Você está na página 1de 34

O Verbo: classe, tempo e modo.

Mafalda Sofia Carvalho


Coimbra - 2008
Conteúdos

Classe de palavras – o verbo


Valor semântico das palavras
Modo Indicativo – Imperfeito e Mais-que-
perfeito
Modo Condicional
Objectivos Competências Níveis de desempenho
Descobrir aspectos fundamentais da Desenvolvimento da Desenvolvimento da
estrutura e do funcionamento da Língua consciência linguística com consciência linguística com
a partir de situações de uso. objectivos instrumentais objectivos instrumentais
•Identificar o verbo. Capacidade de usar o Identificar classes de
• Identificar as classes semânticas de conhecimento da língua palavras.
alguns verbos, de acordo com o como instrumento na Reconhecer diferentes
contexto em que se inserem. aprendizagem da leitura e valores semânticos.
• Extrair informação pertinente da da escrita Usar e consultar
consulta de artigos sobre verbos dicionário.
retirados de um dicionário. Sistematizar
Conhecimento de
• Classificar verbos segundo a conhecimentos relativos à
paradigmas flexionais e de
conjugação a que pertencem. regras gramaticais básicas conjugação de verbos
• Distinguir formas verbais (tempos, regulares (tempos simples
modos e formas nominais estudadas) do Pretérito Perfeito,
•Verificar a sequência de um texto: Imperfeito e Mais-que-
ordenar frases desordenadas; perfeito do Modo Indicativo;
Modo Condicional;
Descrição

Partindo de um texto retirado da Fada Oriana de Sophia de


Mello Breyner Andresen que os alunos se encontram a
trabalhar na aula procurou-se trabalhar o verbo enquanto
palavra rainha da frase e os tempos verbais do Pretérito do
Indicativo e o Modo Condicional.
A escolha do conteúdo foi feita para ir de encontro às
necessidades da turma, visto que a professora já tinha
detectado dificuldades neste capítulo e havia iniciado já um
trabalho de sistematização e consolidação de conhecimentos.
E Oriana, ouvindo-a, sorriu. A velha comeu, bebeu e no fim suspirou.
- Agora tenho de ir ao meu trabalho. O trabalho da velha era apanhar ramos secos que depois ia vender à cidade. E
todas as manhãs Oriana a ajudava a apanhar os ramos e todas as manhãs a guiava até à cidade, pois a velha via
muito mal e o caminho que ia da floresta para a cidade passava ao lado de grandes abismos, onde a velha poderia
cair se a fada não a guiasse. E assim nessa manhã de Abril, Oriana e a velha foram as duas pela estrada fora, a velha
toda curvada, encostada a um pau, e Oriana voando no ar como uma borboleta. E sem que a velha a visse, a fada
segurava o feixe de lenha para que ele pesasse menos sobre as costas dobradas. Quando chegaram à cidade, a
velha foi de porta em porta vender a lenha e Oriana voou para cima de um telhado, onde se sentou a ver a cidade, à
espera da sua amiga. Enquanto esperava, começou a conversar com as andorinhas:
- Os países distantes são maravilhosos - diziam as andorinhas.
- Contem, contem - pediu Oriana.
- O rei do Sião tem um palácio com um telhado de oiro e na China há torres de porcelana - disse uma andorinha.
- Na Oceânia há ilhas de coral cobertas de relva e palmeiras.
E nessas ilhas as pessoas vestem-se com flores e são todas bonitas, boas e felizes - disse outra andorinha.
- Os cangurus têm uma algibeira para guardar os filhos e o rei do Tibete sabe ler o pensamento de todos os homens -
disse outra andorinha.
- Que maravilha! Contem tudo - pediu Oriana.
- Não se pode contar tudo - responderam as andorinhas. – As maravilhas do mundo são tantas, tantas! Mas vem
connosco, Oriana. Quando vier o Outono nós partimos. Tu também tens duas asas. Vem connosco.
Mas Oriana olhou o vasto céu redondo e transparente, suspirou e respondeu:
-Não posso ir. Os homens, os animais e as plantas da floresta precisam de mim.
- Mas tu tens duas asas, Oriana. (…)Podes ir ao outro lado do Mundo. Imagina como seria bom se viesses. Podias voar
muito alto, por cima das nuvens, ou podias voar rente ao mar azul. (…) Mas Oriana, olhando o alto céu e as nuvens
vagabundas, suspirou e disse:
-Imagino o que seria da velha sem mim quando ela acordasse numa manhã fria de Inverno e não encontrasse nem o
pão nem o leite.
-Vem connosco, Oriana - tornaram a pedir as andorinhas.
- Eu prometi tomar conta da floresta - respondeu a fada - e uma promessa é uma coisa muito importante.
Então as andorinhas fitaram-na com olhos pretos duros e brilhantes, e com um ar severo disseram:
- Oriana, não mereces ter asas. Tu não amas o espaço e desprezas a liberdade.
Oriana baixou a cabeça e respondeu:
- Eu fiz uma promessa.
 
