Você está na página 1de 48

Curso: Operador de Processos Químicos e Petroquímicos

Disciplina: Química Aplicada

2020
GRUPO 02
DANIEL OLIVEIRA
DOGLAS COSTA
FERNANDA OLIVEIRA
GEANDERSON JESUS
GEORGE SANTOS
IAN SOUZA
GRUPO 02

LEI GERAL
DOS GASES
GRUPO 02
A Importância do Estudo dos
Gases
• Na prática, entender processos que envolvem gases, tais como:

a combustão do
gás natural
(queima na
presença de
oxigênio)

As reações químicas
a respiração, a envolvidas na digestão
fotossíntese;
A Importância do Estudo dos
Gases
• Do ponto de vista teórico, o estudo dos gases
ajudou na compreensão das reações químicas:

Hipótese de
Lei das Avogadro
Proporções (1776-1856)
Lei das Proporções
Lei da Conservação da Volumétricas
Definidas – Proust
Massa – Lavoisier – Gay-Lussac
(1754-1826)
(1743-1794) (1778-1850)
Propriedades dos Gases
Os gases possuem massa O volume
dos gases
varia
muito com
a pressão

Os gases O volume
ocupam dos gases
todo o varia muito
volume do com a
recipiente temperatura
Variáveis de Estado dos Gases
• Para definir o “estado” de um gás é preciso saber sua
quantidade de matéria, volume, pressão e
temperatura :
– volume: é o próprio volume do recipiente (L, mL,
cm3, m3, etc).
– pressão: resulta do choque das partículas do gás
com as paredes do recipiente.
• Unidades de pressão:
– SI: 1 N/m2 = 1 Pa.
– atm: corresponde à pressão atmosférica ao nível
do mar  1 atm = 10000 Pa.
– mmHg  unidade originada do experimento de
Torricelli:
Experimento de Torricelli

Evangelista
Torricelli
(1608-1647)
Ao nível do mar a coluna
Uma coluna de 1 m cheia de estaciona a uma altura de 760
mercúrio (Hg) é emborcado mm, correspondente à pressão
em um recipiente contendo atmosférica (1 atm = 760
mercúrio. mmHg). (1 torr = 1mmHg)
Relembrando .......

• O que é Temperatura
– É a medida do grau médio de agitação das partículas que
constituem o corpo, seja ele sólido, líquido ou gasoso.
• Quando um corpo é aquecido aumentamos a energia cinética das
partículas que constituem o corpo fazendo com que ocorra um
maior número de colisões entre as partículas o que resulta em um
aumento de temperatura do corpo.
• No estudo dos Gases utilizamos a escala Kelvin.
O que é, o que é
• Pressão – são as colisões que as partículas
constituintes do gás efetuam contra as
paredes do recipiente que o contém
• As unidades mais utilizadas para a medida de pressão são a
atmosfera (atm), o milímetro de mercúrio (mmHg), O pascal
(Pa) entre outros. A pressão de 760 mmHg ou 1 atm é
denominada pressão normal.
O que é, o que é
• Volume – É a quantidade de espaço ocupado,
ou que pode ser ocupado (recipiente), por um
corpo.
• O gás ocupa o volume total do recipiente.
Gás ideal
• Os gases apresentam movimento contínuo e
desordenado.
• A direção e o sentido das partículas somente são
modificados quando elas colidem umas com as outras
• As colisões são perfeitamente elásticas, ou seja, não há
perda de energia cinética durante as colisões.
• Se um gás apresenta essas características é chamado
de gás ideal.
Então onde encontramos esses tais gases
ideais?

• O gás ideal não existe na Natureza, no entanto,


podemos fazer com que um gás real comporte-
se de modo semelhante a um gás ideal.
Devemos elevar sua temperatura e baixar sua
pressão.

• Quando isso ocorre, o gás é denominado Gás


perfeito
CNTP
• CNTP – é a sigla que se refere as condições normais de
temperatura e pressão de um gás.

