Você está na página 1de 46

PTERIDOPHYTA

PTERIDOPHYTA

1. Características gerais

- Plantas vasculares.
-Samambaias:
Ophioglossales, Marattiales, Filicales,
Marsileales, Salviniales e Psilotales.
- Cavalinhas: Equisetales.
PTERIDOPHYTA
1. Características gerais
-Samambaias: 11.000 espécies.
-Datam do período carbonífero (400
milhões de anos).
- Diversificação: cretáceo superior.
- Fase duradoura – esporófito.
PTERIDOPHYTA

1. Características gerais

Esporângios

Eusporangiadas Leptosporangiadas
Eusporangiadas
As células iniciais estão localizadas na
superfície do tecido a partir do qual o
esporângio é produzido (origem multicelular).
Eusporangiadas
a) Camada externa: originam as células da
parede dos esporângios.
b) Camada interna: originam as células-mãe de
esporos.
Leptosporangiadas
Uma única camada de células superficial inicial origina:
a) Camada externa: Origina um esporângio pedicelado,
com uma cápsula globosa. Internamente, forma-se um
tecido nutritivo (tapete). A massa de células internas
forma as células-mães dos esporos.
b) Camada interna: podem contribuir com células que
originam grande parte do pedicelo do esporângio ou
podem permanecer inativa.
Leptosporangiadas

Liberação de esporos
PTERIDOPHYTA
1. Características gerais
Habitat:locais úmidos, solos, pedras,
epífitas ou aquáticas.

A B

Filicales – Lindsaea (A) e Elaphoglossum engelii


(Karst.) Christ
A
B

Filicales – Plagiogyria (A) e Cyathea (B).


Filicales – Asplenium septentrionale.
Filicales – Pleopeltis polypodioides.
Filicales – Hymenophyllum ocorre como epífita
principalmente em florestas pluviais tropicais ou
regiões temperadas úmidas.
PTERIDOPHYTA
1. Características gerais
PTERIDOPHYTA
1. Características gerais
• Habitat: Cavalinhas (Equisetales) – locais
úmidos ou encharcados, próximos a córregos e
ao longo das margens de florestas.
• Período Devoniano.
• Era Paleozóica (300
milhões de anos atrás).
• Gênero herbáceo:
Equisetum.
• 15 espécies.
PTERIDOPHYTA
2. Morfologia
Plantas pequenas e delicadas, com folhas de 1 cm;
Lygodium (samambaia trepadeira): as folhas
podem atingir até 30 m ou mais de comprimento;
PTERIDOPHYTA
2. Morfologia
Cyathea: 24 m de altura e 5
m de folha.
Tronco 30 cm: Não ocorre
adição de tecidos vasculares
por atividade cambial
(caules de origem primária).
Caule: 4-6 cm de diâmetro.
Botrychium:câmbio vascular.
Filicales –Cyathea.
PTERIDOPHYTA
2. Morfologia
• Esporófito (2n) : folha é o órgão dominante.

Folha em báculo
PTERIDOPHYTA
2. Morfologia
• Estrutura foliar:

- Folhas com lâmina dividida cujos folíolos


estão presos a uma raque;
- Folhas de lâminas simples inteiras;
- Folhas membranáceas e delicadas até
folhas mais coriáceas.
Morfologia e estrutura foliar
:
Ophioglossales:
• Eusporangiadas.
• Botrychium: lâmina dividida.
•Ophioglossales (língua de serpente):
lâmina inteira.
• gametófitos subterrâneos com fungos
endofíticos.
Botrychium virginianum L.

Ophioglossales (língua de serpente).


