Você está na página 1de 28

Ação de Formação

E-Formador
Sumário
• A presente unidade tem como objetivo o conhecimento da evolução h
istórica do EaD criando condições para a 
compreensão deste regimede formação. 
• Aquisição de saberes sobre a perspetiva histórica do EaD e a 
sua relação com o desenvolvimento dos meios de comunicação, intro
duzindo a temática e exercitando sobre os aspetos 
de contexto histórico, social e económico. 
Objetivos específicos
• Compreender o conceito de EaD;
• Associar os elementos diferenciadores do EaD a situações reais;
• Nomear as principais gerações do EaD e identificar as suas característi
cas distintivas;
• Caracterizar as especificidades dos regimes de ensino/formação em e-
Learning
Palavras-Chave
• Ensino a Distância;
• Gerações do Ensino a Distância
O que é ensino a distância
• Sistema de educação/formação visa a criação de um ambiente de 
aprendizagem que permita ao indivíduo desenvolver um determinado pr
ocesso  de aprendizagem. 

• O EaD posiciona-
se como uma alternativa pedagógica ao ensino presencial e 
deve utilizar e incorporar as novas tecnologias como meio para alcançar o
s  objetivos das práticas educativas. 
O que é ensino a distância
Pode­-se dizer, de forma sucinta, que um regime de EaD é caracterizado por:
• Estudo individualizado e independente;
• Separação  física  entre  professor–estudante  durante  o  processo  de 
aprendizagem;
• Processo  de  aprendizagem  suportado  normalmente  em  materiais 
mediatizados;
• A comunicação bidireccional entre a instituição e os estudantes;
• A relação institucional formalizada tendo em conta actos de natureza 
administrativa (matriculas, certificados, etc.) e pedagógica (tutoria e 
aconselhamento).
O que é ensino a distância
“O EaD distingue-
se da modalidade de ensino presencial por ser um sistema tecnológico 
de comunicação bidireccional 
que pode ser massivo e que substitui a interacção pessoal na sala de au
la entre professor e estudante como meio 
preferencial de ensino pela acção sistemática e conjunta de diversos rec
ursos didácticos, apoio de uma organização e 
tutoria que propiciam uma aprendizagem independente e flexível.” 

Lorenzo Garcia Aretio (1995)
Características EaD segundo Keegan (1996)
• A quase permanente separação entre professor e o estudante ao long

do processo de aprendizagem, que contrasta com o ensino presencial 
tradicional;
• A influência de uma organização, quer na planificação e preparação 
dos materiais para aprendizagem quer na preparação de serviços de 
apoio a essa aprendizagem
• O  uso  de  tecnologias  para  estabelecer  a  ligação  e  promover  a 
comunicação entre o professor e o estudante;
Características EaD segundo Keegan (1996)
• O estabelecimento de canais de comunicação bidireccionais através d
o  qual os participantes podem estabelecer diálogo;

• A  quase  permanente  ausência  de  trabalho  de  grupo  ao  longo 


do 
processo, excepção das sessões presenciais que possam viabilizar a 
sociabilização  ou  do  uso  de  meios  de  comunicação  síncrona  (ex.: 
teleconferência). 
O EaD deve ser compreendido como uma
 prática educativa mediatizada,  uma 
modalidade  de  se  fazer  educação,  de 
se  democratizar  o  conhecimento. 
• Nesta modalidade,  a relação  pedagógica  entre 
professor/estudante e  entre 
estes é mediada pelo uso de uma determinada ferramenta tecnológic
a, o que  implica  que  os  seus  actores  não  se  encontrem 
presentes  face-­a­face,  no 
mesmo espaço físico e, eventualmente, nem se encontrem no mesmo
 tempo. 
• Apesar  de  directamente  relacionado  com as  componentes 
tecnológicas  de 
suporte, o EaD não é uma prática recente, nem se refere exclusivame
nte ao  uso  das  novas  Tecnologias  da  Informação  e  Comunicação 
(TIC)  como  mediadores do processo de aprendizagem. 
• Na secção seguinte iremos apresentar uma perspectiva da evolução hi
stórica do EaD ao longo do tempo, naquilo que 
se consideram ser as Gerações do EaD.
As gerações do Ensino a Distância
• A definição das diferentes gerações do EaD varia de autor para autor, 
de acordo  com os critérios que os próprios definem. 
• Alguns autores consideram a tecnologia utilizada como critério funda
mental para 
fazer esta distinção, enquanto outros preferem caracterizar as diferen
tes eras 
face à forma de interacção entre os diferentes participantes, ou ponto
 mais 
comum, relacionando os suportes tecnológicos, com o tipo de interac
ção que  permitem. 
As gerações do Ensino a Distância
• Por exemplo, Garrison publica um artigo em 1985 em que defende qu
e “a evolução tecnológica conduziu ao surgimento 
de paradigmas alternativos ao nível dos princípios e conceitos associa
dos à Educação a Distância, identificando neste 
domínio a existência de três gerações de inovação tecnológica” (Garri
son in Gomes, 2003), as quais são consideradas 
na perspectiva das modalidades de comunicação bidireccional disponí
veis. 
As gerações do Ensino a Distância
• O autor define a existência de uma primeira geração tecnológica associad
a ao ensino por correspondência, ou seja, a 
partir do momento em que foi possível aliar à palavra impressa um meio 
de comunicação bidireccional, como são os  serviços postais. 

