixa de 3.750,00+11% sobre o excesso de 70.000,00
De 90.001,00 até 110.000,00 Parcela fixa de 5.950,00+12 % sobre o execesso de 90.000,00
De 110.001,00 até 140.000.00 Parcela fixa de 8.350,00+13 % sobre o execesso de 110.000,00
De 140.001,00 até 170.000,00 Parcela fixa de 12.250,00+14% sobre o execesso de 140.000,00
De 170.001,00 até 200.000,00 Parcela fixa de 16.450,00+15% sobre o execesso de 170.000,00
De 200.001,00 até 230.000,00 Parcela fixa de 20.950,00+16% sobre o execesso de 200.000,00
Mais de 230.001,00 Parcela fixa de 25.750,00+17% sobre o execesso de 230.000,00
Nova Tabela de IRT

Nº   GRUPOS DE RENDIMENTOS

1º Escalão até   a 70.000,00 Isento

2º Escalão de 70.001,00 a 100.000,00 Parcela fixa de 3000,00 +10% sobre o excesso de 70.000,00

3º Escalão de 100.001,00 a 150.000,00 Parcela fixa de 6000,00+13% sobre o excesso de 100.000,00

4º Escalão de 150.001,00 a 200.000,00 Parcela fixa de 12.500,00 +16% sobre o excesso de 150.000,00

5º Escalão de 200.001,00 a 300.00,00 Parcela fixa de 31.250,00+18% sobre o excesso de 200.000,00

6º Escalão de 300.001,00 a 500.000,00 Parcela fixa de 49.250,00+19% sobre o excesso de 300.000,00

7º Escalão de 500.001,00 a 1.000.000,00 Parcela fixa de 87.250,00+20% sobre o excesso de 500.000,00

8º Escalão de 1.000.001,00 a 1.500.000,00 Parcela fixa de 187.250,00+21% sobre o excesso de 1000.000,00

9º Escalão de 1.500.001,00 a 2000.000,00 Parcela fixa de 292.250,00+22% sobre o excesso de 1500.000,00

10º Escalão de 2.000.001,00 a 2.500.000,00 Parcela fixa de 402.250,00+23% sobre o excesso de 2000.000,00

11º Escalão de 2.500.001,00 a 5000.000,00 Parcela fixa de 517.250,00+24% sobre o excesso de 2.500.000,00

12º Esclão de 5.000.001,00 a 10.000.000,00 Parcela fixa de 1.117.250,00+24,5% sobre o excesso de 5000.000,00

13º Escalão de 10.000.001,00 a   Parcela fixa de 2.342.250,00+25% sobre o excesso de 10.000.000,00


COMO SE CÁLCULA O IRT?

.1.Joaquim Adriano Prof. Do Ens. Prim. e Sec. do 6.º Grau, mensalmente


aufere as seguintes remunerações:

Vencimento base 238.391,00


Abonos  
Atavio (5%) sobre S/b
Dedicação exclusiva (5%) sobre s/b
Risco (5%) sobre s/b
Diuturnidade (3%) sobre s/b

a) Calcula o IRT e a remuneração mensal ( salário a pagar)?


Cálculo do IRT

S/B =238.391,60
Atavio = 238.391,60*0,05
A=11.919,60
Risco = 238.391,60*0,05
Determinação do sindicato
Risco =11.919,60 S=S/B *2%
D/exclusiva= 238.391,60*0,05 S=238.391,60*0,02
D/ Ex.=11.919,60 S=4.767,83
Diuturnidade=238.391,60*0,03
D =7.151,70
Determinação do Salário ilíquido
S/ ilíquido= S/B+ Subsídios(abonos)
= 238.391,60+35.758,8+7.151,70
S/ilq=281.302,1
Determinação da Segurança social
INNS= S/Iq*3%
INSS= 281.302,10*0,0
INSS3=8.439,10
Determinação da Matéria colectável