haver v. tr. 1. ter; possuir; 2. obter; conseguir; 3. considerar; julgar ; v. intr. 1. existir; 2. acontecer; passar-se;
decorrer; v. refl. 1. portar-se; 2. proceder; 3. arranjar-se; s. m. 1. crédito (na escrituração comercial); 2. plural bens;
fortuna; haver às mãos alcançar; possuir; haver de ser obrigado a; ver-se na necessidade de; ter fatalmente de; haver
mister ter necessidade; haver por bem dignar-se; por bem fazer, mal haver ser pago com ingratidão; ter a haver ter a
receber; (Do lat. habére, «ter; haver»)
ficar v. tr. e intr. 1. não sair de um lugar; conservar-se no mesmo lugar; permanecer; 2. estar situado; ocupar
determinado lugar; 3. passar um determinado período de tempo; pernoitar; 4. permanecer em determinado ponto ou
valor; não passar de; 5. transformar-se; 6. tornar-se; estar; 7. restar; sobrar; sobejar; 8. resultar; 9. parar; deter-se;
10. responsabilizar; 11. afiançar; prometer; v. refl. 1. parar de repente; quedar-se; 2. permanecer; 3. desistir; 4. não
reagir; calar; 5. falecer; 6. não comprar mais cartas (em certos jogos); ficar a apitar não conseguir o que se deseja;
ficar à divina ficar sem nada; ficar com apoderar-se de; manter-se em companhia de; herdar; adquirir; ficar de boca
aberta ficar pasmado; ficar de cara à banda, ficar de nariz torcido ficar despeitado; ficar de orelha murcha ficar
decepcionado; ficar nas lonas ficar sem nada; (Do lat. vulg. *figiccáre, freq. de figère, «fixar»).
imaginar v. tr. 1. representar ou conceber na imaginação; idear; 2. conjecturar; supor; 3. ter determinada opinião
ou concepção (pouco fundamentada) acerca de; 4. acreditar em (erro de julgamento ou percepção); crer; 5. inventar;
criar; 6. cismar; v. refl. julgar-se; supor-se; (Do lat. imagináre, «id.»)
olhar v. tr. 1. fixar os olhos em; observar; mirar; 2. fazer por ver; 3. estar voltado para; encarar; 4. pesquisar;
examinar; 5. considerar; contemplar; ponderar; 6. reparar em; 7. velar; vigiar; v. intr. 1. dirigir a vista; 2. estar na
direcção (de); 3. atender; considerar; 4. ocupar-se (de); 5. importar-se; 6. dispensar benevolência; v. refl. mirar-se; s.
m. 1. aspecto dos olhos; 2. acto de fixar os olhos em; 3. modo de fixar os olhos em; 4. olhado; olhar como boi para
palácio não dar apreço; não perceber nada; olhar para a frente pensar no futuro; olhar por cuidar de; proteger; não
olhar para trás não hesitar; olhe! exclamação que serve para chamar a atenção; (Do lat. *adoculáre, de ad+oculáre,
«dar vista a; esclarecer»).
suspirar v. intr. 1. dar suspiros; 2. figurado soprar brandamente; sussurrar; 3. figurado ter saudade de alguém ou
de algo; v. tr. 1. exprimir por meio de suspiros; 2. figurado desejar; 3. figurado sentir saudade de; suspirar por
desejar ardentemente; ambicionar; (Do lat. suspiráre, «suspirar»)
dizer v.tr. 1. exprimir por palavras, por escrito ou por sinais; 2. expor; afirmar; declarar; 3. proferir; 4. garantir;
assegurar; 5. recitar; declamar; 6. aconselhar; 7. ordenar; 8. celebrar (missa); v. intr. 1. condizer; combinar; 2. falar
sobre; 3. fazer alegações; 4. interessar; v. refl. 1. intitular-se; chamar-se; 2. considerar-se; s. m. maneira de
exprimir; dizer adeus despedir-se; dizer consigo/com os seus botões falar a sós; dizer respeito a ser relativo a; Do
lat. dicère, «dizer»)
1.Atenta nas palavras destacadas nos dois primeiros parágrafos do texto e:

1.1 Identifica a sua classe. Verbos


 
Recorda: Os verbos são as palavras que exprimem a acção, as qualidades ou os
estados, situando-os no tempo.
2. Lê as frases: 2.1 Reescreve as frases retirando o verbo.

Frase 1: ” Eu fiz uma promessa”.


Frase 2 : “O rei do Sião tem um Frase 1: Eu uma promessa.
palácio.”
Frase 2: O rei do Sião um palácio.

Conclui: O verbo é a palavra que assegura a ligação entre o sujeito e os seus complementos.

2.1 Quantas formas verbais tem cada frase? Uma


2.2 Que nome dás às frases que possuem só uma forma verbal? Frase simples.

Recorda: quando as frases possuem apenas uma forma verbal são frases simples.
 1.2 Selecciona as formas verbais presentes no excerto seguinte e preenche a coluna A

 “ No meio do grande Oceano há ilhas pequeninas com praias de areia branca e fina. Ali,
nas noites de luar, tudo fica azul, parado e prateado. Imagina estas coisas, Oriana. Mas
Oriana, olhando o alto céu e as nuvens vagabundas, suspirou e disse:”

Coluna A Coluna B
Há Haver
Fica Ficar
Imagina Imaginar
Olhando Olhar
Suspirou Suspirar
Disse Disser
 
 1.3 Preenche a coluna B com os verbos (Infinitivo Impessoal) das formas verbais
1.4 Consulta o doc. B e compara o uso dos verbos no excerto anterior com
os exemplos fornecidos no dicionário.
  
Sentido do verbo no excerto Outros sentidos possíveis
 
 
 
  haver - existir haver -ter; possuir; obter; conseguir;
considerar; julgar; acontecer; passar-se;
  decorrer.
 
ficar - transformar-se, estar. ficar - não sair de um lugar; conservar-se
  no mesmo lugar; permanecer; estar situado;
  ocupar determinado lugar; passar um
determinado período de tempo; pernoitar;
  permanecer em determinado ponto ou valor;
  não passar de; restar; sobrar; sobejar.
  imaginar -representar ou Imaginar- conjecturar; supor; ter
 
conceber na imaginação; determinada opinião ou concepção (pouco
  fundamentada) acerca de; acreditar em (erro
idear. de julgamento ou percepção); crer; inventar;
  criar; cismar;
 
Sentido do verbo no excerto Outros sentidos possíveis

olhar -fixar os olhos em; observar; olhar - estar voltado para; encarar; pesquisar;
examinar; considerar; contemplar; ponderar; reparar
mirar; em; velar; vigiar; dirigir a vista; estar na direcção
(de); atender; considerar; ocupar-se; aspecto dos
olhos; acto de fixar os olhos em; modo de fixar os
olhos em.

suspirar - dar suspiros; suspirar -figurado soprar brandamente; sussurrar;


figurado ter saudade de alguém ou de algo; exprimir
por meio de suspiros; figurado desejar; figurado
sentir saudade de; suspirar por desejar
ardentemente; ambicionar.

dizer - exprimir por palavras, dizer - proferir; garantir; assegurar; recitar;


declamar; aconselhar; ordenar; celebrar (missa);
expor; afirmar; declarar. condizer; combinar; falar sobre; fazer alegações;
interessar; intitular-se; chamar-se; considerar-se;
maneira de exprimir;

Concluindo: Em diferentes contextos, o verbo pode adquirir


diferentes significados. Ou seja, o seu valor semântico é alterado.
1. Atenta na frase seguinte:
“Oriana e a velha caminhavam pela estrada fora”.
1.1 Observa a frase reescrita onde o grupo nominal foi substituído por pronomes pessoais e identifica a
pessoa e o número usado em cada uma delas, conforme o exemplo:

  Elas caminhavam pela estrada fora. 3ª do Plural

  Eu caminhava pela estrada fora 1ª do Singular

  Tu caminhavas pela estrada fora.