• T = 0 °C ou 273 K P = 1 atm

• Volume de 1 mol de qualquer gás = 22,4L

• No S.I. a unidade padrão de pressão é o pascal (Pa) ou newton


por metro quadrado
N
m2
GRUPO 02

Estudos de Robert Boyle e Edme Mariotte


Boyle aprisionou um gás num tubo em U
com Mercúrio (Hg)

A coluna de mercúrio do lado direito indicava a


pressão exercida sobre o gás.
Após uma variação de pressão, Boyle aguardava o
equilíbrio térmico do gás com o ambiente e em
seguida efetuava a medida do volume do gás
aprisionado.

Alguns anos depois, o francês Mariotte descobriu a mesma relação.

Se admitirmos que a temperatura do gás não se altera será possível analisar a


correspondência entre Pressão (P) e Volume (V) do gás.
Pelo fato da temperatura ser constante, essa TRANSFORMAÇÃO é denominada
ISOTÉRMICA.
Imagens (esq. p/ dir.) : a) Experimento de contração dos gases, extraído pelo usuário LA2 do livro The New Student's Reference Work, editado por Chandler B. Beach em
1914 / Public Domain; b) Robert Boyle por Johann Kerseboom (1689) / Public Domain.
GRUPO 02

Gráfico de uma Isoterma


P (cmHg) V(cm³) P.V 160
152
76 30 140

Pressão do gás (em cmHg)


2280 120 114
114 20 100

152 15 2280 80
60
76

40
2280 20

P1.V1 = P2.V2 = P3.V3 0


10 15 20 25 30 35
Volume do gás (em cm³)

A tabela registra os valores de pressão do


gás e volume correspondente. Ao marcar
os valores em um gráfico, tem-se uma curva
denominada ISOTERMA.
Quanto mais afastada dos eixos P e V, a
isoterma indicará uma temperatura maior.
Boyle observou que o produto da
Pressão P pelo Volume V era constante.
(complete você mesmo a coluna P.V)
Imagem: Gráfico de pressão x volume de Gay-Lussac, por Roger469 / Public Domain
GRUPO 02

Trabalhos de Charles e Gay Lussac


Em suas experiências, realizaram, de forma independente,
medidas do volume e da temperatura de um gás, mantendo
sua pressão constante (TRANSFORMAÇÃO ISOBÁRICA).

Constatou que a variação do volume era


V1 V2
diretamente proporcional à variação da
temperatura. Assim, a razão entre Volume

e Temperatura era constante.
T1 T2
Se mantivermos o volume constante e variarmos a
temperatura e a pressão do gás, teremos uma
TRANSFORMAÇÃO ISOCÓRICA OU ISOVOLUMÉTRICA.

P1 P2 Observamos que a variação da pressão é Imagens (de cima para baixo):

 diretamente proporcional à variação da a) Jacques Alexandre César


Charles, imagem disponível pela

T1 T2 temperatura. Assim, a razão entre Pressão


e Temperatura é constante.
U.S. Library Congress / U.S.
Public Domain;
b) Joseph Louis Gay-Lussac por
François-Séraphin Delpech /
Public Domain.
GRUPO 02

Transformação
P1.V1  P2 .V2
Isotérmica
Transformação P1 P2

Isocórica T1 T2

Transformação V1 V2

Isobárica T1 T2

Lei Geral dos Gases


P1.V1 P2 .V2
É a junção das equações de
Boyle-Mariotte e Charles-Gay   constante
Lussac. T1 T2
GRUPO 02

Vamos resolver juntos!


01. O pneu de um automóvel foi regulado de forma a manter uma pressão
interna de 21 libras-força por polegada quadrada (lb/pol²), a uma temperatura de
14°C. Durante o movimento do automóvel, no entanto, a temperatura do pneu
elevou-se a 55°C. Determine a pressão interna correspondente, em lb/pol²,
desprezando a variação do volume do pneu.

Veja no texto que praticamente


não houve variação no volume,
então T1  14  273  287K
logo, trata-se de
TRANSFORMAÇÃO ISOCÓRICA
uma
T2  55  273  328K
P1 P2 21 P2
   287.P2  328.21
T1 T2 287 328
Note também que, antes de usar 328.21 6888 lb
a equação, é preciso que as P2    24
temperaturas estejam na escala
287 287 pol 2
Kelvin
GRUPO 02

Vamos resolver juntos!