MC=S/Iq-INSS MC=S/Iq-INSS
MC=281.302,10-8.439,10 MC=281.302,10-8.439,10
MC=272,863 MC=272,863
Determinação do IRT
Com antiga tabela Com nova tabela
IRT= Parcela fixa +17%(Mc-Excesso de 230.000) IRT= Parcela fixa +%(Mc-Excesso de 200.000)
IRT=25.750,00+17%(272.863-230.000) IRT=31.250,00+18%(272.863-200.000)
IRT=25.750,00+0.17*42.863 IRT=31.250,00+0.18*72.863
IRT=25.750,00+7.286,71 IRT=31.250,00+13115,34
IRT=33.036,71 IRT=44.365,34
Determinação do Salário liquido Determinação do Salário liquido

S.L=S/I-Sindicato-INSS-IRT
S.L=281.302,10-4.767,83-8.439,1-33.036,71 S.L=S/I-Sindicato-INSS-IRT
S.L=S/I-
S.L=281.302,10 - 46.243,642 S.L=281.302,10-4.767,83-8.439,1-44.365,34
S.L=235.058,45
Determinação do IRT usando subsidio de férias

S/B =238.391,60
S/Férias =100%
Determinação do Salário ilíquido
S/ ilíquido= S/B+ Subsídios(abonos)
= 238.391,60+ 238.391,60
S/Iq=476.783,2
Determinação da Segurança social
INNS= S/Iq*3%
INSS= 238.391,60*0,03
INSS=7.151,74
Determinação da Matéria colectável
MC=S/Iq-INSS
MC=476.783,2-7.151,74
MC=469.631,46
Determinação do IRT

Com antiga tabela


com nova a tabela
IRT= Parcela fixa +%(Mc-Excesso de 230.000)
IRT=Parcela fixa +%(Mc-Excesso de 200.000)
IRT=25.750,00+17%(469.631,46-230.000)
IRT=31.250,00+18%(469.631,46-200.000)
IRT=25.750,00+0.17*239.631,46
IRT=25.750,00+40.737,34
IRT=31.250,00+0.18*269.631
IRT=66.487,34
IRT=31.250,00+48533,58
IRT=79.783,58
Determinação do Salário líquido
Determinação do Salário líquido
S.L=S/I-Sindicato-INSS-IRT
S.L= 476.783,2-4.767,83-7.151,74-66.487,34
S.L= 476.783,2- 78.406,91 S.L=S/I-Sindicato-INSS-IRT
S.L=398.376,29 S.L=476.783,2-4.767,83-7.151,74-79.783,58
S.L=476.783,2-91.703,15
SL= 385.080,05
Cálculo do IRT Com 13º Mês

S/Natal =100% S/B 238.391,60


Determinação do Salário ilíquido
S/ ilíquido= 238.391,60
Determinação da Matéria colectável
MC=238.391,60

Com antiga tabela Determinação do Salário líquido


IRT= Parcela fixa +%(Mc-Excesso de 230.000) S.L=S/I-IRT
IRT=25.750,00+17%(238.391,60-230.000)
S.L=238.391,60-27.176,57
S.L= 211.215,03/4
IRT=25.750,00+0.17*8.391,6 S.L=52.803,75
IRT=25.750,00+1.426,57
IRT=27.176,57 Salário a receber no mês agosto

S/R=S.L+Metade 13º
S/R= 235.058,20+52.803,75
S/R=287.861,95
COMO SE CÁLCULA O IRT?

2. Mateus Ngumbe Prof. Do Ens. Prim. e Sec. do 13.º Grau, mensalmente


aufere as seguintes remunerações:

Vencimento base 103.303,00


Abonos  
Atavio (5%) sobre s/b
Dedicação (5%) sobre s/b
exclusiva
Risco (5%) sobre s/b
Diuturnidade (3%) sobre s/b
a) Calcula o IRT e a remuneração mensal ( salário a pagar)?
Determinação do IRT

S/B =103.303,00
Atavio = 103.303,00*0,05=5.165,20
Risco = 103.303,00*0,05=5.165,20
Determinação do sindicato
D/exclusiva=103.303,00*0,05=5.165,20
S=S/B *2%
Diuturnidade=103.303,00*0,03=3.099,10
S=103.303,00*0,02
Determinação do Salário ilíquido
S=2.066,06
S/ ilíquido= S/B+ Subsídios(abonos)
= 103.303,00+3.099,10+15.495,6
S/ilq=121.897,7
Determinação da Segurança social
INNS= S/Iq*3%
INSS= 121.897,7*0,03
INSS= 3.656,93
Determinação da Matéria colectável