2ª do Singular
Nós caminhávamos pela estrada fora. 1ª do Plural

1.2 Sabendo que os verbos flexionam em três pessoas (no singular e no plural), reescreve a frase
identificando as que faltam.

Frase Pessoa
Ela caminhava pela estrada fora. 3ª do singular

Vós caminháveis pela estrada fora. 2ª do plural


1.3 Reescreve as mesmas frases nos tempos pedidos do modo Indicativo .

Presente Futuro
Eu caminho Eu caminharei

Tu caminhas Tu caminharás

Ele caminhará
Ele caminha
Nós caminhamos Nós caminharemos

Vós caminhais Vós caminhareis

Eles caminham Eles caminharão

Dos exercícios anteriores podemos concluir que o verbo é uma


classe de palavras que flexiona em
Pessoa ,em
Número ,em
Tempo
eModo
em .
1. Lê com muita atenção as frases seguintes:
 
Frase1: “ Quando chegaram à cidade.”
 
Frase 2: “A velha via muito mal.”
 
Frase 3: “Oriana ajudava a velha.”

1.1 Repara que as formas verbais apesar de estarem todas no pretérito do Indicativo,
transmitem uma informação diferente. Assim, completa as frases seguintes: 

a) A forma verbal da frase refere-se


1 a uma acção acabada que decorreu
antes do momento em que se fala.

a) ) A forma verbal das frases e2 3referem-se a uma acção inacabada


que decorreu antes do momento em que se fala.
3 . Completa as frases com as formas verbais do Pretérito Perfeito e Imperfeito do Indicativo.

Os cangurus carregavam os filhos na algibeira. (carregar, Pret. Imperfeito)

A velha vendiam a lenha de porta em porta. (vender, Pret. Imperfeito)


-Vem connosco, Oriana - disseram as andorinhas. (disser, Pret. Perfeito)

As pessoas usavam flores para se enfeitar. (usar, Pret. Imperfeito)

Oriana e a velha caminharam pela estrada fora. (caminhar, Pret. Perfeito)

Oriana olhou o vasto céu redondo e transparente. (olhar, Pret. Perfeito)

Oriana esperava pela velha em cima do telhado. (esperar, Pret. Imperfeito)

Concluiu-se que o Pretérito Perfeito do Indicativo se usa para falar sobre uma acção que aconteceu
no passado e que foi concluída e o Pretérito Imperfeito se usa para falar sobre uma acção que
decorreu também no passado, mas que não foi concluída.
  
4. Completa o quadro com as formas verbais do Modo Indicativo destacadas no texto de acordo com o
exemplo.

Formas Verbais Infinitivo Tempo Conjugação Vogal


Impessoal Temática

sorriu sorrir Pretérito Perfeito 3ª i

bebeu Pretérito Perfeito


beber 2ª a
guiava
guiar Pretérito Imperfeito 1ª a
passava a
passar Pretérito Imperfeito 1ª
via
ver Pretérito Imperfeito 2ª e
chegaram
chegar Pretérito Perfeito 1ª a
Voou Pretérito Perfeito
voar 1ª a
Podemos concluir que:

a) Na língua portuguesa, os verbos estão distribuídos por 3 conjugações.

b) A primeira conjugação tem como vogal temática, ou tema, o a ; a segunda o e ea


terceira o i .

c) Para encontrar a vogal temática retira-se o r ao infinitivo impessoal dos verbos.

d) O Pretérito Imperfeito do Indicativo tem a desinência (ou terminação) em ia e ava


em .
5. As frases seguintes estão no Pretérito Perfeito do Indicativo. Reescreve-as colocando-as
no Pretérito Imperfeito:

a) A velha comeu, bebeu e suspirou.


