Você está na página 1de 47

A SOCIEDADE DE ANTIGO REGIME

A GEOGRAFIA DO PODER NOS SÉCULOS XVII E XVIII: OS ESTADOS DE


REGIME ABSOLUTO; OS ESTADOS DE REGIME PARLAMENTAR
As origensDO
A SOCIEDADE doANTIGO
absolutismo
REGIME

ANTIGO REGI
GIM concce
ME: o con ito
eito
O Antigo Regime é a época que corresponde à Idade
Moderna, desde o século XVI ao final do século
XVIII.
• Politicamente: destacam-se as monarquias
absolutas de direito divino.

• Socialmente: é uma sociedade de ordens


ou estados, é estratificada e hierarquizada,
marcada por desigualdades.

• Economicamente: corresponde ao
desenvolvimento do capitalismo comercial
As origens do absolutismo
O Absolutismo Régio estabeleceu-se, na sua forma mais perfeita, ao
longo do século XVII, corolário de uma longa centralização política .

Conjuntura favorável (Século XV e XVI):

• O ressurgir do mundo urbano e mercantil, que cresceu à margem do mundo rural


e feudal;

• O desejo de ascensão da burguesia enriquecida, numa época de decadência da


sociedade senhorial;

• O desenvolvimento cultural e o renascimento do direito romano, que influenciou


decisivamente o direito canónico e, através dele, o pensamento jurídico e
político, revalorizando a noção de Estado centralizado;

• O crescimento demográfico, económico e geográfico dos países, factos que


impuseram uma organização mais eficiente, unitária e permanente, que só
poderia acontecer com o poder régio imparcial e soberano.
As origens do absolutismo
O Absolutismo Régio- O soberano detinha superior e
arbitrariamente todos os poderes políticos:

Poder Legislativo – só o rei podia promulgar ou revogar as leis; ele era a lei viva;

Poder Judicial – o rei era o supremo juiz no seu reino e as suas decisões eram
únicas que não admitiam apelação;

Poder Executivo– do rei dependiam todas as decisões de governação; chefia


suprema do exército; chefiava superiormente todos os órgãos político
administrativos, bem como todo o funcionalismo público; a ele eram devidos todos
os impostos, pois, mesmo quando estes estavam alienados aos privilegiados, isso
acontecia por graça ou concessão régia e nunca por direito das ordens sociais.

Os poderes do rei eram unos e indivisíveis


As origens do absolutismo

Limites ao poder do rei:

As leis de Deus – a que o rei, como seu vigário e mandatário, devia jurar
obediência;

As leis da justiça natural dos homens– direito à liberdade, à vida, à justiça;


(direitos inalienáveis)

Leis fundamentais de cada reino, instituídas pelo costume e pela tradição –


na sua maioria não escritas; constituição consuetudinária, anteriores aos reis,
impunham limites ao Estado e aos Soberanos, que não as podiam revogar.
O Absolutismo Francês

O absolutismo francês, em especial, expressou toda a pujança desse modelo


político. O rei Luís XIV (1643-1715), conhecido como “Rei Sol”, personificou todas
as características do absolutismo, e a ele foi atribuída a frase “O Estado sou Eu”.
Essa característica de representação completa do Estado fazia do rei um
elemento político absoluto. Daí vem o termo absolutismo.

Na França, os principais arquitetos do Estado fortalecido e centralizado na figura


do rei foram o cardeal Richelieu(1585-1642), que fora primeiro-ministro do rei
Luís XIII, e Jacques Bossuet (1627-1704), teólogo que engendrou uma das
principais defesas teóricas do absolutismo, reivindicando, inclusive, a relação
íntima desse tipo de governo com a própria dinâmica da História.
O Absolutismo
A SOCIEDADE DO Francês
ANTIGO REGIME