02. (UFPR) Um cilindro com dilatação térmica desprezível possui volume de 25
litros. Nele estava contido um gás sob pressão de 4 atmosferas e temperatura
de 227 ºC. Uma válvula de controle do gás do cilindro foi aberta até que a
pressão no cilindro fosse de 1 atm. Verificou-se que, nessa situação, a
temperatura do gás e do cilindro era a ambiente e igual a 27 ºC.
(Considere que a temperatura de 0 ºC corresponde a 273 K)
Qual o volume de gás que escapou do cilindro em litros?

Para o momento antes da abertura Após a abertura da válvula,


da válvula, podemos escrever que: teremos que:
P1 = 4 atm P2 = 1 atm
V1 = 25 L V2 = ?
T1 = 227 °C + 273 = 500 K T2 = 27 °C + 273 = 300 K
GRUPO 02

Vamos resolver juntos!


02.

Com a lei geral dos gases, podemos encontrar o volume ocupado pelo gás após
a abertura da válvula.

P1.V1 P2 .V2

T1 T2

O volume ocupado pelo gás à pressão de 1 atm é de 60 L. Como o volume total


do cilindro é de apenas 25 L, podemos concluir que houve vazamento de 35 L
de gás (60 – 25 = 35).
GRUPO
FÍSICA - 2º02
ano do Ensino Médio
Lei Geral dos Gases

Para pensar...
Os fabricantes de pneus informam sempre a
pressão recomendada para garantir o bom
funcionamento e aumentar a vida útil dos pneus.
Por esta razão, é preciso sempre verificar a
pressão dos pneus de um automóvel.

Pensando no problema que acabamos de


resolver, qual seria a ocasião mais
apropriada para se fazer uma verificação e
ajuste da pressão dos pneus de um
automóvel?

Imagem: A.Viazemsky / Public Domain


GRUPO 02

Teoria cinética dos gases

Nos estudos dos gases vemos que:


• um gás é composto por átomos e moléculas, que se movem de
acordo com as leis estabelecidas pela cinemática.

• Em um gás, suas partículas normalmente estão muito distantes


uma das outras, tendo o vazio entre si.

• Vemos também que a principal característica dos gases é de


praticamente só existir interação entre suas partículas quando
elas colidem umas com as outras.
GRUPO 02

Com relação à Lei dos Gases Ideais, podemos dizer que ela nos mostra a relação entre
pressão, volume, temperatura e número de mols.

Essa relação é obtida a partir de um modelo simples para os gases, que permite
determinar a relação entre grandezas macroscópicas a partir do estudo do movimento
de átomos e moléculas.
GRUPO 02

A teoria cinética dos gases se baseia em


quatro postulados:

1 – o gás é formado por moléculas que se encontram em movimento desordenado e


permanente. Cada molécula pode ter velocidade diferente das demais.

2 – cada molécula do gás interage com as outras somente por meio de colisões (forças
normais de contato). A única energia das moléculas é a energia cinética.

3 – todas as colisões entre as moléculas e as paredes do recipiente que contém o gás são
perfeitamente elásticas. A energia cinética total se conserva, mas a velocidade de cada
molécula pode mudar.
GRUPO 02

A teoria cinética dos gases se baseia em


quatro postulados:
4 – as moléculas são infinitamente pequenas. A maior parte do volume ocupado por
um gás é espaço vazio.
GRUPO 02

Partindo desses postulados, Boltzmann e


Maxwell mostram que a energia cinética média
do total de moléculas de um gás ideal é
proporcional à temperatura conforme a
expressão:

Onde k é a constante de Boltzmann e N é o


número de moléculas. O valor de k pode ser
calculado a partir da constante dos gases R e do
número de Avogadro NA por
GRUPO 02

A expressão obtida mostra que a temperatura é proporcional à energia cinética média das
moléculas de um gás ideal. Assim, vemos que a temperatura é uma média do grau de agitação
das moléculas de um gás. Usando o número de mols, temos:
GRUPO 02

Transformação isotérmica:

É a transformação gasosa, onde a


temperatura permanece constantes,
ocorrendo variações apenas na
pressão e no volume do gás.