A velha comia, bebia e suspirava.
a) Ela imaginou o céu cheio de nuvens.
Ela imaginava o céu cheio de nuvens.
b) Chegou o Outono e nós partimos.
Chegava o Outono e nós partíamos.
c) Oriana baixou a cabeça e respondeu.
Oriana baixava a cabeça e respondia.
d) Eu prometi tomar conta da floresta.
Eu prometia tomar conta da floresta.
e) Os homens, os animais e as plantas da floresta precisaram de mim.
Os homens, os animais e as plantas da floresta precisavam de mim.
f) As andorinhas fitaram-na com olhos pretos duros e brilhantes.
As andorinha fitavam-na com olhos pretos duros e brilhantes.
6. Reescreve o texto seguinte, colocando os verbos destacados no Pretérito
Perfeito e Imperfeito do Indicativo

E daí em diante Oriana fica a morar na floresta. De noite dorme dentro do


tronco de um carvalho. De manhã acorda muito cedo, acorda ainda antes das
flores e dos pássaros. O seu relógio era o primeiro raio de sol. Porque tinha
muito que fazer. Na floresta todos precisam dela. Ela previne os coelhos e os
veados da chegada dos caçadores. Ela rega as flores com orvalho. Ela que
toma conta dos onze filhos do moleiro.

R: E daí em diante Oriana ficou a morar na floresta. De noite dormia dentro


do tronco de um carvalho. De manhã acordava muito cedo, acordava ainda
antes das flores e dos pássaros. O seu relógio era o primeiro raio de sol.
Porque tinha muito que fazer. Na floresta todos precisavam dela. Ela prevenia
os coelhos e os veados da chegada dos caçadores. Ela regava as flores com
orvalho. Ela que tomava conta dos onze filhos do moleiro.
7. Lê e analisa a frase: “ A fada encontrou a andorinha que conhecera na cidade.”

7.1 A forma verbal “encontrou” está escrita em que tempo verbal?


R: A forma verbal está escrita no Pretérito Perfeito do Indicativo.
 
E a forma verbal “ conhecera”? Consegues identificar o seu tempo verbal? Não? Então lê com
atenção a explicação seguinte:

No tempo do pretérito, ainda que todas as formas verbais indiquem acções passadas,
existem diferenças que permitem considerar os seguintes tempos:
 
Pretérito Perfeito – a acção é anterior ao momento em que se fala e está acabada.

Pretérito Imperfeito – a acção é anterior ao momento em que se fala, mas não está acabada e
prolonga-se no tempo.

Pretérito Mais-que-perfeito - a acção a que se refere a forma verbal é anterior a outra já


passada.

7.2 Após a informação anterior, concluis que a forma verbal “conhecera”se encontra no Pretérito
.
Mais-que-prefeito aporque
fada encontrou a andorinha que já tinha conhecido antes.
Observa a tabela seguinte verbos da três conjugações, conjugados no Pretérito
Mais-que-perfeito:

Verbo: Acordar Verbo: Conhecer Verbo: Dormir


 
Pretérito Mais-que- Pretérito Mais-que- Pretérito Mais-que-
perfeito do Indicativo perfeito do Indicativo perfeito do Indicativo

Eu acordara Eu conhecera Eu dormira


Tu acordaras Tu conheceras Tu dormiras
Ele acordara Ele conhecera Ele dormira
Nós acordáramos Nós conhecêramos Nós dormíramos
Vós acordáreis Vós conhecêreis Vós dormireis
Eles acordaram Eles conheceram Eles dormiram

Concluindo: os verbos regulares conjugados no Pretérito Mais-


que-perfeito tem a terminação em ra .
8. Lê a seguinte frase
“ E Oriana, ouvindo-a, sorriu. A velha comeu, bebeu e no fim suspirou.”

8.1 Na frase anterior tens verbos das três conjugações. Escolhe um de cada e conjuga-os.

Verbo: Ouvir Verbo: Comer Verbo: Suspirar


Pretérito Mais-que-perfeito Pretérito Mais-que-perfeito Pretérito Mais-que-perfeito

Eu ouvira Eu comera Eu suspirara


Tu ouviras Tu comeras Tu suspiraras
Ele ouvira Ele comera Ele suspirara
Nós ouvíramos Nós comêramos Nós suspiráramos
Vós ouvíreis Vós comêreis Vós suspiráreis
Eles ouviram Eles comeram Eles suspiraram
9. Ordena as palavras seguintes de modo a formares frases.
 
Frase 1: comera que a Oriana tinha A velha todo trazido o pão.
A velha comera todo o pão que Oriana tinha trazido.
 
Frase 2: lamentos no já anterior da Oriana ouvira da dia velha os.
Oriana já ouvira os lamentos da velha no dia anterior.
 
10. Escreve duas frases em que utilizes os verbos que conjugaste na Questão 2.1.
 
Frase 1: Eu já ouvira falar daquele assunto antes.
 
Frase 2 : A mãe comera o bolo que a filha tinha feito.
 