MC=S/Iq-INSS MC=S/Iq-INSS
MC= 121.897,7-3.656,93 MC= 121.897,7-3.656,93
MC =118.240,76 MC =118.240,77
Com antiga tabela Com nova tabela
IRT= Parcela fixa +12% (Mc-Excesso de 90.000) IRT= Parcela fixa +13% (Mc-Excesso de 100.000)
IRT=5.950+12%(118.240,76-90.000) IRT=6000+13% (118.240,7 7-100.000)
IRT=5.950+0.12*28.240,76 IRT=6000+0.13*18.240,77
IRT=5.950+3.388,89 IRT=6000+2.371,3
IRT=9.338,89 IRT=8.371,3
Determinação do Salário líquido Determinação do Salário líquido

S.L=S/I-Sindicato-INSS-IRT S.L=S/I-Sindicato-INSS-IRT

S.L= 121.897,7-2.066,06-3.656,93-9.338,89 S.L= 121.897,7-2.066,06-3.656,93-8.371,3


SL=122.897,7-15.061,8 S.L =121.897,7-14.094,29
S.L=107.835,9 S.L=107.803,41
Cálculo do IRT com subsídio de férias

Salário base
S/B =103.303,00
S/Férias =100%
Determinação do Salário ilíquido
S/ ilíquido= S/B+ Subsídios férias
=103.303,00 +103.303,00
S/Iq=206.606
Determinação da Segurança social
INNS= S/Iq*3%
INSS= 103.303,00*0,03
INN=3.099,09
Determinação da Matéria colectável
MC=S/Iq-INSS
MC=206.606-3.099,09
MC=203.506,91
Cálculo do IRT( cont)

Com antiga tabela Com nova tabela


IRT= Parcela fixa +%(Mc-Excesso de 90.000) IRT= Parcela fixa +13% (Mc-Excesso de 100.000)
IRT=6000+13% (203.506,91 -100.000)
IRT=5.950+12%(203.506,91-90.000)
IRT=6000+0.13*103.506,91
IRT=5.950+0,12*113.506,91
IRT=6000+13.455,89
IRT=5.950+13.620,8
IRT=19.455,8
IRT=19.570,8
Determinação do Salário líquido
Determinação do Salário liquido
S.L=S/I-Sindicato-INSS-IRT
S.L=S/I-Sindicato-INSS-IRT
S.L=206.606-2.066,06-3.099,09-19.570,8
S.L=206.606-24.735,95 S.L= 206.606-2.066,06-3.656,93-19.455,8
S.L=206.606-25.178,79
S.L=181.870,05 S.L=181.427,21
Recomendações

Evitar o consumismo: comportamento que leva ao consumo excessivo e sem critério por parte dos
consumidores, que consomem para além do necessário .
Orçamento familiar: conjunto de recursos recebidos pelas famílias para fazer face às sus despesas num
determinado período de tempo.

Estrutura do consumo: é a forma como as famílias gastam o seu rendimento ou seja como repartem esse
rendimento pelos diversos tipos de bens.

Planeamento econômico: coordenação de todos os recursos disponíveis . com vista a alcançar objetivos no
mais curto período de tempo e com o mínimo custo.

Poupança :A parte do rendimento disponível que não é gasta no consumo de bens e serviços

Entesouramento: é o próprio agente económico que fica na posse do valor da


poupança ou activo sujeito a não desvalorização. Ex: dinheiro, Jóias, ouro .

Poupança Deposito: os proporcionam um rendimento aos seus titulares, que é atribuído através
da aplicação da taxa de juro sobre o valor do deposito .