Figura 1. O volume aumenta e a pressão diminui. A temperatura permanece constante.


GRUPO 02

Nesse experimento, foram colocados 4 pesos iguais fazendo


uma pressão inicial maior, posteriormente, foram retirados 1
peso por vez, até restar apenas um. O que resultou em uma
diminuição da pressão, consequentemente o aumento do
volume.

Isso significa que se dobrarmos a pressão exercida por um gás


em um sistema fechado, o volume irá diminuir pela metade e
assim por diante, conforme mostrado na imagem.
GRUPO 02

Essa transformação também recebe o nome de Lei de Boyle-Mariotte. Que


em síntese, pode ser enunciada da seguinte forma:

“Na transformação isotérmica, a pressão exercida por uma amostra de


gás ideal é inversamente proporcional à sua variação de volume”
 
Matematicamente, a Lei de Boyle-Mariotte pode ser descrita pela expressão:
P . v = constante
(Pressão x volume=constante)
GRUPO 02

Exemplo:

Observe que os valores do produto PV sempre


são iguais a 1200, ou seja, é uma constante.
Se P1.V1= constante
Então podemos concluir que P1.V1=P2.V2
GRUPO 02

Exemplo: “Considere que em um recipiente com êmbolo móvel, capaz de


deslizar sem atrito, contém 20 litros de O2(g) sob pressão de 160 kPa a 298 K.
Que volume o gás passará a ocupar se a pressão for reduzida para 80 kPa
nessa mesma temperatura?
 
Resolução:
 
P1 . V1 = P2 . V2
V2 = P1 . V1
        P2
V2 = (160 kPa) . (20 L)
    (80 kPa)
V2 = 40 L
GRUPO 02

Transformação isobárica
Na transformação isobárica dos gases, a
pressão permanece constante e o volume
aumenta ou diminui proporcionalmente à
variação da temperatura.
 
Uma transformação isobárica ocorre quando
o gás está com uma pressão constante. Por
exemplo, se for feito em um ambiente aberto, a
transformação será isobárica, pois a pressão
será a pressão atmosférica que não mudará.
GRUPO 02

O primeiro cientista a relacionar o volume e a temperatura dos gases foi


Jacques Charles (1746-1823), em 1787, e, depois, no ano de 1802, Joseph
Gay-Lussac (1778-1850) quantificou essa relação.

Assim, surgiu uma lei que explica as


transformações isobáricas dos gases,
que ficou conhecida como Lei de
Charles/Gay-Lussac. Ela é enunciada
da seguinte maneira:

“Num sistema com pressão constante, o volume de determinada massa


fixa de um gás é diretamente proporcional à temperatura. ”
GRUPO 02

Se colocarmos um balão no gargalo de uma garrafa, ficará


aprisionada uma determinada massa fixa de ar.

Se mergulharmos essa garrafa em Agora, se colocarmos em uma


uma vasilha com água gelada, o balão vasilha com água quente, o balão irá
ficará murcho. encher.
GRUPO 02

Essa relação entre a temperatura e o volume nas transformações


isobáricas é dada pela seguinte relação:
 
_V_ = k “k” é uma constante, conforme se pode
ver no gráfico a baixo:
T
Observe que a relação V/T sempre dá uma
constante:
 
_V_ =_2V_ = _4V_
100 200 400
 
Assim, podemos estabelecer a seguinte
relação para as transformações isobáricas:
 
Vinicial = Vfinal Gráfico de transformação isobárica segundo a lei de
Charles e Gay-Lussac
Tinicial Tfinal
GRUPO 02

Isso significa que quando houver alguma mudança na temperatura do gás


à pressão constante, poderemos descobrir o seu volume por meio dessa
expressão matemática. O contrário também é verdadeiro, sabendo o
volume do gás, descobrimos em que temperatura ele está.  