Luís XIV, O Grande, rei de França


•• Nasceu
Nasceu em em Saint-Germain-en-Laye,
Saint-Germain-en-Laye,
em 1638.
em 1638.
•• Morreu
Morreu em em Versalhes,
Versalhes, em em 1715.
1715.
•• Luís
Luís XIV,
XIV, oo Rei-Sol,
Rei-Sol, foi
foi rei
rei de
de França
França
desde 1643
desde 1643 até
até àà sua
sua morte,
morte, emem 1715.
1715.
•• Era
Era filho
filho de
de Luís
Luís XIII
XIII ee de
de Ana
Ana de
de
Áustria. Tinha
Áustria. Tinha 55 anos
anos quando
quando oo pai
pai
morreu.
morreu.
•• AA sua
sua mãe,
mãe, Ana
Ana dede Áustria,
Áustria, tornou-se
tornou-se
regente, tendo
regente, tendo como
como ministro
ministro oo
cardeal Mazarin.
cardeal Mazarin.
Em 1648,
Em 1648, vivia
vivia no
no Palais-Royal
Palais-Royal ee teve
teve de
de
fugir de
fugir de Paris
Paris com
com aa família,
família, durante
durante aa
Fronda.
Fronda.
Luís XIV e Ana de Áustria, sua mãe,
c. de 1639.
O Absolutismo
A SOCIEDADE DO Francês
ANTIGO REGIME

Luís XIV
• Foi sagrado rei na Catedral de Reims,
em 7 de junho de 1654.

• Casou, em 1660, com Maria Teresa


de Áustria, filha de Filipe IV de
Espanha.

• Começou a governar sozinho a partir


de 1661, depois da morte do cardeal
Mazarin. Tinha 23 anos.

• A partir de então, assume totalmente


o poder, governando como monarca
absoluto.

Charles Le Brun, Retrato de Luís XIV, 1661.


O Absolutismo
A SOCIEDADE DO Francês
ANTIGO REGIME

ro d e Lu í s XI V,
do qua d
Análise e R i ga ud .
de Hyacin th

O absolutismo régio: o exemplo


de Luís XIV

Hyacinthe Rigaud, Luís XIV em traje


de sagração, 1685.
A SOCIEDADE DO ANTIGO REGIME
Nesta obra,
Nesta obra, Rigaud
Rigaud representa
representa aa
monarquia absoluta
monarquia absoluta de
de direito
direito
divino, na
divino, na pessoa
pessoa de
de Luís
Luís XIV.
XIV.

AA cortina
cortina vermelha
vermelha coloca
coloca oo rei
rei no
no
centro da
centro da cena.
cena.

Ao rei
Ao rei estão
estão ligados
ligados os
os atributos
atributos do
do
seu poder:
seu poder:
•• oo cetro;
cetro;
•• aa espada;
espada;
•• aa mão
mão da da justiça;
justiça;
•• aa coroa;
coroa;
•• oo manto.
manto.

Trata-se de
Trata-se de uma
uma pintura
pintura dodo estilo
estilo
barroco. O
barroco. O tratamento
tratamento dosdos
panejamentos, aa exuberância
panejamentos, exuberância dasdas
cores, os
cores, os elementos
elementos decorativos,
decorativos, aa
sinuosidade das
sinuosidade das linhas
linhas ee aa própria
própria
representação da
representação da figura
figura real
real estão
estão
associados aa este
associados este estilo.
estilo.
A SOCIEDADE DO ANTIGO REGIME

As cores dos elementos


decorativos:
• o cortinado, pesado e
luxuoso, surge em
vermelho, púrpura e
bordado a ouro, cores
que simbolizam a
realeza.
A SOCIEDADE DO ANTIGO REGIME

O traje do rei está


representado de forma
pormenorizada.
O interior do manto é
forrado de pele de arminho
e o exterior é bordado a
ouro.

O rei usa uma peruca, ao


estilo do século XVII, e
meias.

Os sapatos com salto


vermelho, os laços e as
rendas finas revelam a sua
superioridade.
O rei dita a moda.
A SOCIEDADE DO ANTIGO REGIME

O monarca está de pé numa


atitude de majestade.
As pernas de jovem, em
posição de dança,
contrastam com o seu rosto
envelhecido, pois tinha 63
anos quando o seu retrato foi
feito.

O rei não enverga os


símbolos do poder real, os
quais estão colocados ao
lado da sua figura. Apenas
tem consigo a espada.