• A segunda geração tecnológica definida por Garrison (telecommunication
s generation) inicia­se com o recurso a 
tecnologias de comunicação electrónica como sejam o telefone e a teleco
nferência (áudio e/ou vídeo). Esta nova 
geração tecnológica veio permitir uma interacção mais rápida e eficaz ent
re os diferentes participantes de um programa. 
As gerações do Ensino a Distância
• Finalmente, o autor identifica uma terceira geração tecnológica (computer g
eneration) baseada nas possibilidades de 
interactividade que se perspectivavam na época com o desenvolvimento dos
 computadores e agora substancialmente 
confirmadas com o boomda Internet. 

• Informação útil
• Também Bates (1995) assume a existência de três gerações tecnológicas, evi
denciando a importância da interacção 
entre professor e estudantes e destes entre si, na definição e descrição de ca
da uma das gerações. 
• Estes autores apenas consideram os suportes tecnológicos de comunicaçã
o bidireccional na sua análise. Por outro  lado,  mais  recentemente,  a 
autora  Maria  João  Gomes  propõe  uma  distinção  entre  gerações  que 
não  faz  esta  segregação: 
• “O potencial das diferentes tecnologias, mesmo quando permitindo exclus
ivamente a comunicação unidireccional (caso 
das emissões radiofónicas ou televisivas, por exemplo) parece­
nos um aspecto importante em qualquer esforço de 
sistematização da evolução dos modelos de ensino a distância tendo em c
onta a sua caracterização do ponto de vista  das tecnologias utilizadas”. 
Maria João Gomes (2003) 
Na sua análise, Gomes estabelece os seguintes critérios para a distinção
 entre as gerações do EaD:
• Media e tecnologias utilizadas na representação e distribuição de cont
eúdos;
• Media e tecnologias utilizadas na mediação da comunicação professor
/estudante, e destes entre si;
• Modelo comunicacional adoptado entre professores e estudantes;
• Modelo comunicacional adoptado entre estudantes.
• Estes critérios, comummente aceites, são a base da diferenciação entr
e as várias gerações, tal como propomos de  seguida: 
1ª Geração (1850 a 1960)
• Ensino por correspondência: A primeira geração do Ensino a Distância
(EaD) surgiu com a evolução dos serviços postais e a massificação dos
suportes impressos. Caracteriza-se pela troca de material impresso
entre o educando e o docente através do correio tradicional. A
comunicação (correios) é bidirecional, assíncrona e demorada.
Aprendizagem Individual.
Primeira Geração – Cursos por Correspondê
ncia
• Os  estudantes  adquiriam  o  conhecimento  através  do  estudo  dos materiais 
pedagógicos  entregues  pela  entidade  formadora,  executando  depois testes 
de  avaliação  para comprovar  os  conhecimentos  adquiridos.  Para  além  dos 
materiais, o estudante só comunicava com o seu instrutor para tirar eventuais 
dúvidas que pudesse ter. Embora com 
custos relativamente baixos o EaD por correspondência é afectada pela depen
dência do tempo que o correio demora 
entre uns e outros actores, sujeita a atrasos e/ou perdas de correspondência. 
• Assim,  esta  geração  caracterizou­se  pela  dificuldade  de  uma  comunicação 
síncrona,  em  dois  sentidos,  entre 
professor/estudante e estudante/professor. No entanto, actualmente existem 
ainda cursos de formação que têm este  meio de comunicação como base. 
2ª Geração (1960 a 1985)
• Ensino Mediatizado: Caracteriza-se pela propagação através da rádio,
televisão, cassetes de áudio e/ou de vídeo. A comunicação é