Investimento: conjunto de despesa efetuadas em bens produtivos. Ex: aquisição de


máquinas ou edifícios destinados a actividade produtiva
O meu muito obrigado
 Principio da não retroactividade
da lei: uma lei só deverá ser aplicada
a casos ocorridos após a sua entrada
em vigor.
Determinação do IRT
IRT= Parcela fixa +%(Mc-Excesso)
IRT=31.250,00+18%(290.837,56-200.000,00)

IRT=31.250,00+0.18*90.837,56
IRT=31.250,00+16.350,77
IRT=47.600,77
Determinação do Salário liquido

S.L=S/I-IRT+INSS+SINDICATO
S.L=297.989,3-47.600,77+7.151,74+4.767,83
S.L=297.989,3-59.520,34
SL= 238.468,9
Salário base
S/B =238.391,60
S/férias =100%
Determinação do Salário ilíquido
S/ ilíquido= S/B+ Subsídios(abonos)
= 238.391,60+ 238.391,60
S/Iq=476.783,2
Determinação da Segurança social
INNS= S/Iq*3%
INSS= 238.391,60*0,03
INSS=7.151,74
Determinação da Matéria colectável
MC=S/Iq-INSS
MC=476.783,2-7.151,74
MC=469.631,46
Determinação do IRT

IRT= Parcela fixa +%(Mc-Excesso)


IRT=31.250,00+18%(469.631,46-200.000,00)

IRT=31.250,00+0.18*269.631
IRT=31.250,00+48533,58
IRT=79.783,58

Determinação do Salário liquido

S.L=S/I-IRT+INSS+SINDICATO
Microempresas e indicadores de impacto(cont).

Assim de acordo com (Braga e Alves da Rocha, 2013) alguns


indicadores de impacto das microempresas:
Número das microempresas localizadas em vários sectores da actividade
económica;
Microempresas por tamanho, segundo volume anual de vendas;
 Rendimento médio por habitante das microempresas;
O crescimento potencial de números de microempresas activos;
Taxas de mortalidade das microempresas;
Facturamento médio das microempresas e empresas de pequeno e médio
porte;
Taxa de emprego por microempresa de pequeno porte;
Taxa de participação das microempresas no produto interno bruto (PIB)
regional na composição do produto interno bruto (PIB) nacional.
2.1.Caracterização do Município de Benguela.

O município de Benguela está localizado na região centro oeste de


Angola, estando limitado a Sul pelo município da Baía-Farta, a Norte
pelo município da Catumbela, a Oeste pelo Oceano Atlântico, a Leste
pelo município do Caimbambo e a noroeste pelo município do Bocoio.
(FAS,2012, p.8).
Administrativamente o município está dividido em 6 (seis) zonas
classificadas de A a F, integrando 74 bairros, 8 aldeias e 12 povoações.
A economia do município está muito baseada na prestação serviços,
tendo o comércio como o ramo mais predominante, correspondendo a
53% das empresas do sector económico do município, não incluindo o
sector informal. Por outro lado o sector produtivo tem muito pouca
expressão (FAS, 2012, p.13).
Tabela 2. Estimativa de Distribuição da
População por Ocupação.

Nº Indicador Pop. Absorvida (%)


1 Função pública 23,5
2 Produção agrícola 24,9
3 Venda de produtos alimentares 14,6
4 Venda de produtos não alimentares 14,1
5 Sector privado (não agrícola, formal) 9,3
6 Empresa estatal 8,1
7 Trabalhador não remunerado 5,8
8 Sector privado (não agrícola, informal) 5,5
9 Sector privado (agrícola) 5,0
10 Outros 4,6
11 Exército e Igreja 2,9
12 Criadores de Gado/pastores 1,0
13 Estudante /estagiário 0,8
Estimativa de Distribuição da
População por Ocupação(cont).

Para efeito de análise, buscou-se conhecer a parte da população


denominada de População em Idade Activa (PIA), que corresponde a
população com idade igual ou superior a 10 anos. Mais especificamente,
esta população, corresponde ao potencial de mão-de-obra que o
Município possui. Desta forma, da população existente, a Função
pública e Empresas estatais absorvem 31,6% da população em idade
activa. Nesta população, segundo se pode aferir da Tabela, uma
insignificante percentagem (18,0%) está enquadrada no sector produtivo
o que evidencia o facto de que a restante população se encontra numa
situação cuja ocupação não se enquadra em actividades produtivas.
Estimativa de Distribuição da
População por Ocupação(cont).