Na composição é o
monarca que se destaca.
A SOCIEDADE DO ANTIGO REGIME
•• Personalidade
Personalidade forte,
forte, aa olhar
olhar
diretamente para
diretamente para oo
espetador, numa
espetador, numa atitude
atitude
majestosa.
majestosa.
Simbologia
•• Revela
das cores
Revela oo seu
seu poder
poder pessoal,
pessoal,
governando sem
governando sem primeiro
primeiro
Azul: cor da monarquia
ministro.
ministro.
francesa.
•• Controla
Controla aa nobreza
nobreza na na corte,
corte,
privando-a
privando-a
Vermelho: dodo
cordo seu
seu poder
poder
poder
político,
político,
desde mas mantendo
mas
o Império mantendo
Romano.oo
seu estatuto
seu estatuto social.
social.
Branco: cor também da
monarquia francesa, ilumina
o rei.

Ouro: símbolo da riqueza.


Poucas eram as pessoas na
corte autorizadas a usar
objetos de ouro.
A SOCIEDADE DO ANTIGO REGIME
• O colar da ordem da
cavalaria do Espírito
Santo.
• A coluna simboliza o
poder e a estabilidade
do reino.
• A representação da
deusa Tétis, deusa
grega, simboliza a
ordem e a justiça.

Símbolos da realeza
• O cetro.
• A coroa real.
A SOCIEDADE DO ANTIGO REGIME
Símbolos da
Símbolos da realeza
realeza
•• OO cetro,
cetro, símbolo
símbolo do do
poder de
poder de vida
vida ee morte,
morte,
colocado na
colocado na mão
mão direita
direita
do rei,
do rei, significa
significa que
que ele
ele
indica oo caminho
indica caminho aa
seguir.
seguir.
•• AA coroa
coroa real
real apresenta-
apresenta-
-se em
-se em coroa
coroa fechada,
fechada,
equivalente àà de
equivalente de um
um
imperador (usada
imperador (usada desde
desde
Francisco I,I, no
Francisco no século
século
XVI).
XVI).
•• AA mão
mão da da justiça,
justiça, vara
vara
de ouro
de ouro revestido
revestido dede
marfim, simboliza
marfim, simboliza aa
bênção do
bênção do rei
rei sobre
sobre osos
seus súbditos
seus súbditos ee aa
aplicação da
aplicação da justiça.
justiça.
A SOCIEDADE DO ANTIGO REGIME
Símbolos da
Símbolos da realeza
realeza
•• AA espada
espada simboliza
simboliza oo
poder militar
poder militar do do rei.
rei.
•• AsAs luvas,
luvas, que
que segura
segura nana
mão, simbolizam
mão, simbolizam aa
pureza.
pureza.
•• Pormenor
Pormenor do do vestuário
vestuário
com rendas
com rendas ee seda.
seda.
•• O O colar
colar da
da Ordem
Ordem de de
Cavalaria do
Cavalaria do Espírito
Espírito
Santo.
Santo.
Era aa distinção
Era distinção mais
mais
elevada da
elevada da corte
corte
francesa. Criada
francesa. Criada comcom
Henrique III,
Henrique III, rei
rei de
de
França, entre
França, entre 1574
1574 ee
1589. Este
1589. Este símbolo
símbolo
representava que
representava que oo rei
rei
seguia uma
seguia uma política
política sábia
sábia
ee sensata.
sensata.
A SOCIEDADE DO ANTIGO REGIME
• O trono, símbolo do poder.

• O manto, simboliza o poder


de direito divino.

O manto bordado a ouro,


com flor de lis, símbolo
da realeza francesa.

O manto de veludo azul,


forrado no interior de
arminho.

Segundo a tradição da
monarquia francesa, o
manto fora dado pela
Virgem Maria aos antigos
reis da Dinastia Capetíngia
de França (século X).
A SOCIEDADE DO ANTIGO REGIME
Luís XIV assume o PODER
ABSOLUTO, o poder
supremo, próximo de Deus
e por Ele legitimado.

O poder absoluto difere do


poder tirânico ou
arbitrário.

O principal teorizador do
“Direito Divino” foi
Jacques-Bénigne Bossuet.
A SOCIEDADE DO ANTIGO REGIME
Segundo Bossuet:
Segundo Bossuet:
O REI
O REI

ÉÉ oo representante
representante
de Deus
de Deus na
na Terra
Terra
A sua
A sua autoridade
autoridade éé sagrada
sagrada

O exercício
O exercício do
do poder
poder tem
tem três
três
características básicas:
características básicas:

•• éé sagrado,
sagrado, isto
isto é,
é, tem
tem origem
origem
divina,
divina,
•• éé paternal,
paternal, ou
ou seja,
seja, está
está ao
ao
serviço do
serviço do bem
bem dodo povo
povo ee
dos fracos,
dos fracos,
•• éé absoluto,
absoluto, mas
mas não
não
arbitrário.
arbitrário.
O Absolutismo
A SOCIEDADE DO Francês
ANTIGO REGIME

Instrumentos do poder absoluto


A CORTE é o centro do culto monárquico; é usada como
um instrumento de governo; é o local onde o rei controla
os “Grandes”, segundo o cerimonial e a etiqueta.
O Absolutismo transformou a corte num espelho do
poder, num símbolo de propaganda e da imagem real.
Na corte, o rei torna-se o garante da ordem estabelecida.
O Absolutismo
A SOCIEDADE DO Francês
ANTIGO REGIME

Instrumentos do poder absoluto


A ADMINISTRAÇÃO CENTRAL
Toda a “máquina” é supervisionada pelo rei; os conselhos
têm um caráter consultivo.

A FISCALIDADE RÉGIA
É um instrumento para fazer face ao aumento das despesas
do Estado (guerras, fausto da corte e complexidade da
máquina administrativa e burocrática).

A BUROCRACIA
É um sistema administrativo assente na multiplicidade de
funções interligadas.
O Absolutismo
A SOCIEDADE DO Francês
ANTIGO REGIME

Instrumentos do poder absoluto


A ADMINISTRAÇÃO LOCAL
O rei nomeia cada vez mais
funcionários a fim de garantir
uma maior eficácia na ligação
com a administração central.

PRINCIPAIS PROBLEMAS DA
ADMINISTRAÇÃO (Os limites
práticos que se impuseram ao
Absolutismo):
• a venalidade (venda ou
arrendamento dos cargos);
• pouco zelo e corrupção;
• dificuldades de comunicação
entre os órgãos
administrativos.
• ...página 141.
O caso da Holanda
A SOCIEDADE DO ANTIGO REGIME

A organização política das Províncias Unidas


O caso da Inglaterra
A SOCIEDADE DO ANTIGO REGIME
Na Inglaterra, o poder do rei foi, desde cedo, limitado pelos seus súbditos.
O absolutismo não era bem aceite pelos ingleses que, desde o século XIII, com Magna
Carta – 1215 – negavam ao rei o direito de, só por si, fazer leis e aumentar impostos, sendo
obrigado a convocar regularmente o Parlamento.
As tentativas de impor o absolutismo em Inglaterra deu origem a revoluções violentas que,
conduziriam à execução de um rei (Carlos I, em 1649), à deposição de Jaime II, em 1689 e à
instauração de um regime republicano (1649-1659).

Ilustração mostrando o rei João sem Terra,


da Inglaterra, assinando a Magna Carta
em 1215.
O caso da Inglaterra
A SOCIEDADE DO ANTIGO REGIME

Quando, no século XVII, o Absolutismo se impôs na Europa, os soberanos ingleses


reivindicaram também uma autoridade total.
Esta atitude gerou tensões e conflitos com os representantes parlamentares.
No reinado de Carlos I agudizou-se a malquerença com o Parlamento e o rei. O
rei viu-se forçado em 1628 a assinar a Petição dos Direitos, em que se
comprometia a respeitar as antigas leis, não procedendo a prisões arbitrárias nem
arrecadando impostos sem consentimento dos ingleses.(Doc.1)
Carlos I dissolve o Parlamento e inicia um governo de índole absolutista

Em 1628, o Parlamento Inglês


enviou esta declaração de
liberdades civis ao rei
Charles I.
O caso da Inglaterra
A SOCIEDADE DO ANTIGO REGIME

• A tensão agrava-se e, em 1642, eclode uma guerra civil


• Cromwell, chefe da oposição ao rei, condena o rei ao cadafalso.(Doc.3)

Instaura-se a República em Inglaterra (1649-58)

1659 – o país estava numa anarquia.