principalmente unidirecional. No entanto mantém-se a troca de
documentos escritos enquanto que a utilização do telefone introduz
uma forma de comunicação bidirecional síncrona. Aprendizagem
Individual.
Terceira Geração – Ensino Assitido por
computador (1960-1985)
• A terceira geração do EaD é caracterizada pelo desenvolvimento do e
nsino assistido por computador. Torna­se assim 
possível usufruir das capacidades da imagem, do som e do moviment
o para transmissão/construção de conhecimentos  e  permitindo  a 
introdução  de  ferramentas  que  possibilitam  uma  maior 
interacção  e  flexibilidade  no  processo  de  aprendizagem. 
• Aproveitam­
se assim as capacidades da imagem, do som e do movimento para a tr
ansmissão de 
conhecimentos e para a introdução de ferramentas que possibilitam 
maior interacção e flexibilidade de estudo. 
Terceira Geração – Ensino Assitido por
computador
• O desenvolvimento de software educacional foi o principal factor imp
ulsionador que permitiu aos estudantes fazerem 
uma aprendizagem a distância assistida pelo computador. 
• Outra característica distintiva desta geração é a possibilidade de inter
acção/comunicação entre estudantes, apesar de, 
nesta altura, este ainda não ser considerado um elemento fundament
al para o desenvolvimento das actividades de  ensino/aprendizagem. 
Quarta Geração – Internet, Interatividade e e-
learning (1995 …)
• A quarta geração é marcada por uma aprendizagem mais flexível do que a que se verificava na geraç
ão anterior. Esta 
aprendizagem tem como base o recurso a informação e conteúdos presentes na Internet e nas redes
 de computadores. 
• Assim, as novas TIC trouxeram ao EaD uma flexibilidade ainda mais alargada, ou seja, os formandos p
odem aceder aos 
conteúdos formativos a qualquer hora e em qualquer lugar, desde que devidamente apetrechados c
om um computador  e uma ligação à Internet. 

… surgimento  das plataformas de aprendizagem, os Learning Management Systems (LMS) 
que facilitam a interacção, e criam verdadeiros ambientes virtuais de aprendizagem

Fonte:
https://sites.google.com/site/modelosead/enquadramento-na-historia-do-ead/as-geracoes-do-ead
Resumindo
• Abrir documento word … grelha
Síntese da Unidade 
• Em síntese, o EaD caracteriza-­se por:
• Uma separação no espaço e no tempo dos atos de ensinar e aprender
;
• Uma separação no espaço e no tempo entre professor e estudante;
• Ênfase na auto aprendizagem e autonomia do estudante/formando q
ue dialoga com a estrutura e interage com 
os outros e com o próprio material através dos media e do uso das no
vas tecnologias;
• Comunicação bidirecional. 
Numa perspetiva histórica, podemos considerar a e
xistência de quatro gerações de ensino a distância:
• A primeira geração surge na segunda metade do século XIX e foi caracterizada pela u
tilização de materiais  impressos através do suporte da correspondência por correio;
• A segunda geração caracteriza­
se pela utilização da televisão, rádio (e mais tarde das emissões por satélite) 
que serviam de suporte a registos vídeo e áudio no apoio aos processos de aprendiza
gem;
• A terceira geração surge com a disseminação dos computadores. É caracterizada pela
 utilização de suportes  multimédia e por um ensino assistido por computador;
• A quarta geração é a geração da Internet e da interatividade. Surge nas últimas déca
das do século XX e é 
caracterizada pela disponibilização de recursos multimédia e interativos disponibiliza
dos através de redes de  computadores;