A Administração Municipal é o órgão responsável pela gestão do


Município, ao abrigo da Lei nº 1710 de 29 de Julho, a sua função é promover
e orientar o desenvolvimento económico e social e assegurar a prestação de
serviços públicos da respectiva área geográfica. Esta Lei prevê entre outras
competências gerais da Administração Municipal, o Plano e Orçamento, a
Coordenação Institucional, bem como a promoção e apoio às empresas e
actividades que fomentam o desenvolvimento económico do município,
conforme indicado a seguir:
Estimular o aumento da produção e da produtividade nas empresas de
produção de bens e de prestação de serviços a nível Municipal;
Promover e organizar feiras municipais;
Desenvolver programas de integração comunitária de combate à pobreza;
Licenciar, regulamentar e fiscalizar a actividade comercial retalhista e de
vendedores ambulantes;
Assegurar a manutenção, distribuição e gestão da água e electricidade na sua
área de jurisdição, podendo criar-se, para o efeito, empresas locais.
Gráfico 1. Emprego por sectores.
Gráfico 2. Evolução do pessoal ocupado
nas empresas de comércio e serviços.
2.2.Análises da situação das microempresas no
município de Benguela.
Tabela3. Quantidade de Mercados e Vendedores
do município.
Nome do mercado Mulheres Homens Total
1 Heróis de Moncada 60 96 156
2 Caponte 4.701 3.812 8.513
3 Navegantes 466 177 583
4 Lixeira 124 13 137
5 Aliwe 79 13 92
6 Kamaninga 41 7 48
7 Kalomanga 142 20 162
8 Tchingoma 72 11 83
9 Algodoeira 92 15 107
10 Kalohombo 122 28 150
11 Graça 121 11 132
12 Kalomburaco 148 10 158
13 Damba Maria B 114 14 128
14 Goa 48 9 57
Total 6.330 4.176 10.506
Gráfico 4. Trabalhadores empregados nas
fazendas agrícolas.
Gráfico 5. A percentagem dos membros das
~
cooperativas de acordo o sexo.
Gráfico 6. A percentagem dos associados de
acordo com o sexo.

 
Tabela 4. Embarcações da Pesca Artesanal.

Comunidade pescatoria Nº de embarcações Nº de pescadores

1. Praia da Damba Maria 49 161

2. Praia do Kawango 12 36
3. Praia do Kapiandalo 9 34

4. Praia do Quioche 115 415

5.Praia do Kasseque Marítimo 90 128

6. Praia da Caota 41 151


Gráfico7. Percentagem de estabelecimentos
comerciais no município de Benguela (2011)
Gráfico 8. Estabelecimentos comerciais de pequena e
média dimensão registados no município de Benguela
(em %, 2011).
Tabela 5-Força de trabalho no comércio informal.

Vendedores ambulantes Bancadas fixas Kinguilas

H M T H M T H M T

8.6 10.9 260 1.069 1.329 174 9 183


2 94 81
.
2
8
7
Gráfico 9. Vendedores ambulantes por sexo
registados na cidade de Benguela.
Gráfico 10. Força de trabalho nas bancadas fixas
por sexo na cidade de Benguela.
Gráfico 11. Percentagem dos Kinguilas de acordo
a sexo.
Outras actividades geradoras de
rendimentos e provedores de serviços

 Venda de carvão e lenha;


Engraxadores;
Pequenos Artífices;
Cooperativa das Mulheres empresárias;
Moto táxis (também conhecidos por Kaleluias) e
Serviço de camionagem.
Em resumo pode-se dizer os resultados apresentados no II capítulo
permitem conhecer as características das micro, pequenas e médias
empresas de comércio e indústria, pesca artesanal, agro-pecuario, e
serviços, explicitando sua participação na geração de postos de trabalho e
renda. Este segmento, pela sua importância, deveria contar com um
processo contínuo de acompanhamento de sua evolução e de suas
mudanças estruturais.Estas actividades continúa sendo muito importante
no seio das famílias, visto que cerca de 59% da população têm-na como
fonte de sustento e 11% como reforço da sua renda.
Outras actividades geradoras de
rendimentos e provedores de serviços(cont)