PTERIDOPHYTA
2. Morfologia
Filicales
• 10.500 espécies, 35 famílias e 320
gêneros.
• rizomas sifonostélicos*‡.
• frondes (megáfilos): pecíolo (estipe) e
limbo ou lâmina foliar .
• lâmina foliar: dividida em folíolos (pínas).
• eixo central (nervura) = raque.
Morfologia e estrutura foliar:

Costa
Lâmina

Fronde
Raque

Pina
Pecíolo
PTERIDOPHYTA
2. Morfologia
Filicales
• folha jovem enrolada ou báculo
(vernação circinada).
• báculos e rizomas: revestidos por
escamas ou tricomas (apêndices
epidérmicos).
PTERIDOPHYTA
2. Morfologia
Filicales
• leptosporangiadas homosporadas.
• esporângios: nas margens ou face inferior
da folha‡.
• soros: indúsio ou pseudoindúsio.
Tipos de indúsio

Adiantum
PTERIDOPHYTA
2. Morfologia
Filicales
• ‡gametófitos clorofilados, cordiformes,
bissexuados.
PTERIDOPHYTA
2. Morfologia
Marsileales
• leptosporangiadas heterosporadas
• esporocarpos (forma de feijão).
• soros: megasporângios e microsporângios.
Esporocarpo
maduro

Macrosporângio Micros-
porângio

Soro
Marsilea polycarpa
Folha (trevo)

Rizoma

Raiz
PTERIDOPHYTA
2. Morfologia
Salviniales
• leptosporangiadas heterosporadas
• esporocarpos
• Azolla: folha bilobada
- Lobo superior: colônia de
cianobactéria Anabaena
azzollae.
- Lobo inferior: incolor.
Salviniales
•Salvinia – verticilos de três sobre o
rizoma flutuante.

tricomas
PTERIDOPHYTA
2. Morfologia
Psilotales – Psilotum.
• invasora.
Esporófito:
• porção aérea dicotomicamente
ramificada com estruturas foliares
pequenas;
• porção subterrânea ramificada ou
rizoma com muitos rizoides.
PTERIDOPHYTA
2. Morfologia
Psilotales – Psilotum.
• células externas do córtex dos rizomas:
fungo simbiôntico – Zygomycetes.
• protostelo.
PTERIDOPHYTA
2. Morfologia
Psilotales – Psilotum.
• homosporado.
• esporângios em grupo de três.
• esporos: gametófitos bissexuados.
PTERIDOPHYTA
2. Morfologia

Psilotales – Tmesipteris.
• epífita
• fendas de rochas
• folhas: único feixe
vascular não –
ramificado.
PTERIDOPHYTA
2. Morfologia
Cavalinhas: Equisetales.
Ramo
Ramo fértil
vegetativo
Estróbilo

Folhas
Esporófito maduro

Entrenó

Rizoma

Raízes adventícias
PTERIDOPHYTA
2. Morfologia

Cavalinhas: Equisetales.
• Caule aéreo: nó e entrenós.
• Entrenós com uma medula
oca circundada por canais
carenais, e cada um deles
associado com um feixe de
xilema e floema primários.
PTERIDOPHYTA
2. Morfologia
Cavalinhas: Equisetales.
• Entrenós estriados, estrias rijas e
reforçadas com depósito de sílica.
• Folhas micrófilas em forma de escamas,
inseridas nos nós.

micrófilas
PTERIDOPHYTA
3. Ciclo de vida

Cavalinhas: Equisetales.
• esporângios reunidos em esporangióforos
(ramos que sustentam os esporângios).
• esporangióforos são reunidos em estróbilos
nas extremidades dos caule.
• esporangióforo transporta de 5 a 10
esporângios cilíndrico.
3. Ciclo de vida
Cavalinhas: Equisetales.
• esporos com elatérios que se originam da
camada mais externa da parede dos esporos.
• homosporadas, gametófito bissexuado.
3. Ciclo de vida
PTERIDOPHYTA
4. Importância ecológica e econômica
•Samambaia Azolla: manutenção da fertilidade
de plantações de arroz e de determinados
ecossistemas naturais.

• Equisetum: polir chão, potes e panelas.

• Usadas como plantas ornamentais, sendo o


emaranhado das raízes dos fetos
arborescentes utilizados como substrato para o
cultivo de orquídeas.
PTERIDOPHYTA
4. Importância ecológica e econômica
•O tronco do samambaiaçu é utilizado
para fazer chachim.

• Algumas pteridófitas são usadas como


vermífugos.

• Tradicionalmente usadas na culinária


oriental, alguns brotos de samambaia têm
ação comprovadamente cancerígena.

Você também pode gostar