 
Concluindo: o Pretérito Mais-que-perfeito do modo Indicativo utiliza-se quando
nos estamos a referir a um facto passado mas que ocorreu antes de outro.
11. Identifica os pretéritos do Indicativo de cada uma das formas verbais das frases

abaixo:

Frase Tempo verbal


A velha comia o pão. Pret. Imperfeito
Oriana ajudava a velha. Pret. Imperfeito
Oriana prometera à Rainha que tomaria conta Pret. Mais-que-
da floresta. perfeito

As andorinhas fitaram Oriana com olhos pretos. Pret. Perfeito


Eu prometi tomar conta da floresta . Pret. Perfeito
Pret. Mais-que-
Oriana regressara à cidade para ajudar a velha. perfeito
1.Lê com atenção a frase seguinte:
 
“ … onde a velha cairia se a fada não a guiasse.”
 1.1 Em que circunstância é que a velha cairia no precipício?
R: A velha cairia se a Oriana não a ajudasse.
 
Concluindo: impõe-se como condição para que a velha não caia que a
Oriana a guie.
Quando se pretende falar de uma acção que está dependente de uma
condição utiliza-se o Modo Condicional.
 
Recorda: os modos são as formas que os verbos tomam para indicar a
maneira como a pessoa que fala encara a realização da acção.
Enquanto o Indicativo representa uma acção como real, transmite uma
ideia de certeza, o Condicional – expressa a acção como dependente de
uma condição.
Tanto o Modo Indicativo como o Condicional são formas verbais finitas
porque se conjugam em todas as pessoas.
2. Observa a tabela seguinte verbos da três conjugações, conjugados no Condicional:

Verbo: Guiar Verbo: Conhecer Verbo: Cair


Modo Condicional Modo Condicional Modo Condicional
Eu guiaria Eu conheceria Eu cairia
Tu guiarias Tu conhecerias
Concluindo: os verbos regulares conjugados no Modo Condicional têm a terminação em .
Tu cairias
Ele guiaria Ele conheceria Ele cairia
Nós guiaríamos Nós conheceríamos Nós cairíamos
Vós guiaríeis Vós conheceríeis Vós cairíeis
Eles guiariam Eles conheceriam Eles cairiam

Concluindo: os verbos regulares conjugados no Pretérito Mais-que-perfeito tem a


terminação em ia
ra.
Vamos conjugar:
3. Utilizando novamente a frase seguinte, escolhe um verbo de cada conjugação e
conjuga-os.
“ E Oriana, ouvindo-a, sorriu. A velha comeu, bebeu e no fim suspirou.”

Verbo: suspirara Verbo: beber Verbo: ouvir


Condicional Condicional Condicional

Eu suspiraria Eu beberia Eu ouviria


Tu suspirarias Tu beberias Tu ouvirias
Ele suspiraria Ele beberia Ele ouviria
Nós suspiraríamos Nós beberíamos Nós ouviríamos
Vós suspiraríeis Vós beberíeis Vós ouviríeis
Eles suspirariam Eles beberiam Eles ouviriam
4. Das frases seguintes, selecciona com um X as que se encontram no Modo Condicional.

As andorinhas disseram a Oriana que gostariam de falar com ela quando X


ela pudesse.
Podes ir ao outro lado do Mundo.

Mas tu tens duas asas.

Oriana iria, mas não pode. X


Onde se sentou a ver a cidade

O trabalho da velha era apanhar ramos secos.

Se pudesse voaria convosco. X

2.1 Justifica as tuas escolhas: nas três frases a acção é apresentada


como estando dependente de uma condição.
5.Ordena as palavras seguintes de modo a formares frases.
 
Frase 1:autorizasse para se rainha A voltaria fada a floresta a.
A fada voltaria para a floresta se a rainha autorizasse.
 
Frase 2: fossem Oriana as promessa a quebrar não sua andorinhas boas Se levariam boas
Se as andorinhas fossem boas não levariam Oriana a quebrar a sua promessa.
 
6. Escreve duas frases em que utilizes os verbos que conjugaste na Questão 3, no Modo
Condicional.
 
Frase 1: Eu sorriria se tivesse tirado positiva no teste.
 
Frase 2 : Se a musica não estivesse tão alta teria ouvido o recado da minha mãe.
 