Veja um
exemplo:
“Certa massa gasosa ocupa um volume de 800 cm3 a -23ºC, em uma dada
pressão. Qual é a temperatura registrada quando a massa gasosa, na mesma
pressão, ocupar um volume de 1,6 L?”
GRUPO 02

Resolução:
* Agora, substituímos os valores da fórmula e
Dados: encontramos o valor da temperatura final:
V inicial = 800 cm3  
T inicial = -23 ºC Vinicial = Vfinal
V final = 1,6 L Tinicial Tfinal
T final = ? 0,8_ = _1,6_
250 Tfinal
 * Primeiro temos que deixar o volume na
mesma unidade. 0,8 Tfinal = 250. 1,6
Sabe-se que 1 dm3 equivale a 1 litro.
Como um 1 dm3 é o mesmo que 1 000 cm3, Tfinal = 400
depreende-se que 1 litro = 1 000 cm3: 0,8
  Tfinal = 500K

1 L ----- 1000 cm3 * Passando para a escala em Celsius, temos:


x-------- 800 cm3  
x = 0,8 L T (K) = T (ºC) + 273
  500 = T (ºC) + 273
-23 ºC, somando com 273 teremos 250 K T (ºC) = 500 - 273
(Kelvin) T (ºC) = 227 ºC
GRUPO 02 Transformações Isocóricas: P x T

Dispergente
Disperso

CCl2F2

CCl3F
GRUPO 02

Lei de Charles Em um sistema fechado em que o volume é mantido


constante, verifica-se que a pressão exercida por
e Gay-Lussac determinada massa de gás é diretamente
proporcional á sua temperatura termodinâmica

Matematicamente podemos
escrever:

  𝑃
=𝐾
𝑇
GRUPO 02

Transformação Isocórica ou Isométrica


– Variação da pressão com a temperatura, a volume
constante (Lei de Charles).
  𝑃𝑖 𝑃𝑓 P  T  P/T = cte,
= P1/T1 = P2/T2
𝑇𝑖 𝑇𝑓

Jaques
Alexandre
César Charles
(1746-1823)
GRUPO 02

https://phet.colorado.edu/sims/html/gas-properti
es/latest/gas-properties_pt_BR.html
GRUPO 02

A pressão total do ar no interior de um pneu era


de 2,30 atm quando a temperatura do pneu era
de 27 graus. Depois de ter rodado certo tempo
com esse pneu, mediu-se novamente sua pressão
e verificou-se que ela era agora de 2,53 atm.
Supondo uma variação do volume do pneu
desprezível, qual a nova temperatura em graus
celsius?
GRUPO 02

  𝑇 =27 º 𝐶   𝑃𝑖 𝑃𝑓
=
𝑇 =27+273=300 𝐾 𝑇𝑖 𝑇𝑓
𝑃1=2,30 𝑎𝑡𝑚 ; 𝑇𝑖 𝑥 𝑃𝑓
𝑇𝑓=
𝑃𝑓 =2,53 𝑎𝑡𝑚 ; 𝑃𝑖
𝑇 𝑓 =? 300 𝑥 2,53
𝑇 𝑓=
2,30
𝑇 𝑓 =330 𝐾

𝑇 °𝐶 =330 −273=57 °𝐶
 
GRUPO 02

REFERENCIAS
FOGAÇA, Jennifer Rocha Vargas. "Transformação isobárica"; Brasil Escola. Disponível
em: https://brasilescola.uol.com.br/quimica/transformacao-isobarica.htm. Acesso em 14 de
novembro de 2020.

TERMODINÂMICA. Info escola, 2012. Disponível em:


https://www.infoescola.com/termodinamica/transformacao-isotermica/
. Acesso em: 14, 11 e 2020.

LEI DE BOYLE. Mundo educação, 2014. Disponível em: https://


mundoeducacao.uol.com.br/quimica/lei-boyle-sobre-transformacao-isotermica.htm
. Acesso em: 14, 11 e 2020.
 
 Química 2. 1° Edição . São Paulo: ática, 2013.
FÍSICA - 2º ano do Ensino Médio
GRUPO 02
Lei Geral dos Gases

OBRIGADO

RELEMBRANDO

https://youtu.be/PtYIK3GAehs
FÍSICA - 2º ano do Ensino Médio
Lei Geral dos Gases

GRUPO 02
OBRIGADO