No ano de 2011 o número de estabelecimentos comerciais(MPME) no


municipio de Benguela cresceu 19% em relação ao ano de 2010. De 1.009
estabelecimentos comerciais licenciados em 2011 na província de Benguela, 53%
estão localizados no município de Benguela. Actualmente (2012) estão registados no
município 2433 estabelecimentos comerciais de pequena e média dimensão,
subdivididos pelo comércio a retalho (45%), comércio a grosso (15%), comércio
misto (9%), comércio geral (8%) e prestação de serviços mercantis (23%).
A situação por sector, a da indústria representa somente cerca de 8% do total das
empresas do sector económico existentes no município. Existe uma variedade de
indústrias artesanais, na sua maioria, estão ligadas ao ramo de alimentação (padarias
e similares, transformação de milho, etc), artesanato e confecções de roupa.
No entanto, dados da Direcção Provincial do MAPESS indicam que até ao ano
de 2010 estavam registadas no município, 88 fazendas agrícolas, empregando um
total 1.776 trabalhadores, das quais 32% com uma força de trabalho até 10
trabalhadores; 33% que empregavam entre 11 e 21 trabalhadores; 27% com 22 a 39
trabalhadores; 7% com 48 a 70 trabalhadores e (1%) com 132 trabalhadores .
CONCLUSÕES

A trajectoria feita aos meambros da presente abordagem e em função dos


objectivos préviamente elaborados permite concluir realçando os seguintes
aspectos:

Torna-se cada vez mais fundamental a produção de informações estatísticas


atualizadas sobre o segmento das micro, pequenas e médias empresas no municipio
de Benguela, de forma a possibilitar a definição dos instrumentos de política
econômica necessários à sua proteção e desenvolvimento.
A principal fonte de emprego no município é o sector empresarial, tendo o
comercio como ramo mais predominante, correspondendo a 53% das empresas do
sector económico, grande parte da população economicamente activa é composta
de indivíduos do sexo masculino.
A situação por sexo segundo Plano de Desenvolvimento Económico e Social
do Município de Benguela-2009-2013, em Benguela os pequenos negócios são
desenvolvidos principalmente por mulheres, adolescentes e jovens .
CONCLUSÕES

A do comércio é o sector mais importante da economia do município,


sendo o ramo do comércio informal que tem maior expressão. Os ramos do
comércio que têm crescido de forma acelerada são o da alimentação,
farmácia e material de construção.
A pesca artesanal no município é considerada uma actividade de
subsistência, a sua prática está concentrada no litoral das Zonas B, E e F.
O sector agrícola do município, que no passado tinha um peso
significativo na economia local, tem estado a decair de ano para ano devido,
de entre outros factores, à expansão urbana, insuficiência de apoio à
agricultura e escassez de água.
Não existem dados actualizados sobre as pequenas, médias e grandes
empresas agrícolas existentes no município.
RECOMENDAÇÕES


Há necessidade de uma política adequado destinada as microempresas.No que
tange ao Estado, deve-se facilitar a garantia de crédito, proporcionar uma redução
tributária e oferecer meios e cursos que proporcionem uma melhor qualificação
dos empreendedores(exemplo-clese).
 Avaliar o desempenho das micro, pequenas e medias empresas e viabilizar
políticas eficazes para o fomento de suas atividades e de maior integração junto às
médias e grandes empresas.
 Recomenda-se a adopção de um amplo programa de simplificação de práticas
administrativas, de regulamentação e de facilitação do acesso aos mercados e a
novas oportunidades de negócios, bem como de formalização de parcerias visando
o desenvolvimento de novos produtos e serviços em geral.
 simplificar e desburocratizar os serviços de constituição e licenciamento de
micro e pequenas empresas, de modo a transformar as actividades económicas
informais em actos de comércio formais.
RECOMENDAÇÕES

 Integração das medidas a adoptar, num conjunto coerente e eficaz que


permita alcançar os objectivos de fomento das MPME;

 Disponibilização de programas dirigidos ao financiamento das


MPME através de linhas de crédito com juros bonificados, a serem
disponibilizadas pelas instituições financeiras bancárias.

 O executivo deve estruturar programas de incentivos fiscais,


financeiros e organizacionais específicos para mulheres e jovens,
incluindo cursos de formação e/ou superação profissional com o
envolvimento das associações empresariais e/ou profissionais
nacionais reconhecidas.
Muito obrigado pela atenção dispensada.

JOSÉ M. SIMBA LUCANGO

Você também pode gostar