 
7. Das frases seguintes diz quais são as que pertencem ao Modo
Indicativo e as que pertencem ao Condicional.

Frases Indicativo Condicional

Quando Oriana chegou à floresta o animais


tinham ido embora.
As andorinhas chamaram Oriana.
Se Oriana fosse com as andorinhas não cumpriria
a sua promessa.
A velha pedira ajuda a Oriana.
Oriana suspirava a olhar para o céu.
A Rainha das Fadas chamaria Oriana se ela não
tivesse quebrado a sua promessa.
Oriana sorriu para a velha.
Ao longo deste percurso didáctico:
 Recordámos a identificação do verbo como classe

de palavras, a sua flexão e a sua importância na


frase;
 Treinámos o uso do dicionário;

 Verificámos que o verbo tem diferentes valores

semânticos;
 Verificámos as diferentes situações em que os

tempos do Pretérito são utilizados;


 Sistematizamos o uso dos tempos do Pretérito;

 Sistematizámos o uso do Modo Condicional.


COSTA, João (2008), “ Verbos, verbos e mais verbos … “, Acção de formação: O Trabalho de
Funcionamento da Língua em Sala de Aula e a Terminologia Linguística – DGIDC.

Revisão da Terminologia Linguística para os Ensinos Básico e Secundário (2008), DGIDC

VIEGAS, Filomena (2008), Acção de formação: O Trabalho de Funcionamento da Língua em


Sala de Aula e a Terminologia Linguística – DGIDC.

FIGUEIREDO, Anabela de Oliveira, MONSANTO, Maria Cecília, ROCHA, Maria Regina (2008),
Acção de formação: O Trabalho de Funcionamento da Língua em Sala de Aula e a
Terminologia Linguística – DGIDC.

FIGUEIREDO, Olívia, OLIVEIRA, Vitor (2008), Conteúdos de Funcionamento da Língua


por ciclo e nível de ensino, DGIDC
Sítios na Internet:

http://www.ciberduvidas.sapo.pt (Resposta a dúvidas de língua portuguesa, em linha)


http://www.dgidc.min-edu.pt/didatic2000/ (Recursos educativos em linha)
http://www.instituto-camoes.pt/cvc/linguistica.html (Instituto Camões)
http://www.priberam.pt/dlpo/gramatica/gram21.htm (Dicionários e gramática de língua
portuguesa, em linha)
http://www.dicionáriosonline.portoeditora.pt (Dicionários de língua portuguesa)
 
Nota Prévia: Sendo professora contratada e estando à pouco tempo a leccionar
Língua Portuguesa, esta foi a primeira acção de formação que fiz nesta área. A
primeira, mas não a última visto ter sido esta uma experiência muito
enriquecedora quer ao nível da formação/actualização científica quer ao nível da
formação pedagógica/didáctica.

O presente documento pretende constituir uma reflexão acerca da aplicação do


percurso didáctico elaborado para a Acção de formação: O Trabalho de
Funcionamento da Língua em Sala de Aula e a Terminologia Linguística, levado a
cabo pela DGIDC em 2008.
Ao longo do percurso didáctico procurou-se por em prática as indicações
dadas pelas formadoras nas várias sessões da referida acção: 1. Observação da
ocorrência, de preferência em textos autênticos ; 2. Inferência da regra ou do conceito,
sua formulação ou apresentação; 3. Exercícios de aplicação.
O texto seleccionado foi um excerto da obra “Fada Oriana” que se encontra a
ser trabalhada em sala de aula. A adesão à obra foi muito grande por parte dos
alunos, tendo o mesmo se verificado em relação ao percurso didáctico concebido.
assimilação de conteúdos de funcionamento da língua a partir deles ficou
provada pela forma entusiástica e sólida como os alunos realizaram as
actividades propostas e demonstraram estar a acompanhar a evolução do
percurso quer por escrito quer oralmente.
Em forma de conclusão devo acrescentar que a experiência é para continuar e
repetir noutras situações e noutros contextos visto ter sido extremamente
enriquecedora tanto para mim como para os alunos.
Antes de terminar, gostaria apenas de expressar a minha convicção crescente de
que toda a leccionação da Língua Portuguesa deveria ser feita a partir da análise
de obras integrais e não a partir de textos fragmentados. Desta forma seria
desenvolvido o gosto pela leitura, a capacidade de compreensão e a
compreensão da orgânica do funcionamento da língua.

Você também pode gostar