1660 – foi restaurada a monarquia, subida ao
trono de Carlos II (1660-85)

Oliver Cromwell –
entre outras medidas de
fomento económico,
ficou célebre o Ato de
Navegação
O caso da Inglaterra
A SOCIEDADE DO ANTIGO REGIME
• Carlos II (1660-1685) era adepto do absolutismo. As suas atitudes eram
recebidas com desconfiança pelo Parlamento e pela população. As relações
amistosas com Luís XIV, rei da França, aumentavam ainda mais a desconfiança.
O Parlamento pressionava cada vez mais o rei, aprovando novos impostos
sempre em troca de maior autonomia. Além disso, Carlos II era simpático ao
catolicismo, e seu irmão, futuro rei, já havia publicamente se convertido a essa
religião. Esse facto acirrava ainda mais as divergências entre o Parlamento e o
monarca.
• Com a morte de Carlos II e a ascensão de seu irmão, Jaime II, os problemas
continuaram. A burguesia inglesa temia uma rebelião armada, como aquela 
que conhecera anteriormente. Esperava-se que o rei morresse e deixasse o
trono para uma de suas filhas protestantes. Mas o rei teve um filho homem, o
que garantia a sucessão católica ao trono inglês.
O caso da Inglaterra
A SOCIEDADE DO ANTIGO REGIME
• Temerosa do absolutismo de Jaime II e da rebelião popular, a burguesia inglesa entrou
em acordo com Guilherme de Orange, da Holanda, casado com a filha protestante de
Jaime II. O plano consistia em destruir Jaime II, substituindo-o por Guilherme.
• Guilherme de Orange desembarcou na Inglaterra, com seu exército, em 1688. Jaime II
tentou resistir, mas os soldados passaram para o lado de Guilherme. Ao velho rei
absolutista só restou fugir para a França.
• Guilherme de Orange e sua mulher foram reconhecidos como soberanos da Inglaterra
pelo Parlamento, que, temendo um novo absolutismo, promulgou um segundo Bill of
Rights, em 1689. A partir daí, passou a prevalecer na Inglaterra o princípio de que o “rei
reina, mas não governa”. O governo ficava sob a autoridade do Parlamento, que, a cada
ano, limitava ainda mais o poder real. Esse movimento ficou conhecido como Revolução
Gloriosa.
• A Revolução Gloriosa foi inspirada nas teorias políticas de John Locke, o grande teórico
do liberalismo político.
A SOCIEDADE DE ANTIGO REGIME
A SOCIEDADE DO ANTIGO REGIME

MEE
ANTIGO REGIM
A sociedade de ordens ou estados no Antigo
Regime:
 assentava no privilégio e
no nascimento;

 a estrutura social era


garantida pelo absolutismo
régio de direito divino.

Primeiro estado Segundo estado Terceiro estado


clero nobreza povo
A SOCIEDADE DO ANTIGO REGIME
No topo [segundo o Traité des Ordres et Simples Dignités, de Charles Loyseau de 1610] está a ordem
eclesiástica, o clero, porquanto de direito os Ministros de Deus devem conservar a primeira posição de
honra. Em seguida, a nobreza, seja antiga gentileza e imemorável proveniente das antigas raças, seja a
nobreza de dignidade proveniente dos ofícios ou dos domínios senhoriais que conferem os mesmos
privilégios. Por fim, o Terceiro Estado, que abrange o resto do povo. […] Cada uma das ordens principais
tem a sua hierarquia descendente. Cada ordem tem a sua marca particular, isto é, os seus símbolos
sociais […]. Prerrogativas de honra, o título e a posição, os antenomes cuja hierarquia é precisa e […]
surpreendente. […] Enfim, cada ordem deve manter-se na sua posição.

Pierre Chaunu, A Civilização da Europa Clássica, vol. I, Editorial Estampa, Lisboa, 2ª ed., 2009, pp. 296-298.

Apresente cinco características da sociedade europeia entre os séculos XVI e XVIII


 Sociedade tripartida, composta por três grupos sociais: clero, nobreza e povo (Terceiro Estado).
 Cada ordem desempenha uma função específica: o clero reza, a nobreza combate e o Terceiro Estado trabalha.
 O clero surge como a primeira de entre as três ordens, seguido da nobreza e, por fim, do Terceiro Estado.
 O clero e a nobreza fazem parte dos privilegiados e distinguem-se pela riqueza, pela posse da terra e dignidades
associadas à sua condição.
 O Terceiro Estado compunha o grupo dos não privilegiados, vivendo sobrecarregado pelos impostos e pelo
pagamento de direitos senhoriais.
 A burguesia constituía uma categoria social diferente no interior do Terceiro Estado, distinguindo-se pela sua
riqueza e maior dignidade consequência de um estatuto mais elevado.
 Cada ordem apresenta diferentes categorias no seu interior.
 Cada ordem revela distinções de honra de acordo com o estatuto que lhe é inerente.
 As ordens devem manter a sua posição e as prerrogativas inerentes.
A SOCIEDADE DO ANTIGO REGIME

