Você está na página 1de 16

CÓDIGO DE ÉTICA DO

ASSISTENTENTE
SOCIAL DE 1965
Equipe: Andreina, Cibele, Gorete, lizar, Beatriz
Professora: Ana Rochelly
Disciplina: Ética Profissinal
Contexto Histórico

• O código de ética de 65 nasce em meio ao mandonismo,


e efervescência da ditadura militar, e possui o mesmo
enraizamento de 47 com algumas mudanças. Raízes
conservadoras e de natureza ainda cristã.

• Toda via nesse momento começa a ser questionada no


meio da profissão a inserção do ethos burguês, e com
isso a germinação da reconceituação no seio dos
profissionais, em especial no ano de 1967 quando foi
realizado o seminário de Araxá, primeiro de uma serie.
Contexto Histórico
• No seminário de Araxá foi discutido a teorização do serviço
social.

• Já em 1970 é realizado o seminário de Teresópolis que


discutia a metodologia do serviço social.

• O serviço social adquire uma amplitude técnica e cientifica


importada com o trabalho social americano o que agregou aos
seus membros maiores encargos e responsabilidades.

• Toda via com base em uma concepção de vida; baseada na


natureza e destino do homem. O que ainda caracterizava a
presença forte dos traços cristão em meio a profissão
Contexto Histórico

• Com tudo o serviço social desempenharia de fato as


tarefas que lhes coube na complexidade do mundo
moderno. Com a inserção de profissionais de diferentes
credos religiosos, e princípios filosóficos pois até então so
prevalecia o crivo da igreja católica

• Com base em atender as determinações do momento


histórico e expressar elementos das reflexões originárias
dos seminários de Araxá (1967) e de Teresópolis (1970)
nasce o código de ética em 1975.
Importância do Código de Ética

• A ética é um conceito que busca refletir o comportamento


individual do homem, no meio social. existe no entanto o
codigo de etica profissional durante a sua atuação.
Introdução
• Considerando que ;

A formação da consciência profissional é fator essencial


em qualquer profissão e que um código de ética constitui
valioso instrumento de apoio e orientação para os
assistentes sociais.

Um código de ética se destina aos profissionais de


diferentes credos e princípios filosóficos, devendo ser
aplicável a todos.
Da Profissão:

• ART-2° O assistente social, no desempenho da profissão


É obrigado a respeitar as exigências previstas na
legislação que lhe é especifica.
Deveres Fundamentais

• ART-4° O assistente social no desempenho das tarefas


inerentes a sua profissão deve respeitar as exigencias
previstas na legislação que lhe é especifica.
Segredo Profissinal

• A revelação só será feira após terem sido empregados


todos os recursos e todos os esforços, para que o próprio
cliente se disponha a revela-lo.
Deveres do Assistente Social para com as Pessoas

• ART- 20°- A ação do assistentes social perseverante, a


desrespeito das dificuldades.
Deveres para com os serviços empregados

• O assistente social, profissional liberal, tecnicamente


independente na exclusão de seu trabalho, se obriga a
prestar contas e seguir diretrizes, emanadas do seu chefe
hierárquico, observando as normas administrativas da
entidade que o emprega
Deveres para com os colegas

•O assistente social não aceitará cargo ou função


anteriormente ocupados por um colega, cuja desistência
tenha ocorrido por razões de ética profissional, previstas
no presente código, desde que mantidas razões
determinantes do afastamento.
Responsabilidade da preservação da dignidade
profissional

• A responsabilidade moral deve ser alicerce em que


assentará pro trabalho do assistente social, é de
responsabilidade do assistente social zelar por seu cargo
ou função.

• Da observância do código de ética todos que os exercem


a profissão de assistente social tem o dever de acatar as
decisões deste código, conselho regional de assistentes
sociais (CRAS) deverão declarar conhece-lo,
comprometendo-se por escrito a respeita-lo.
Disposições Gerais

• Caberá ao conselho federal de assistentes sociais


(CFAS) e aos conselhos regionais de assistentes sociais
(CRAS) promoverem a mais ampla divulgação deste
código, de modo que seja pleno conhecimento de
entidades nas quais se desenvolvam programas de
serviço social.
Considerações Finais

• Consideramos que o código de ética de 1965 apesar de


ainda possuir fortes raízes conservadoras, ele
historicamente tem uma forte importância para o
desenvolvimento profissional dos Assistentes Sociais.

• Pois no contexto histórico vimos que ele faz com que o


assistente social acordasse para sua realidade, faz com
que o serviço social comece a caminhar para sua
reconceituação profissional, onde a mesma passará a
possuir uma visão mais critica.
Obrigado por sua atenção