Cada ordem tinha o seu estatuto O rei era o garante da ordem social.
e função definidas pela lei.
A SOCIEDADE DO ANTIGO REGIME
A hierarquização social
As três ordens:
• o clero
• a nobreza
• o povo (Terceiro Estado)

Ordem = Categoria social


Baseia-se em estatutos sociais
diferentes e bem demarcados

NASCIMENTO FUNÇÃO SOCIAL ESTATUTO JURÍDICO


- de sangue, ou de linhagem; diversificada e categorizada: diversificado e define:
- enobrecidos pelos feitos, - com maior prestígio; - os deveres (obrigações);
pelo favor ou privilégio régio; - com pouco prestígio; - os privilégios;
- origem plebeia (povo). - sem prestígio. - as isenções;
- as imunidades;
- o acesso a cargos;
- o comportamento;
- o vestuário.
A SOCIEDADE DO ANTIGO REGIME
Analisar uma
aleggór
gravura ale ica.
órica.

Lagnet-Guérard, O nobre e o camponês


ou a ‘aranha e a mosca’, século XVII.
A SOCIEDADE DO ANTIGO REGIME
Analisar uma
aleggór
gravura ale ica.
óric a. 1 2

8
 Identificar os elementos que
podemos destacar 3
• (de 1 a 12).
10
4
 Descrever os elementos 9
destacados. 7
5
11
 Interpretar o significado de
cada um desses elementos. 12
6
A SOCIEDADE DO ANTIGO REGIME
O nobre [privilegiado] e o
camponês [não privilegiado]
Quais as personagens
representadas na gravura?
A SOCIEDADE DO ANTIGO REGIME
Analisar uma gravura/caricatura.
Quais os atributos que distinguem
o nobre com um estatuto superior?
A SOCIEDADE DO ANTIGO REGIME
Analisar uma gravura/caricatura.
Quais os atributos que identificam
o camponês com um estatuto de
dependência em relação ao nobre?
A SOCIEDADE DO ANTIGO REGIME
Analisar uma
aleggór
gravura ale ica.
órica.

Qual o significado desta gravura?

Pode ser considerada uma alegoria?

Há uma crítica presente na forma


de representar as personagens
e a situação?

O autor pretendia criticar a


sociedade que estava a representar
na gravura?
A SOCIEDADE DO ANTIGO REGIME
O autor pretendia transmitir
uma mensagem muito clara.

O AUTOR REPRESENTOU AS
PERSONAGENS, CARACTERIZADAS
COM ELEMENTOS DISTINTIVOS?

Quais os elementos que levam o


observador a descobrir, de imediato,
a quem se refere ?
A SOCIEDADE DO ANTIGO REGIME
Quais os elementos que levam o
observador a descobrir, de imediato,
a quem se refere ?
• a representação das personagens:
• os chapéus
• o vestuário
• o olhar
• o cabelo
• as mãos

• a postura das figuras;

• as características físicas e de
expressão psicológica.
A SOCIEDADE DO ANTIGO REGIME
Quanto
Quantomais
maissesetem,
tem,mais
maisse
sequer
querter!
ter!Este
Estepobre
pobretraz
traz
tudo,
tudo,milho,
milho,frutas,
frutas,dinheiro,
dinheiro,verduras!
verduras!Este
Estegrande
grande
senhor
senhorsentado,
sentado,está
estápreste
presteaatudo
tudoreceber!
receber!Nem
Nem
Para ser mais explícito o autor sequer
sequerquer
querdar
daraadoçura
doçuradedeum
umolhar
olhar

usou legendas que ajudam o


AAaranha
aranhana nasua
suateia
teialimita-se
limita-se
observador a refletir sobre o tema na
na armadilha(nobre)
armadilha (nobre)
AAmosca
moscavoa
voa
(trabalha)
aacapturar
capturarooproduto
produtodo do (trabalha)
representado trabalho do camponês
trabalho do camponês

AAtodos
todosos
ossenhores
senhores
A gravura revela uma representação todas
todasas
ashonras
honras
ÉÉpreciso
preciso
exagerada dos elementos com o intuito pagar
pagarou
ou Magro
Magrocomo
comoum umgalgo
galgo
aceitar
de fazer uma crítica social. aceitar (cão)
(cão)

OOnobre
nobreééaaaranha
aranhaeeoo Quanto
Quantomais
maisoodiabo
diabotem,
tem,
camponês
camponês amosca
a mosca mais ele quer
mais ele quer
A SOCIEDADE DO ANTIGO REGIME
Quanto
Quantomais
maissesetem,
tem,mais
maisse
sequer
querter!
ter!Este
Estepobre
pobretraz
traz
tudo,
tudo,milho,
milho,frutas,
frutas,dinheiro,
dinheiro,verduras!
verduras!Este
Estegrande
grande
senhor
senhorsentado,
sentado,está
estápreste
presteaatudo
tudoreceber!
receber!Nem
Nem
É representada a desigualdade sequer
sequerquer
querdar
daraadoçura
doçuradedeum
umolhar
olhar

entre as ordens sociais através da


AAaranha
aranhana nasua
suateia
teialimita-se
limita-se
dependência manifestada entre o na
na armadilha(nobre)
armadilha (nobre)
AAmosca
moscavoa
voa
(trabalha)
aacapturar
capturarooproduto
produtodo do (trabalha)
camponês e o nobre. trabalho do camponês
trabalho do camponês

O nobre: AAtodos
todosos
todas
ossenhores
todasas
senhores
ashonras
honras
ÉÉpreciso
• Pertencia à segunda ordem social preciso
pagar
pagarou
ou Magro
Magrocomo
comoum umgalgo
galgo
privilegiada. aceitar
aceitar (cão)
(cão)

• Está sentado numa cadeira:


o na mão tem um bastão,
à maneira de cetro, que simboliza o seu
poder e a sua autoridade;
o o seu vestuário é colorido e cuidado;
o o seu olhar é indiferente;
o limita-se a controlar o que lhe é devido e
apresentado pelo camponês.

OOnobre
nobreééaaaranha
aranhaeeoo Quanto
Quantomais
maisoodiabo
diabotem,
tem,
camponês
camponês amosca
a mosca mais ele quer
mais ele quer
A SOCIEDADE DO ANTIGO REGIME
Quanto
Quantomais
maissesetem,
tem,mais
maisse
sequer
querter!
ter!Este
Estepobre
pobretraz
traz
tudo,
tudo,milho,
milho,frutas,
frutas,dinheiro,
dinheiro,verduras!
verduras!Este
Estegrande
grande
senhor
senhorsentado,
sentado,está
estápreste
presteaatudo
tudoreceber!
receber!Nem
Nem
É representada a desigualdade sequer
sequerquer
querdar
daraadoçura
doçuradedeum
umolhar
olhar

entre as ordens sociais através da


AAaranha
aranhana nasua
suateia
teialimita-se
limita-se
dependência manifestada entre o na
na armadilha(nobre)
armadilha (nobre)
AAmosca
moscavoa
voa
(trabalha)
aacapturar
capturarooproduto
produtodo do (trabalha)
camponês e o nobre. trabalho do camponês
trabalho do camponês

O camponês: AAtodos
todosos
todas
ossenhores
todasas
senhores
ashonras
honras
ÉÉpreciso
• Pertencia à terceira ordem social, não preciso
pagar
pagarou
ou Magro
Magrocomo
comoum umgalgo
galgo
privilegiada (Terceiro Estado ou povo). aceitar
aceitar (cão)
(cão)

• É representado de pé: na mão tem uma


bolsa com as moedas do imposto; na outra,
tem um cesto com legumes, para além de
um saco de milho (tributos em géneros).
• Debaixo do braço tem o chapéu, pois não
podia tê-lo na cabeça, em frente do senhor
e apresenta-se semicurvado.
• O seu vestuário é mais simples; parece
amedrontado; pode ser comparado ao
galgo magro, pois o cão simboliza a
obediência e a fidelidade. OOnobre
nobreééaaaranha
aranhaeeoo Quanto
Quantomais
maisoodiabo
diabotem,
tem,
camponês
camponês amosca
a mosca mais ele quer
mais ele quer
A SOCIEDADE DO ANTIGO REGIME
A SOCIEDADE DE ANTIGO REGIME

Você também pode gostar